No Acre, mãe e filha descobrem câncer em intervalo de 20 dias

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Um diagnóstico de câncer costuma ser devastador para qualquer pessoa. Tente imaginar então descobrir que tem a doença, que terá que passar por um longo tratamento sem a certeza da cura e em pouco tempo descobrir que uma filha também tem o mesmo diagnóstico.


A história, que parece ter saído da cabeça de um roteirista de novela, infelizmente, é verdadeira e acontece em Cruzeiro do Sul, interior do Acre.


A fonoaudióloga Heliana Barbary, 37, descobriu em março deste ano uma alteração na mama. Após alguns exames no Juruá, veio para Rio Branco, onde no Hospital do Amor, após três biópsias, recebeu o diagnóstico de um câncer avançado em estágio 3.


Enquanto recebia a “pancada” da vida de saber estar com câncer em um dos seios, em Cruzeiro do Sul, Emanuely, a filha de apenas 18 anos, começou a se sentir mal, apresentando muita tosse e febre. Mesmo diagnosticada com câncer, Heliana saiu de Rio Branco e voltou para o Juruá para levar a filha ao médico. Levada ao hospital, os médicos identificaram, após alguns exames, uma massa muita densa no mediastino, região que fica entre os pulmões. Emanuely foi encaminhada também para a capital acreana onde o destino deu outra “porrada” na família. A filha foi diagnóstico com um tipo raro de câncer. Tudo isso em um espaço de apenas 20 dias.

Publicidade

Já sabendo que também estava com a doença, Heliana teve que procurar forças que só as mães conseguem ter. “Abandonou” a própria saúde e foi cuidar da filha. “Foquei muito meu no tratamento da minha filha, que já começou a passar por quimioterapia, assim que foi diagnosticada. Enquanto eu cuidava da minha filha e esperava o resultado da biópsia para que o tipo de tratamento fosse definido, meu câncer cresceu muito. Quando eu saí de Cruzeiro do Sul meu tumor estava com 2,5 cm e quando cheguei em Rio Branco já tava 5,6 cm, já com metástase”, conta.


Atualmente, mãe e filha fazem tratamento. Heliana, além de quimioterapia, precisará passar por uma delicada cirurgia. Emanuely vai precisar continuar fazendo o tratamento com os fortes medicamentos.


Apesar do sofrimento de junto com a filha enfrentar um diagnóstico de câncer, Heliana conta que resolveu compartilhar sua história para ser ajudada, mas também para ajudar outras pessoas. “Pensei que contando a minha história, eu poderia ser ajudada e ajudar outras pessoas através da força que preciso receber e oração, já que muita gente não sabia que eu também estava com câncer porque eu não havia contado, pois queria cuidar da minha filha. Meu cabelo também já estava começando a cair e eu tinha que dar uma satisfação às pessoas que me conhecem”, explica.


Heliana diz ainda que compartilhar sua história tem sido importante pela energia positiva que recebe com a filha. “Muita gente me conforta com palavras e orações. Recebo testemunhos de quem já passou por isso e me encoraja a enfrentar esse desafio quando me sinto sem forças. Não é fácil passar por tudo isso, mais ainda quando envolve uma filha. Por mais dolorido que seja, Deus tem me fortalecido e eu tenho conseguido suportar”, diz.


A mãe explica que tem sofrido muito com as consequências da quimioterapia. “Minha filha sente, mas acho que por ser mais nova, não é tanto. Eu sinto muita fraqueza, muito mal-estar e fico tonta com muita facilidade, já que o meu tratamento  é muito forte por já está em estágio avançado”.


Além de enfrentar tratamento junto com a filha, Heliana também precisa de ajuda financeira. Após os diagnósticos foi obrigado a fechar a clínica e suspender os atendimentos de fonoaudiologia que sustentavam sua família. “Eu comecei uma campanha para a minha filha. Como o câncer dela é muito raro, existem medicamentos que não são fornecidos pelo SUS. No meu caso, como não estou trabalhando, tenho pedido ajuda para compra da alimentação que tem que ser diferente, preciso me manter em Rio Branco quando estou aí e por enquanto, não tenho condições de voltar a atender meus pacientes, o que tenho certeza em Deus que vou conseguir fazer ainda”, diz.


Suportar um tratamento de câncer junto com a filha tem feito com Heliana busque superação. Ela conta que os últimos meses têm mexido com seu psicológico de maneira muito forte, mas tem buscado ser resiliente e confiar em dias melhores. “Nesse momento estou lutando contra o meu psicológico. Estou procurando atendimento com psiquiatras no Unacon e também aqui em Cruzeiro do Sul porque preciso me manter forte para conseguir passar por algo que nunca imaginei na vida. Meu coração é grato por todas as pessoas que estão me ajudando, seja financeiramente ou com uma simples oração. Eu tenho um  Deus que só ele é capaz  de explicar o que estou passando e não tem sido fácil. Mas eu tenho muita fé que em pouco tempo vou lhe procurar para contar sobre a minha cura e a cura da minha filha”, diz emocionada.


Quem quiser ajudar Heliana e a filha pode fazer uma transferência para o PIX 68981105525. O contato também pode ser usado para obter mais informações. 


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido