Conecte-se agora

Delegado aguarda laudo de bebê que chegou morto em hospital para iniciar investigações

Publicado

em

O delegado de polícia de Sena Madureira, Marcos Frank, falou na manhã desta quarta-feira, 25, sobre o caso do bebê indígena de 2 anos que chegou sem vida ao Hospital João Câncio Fernandes e que, de acordo com informações da polícia militar, apresentava hematomas pelo corpo.

O investigador informou ao ac24horas que aguarda o laudo cadavérico que será realizado pelo Instituto Médico Legal. “O IML tem um prazo de 30 dias, mas pedi urgência e agora vamos ficar no aguardo do resultado”, disse.

Marcos Frank ressaltou ainda que o laudo vai determinar a abertura de um inquérito. “O laudo vai apontar a causa da morte e de acordo com esse resultado vamos iniciar as investigações. O que podemos dizer no momento apenas é que todas as informações são muito confusas e não é possível fazer qualquer avaliação agora”, afirmou.

De acordo com uma nota publicada pela Polícia Militar do município, a criança já teria dado entrada, no final da tarde de terça-feira, 24, no hospital sem vida e os hematomas seriam, possivelmente, decorrentes de agressões. “A PM foi ao local (hospital de Sena Madureira) e em conversa com a equipe médica de plantão foi informada de que os pais de uma criança indígena de 02 anos de idade, do sexo feminino, haviam chegado ao hospital com a criança informando que ela havia passado mal durante à tarde. A equipe médica relatou ainda, que a criança já chegou sem vida ao PS e que de fato apresenta lesões em várias partes do corpo, porém, até o momento não foi possível verificar a causa das lesões. Diante disso, a guarnição de serviço acionou a Polícia Civil, para tomar conhecimento do fato e realizar os procedimentos necessários, haja vista haver suspeita de violência em razão das lesões aparentes. A Polícia Militar realizou os protocolos de praxe”, diz a nota divulgada pelo tenente Jairo Pontes, da comunicação da PM em Sena Madureira.

Cotidiano

Casos de Covid-19 caem 58% no Acre em três dias, diz Ministério da Saúde

Publicado

em

A mais recente análise diária epidemiológica da Covid-19 mostra que a incidência da Covid-19 caiu fortemente entre os dias 22 e 24 de janeiro no Acre, saindo de aumento de 16% para queda de 58% no número de casos positivos nesse período.

Com isso, o Acre é um dos 20 Estados que apresentam diminuição nos casos em todo o País -e também é um dos três sem mortes pela doença no período analisado levando em conta a média móvel de casos em sete dias.

No entanto, segundo o Ministério da Saúde, oito Estados brasileiros ainda apresentam cenário de aumento na variação de mortes pela doença. São eles: Pará, Amapá, Rio Grande do Norte, Paraíba, Tocantins, Goiás, São Paulo e Santa Catarina. Os dados são compilados pelo Ministério da Saúde a partir das notificações das Secretarias Estaduais de Saúde.

O Ministério da Saúde reforça o apelo para que a população busque os postos de saúde para complementar a imunização contra a Covid-19. A vacinação é o meio mais eficaz para derrubar ainda mais os índices de casos graves e mortes pela doença.

“A vacina Covid-19 vai estar no calendário regular nacional de imunizações, mas nós temos a grande tarefa de recuperar as altas coberturas vacinais no Brasil. Nosso foco também está em vacinar as crianças”, destaca a ministra da Saúde, Nísia Trindade.

Continuar lendo

Cotidiano

“Pai me dá um real” é flagrado se masturbando no centro de Rio Branco

Publicado

em

Um vídeo que circula em grupos de whatsapp mostra o morador de rua Ivanildo Barata, conhecido como “pai me dá um real”, se masturbando em plena luz do dia no centro de Rio Branco, nesta quinta-feira, 26.

As imagens são de um dos locais mais movimentados da capital acreana e fica entre o Terminal Urbano e o Aquiri Shopping.

Esta é a segunda vez que o morador de rua é flagrado se masturbando. A primeira vez foi dentro de um ônibus do transporte público.

Ivanildo já foi internado de forma compulsória mais de uma vez, mas sempre foge da unidade de saúde para onde é levado.

O ac24horas já mostrou em reportagem a preocupação de comerciantes e populares com o considerável aumento de pessoas em situação de alcoolismo e drogadição nas ruas do centro da capital acreana sem que haja uma ação efetiva do poder público, seja estadual ou municipal.

play-rounded-fill
Continuar lendo

Cotidiano

Vacinação, renovação de CNH e de passaporte já valem como prova de vida do INSS

Publicado

em

A prova de vida do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) passa a ser feita automaticamente em todo o país neste ano, por meio do cruzamento de dados obtidos quando o segurado vai a um posto de vacinação, a uma agência do INSS, renova a carteira de motorista ou recebe o benefício com biometria em seu banco, por exemplo.

O órgão usará um sistema de pontuação a cada procedimento feito. Segundo a portaria, os dados coletados serão armazenados por prazo indeterminado e formarão esse banco de pontuação, de acordo com definição de integridade do dado obtido, a ser definido pelo órgão.

Desde o dia 1º de janeiro, é do INSS a responsabilidade de comprovar que o beneficiário continua vivo.

Em 2023, o órgão deverá comprovar o recadastramento de cerca de 17 milhões de beneficiários.

Segundo portaria que regulamenta a nova prova de vida, publicada nesta quinta (26), o INSS terá dez meses para comprovar que o titular está vivo, contando a partir do mês de aniversário. Se neste período o governo não reunir informações suficientes para fazer a comprovação, enviará uma notificação ao segurado, pelo Meu INSS, Central 135 ou na rede bancária. Após o aviso, o beneficiário terá um prazo de mais 60 dias para fazer a atualização.

O INSS usará os seguintes dados para realizar a prova de vida (desde que tenham sido feitos nos dez meses seguintes ao aniversário)

– Acesso ao aplicativo Meu INSS com o selo ouro ou outros aplicativos e sistemas dos órgãos e entidades públicas que possuam certificação e controle de acesso, no Brasil ou no exterior;

– Contratação de empréstimo consignado, feito por reconhecimento biométrico;

– Atendimento presencial nas agências do INSS ou por reconhecimento biométrico nas entidades ou instituições parceiras;

– Realização de perícia médica, por telemedicina ou presencial; e Atendimento no sistema público de saúde ou na rede conveniada;

– Vacinação; Cadastro ou recadastramento nos órgãos de trânsito ou segurança pública; Atualizações no Cadúnico, somente quando for efetuada pelo responsável pelo grupo; Votação nas eleições;

– Emissão ou renovação de passaporte;

– Emissão ou renovação de carteira de motorista;

– Emissão ou renovação de carteira de trabalho;

– Emissão ou renovação de arteira de Identidade; Alistamento militar;

– Outros documentos oficiais que necessitem da presença física do usuário ou reconhecimento biométrico; Recebimento do pagamento de benefício com reconhecimento biométrico;

– Declaração de Imposto de Renda, como titular ou dependente.

Tire dúvidas sobre a nova prova de vida do INSS

Como o INSS fará a prova de vida com comparação de dados?

O INSS receberá esses dados de órgãos parceiros e vai comparar com os dados que já tem cadastrados em sua base.

Exemplo: Uma pessoa toma uma vacina contra a gripe num posto de saúde da rede pública. Ao receber essa informação, o INSS tem o indicativo de vida do beneficiário e tal indicativo servirá para compor um “pacote de informações” sobre a pessoa. Esse “pacote de informações” reunirá diversas ações registradas ao longo do ano, nos diferentes bancos de dados dos parceiros. Quando o total de ações ao longo do ano registradas nas bases de dados parceiras for suficiente, o sistema considerará a prova de vida realizada, garantindo a manutenção do benefício até o próximo ciclo.

Que benefícios exigem a prova de vida?

Todos os benefícios ativos do INSS de longa duração precisam da prova de vida anual, como aposentadorias, pensão por morte e benefícios por incapacidade.

Como saber se minha prova de vida já foi realizada?

O beneficiário poderá acessar o Meu INSS ou ligar para o telefone 135 para verificar a data da última confirmação de vida feita pelo INSS.

É possível continuar fazendo a prova de vida na rede bancária?

Apesar de não ser mais obrigatório, a pessoa poderá fazer a sua prova de vida como nos anos anteriores, ou seja, indo a uma agência da rede bancária ou usando o Meu INSS.

O que acontece se a pessoa não comprovar no prazo de 60 dias?

Se após a notificação não for identificada nenhuma ação na base de dados ou mesmo se a pessoa não conseguir atingir um “pacote de informações” mínimo para realizar a prova de vida, o INSS programará automaticamente uma visita de um servidor do INSS ao local onde o segurado mora.

É importante que os dados cadastrais do segurado estejam sempre atualizados no Meu INSS, principalmente o endereço residencial.

O que fazer se o benefício for bloqueado?

O benefício só será bloqueado se o cidadão não comprovar a vida nos 60 dias de prazo e se o endereço cadastrado nas bases de dados do INSS for insuficiente para a localização da pessoa.

Nesses casos, o cidadão será notificado e o benefício será bloqueado pelo prazo de 30 dias.

Nesse período, a pessoa ainda pode realizar a prova de vida indo presencialmente à rede bancária, utilizando a biometria dos caixas eletrônicos, ou ainda indo presencialmente a uma unidade do INSS.

Caso o beneficiário não compareça presencialmente ao banco ou a uma agência do INSS nos 30 dias restantes, o benefício será suspenso. Após seis meses de suspensão, o benefício será cessado.

Continuar lendo

Cotidiano

Para Sindicato de Policiais do ex-Território apenas processos de falecidos foram cancelados

Publicado

em

Por meio de nota encaminhada por seu representante legal, o advogado Marcelo Galvão, o Sindicato dos Policiais Civis do ex-Território Federal do Acre (SINPCETAC) negou que todos os processos tenham sido cancelados, como foi noticiado em matéria divulgada pelo ac24horas com base em afirmações do advogado Pedro Paulo Castelo Branco Coêlho, que representa alguns dos interessados no pleito judicial.

A questão trata do cancelamento de processos que pleiteiam o recebimento de valores retroativos referentes à Gratificação de Operações Especiais (GOE), que é recebida pelos policiais federais. As ações se fundamentam em decisão que reconheceu direito de equiparação dos policiais civis dos ex-Territórios com os ocupantes de cargo de policial federal

O SINPCETAC afirma que promoveu execuções em nome dos sindicalizados constantes da lista de associados em 2001, data do ajuizamento da ação de conhecimento, e que tal procedimento visava proporcionar uma simplificação da execução, evitando que a proposição de ações em nome de milhares de herdeiros inviabilizasse o recebimento dos valores.

No entanto, o sindicato esclarece que a juíza da 22ª Vara Federal não aceitou a iniciativa e houve por bem cancelar as execuções relativas aos policiais falecidos em data anterior à propositura da ação, determinando que cada família de policial falecido busque o benefício de forma individualizada;

“Continuam em andamento na mesma Vara centenas de execuções em nome de policiais que não se encaixam na condição anterior. Em relação aos falecidos anteriormente a 2001, portanto, caberá aos herdeiros o ajuizamento da ação própria para recebimento dos valores. Não houve desídia na atuação do sindicato, que somente buscou defender os interesses dos seus associados e familiares e dar celeridade ao recebimento”, afirma a nota.

Por fim, o SINPCETAC afirmou que o advogado Pedro Paulo é estranho à relação processual e desconhecedor da matéria em questão e que a conduta dele deverá ser apurada em procedimento próprio junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Informado do posicionamento do representante do sindicato, Pedro Paulo Castelo Branco Coêlho reafirmou as informações que forneceu e encaminhou uma nova lista de processos extintos na qual constam 35 nomes de beneficiários. Segundo o advogado Marcelo Galvão, todos são falecidos antes do ano de 2001.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.