Conecte-se agora

Rompimento oficial é questão de tempo

Publicado

em

NÃO DOU UMA NOTA no BLOG sem antes conversar com quem vai ser citado, para não ficar na especulação. A aliança política entre o senador Sérgio Petecão (PSD) e o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), está com seu rompimento com os dias contados. 

Ambos se encontram afastados, falta apenas a oficialização do divórcio político. Escutei ontem do senador Petecão que, desde que ouviu do prefeito Bocalom ser a sua meta disputar o Senado em 2026, deu a parceria política como encerrada, se for essa a decisão final do prefeito.

 “Como é que vou ficar aliado, beneficiar, alguém que será o meu adversário para o Senado. Isso não existe”, falou o senador Petecão ao BLOG. 

Petecão diz que já conversou sobre a eleição para a PMRB com um outro postulante a disputar a prefeitura da capital em 2024, o deputado Jenilson Leite (PSB) – que teve na capital 35 mil votos para senador – mas que não ficou nada amarrado. “Foi apenas uma conversa”, explicou o senador. 

Sérgio Petecão (PSD) acrescentou na conversa que é muito cedo para se falar em aliança política para a PMRB, mas admitiu que vai conversar com todos os dirigentes da oposição. 

LIVRE PARA DECIDIR

“Não vou abrir discussão agora sobre a eleição de 2024, mas o senador Sérgio Petecão (PSD), é livre para tomar a decisão que entender. A minha preocupação nos dois anos que faltam é transformar Rio Branco numa das capitais mais limpas e desenvolvidas do país, com muitas obras”, disse o prefeito Tião Bocalom sobre o assunto.

APOIOS IMPORTANTES

TIÃO BOCALOM falou ainda que a sua candidatura a governador contra o médico Tião Viana (PT) colaborou para a eleição de Sérgio Petecão (PSD) ao Senado, porque sempre fez voto casado. Destacou seu empenho para eleger Petecão governador, mas não deu certo. Reconheceu que foi eleito com a ajuda do senador, mas ressalvou que na política tudo tem seu tempo. “Não sei nem se serei candidato á reeleição, mas se for será para ganhar. Só não vou antecipar o debate da eleição”, enfatizou.

VALE PARA OS NOVOS

A AFIRMAÇÃO do governador Gladson de que o secretário que não deslanchar nos primeiros 100 dias pode ir para a rua, só vale para os novos nos cargos, a maioria do primeiro escalão vem do primeiro mandato.

FORA DO BAILE

O EX-DEPUTADO Ney Amorim (PODEMOS) chegou a ser citado como ocupante de uma das secretarias do novo governo do Gladson, mas o seu nome não apareceu em nenhuma relação. Até aqui o Ney ficou fora do baile.

FOGO DE MONTURO

HÁ UM FOGO de monturo querendo o deputado Pedro Longo (PDT) como presidente da ALEAC. São pelo menos os burburinhos que correm nos bastidores do parlamento. Onde há fumaça costuma ter fogo.

LIVROS E NÃO ARMAS

O QUE TRANSFORMA e desenvolve um país é a Educação. O Brasil precisa de livros e não de armas. Certa, pois, essa medida do Lula de limitar o número de armas que um cidadão possa ter em sua residência.

NADA ESPERANÇOSOS

COMO não o conheço, nem pessoalmente e, tampouco, profissionalmente, fui ouvir a expectativa de alguns médicos amigos sobre a escolha do médico Pedro Pascoal, para secretário de Saúde. Os médicos que ouvi, não estão esperançosos, pela complexidade da pasta.

NÃO DEU CERTO

O EX-DEPUTADO Nelson Sales ainda ensaiou um abaixo-assinado para sua permanência no comando da pasta do meio ambiente, mas o Gladson se leu, não atendeu.

MELHOR QUE ANTES

FOI BOM para a democracia e para a inserção das mulheres na política, as eleições da Socorro Neri (PP), Meire Serafim (União Brasil) e Antônia Lúcia (REPUBLICANOS) para a Câmara Federal. É saber agora se os seus mandatos terão protagonismo político.

AO MARCUS QUE É DO MARCUS

VAMOS ser sincero, para não se cometer injustiça: durante o tempo que o Marcus Alexandre ficou à frente das obras da 364 no trecho Rio Branco-Cruzeiro do Sul, a estrada não ficou destruída como se encontra agora.

É BOM LEMBRAR

PARA REFRESCAR a memória, foi no governo do presidente Jair Bolsonaro que a rodovia para Cruzeiro do Sul ficou na petição de miséria em que se encontra.

NÃO TEM PARCERIA

SOBRE a fala do governador Gladson de que vai procurar os três senadores acreanos para conversar, o senador Petecão foi taxativo: “Nossos caminhos não se cruzam mais, e ele não tem nada a me oferecer que me interesse, e não quero mais parceria política com ele”.

DIRETAMENTE COM O LULA

DOS senadores acreanos, o Sérgio Petecão (PSD) é o melhor posicionado no governo federal, porque integrará a base política do Lula; seu partido PSD tem três ministérios, e tem o que o Lula quer: voto no Senado. E, em Brasília, só tem valor quem tem voto.

ACERTOU NA MOSCA

O DEPUTADO Edvaldo Magalhães (PCdoB) acertou na mosca ao defender que, ou a oposição se une num projeto de unidade, ou vai continuar perdendo eleição.

ÚNICO PROJETO SÉRIO

O ÚNICO projeto sério que a oposição conseguiu montar nos últimos tempos, foi quando englobou todas as correntes no MDA -Movimento Democrático Acreano – e elegeu o Flaviano Melo (MDB) prefeito de Rio Branco.

FOI UM PASSEIO

O FATO DA OPOSIÇÃO ter saído com vários candidatos a governador na última eleição, ensejou o Gladson Cameli a vencer a eleição de lapada no primeiro turno.

SE MEXEU BEM

O DEPUTADO federal eleito Eduardo Veloso (União Brasil), não estava nas relações dos favoritos da sua chapa, mas se mexeu bem e deixou medalhões para trás. É novo, e se se fizer um mandato produtivo e bem divulgado, pode pensar em voar mais alto no futuro.

TEM QUE SE REINVENTAR

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) saiu detonado politicamente da última eleição, quando nada deu certo para ele. Terá que se reinventar se quiser disputar a reeleição. Mas, não o meçam pela fraca votação para governador, porque não fez campanha para valer.

O JOGO É POLÍTICO

CLARO que, com verba para tocar obras o engenheiro Thiago Caetano faria um bom trabalho na recuperação das rodovias que cortam o Acre, só que a escolha do novo comandante regional do DNIT será política, e deve sair de uma indicação do PT.

FRASE MARCANTE

“Invejo a burrice, porque é eterna”. Nelson Rodrigues, dramaturgo e jornalista.  

Blog do Crica

Aleac continua um clube do bolinha

Publicado

em

A MAIORIA do eleitorado acreano é composta de mulheres, e como resultado são maioria na Assembleia Legislativa. Certo ou errado? Errado. Na próxima legislatura continuarão a ser minoria no parlamento estadual, bisando a máxima de que mulher não gosta de votar em mulher. Dos próximos vinte a quatro deputados estaduais, apenas três são mulheres. Duas retornando ao mandato, a deputada Maria Antônia (PP) e a deputada Antônia Sales (MDB). A terceira, Michelle Melo (PDT) vem da Câmara Municipal de Rio Branco. As três têm posições ideológicas diferentes. Antônia Sales (MDB) sempre foi independente e deverá adotar posições mais em cima das bandeiras de oposição ao governo Gladson. Já a deputada Maria Antônia (PP) é conservadora e deverá formar ao lado da bancada de apoio ao governo. A grande dúvida, é como se comportará a Michelle Melo nos debates na ALEAC. O seu partido, o PDT, é um puxadinho do Palácio Rio Branco, tendo secretaria de porteira fechada. Como vereadora se destacou pela combatividade à gestão do prefeito Tião Bocalom, levantou pautas sociais e se tornou crítica das injustiças. Como deputada, continuará a postura como foi na vereança? Ou entrará na bancada do amém e sim senhor ao governo do Gladson? É a dúvida. Este é o panorama da chamada bancada do batom. O certo de tudo neste contexto é que as mulheres parlamentares serão minoria, os homens maioria esmagadora, e a ALEAC continuará a ser um “Clube do Bolinha”.

NÃO APOSTEM NO FIM
QUANDO ninguém apostava um centavo na sua eleição a deputado federal, se elegeu como o mais votado e só com os votos de legenda. Quando também não era favorito para o Senado, ele se elegeu. Para o governo entrou só para fazer figuração. Por isso, não apostem no fim político do senador Márcio Bittar (União Brasil).

TRANSITA LIVRE
SE O MDB não tiver candidato ao governo, o deputado Jenilson Leite (PSB) transitará livre para ter o apoio do partido, na disputa da prefeitura de Rio Branco. O seu nome é simpático ao presidente Flaviano Melo (MDB).

TIRANDO O ROBERTO DUARTE
TIRANDO o nome do deputado Roberto Duarte (União Brasil), sem nódoa, boa parte do seu grupo de apoio é o mesmo que transformou o Arena da Floresta, nosso maior estádio, numa sucata. No Arena não tem jogo dos times profissionais há mais de ano (virou um campo de peladas), e na Arena Juruá, mais de três anos. Isso depõe contra a chapa de oposição do Roberto Duarte, para comandar o futebol acreano. É a grande verdade.

HORA DE OLHAR PARA O ESPORTE
SEMPRE vejo o Gladson torcendo na televisão pelo Flamengo. Foi à Copa do Mundo, no Catar. Então deve gostar de futebol. Não sei porque permitiu que o estádio Arena da Floresta chegasse ao abandono, a ponto de ser interditado pela justiça . E que o estádio da sua terra, CZS, também fosse abandonado. O seu governo precisa urgente intervir para pôr fim ao quadro.

BOCADO COMIDO
LENDO uma entrevista do prefeito Camilo, de Plácido de Castro, que na campanha foi apoiado pelo empresário Nelsinho Bráz e o senador Petecão (PSD), atacando a ambos, me veio na mente o velho ditado: – Bocado comido, bocado esquecido.

JOGO E EMPURRA
VIROU brincadeira, essa questão do atraso de pagamento de funcionários terceirizados, cujos donos são políticos. Acusam o governo de não pagar as empresas. O governo rebate que pagou. É hora do governo tomar uma decisão sobre isso, para não respingar na sua imagem pública.

COMPLETAMENTE CERTO
MESMO liderando folgado as pesquisas para a prefeitura de Rio Branco, o ex-prefeito Marcus Alexandre está completamente certo em rejeitar ser candidato. No momento que voltar se filiar ao PT para disputar a PMRB, sua aceitação desaba, pelo desgaste do partido.

TERIA PEITO?
PARA ter chance na disputa da PMRB teria de ser candidato por outro partido, só que para isso teria que peitar o ex-senador Jorge Viana e companhia limitada.

HORA DE GOVERNAR
COM OS TIRANOS que depredaram as sedes do Legislativo, Judiciário e Executivo, no DF, a lei tem que ser dura ao máximo. Está na justiça. Só que o Lula tem se descolar deste cenário e começar a governar, deixar de lado a belicosidade (o que ganha em atacar o Temer?), e executar seus projetos. Começando pela retirada dos garimpeiros das áreas indígenas, isso sim, é urgente. Já é hora de passar do discurso à ação.

DEVIA ESTAR FAZENDO FIGA
UM PREFEITO ligado ao Gladson disse ontem ao BLOG ter escutado dele que, continuará até o último dia do seu governo. Não soube me responder se o Gladson estava fazendo figa com a mão, quando fez a afirmação. Pode ser que cumpra o mandato. Mas continua crendo que será candidato ao Senado.

COSME E DAMIÃO
Foram aliados na eleição, se saíram vitoriosos, e continuam sendo uma espécie de Cosme e Damião da política. Falo do deputado federal eleito Eduardo Veloso (União Brasil e do grupo Dêda-deputada Maria Antônia). Não será surpresa se o Veloso sair para o Senado e o Dêda a deputado federal, na eleição de 2026.

PRIMOU PELO EQUIÍBRIO
NA PANDEMIA não esteve ao lado dos negacionistas, mas da ciência; combateu as fakes sobre as urnas eletrônicas, ou seja, primou pelo equilíbrio a sua passagem pela presidência do Senado. Por isso, seria justa a reeleição do presidente Rodrigo Pacheco.

NÃO ACONTECEU NADA
O ABORTO não foi liberado, o comunismo não foi instalado no país, nossa bandeira continua verde, amarelo, azul e branco, e nenhuma igreja evangélica foi fechada depois da posse do Lula. As narrativas descritas faziam parte dos pacotes de mentiras espalhadas durante a campanha pelos bolsonaristas, e tinha tosco que acreditava nesses discursos. Essa é a parte cômica.

FRASE MARCANTE
“Quem cabras não tem e cabritos vende, de algum lugar lhe vêm”. Ditado espanhol.

Continuar lendo

Acre

BLOG DO CRICA – Na política, o pragmatismo fala mais alto

Publicado

em

OS BOLSONARISTAS devem estar se coçando de raiva contra o governador Gladson Cameli,  depois do anúncio de que ele deverá jantar com o Lula, na próxima sexta-feira. 

Um governante de um estado com uma das maiores faixas de pobreza do país, com alto nível de desemprego, sem um parque industrial sólido, que vive com um pires nas mãos, em Brasília, não pode se dar ao luxo de brigar com o governo federal por birra ideológica. A eleição acabou, quem ganhou assume; e quem perdeu vai para casa. A conversa passa a ser com quem ganhou. Todas as grandes obras projetadas para o estado no seu segundo mandato, passam pela vinda de recursos federais. 

Por isso, uma briga política do Gladson com o Lula, só para agradar os bolsonaristas radicais da taba, seria no popular, uma grande burrice. Na política, o pragmatismo fala mais alto.

ENTENDEU, MEU BOM PASTOR?

O PADRE Mássimo Lombardi reclamou na internet que pesquisadores do IBGE nunca o visitaram. Também, não. Mas isso não descredencia o trabalho do órgão. As pesquisas são por amostragem. Entendeu, bom Pastor?

REGISTRANDO O FATO

O DEPUTADO Roberto Duarte (União Brasil) mandou prints de declarações suas na ALEAC, de protesto contra o abandono do estádio Arena da Floresta. Registro, mas completo que foram pontuais, e não uma luta incessante. Poderia completar como deputado federal.

MESMA TESE

MAS, eu continuo com a tese de que o atual presidente da Federação de futebol, Antônio Aquino, tem currículo de trabalho no esporte para disputar a reeleição.

OBSERVAÇÃO DA OPOSIÇÃO

AMIGO da oposição comentou ontem que, o governador Gladson merece um estudo sociológico, e completou: “No primeiro mandato, ele se limitou a combater a pandemia; fora isso não fez nada de excepcional, mas crítica nenhuma consegue pegar e derrubar sua imagem”. Lembra como exemplo, sua última eleição.

NÃO FALTA COM A VERDADE

E, o observador não falta com a verdade. O Gladson se reelegeu folgado fazendo dancinhas, dando um abraço aqui e outro acolá, e conversando com calango.

DIVÓRCIO SEM VOLTA

É SEM VOLTA o divórcio entre o prefeito Tião Bocalom e o senador Sérgio Petecão (PSD). Na inauguração da praça do Universitário, com emenda parlamentar do Petecão, seu nome não constou na placa da obra. Petecão saiu do evento cuspindo fogo pelas ventas.

COMO NO CASAMENTO

ALIANÇA política é como no casamento, quando não dá mais liga é cada um para o seu lado, e a vida continua.

FALANDO EM ALIANÇA

FALA-SE NUMA aliança para 2026, que passaria pelo senador eleito Alan Rick (União Brasil) para o governo, tendo como um dos candidatos ao Senado o prefeito Tião Bocalom. Serão duas vagas em disputa, na ocasião.

É DA ÁREA

SOBRE os boatos de que o Cesário Braga (PT) pode ocupar o comando regional do INCRA, não seria nada de anormal. Cesário tem muita vivência no meio rural.

MATO SEM CACHORRO

O “NÃO” DO EX-PREFEITO Marcus Alexandre em assumir a direção regional do DNIT ou ser candidato a prefeito da capital, no próximo ano, deixou o PT, como se diz no popular: -Num mato sem cachorro. O PT não tem em seus quadros ninguém do peso do Marcus para assumir uma das missões. O JV largar a APEX? Nem pensar!

DE OLHO NO CAFEZAL

NA VERDADE, o Jorge Viana está com um olho na APEX e outro no cafezal que formou em uma  propriedade que foi do seu pai. Anda entusiasmado como cafeicultor.

RETRATO NADA PROMISSOR

NADA PROMISSORA é a situação atual do PT no estado, principalmente, na capital, onde não conseguiu eleger ninguém para a ALEAC, para a Câmara Federal; e não tem um vereador na Câmara Municipal de Rio Branco. E não se consegue enxergar uma luz ao fim do túnel num curto espaço político. As grandes lideranças do PT envelheceram. Vai ter que se reinventar no Acre.

NO MESMO BARCO

O MDB também se encontra no mesmo barco da não renovação dos seus quadros. Suas duas maiores lideranças, Flaviano Melo – na região da capital e municípios adjacentes -, e o Vagner Sales, no Juruá, já estão com a idade avançada e não possuem mais a mesma força política. Flaviano não se reelegeu deputado federal; e o Vagner não conseguiu reeleger a filha Jéssica Sales a deputada federal. Sinal dos tempos.

COOPTAÇÃO PELO PODER

EM CRUZEIRO DO SUL, aconteceu na última eleição foi que, aliados do grupo do ex-deputado Vagner Sales (MDB) lhe abandonaram. Zezinho Barbary se elegeu deputado federal e o ex-vereador Clodoaldo Rodrigues deputado estadual, ambos pelo PP. O poder atropela tudo. Já dizia o saudoso deputado Hermelindo Brasileiro: – O poder é afrodisíaco.

NÃO TEM OUTRO CAMINHO

NÃO é desconhecido que o foco do senador eleito Alan Rick (União Brasil) é disputar o governo em 2026. Para uma maior viabilidade terá que se descolar das pautas nacionais; e mirar nas pautas regionais. Os votos estão no Acre.

JOGOU A TOALHA

O SENADOR Petecão (PSD) jogou a toalha na indicação do afilhado Marivaldo Melo para a Superintendência do BASA. Foi atropelado na intenção, pela bancada federal do Pará, Estado que tem até ministro no governo Lula.

ALGUMA IGREJA FECHOU?

NA CAMPANHA presidencial pastores evangélicos fizeram a falsa pregação em nome de Deus (Não levantar o santo nome de Deus em vão), de que se o Lula ganhasse a eleição todas as igrejas seriam fechadas. O Lula ganhou, assumiu, alguma igreja evangélica foi fechada? Todas continuam tranquilas gritando aleluia.

FRASE MARCANTE

“De nada adianta correr quando se está no caminho errado”. Ditado alemão.

Continuar lendo

Blog do Crica

Afasta de mim estes cálices

Publicado

em

A NOVELA do DNIT está longe de ser resolvida. O ex-prefeito Marcus Alexandre me disse ontem em postagem que, não está nos seus planos assumir a direção regional do DNIT, como vem sendo divulgado e é o sonho da direção do PT do Acre. E, ele também, coloca fora do seu foco político ser candidato a prefeito de Rio Branco. Quer continuar sendo assessor do Tribunal Regional Eleitoral do Acre. 

Marcus lembra o ditado que: Gato escaldado, tem medo de água fria. Deve ter aprendido com a fria que o colocaram, ao aceitar ser candidato a vice-governador numa aventura suicida na chapa de Jorge Viana (PT) ao governo. Jogou pela janela uma eleição que era tida como certa para deputado estadual. Dnit ou PMRB? Afasta de mim estes cálices.

OLHOS FECHADOS

O ROBERTO DUARTE, está entre os três melhores deputados desta legislatura que se finda na ALEAC. Mas entre as suas pautas nunca esteve o abandono que se encontra o estádio Arena da Floresta (sucateado e palco de peladeiros) e o estádio do Juruá. No Arena, há mais de 1 ano não acontecem jogos dos times profissionais no campeonato acreano. No Juruá, em torno de 4 anos. Se calou sobre isso. Surpresa, pois, este seu repentino amor pelo esporte ao querer ser presidente (um direito) da Federação Acreana de Futebol. Falta-lhe cancha.

LUTADOR PELO ESPORTE

NÃO VOU a todos os jogos. Compareço às decisões e partidas com times de fora, principalmente, para ver meu time Rio Branco. Acompanho o esporte. Leio o Paulo Henrique (melhor colunista esportivo do Acre), então posso opinar. Nenhum presidente da Federação de futebol do Acre fez mais que o atual presidente Antônio Aquino, o “Toniquim”. Só está havendo jogos do campeonato acreano hoje, por existir o Florestão, construído por ele tijolo por tijolo. Nada mais justo que concorra a mais uma eleição. E ganhe mais um mandato.

PERDA DE MANDATOS

VÃO MESMO para a justiça, em muito breve, os pedidos de cassação de vereadores do PT e PSD, que não votaram no Jorge Viana (PT) e Sérgio Petecão (PSD). O argumento será o da prática de infidelidade partidária.

PEDRA NO MEIO DO CAMINHO

O PREFEITO Tião Bocalom já declarou sem pedir segredos que, a sua meta é se reeleger e disputar o Senado, em 2026. Como o governador Gladson também deve se candidatar ao Senado, existe uma pedra para a união de ambos na disputa da PMRB, no próximo ano.

NÃO ESTÁ FORA

MESMO que não venha ter o apoio do governador Gladson Cameli para a disputa da PMRB, em 2024, ainda assim o Bocalom será um adversário muito competitivo.

DESAFIO

O DEPUTADO Luiz Tchê (PDT) está pegando a secretaria de Agricultura, com o desafio de fazer a agricultura familiar pujante, o que não aconteceu no primeiro governo do Gladson, que deixou a desejar na área.

CRAQUE OU PELADEIRO

O DEPUTADO Luiz Tchê (PDT) é um craque em vencer eleições, principalmente, nos bastidores. A saber se como secretário, ele não se transformará de craque da política em peladeiro da gestão. A bola está com ele.

ENOJADO COM A POLÍTICA

QUEM CONVERSA com o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), ouve dele estar enojado com a política, pela compra descarada de votos. Por ele, ninguém da família será mais candidato a cargo eletivo.

NOME FORTE

QUEM conhece bem o eleitorado de Senador Guiomard revela que, se a eleição fosse hoje seria difícil bater o candidato a prefeito Gilson da Funerária, pela fragilidade da gestão da prefeita Rosana Gomes. Mas, como estamos longe da eleição, ela tem tempo para superar a rejeição e chegar na reeleição competitiva.

PASSA PELO STF

TODOS os presos no curral político montado em frente do quartel do Exército em Rio Branco, pedindo a ditadura, ainda continuam recolhidos à penitenciária. Aguardam a análise dos seus casos pelo STF.

FRASE MARCANTE

“Todo sapato bonito um dia se torna chinelo velho”. Ditado chileno.

 

Continuar lendo

Acre

Crica: A Roleta da prefeitura da capital começou a girar

Publicado

em

NO ACRE é assim, termina uma eleição e se emenda na outra. É o caso da disputa da prefeitura de Rio Branco, que está com o debate aberto e com nomes já se apresentando. O prefeito Tião Bocalom (PP) é candidato certo à reeleição. Embora não tenha declarado, a deputada federal eleita Socorro Neri (PP) admite discutir uma candidatura sua. Ambos querem o apoio do governador Gladson Cameli. Outro nome que cava espaços na busca de ser o candidato do bloco dos partidos de esquerda, é o deputado Jenilson Leite (PSB). Não será surpresa se o deputado eleito Emerson Jarude (MDB) decidir entrar na ciranda das candidaturas. É muito cedo para se fazer uma previsão de favoritismo. A eleição será só em outubro do próximo ano. O que vai balizar quem será forte nessa disputa, é como estará a avaliação da administração do prefeito Tião Bocalom, próximo da eleição. Até lá, o jogo será de busca de composições. Mas, a roleta da PMRB já começou a girar.

ALELUIA! ALELUIA!
PELAS NOMEAÇÕES da vice-governadora Mailza Gomes, se ela quiser pode montar um templo evangélico no seu gabinete. Pastor é que não vai faltar para gritar Aleluia!

PERDA PROFISSIONAL
A PEDIDO, faço o registro de que o jornalista Ton Lindoso não é mais o assessor de Comunicação da vice-governadora Mailza. Foi um baluarte nos piores momentos da Mailza. Não sei o motivo, mas perde ela.

TUDO AZUL COM BOLINHAS
A REUNIÃO DE ONTEM do senador eleito Alan Rick (União Brasil) com o chefe do gabinete do governo Jonathan Donadoni e com o secretário de articulação política Alysson Bestene, mostra que a briga com o Gladson caminha para ficar azul com bolinhas brancas.

NÃO APOSTE EM BRIGA POLÍTICA
APÓS a eleição, o senador eleito Alan Rick (União Brasil) dizia que, não pisaria no gabinete civil enquanto o Donadoni estivesse no comando. Debitou a ele uma campanha agressiva contra sua candidatura ao Senado. A aproximação foi uma decisão pragmática. Nunca aposte em briga de político, acabam se acertando.

ACABOU A LIBERALIDADE
POR FORÇA do deputado Nicolau Junior (PP), André Hassem voltará ao comando do IMAC. Só que na nova formatação ambiental com a Marina de Ministra, André esqueça continuar a liberalidade na expedição de licenças de exploração ambiental. O panorama é outro.

CEDO PARA COBRAR
O SECRETÁRIO de Saúde, Pedro Pascoal, mal assumiu e começa ser alvo de críticas, por não ter tomado nenhuma medida de impacto que mude o fato da SESACRE aparecer nas pesquisas como a mais criticada. Ainda é cedo para cobrar, tem que ter um tempo para mostrar a que veio. Tudo na gestão tem o tempo certo.

CAIU NA REAL
ESTAR bem com o funcionalismo municipal não decide uma reeleição, no máximo ajuda. Parece que o prefeito Bocalom caiu na real, e agora está direto nos bairros. É da periferia que vêm os votos que elegem um prefeito.

VIROU UM NEGÓCIO MILIONÁRIO
ELEIÇÃO majoritária se tornou no Acre um negócio milionário. A deputada federal Jéssica Sales (MDB) é uma líder política; mas se for candidata a prefeita de Cruzeiro do Sul apostando apenas em mostrar projetos, o boi não vai dançar. Vai enfrentar uma máquina financeira pesada dos adversários que estão no poder.

DECISÃO DEMOCRÁTICA
PERSEGUIÇÃO POLÍTICA? jamais! A expulsão dos prefeitos Jerry Correia e Isaac Lima do PT, foi uma decisão democrática. É exigência ética e legal, que um prefeito apoie as candidaturas majoritárias do seu partido. E, tanto Isaac com Jerry, apoiaram adversários na campanha. As suas expulsões, portanto, são justas. Na política, não se faz cama para o inimigo.

PONTO FORA DA CURVA
A DEPUTADA Antônia Sales (MDB) deve ser o ponto fora da curva na “bancada do batom”, na próxima legislatura da ALEAC. A parlamentar não estará na bancada de apoio ao governo do Gladson, mas manterá uma posição política de independência.

FALA PERFEITA
O PRESIDENTE da FIEAC, José Adriano, foi cirúrgico ao dizer que não cabe mais a desculpa da pandemia, para justificar o não desenvolvimento do Acre. A pandemia foi uma escora para não terem acontecidos avanços.

POLITICAGEM COM A FÉ
CRIAR os feriados do Dia do Evangélico e do Dia do Católico, foi uma politicagem dos deputados que apresentaram os referidos projetos, com a fé das pessoas. Não foram projetos por religiosidade, mas de olho nos votos dos nichos evangélicos e católicos.

FAZENDO POLÍTICA
O DEPUTADO FEDERAL eleito Eduardo Veloso (União Brasil) terminou a campanha e emendou fazendo política, com atendimentos médicos nos municípios.

O GOLPISMO FOI PARA O LIXO
AS REUNIÕES de ontem do Lula com os comandantes da Marinha, Aeronáutica e Exército, numa afinação, mostrou que os que apostaram num golpe ditatorial com o quebra-quebra no DF, não só perderam; mas lotam hoje a penitenciária da Papuda, no DF, vivendo o infernal sistema penitenciário brasileiro.

CAMINHO NATURAL
O DESDOBRAMENTO natural de todos estes episódios será tornar o ex-presidente Bolsonaro inelegível para a eleição de 2026. Dificilmente ele escapará do desfecho.

CHUTE NO GOLPISMO
“E quando a gente vota, tem que respeitar o resultado da urna. Não interessa. Tem que respeitar. É isso que se faz. Essa é a convicção que a gente tem de ter. Mesmo que a gente não goste. Nem sempre é o que a gente queria. Esse é o papel de quem é instituição de Estado. Instituição que respeita os valores da pátria, como de Estado”. Frase da fala de ontem do General Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva, comandante militar do Sudeste, colocando a pedra final em cima da esperança golpista dos bolsonaristas.

NÃO DÁ PARA ASSIMILAR
E, agora? Como é que ficam aqueles que passaram semanas de cara para cima na porta dos quartéis pedindo a volta da ditadura militar, com o Bolsonaro no comando? Não dá para assimilar a ingenuidade dessa gente ao pensar que as Forças Armadas atenderiam seus gritos.

FRASE MARCANTE
“O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma, guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome”. Salmo 23.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.