Menu

O jogo pela prefeitura não começou ser jogado

Foto: Jardy Lopes/Ac24horas
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Esta semana começa o carnaval, logo depois vem o julgamento do governador Gladson Cameli se será afastado ou não, e somente depois desses dois fatos é que se dará na real a largada pela disputa da prefeitura de Rio Branco. É quando serão amarradas as alianças, as primeiras discussões para a escolha dos vices das chapas dos que postulam a PMRB, e quando a campanha vai para rua. A partir desse cenário em diante em março é que as pesquisas eleitorais começarão a serem feitas e se passará a ter um perfil de quem tem mais chance de polarizar e ir para o provável segundo turno da disputa. Esqueçam tudo o que aconteceu em 2023, porque o jogo pela PMRB não começou ainda a ser jogado.


DEVERIA RECONHECER
O senador Alan Rick (UB) anuncia vinda do ministro das Comunicações, Juscelino Filho, ao Acre, para dar início ao projeto que vai levar internet de alta qualidade a todo estado. Uma boa pauta do Alan. Sobre o Lula, não fala nada. Não custa nada, Alan reconhecer ser este um projeto do governo Lula. Não vai lhe tirar um pedaço ideológico de bolsonarista.


ENCONTRO DE MENDIGOS
Leio que o governador Gladson e uma representante da República Dominicana, firmaram compromisso de cooperação em projetos econômicos. Foi um encontro do liso com a blefada. Nem o Acre e nem a República Dominicana têm algo a oferecer ao outro. Foi como encher linguiça com vento.


PRECISA DE POVO
O candidato a prefeito Alysson Bestene (PP) não precisa mais de medalhões políticos ao seu lado, tem de sobra. O que precisa é de povo.


É O QUE PEGA MAL
Enquanto Alysson Bestene (PP) não tiver poder de resolver pequenas demandas, vai ser um candidato marionete, que depende de alguém para uma situação ser resolvida.


ABUSO DE AUTORIDADE
Não está em discussão quantas delegacias o Gladson construiu ou vai construir, tampouco, não ser perseguidor, como alguns deputados da base do governo, ontem na ALEAC, se pronunciaram, para serem agradáveis ao governador. Nem está em discussão a gestão do Delegado Geral, Henrique Maciel, O que está em discussão é um excesso, abuso de autoridade, da Corregedoria da Polícia Civil, de abrir investigação administrativa contra uma policial que denunciou o desabamento do teto de uma delegacia na Cidade do Povo. Qual crime cometeu essa policial ao denunciar um fato real?


A CULPA NÃO É DO MORDOMO
Nos filmes de suspense o primeiro culpado a ser apontado é o mordomo. Quando uma obra é entregue tem que haver ações de conservação do imóvel por parte de quem recebe. Varrer o caso para baixo do tapete acusando o construtor para tirar a culpa do governo de foco, é como colocar a culpa no mordomo. Essa tese de defesa de deputados da base do governo, é no mínimo risível. É a ânsia de defender para justificar os cargos de confiança.


NADA TINHA ACONTECIDO
Se o registro da queda do teto da delegacia da Cidade do Povo tivesse ficado só na divulgação, não teria tido conotação para gerar um acirrado debate ontem na ALEAC, em que a oposição deita e rola, com desgaste para o governo.


TUDO EM CASA
O deputado André da Droga Vale, vai tentar eleger a mulher Lucilene da Droga Vale a vereadora de Rio Branco, ancorada na boa votação do marido. O partido não foi definido.


DEFESA ÉTICA
Quem consegue fazer uma defesa ética do governo do Gladson Cameli sem ser pegajoso, é o deputado Afonso Fernandes (PL). Com serenidade, faz a defesa do governo toda vez que a oposição levanta uma denúncia contra. Pode-se defender o governo, como faz o Afonso, sem cair para o campo da trivial bajulação.


NO SEGUNDO TURNO
Até os adversários políticos mais ferrenhos do candidato Marcus Alexandre (MDB), consideram que a sua chance de chegar num bom patamar num segundo turno eleitoral, é muito grande.


A MAIOR FARSA
A maior farsa montada na última eleição teve como propagadores as maiores lideranças evangélicas nacionais. Era que o Lula ganhando fecharia as igrejas, implantaria o comunismo e liberaria o aborto. Como nada disso aconteceu, engoliram em seco a mentira e ficaram mudos. A mentira sempre teve pernas curtas.


NOME NOVO
Quem também vai tentar uma vaga de vereador de Rio Branco é o Cleudon Cardoso, um rapaz humilde, o que acaba sendo bom para a política o aparecimento de caras novas. Na política é preciso fugir da mesmice das velhas caras de sempre.


PODE ATÉ ACONTECER
Não acredito muito, mas ninguém sabe o que passa pela cabeça de um magistrado e tudo pode acontecer, no julgamento de amanhã no STF, que muda o cálculo das sobras eleitorais.


VOLTOU COM TUDO
Quem voltou para a tropa de choque do prefeito Tião Bocalom foi o ex-secretário municipal de Saúde, Frank Lima, que virou assessor político.


BOCALOM CALADO
O prefeito Tião Bocalom se cala quando se pergunta sobre alianças políticas e sobre quem será seu vice.


DISPUTA DURA
A disputa ontem na ALEAC na base do governo foi para ver quem conseguiria elogiar mais o governador Gladson Cameli. Cada um se esforçando mais do que o outro para aparecer na foto. Terminou de zero a zero.


PODE ATÉ ACONTECER
O afastamento do governador Gladson pode até acontecer na sessão do STJ, a ocorrer no próximo dia 22; mas não creio na possibilidade, porque todas as provas de supostas corrupções já estão nos autos do inquérito. Não há brechas para manipulação. Mas, de um cenário o Gladson não vai escapar, o de se tornar réu e a denúncia da PGR neste quesito ser aceita. A partir de então começará todo o processo.


PRIMEIRA INSTÂNCIA
Apenas Gladson será julgado pelo STJ por ter foro privilegiado como governador; os demais acusados pelos supostos crimes elencados pela PGR, responderão no juizado de primeira instância da Justiça Federal.


FRASE MARCANTE
“Se queres viver liberto dos vícios foge dos que dão maus exemplos”.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.