Menu

Superintendente do Dnit afirma que principal problema da BR-364 é falta de manutenção

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O programa Boa Conversa, transmitido nas plataformas digitais do ac24horas, entrevistou nesta sexta-feira, 25, o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Acre, Ricardo Araújo, revelou que o órgão tem mais de R$ 270 milhões para investimentos na rodovia, além de anunciar recuperação do trecho Custódio Freire ao aeroporto e fiscalização com multa contra excesso de peso.


Araújo começou reclamando da falta de investimento do governo Bolsonaro que, nos últimos 3 anos, havia investido apenas 1 bilhão nas rodovias de todo o Brasil. “O que veio de recursos para o Acre era de R$ 4 milhões nos últimos anos. Essa BR devido ao solo amazônico tem problema, então se você passar de fazer uma conservação, restauração ao longo do tempo, a estrada vai se deteriorando ao longo do tempo”, explicou.

Publicidade

Falando em números da gestão da gestão de Lula, Ricardo contou que existem mais de R$ 270 milhões para investimentos na rodovia acreana. Segundo ele, o recurso é insuficiente para solucionar os problemas da estrada. “Esse dinheiro vai dar para que a gente faça correção de pista, remendo profundo, estamos fazendo capa asfáltica. O importante é que possamos dar um tráfego para o usuário. Essa rodovia é social”, comentou.


Outro ponto abordado por Araújo é que com quase 30 frentes de trabalho na rodovia, o ministro dos transportes, Renan Filho, garantiu o envio de mais R$ 180 milhões caso haja a utilização dos R$ 270 milhões. “A gente quer dar uma revitalização na nossa estrada”. Além disso, Ricardo mencionou que a fiscalização acerca do excesso de peso já está ocorrendo no município de Bujari e nas Quatro Bocas. “Estamos controlando a pesagem e estamos multando quem passa acima do peso. São multas pesadas e precisamos ter consciência”, declarou.



O gestor ainda comemorou a redução de tempo para o trecho Rio Branco/ Cruzeiro do Sul que diminuiu de 18h para 12h. “É uma vitória. Já tem gente fazendo o trecho em 10h de carro e 9h de caminhonete”, ressalta.


O superintendente contou que um estudo feito pelo ex-gestor do DNIT, Carlos Moraes, apontou que entre os municípios de Sena Madureira e Liberdade em Tarauacá, é um dos solos mais pobres do Acre. “É como se fosse uma lama vulcânica que se depositou ao longo do tempo e formou um solo de argila resistência zero e isso traz longos problemas ao longo da estrada”.


Araújo ainda acrescentou que outro problema detectado é que a rodovia da BR-364 corta todos os rios e igarapés. “Somente nesse trecho temos 4 bueiros a cada km. Olha o tamanho do problema”, disse.


O mandatário do DNIT relembrou que o governo já tem garantido pelo PAC algo em torno de R$1,6 bilhões para a rodovia acreana. “Tem uma empresa fazendo um levantamento de revisão do projeto. Já tem dois lotes para licitar saindo de Sena Madureira e Feijó. “Já temos o dinheiro”.


Sobre a execução da obra da reconstrução, Araújo garantiu que a responsabilidade é grande e será feita por grandes empresas. Porém, por falta de investimento da gestão anterior, a mão de obra da construção civil migrou para o agro. “As carretas foram pra fora e hoje as empresas estão se reorganizando”, argumentou.


O superintendente anunciou aos jornalistas Leônidas Badaró e Astério Moreira que o órgão vai recuperar o trecho do bairro Custódio Freire ao Aeroporto de Rio Branco com macadame hidráulica. “Já fizemos um estudo naquele local. Com esse material é mais caro e mais barato em manutenção em 10 anos. Esse tipo de consciência que temos que ter”, destacou.


ASSISTA AO BOA CONVERSA:

Publicidade

video
play-rounded-fill

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido