Menu

MP do Acre realiza seminário para discutir desinformação envolvendo vacinas

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) realizou, nesta quarta-feira, 7, o seminário “Os desafios do Ministério Público brasileiro diante do cenário de desinformação sobre a vacinação”. O evento discutiu o combate às informações falsas a respeito das vacinas e contou com palestras dos pesquisadores Dra. Natalia Pasternak e Dr. Wanderson Oliveira e da coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Renata Quiles.


Ao fazer a abertura do seminário, o procurador-geral de Justiça Danilo Lovisaro do Nascimento reiterou o compromisso do Ministério Público do Acre em promover atividades de diálogo e conscientização, visando a retomada de índices seguros e homogêneos de cobertura vacinal, que enfrenta sucessivas quedas nos últimos anos.


“É papel do Ministério Público combater a desinformação em todos os aspectos e estamos trabalhando de forma efetiva para enfrentar a desinformação referente à vacinação. Recentemente estive no Conselho Nacional do Ministério Público e assinei o termo de adesão ao Pacto Nacional pela Consciência Vacinal, que visa a retomada, por meio de campanhas, dos índices seguros de cobertura vacinal e da cultura de vacinação”, disse o procurador-geral.

Publicidade

A secretária estadual de Saúde do Acre, Paula Mariano, acompanhou as palestras e parabenizou a iniciativa do MPAC em convidar especialistas para disseminar informações importantes sobre a eficácia e segurança das vacinas. “O MP é um dos grandes defensores da saúde e da nossa população. Parabenizo a instituição pelo tema do seminário, pois a desinformação hoje é a nossa maior ameaça”, afirmou.


O papel do Ministério Público em conscientizar sobre a eficácia das vacinas também foi mencionado pelo secretário-geral, promotor de Justiça Glaucio Ney Shiroma Oshiro, que fez a medição das palestras da Dra. Natália Pasternak e do Dr. Wanderson Oliveira. “O Ministério Público está dando sua contribuição ao Pacto Nacional pela Vacinação, para que a gente possa suscitar discussões e nos aprofundar de maneira séria no tema, levando os direitos da população a sério e destacando que saúde pública não é apenas estratégia, ela é necessidade”, enfatizou.


Também compuseram o dispositivo de honra, a procuradora-geral adjunta para Assuntos Administrativos e Institucionais, Rita de Cássia Nogueira, o corregedor-geral Álvaro Luiz Pereira e a coordenadora do Centro de Apoio Operacional (Caop) de Defesa da Saúde Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência, procuradora de Justiça Gilcely Evangelista.


Palestras


O ciclo de palestras do seminário iniciou com uma apresentação da coordenadora do Programa Nacional de Imunização no Acre, Renata Quiles, que fez o levantamento dos números da cobertura vacinal no estado, destacando o preocupante cenário de queda na procura por imunização. A apresentação foi mediada pelo promotor de Justiça da Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, Ocimar Sales Júnior.


O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) realizou, nesta quarta-feira, 7, o seminário “Os desafios do Ministério Público brasileiro diante do cenário de desinformação sobre a vacinação”. O evento discutiu o combate às informações falsas a respeito das vacinas e contou com palestras dos pesquisadores Dra. Natalia Pasternak e Dr. Wanderson Oliveira e da coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Renata Quiles.


Ao fazer a abertura do seminário, o procurador-geral de Justiça Danilo Lovisaro do Nascimento reiterou o compromisso do Ministério Público do Acre em promover atividades de diálogo e conscientização, visando a retomada de índices seguros e homogêneos de cobertura vacinal, que enfrenta sucessivas quedas nos últimos anos.


“É papel do Ministério Público combater a desinformação em todos os aspectos e estamos trabalhando de forma efetiva para enfrentar a desinformação referente à vacinação. Recentemente estive no Conselho Nacional do Ministério Público e assinei o termo de adesão ao Pacto Nacional pela Consciência Vacinal, que visa a retomada, por meio de campanhas, dos índices seguros de cobertura vacinal e da cultura de vacinação”, disse o procurador-geral.


A secretária estadual de Saúde do Acre, Paula Mariano, acompanhou as palestras e parabenizou a iniciativa do MPAC em convidar especialistas para disseminar informações importantes sobre a eficácia e segurança das vacinas. “O MP é um dos grandes defensores da saúde e da nossa população. Parabenizo a instituição pelo tema do seminário, pois a desinformação hoje é a nossa maior ameaça”, afirmou.

Publicidade

O papel do Ministério Público em conscientizar sobre a eficácia das vacinas também foi mencionado pelo secretário-geral, promotor de Justiça Glaucio Ney Shiroma Oshiro, que fez a medição das palestras da Dra. Natalia Pasternak e do Dr. Wanderson Oliveira. “O Ministério Público está dando sua contribuição ao Pacto Nacional pela Vacinação, para que a gente possa suscitar discussões e nos aprofundar de maneira séria no tema, levando os direitos da população a sério e destacando que saúde pública não é apenas estratégia, ela é necessidade”, enfatizou.


Também compuseram o dispositivo de honra, a procuradora-geral adjunta para Assuntos Administrativos e Institucionais, Rita de Cássia Nogueira, o corregedor-geral Álvaro Luiz Pereira e a coordenadora do Centro de Apoio Operacional (Caop) de Defesa da Saúde Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência, procuradora de Justiça Gilcely Evangelista.


Palestras


O ciclo de palestras do seminário iniciou com uma apresentação da coordenadora do Programa Nacional de Imunização no Acre, Renata Quiles, que fez o levantamento dos números da cobertura vacinal no estado, destacando o preocupante cenário de queda na procura por imunização. A apresentação foi mediada pelo promotor de Justiça da Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, Ocimar Sales Júnior.


A pesquisadora da Universidade de Columbia e presidente do Instituto Questão de Ciência, Natália Pasternak deu seguimento ao evento com uma palestra intitulada “Hesitação e desinformação vacinal”. A comunicadora científica, doutora em genética bacteriana, abordou o contexto histórico dos movimentos anti vacinas, destacando as causas que intensificam esses movimentos e possíveis maneiras de superá-los.


Encerrando o ciclo de palestras, o pesquisador do Ministério da Defesa e professor universitário, Wanderson Oliveira, ministrou uma palestra apresentando o cenário atual da vacinação no país e como as baixas taxas de cobertura ameaçam o cenário atual da vacinação no país e como as baixas taxa de cobertura ameaçam a população brasileira. O doutor em epidemiologia mencionou a importância de ações visando o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Programa Nacional de Imunização (PNI).


Com informações da assessoria de comunicação do MPAC.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido