Menu

Progressistas, uma pedra fora do tabuleiro na eleição

Foto: Juan Diaz
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Fica até difícil se traçar hoje um cenário real sobre a disputa pelo comando da prefeitura de Rio Branco, sem saber como é que ficará a situação do PP: se a candidatura de Alysson Bestene (PP) será mantida ou substituída por outro nome. Ou se o PP não terá candidato próprio e vai virar um puxadinho de outra sigla. Esse cenário incerto e que pode mexer no quadro eleitoral, acontece pelo fato de o PP ocupar o Governo do Estado e ser grande e importante. Sem falar que, com essa incerteza, não há nem como a sigla montar alianças. De certo mesmo, temos três candidaturas postas na briga pela PMRB: Emerson Jarude (NOVO), Tião Bocalom (deve ir para o PL), e Marcus Alexandre (MDB). A única pedra fora desse tabuleiro é o PP, que precisa urgente resolver a sua situação política. O tempo voa, o tempo corre. A convenção municipal está na esquina, só escutando a conversa.


VIDRAÇA ELEITORAL
Aumentam os comentários de que o deputado federal Eduardo Veloso (UB) assumirá a Secretaria de Saúde de Rio Branco. A ser verdade, vai trocar de posição, passando de baladeira para vidraça. É inevitável no ano eleitoral.


COBRANÇAS DOBRAM
As cobranças no ano eleitoral dobram em cima de quem ocupa cargo público, principalmente, numa pasta delicada como a Saúde, que é olhada com lupa pelos órgãos de controle e pela população. O Veloso que se prepare para cobranças, caso assuma mesmo o cargo.


SITUAÇÃO DO PP
Caso o secretário Alysson Bestene (PP) queira continuar com a sua candidatura, terá o apoio da presidente do diretório municipal do PP, deputada federal Socorro Neri (PP). Mas se achar que não há mais clima para tocar em frente, a Socorro assumirá o posto, mas o PP não ficará sem candidato a prefeito da Capital.


HORA DE AVALIAR
É hora de o secretário Alysson Bestene (PP) pesar os prós e contras de se manter como candidato a prefeito. Essa decisão tem que ser de fórum íntimo, sem pressão, para desistir ou continuar. Só ele pode avaliar como está o quadro da sua candidatura. O que não pode continuar é essa dúvida na cabeça do eleitor, se fica ou não.


SERIA ALGO VERGONHOSO
O PP não ter um candidato próprio para disputar a Prefeitura de Rio Branco seria vergonhoso para um partido grande, de tradição, e cuja principal liderança governa o estado. Ficar fora do embate é vestir a capa de partido pequeno. E virar puxadinho.


GRANDE EXPECTATIVA
Há uma expectativa no grupo do prefeito Zequinha (PP) de que o ex- deputado Vagner Sales, vai acabar indicando o vice na sua chapa que buscará a reeleição. Se acontecer, o fato vai marcar o declínio político do grupo do Vagner, que ainda é a maior liderança da oposição no município.


NÃO COMENTA
Ainda tentei ontem ouvir o Vagner Sales se procedem os boatos que correm naquela cidade sobre a hipótese, mas não retornou o contato O espaço continua aberto para ele.


FICOU MUDA
A vice-governadora Mailza Assis, que foi uma das avalistas da candidatura de Alysson Bestene (PP) para a prefeitura da Capital, continua muda sobre esse momento delicado no PP. Político tem que ter posição a favor ou contra. Ficar no muro não é positivo.


DEVE ESTAR NA TORCIDA
Quem deve estar na torcida para que a deputada federal Socorro Neri (PP) seja candidata a prefeita e ganhe a eleição é o seu primeiro suplente, o presidente da Fieac, José Adriano.


FICA TUDO TRAVADO
Enquanto não se tiver um cenário exato sobre a permanência da candidatura de Alysson Bestene (PP) a prefeito de Rio Branco, fica tudo travado, em termos de composição com partidos que podem virar aliados. Esse quadro de dúvida mexe até com os partidos de oposição, que aguardam o desfecho para ver se podem se beneficiar de dissidências.


PARA ONDE VAI
Sem candidato próprio a prefeito de Rio Branco, a grande dúvida que toma conta do cenário da sucessão municipal, é aonde vai desembarcar o União Brasil; e também quem comandará o processo dentro do partido. As posições são divergentes.


CABE UMA NOTA
Ao PP, neste momento de indefinição, cabe como uma luva fazer uma reunião com as suas lideranças e emitir uma nota pública sobre toda essa onda de boatos se o partido terá ou não candidato para a PMRB.


NÃO SE RESOLVE
Que a cidade de Brasiléia seja transferida para uma área onde não alaga é mais que necessário. Mas não é uma situação para ser resolvida este ano, porque implica numa série de medidas, que vão do convencimento dos moradores a se mudar a ter recursos milionários para executar a medida. O próximo ano virá com nova alagação, e o drama vai se repetir.


CANDIDATO DO PT
O candidato a prefeito de Xapuri pelo PT tende a ser o ex-prefeito Júlio Barbosa, que se elegeu na época das vacas gordas do seu partido, que hoje não tem nem vacas magras.


QUEDA LIVRE
Até o próprio Lula reconheceu em recente entrevista que a sua gestão está deixando muito a desejar. Para quem teve em outros governos 70 por cento de popularidade, ter hoje 33 por cento, é uma queda livre. Mas pior do que o Bolsonaro ainda está longe de ser.


MUITO ÉTICA
A deputada federal Socorro Neri (PP) é muito ética. Por isso, só assumirá o papel de candidata a prefeita de Rio Branco, se o secretário Alysson Bestene (PP), de livre vontade, desistir.


FORA DE COGITAÇÃO
Pelo que ouvi ontem, é descartado o governo assumir uma candidatura do Minoru Kinpara (PSDB), como sonham alguns dirigentes tucanos.


SE BLEFA OU NÃO
Os seus adversários não acreditam nem um pouco na sua candidatura a prefeito de Sena Madureira. Só vamos saber se o deputado Gerlen Diniz (PP) blefa ou não em junho, quando deve acontecer a convenção municipal.


DESGASTA O GESTOR
Numa alagação, por mais que um prefeito se esforce em atender bem todas as famílias atingidas, sempre acontecerá um desgaste para o gestor, porque não tem como fazer frente a todos os problemas decorrentes da cheia. Isso é inevitável.


PRIMEIRO TEMPO
O senador Marcio Bittar (UB) perdeu o primeiro tempo do jogo da eleição municipal, quando acreditou que o PP não tiraria a candidatura do prefeito Tião Bocalom. Agora joga o segundo tempo, apostando na reeleição do Bocalom. Bittar é hoje o político mais próximo do velho Boca.


CANTEI A PEDRA
Quando o prefeito Tião Bocalom trouxe o Saerb para o seu comando, comentei que estava colocando um porco-espinho no colo. Deveria ter deixado o órgão com o governo. Com as torneiras só roncando, estão chovendo críticas contra ele.


FRASE MARCANTE
“A mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta”. Frase atribuída ao imperador romano Júlio César.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.