Menu

No Acre, moradores rejeitam responder ao Censo do IBGE

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

No Acre, 1,15% dos moradores se recusam a responder ao Censo do IBGE e 2,88% não estão sendo encontrados nas casas. Na capital, a taxa de recusa é de 1,6%, mas a ausência de moradores é bem maior que no Estado: 4,1%.


Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (2) pelo IBGE. O coordenador técnico do Censo, Luciano Duarte, relata que várias formas de recusas foram observadas durante a operação. Ele menciona que há, já no treinamento dos recenseadores, instruções para identificar quando há pessoas morando na casa. “Ele vai, por exemplo, avaliar se tem cachorro em casa, se tem planta, se tem roupa no varal e, a partir daí, vai ter um indicativo de que, embora não tenha ninguém em casa naquele momento, aquele domicílio é uma unidade habitada”, diz.


“Em algumas situações durante a abordagem o recenseador percebe que tem gente em casa, mas a pessoa não quer atender. Ou então o recenseador deixa uma folha de recado na caixa dos correios ou por debaixo da porta, mas não tem retorno. São situações de recusa velada”, completa. Em outros casos, o morador chega a atender o recenseador, mas pede que ele retorne em outro momento e, após sucessivas voltas em horários alternativos, recebe a mesma resposta. Essa situação também é considerada pela equipe técnica do Censo como uma forma velada de recusa.

Publicidade

Os números relacionados ao Acre estão entre os menores nos Estados e nas capitais mas preocupam o IBGE, que traça meios de reduzir esse problema.


Na outra ponta, o Acre está entre os Estados que mais recenseou até agora: 94,07% da população prévia já recebeu a visita de um recenseador.


Além de altos níveis de recusas, o Censo 2022 também tem registrado percentuais elevados de moradores ausentes. A média do país até o dia 31 de janeiro foi de 4,62%. Para efeitos de comparação, no Censo de 2010, não havia um indicador separado para recusa e moradores ausentes. A média das duas situações, somadas, chegou a 1,5% ao fim da operação censitária.


Entre as Unidades da Federação, Mato Grosso tem a maior média de moradores ausentes (14,04%), seguido por Espírito Santo (9,58%) e São Paulo (8,04%).


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido