Conecte-se agora

Suíça vence Sérvia em jogaço e encara Portugal nas oitavas da Copa; veja os gols

Publicado

em

A fase classificatória da Copa do Mundo de 2022 foi fechada com um verdadeiro jogaço no estádio 974. Adversários diretos por vaga no Grupo G, Suíça e Sérvia protagonizaram uma grande partida, vencida pelos suíços por 3 a 2. A seleção suíça marcou na partida com Shaqiri, Embolo e Freuler, enquanto os sérvios balançaram a rede com a dupla Mitrovic e Vlahovic. A Suíça segue viva no Mundial do Catar, e a Sérvia está eliminada da competição.

Garantida nas oitavas de final, a Suíça vai encarar Portugal no início do mata-mata da Copa do Mundo do Catar. O duelo decisivo entre suíços e portugueses será na próxima terça-feira (6), no estádio Lusail. A primeira vaga do Grupo G ficou com a seleção brasileira, que vai enfrentar a Coreia do Sul na próxima segunda (5).

O jogo

Muito movimentado, o primeiro tempo teve quatro bolas na rede. A primeira foi de Shaqiri, para a Suíça, com assistência de Sow. Depois, a Sérvia precisou de pouco tempo para virar o jogo: principais nomes do setor de ataque da equipe, Mitrovic e Vlahovic marcaram rapidamente e deixaram a seleção sérvia em vantagem.

Os suíços não se abateram com a reviravolta e, antes do apito final, o lateral-direito Widmer serviu Embolo na pequena área, e o camisa 7 apenas completou para as redes. No total, a primeira etapa teve cinco finalizações corretas da Suíça e uma a menos da Sérvia. As equipes foram para o intervalo com o placar de 2 a 2.

No segundo tempo, Freuler, logo aos dois minutos, revirou o marcador para o lado suíço – 3 a 2 -, em gol com bonita troca de passes. Novamente atrás do placar, a Sérvia partiu em busca de um novo empate. O que se viu nos minutos seguintes, porém, foi uma seleção suíça consciente nos movimentos em campo para manter a vantagem.

Na reta final, a Sérvia não teve força e criatividade para buscar uma nova reviravolta na partida. Participante consistente das últimas Copas, a seleção suíça demonstrou maturidade para segurar o resultado. Suíça classificada para o mata-mata do Mundial do Catar.

VEJA OS MELHORES MOMENTOS:

video
play-rounded-fill

Destaque 3

Passagens aéreas para o Rio de Janeiro e Fortaleza por apenas R$ 199 (ida e volta); confira

Publicado

em

Para quem mora no Acre e não abre mão de viajar mais pagando menos uma das alternativas é garantir voos super baratos para embarque em Porto Velho, onde os preços são mais em conta pelo fato de a oferta de voos ser maior. Neste final de semana as passagens aéreas saindo da capital de Rondônia para o Rio de Janeiro e Fortaleza estão sendo vendidas por R$ 258 (ida e volta).

As ofertas por R$ 258 estão disponíveis para viagens de fevereiro a junho de 2024. De Porto Velho para o Rio de Janeiro e Fortaleza a ida e vota estão por apenas R$ 199 (ida e volta) se a viagem for em novembro de 2024. Acesse aqui a promoção para a “Cidade Maravilhosa”.

Os voos saindo de Porto Velho para outros destinos nacionais estão em promoção e dá para garantir as passagens aéreas por R$ 258. Por esse valor, você poderá viajar para Porto Alegre, João Pessoa, Salvador e Porto Seguro. E ainda dá para escolher a melhor data, entre fevereiro e junho de 2024.

Os outros destaques são as passagens aéreas de Porto Velho para Manaus (R$ 242), Brasília, Curitiba e São Luís. Esses três últimos custando apenas R$ 255. Se a viagem da capital de Rondônia para os destinos no Nordeste for em novembro de 2024 há opções de voos de ida e volta por R$ 199. 

Garanta aqui passagens aéreas Porto Velho/Fortaleza por R$ 199 (ida e volta)

Passagens aéreas de Brasília para Portugal por R$ 998 (ida e volta)

Quem está em Brasília poderá viajar em novembro de 2024 para Lisboa, a capital de Portugal, apenas R$ 998 (ida e volta). Acesse aqui essa promoção. Da capital federal para Paris, Barcelona. Londres e Roma há opções de compra da ida e volta por menos de R$ 1 mil (ida e volta)

As passagens aéreas são da 123milhas em voos flexíveis. As datas escolhidas serão preferencialmente mantidas, mas há casos de o bilhete ser marcado também um dia antes ou depois. Mas a dica antes de comprar as passagens é ler todas as regras desta promoção.

Os valores poderão ser parcelados em 12 vezes pelos principais cartões de crédito. Se o pagamento for boleto o parcelamento poderá ser em 6 vezes. Lembrando que no caso de atraso em uma das parcelas a reserva da passagem aérea é cancelada.

Voos de ida e volta com taxas inclusas

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Manaus – R$ 242

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Brasília – R$ 255

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Curitiba – R$ 255

Novembro-2024
Porto Velho  para  Florianópolis – R$ 199

Novembro-2024
Porto Velho  para  Fortaleza – R$ 199

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Foz do Iguaçu – R$ 258

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  João Pessoa – R$ 258

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Maceió – R$ 258

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Natal – R$ 258

Novembro-2024
Porto Velho  para  Porto Alegre – R$ 199

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Porto Seguro – R$ 258

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Recife – R$ 258

Novembro-2024
Porto Velho  para  Rio de Janeiro – R$ 199

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  Salvador – R$ 258

fevereiro a junho-2024
Porto Velho  para  São Luís – R$ 255

Novembro-2024
Porto Velho  para  São Paulo – R$ 199

Faça aqui a sua pesquisa e garanta desconto para outras datas na compra das passagens aéreas

Comprou as passagens? Faça aqui a reserva do hotel com descontos especiais

Leia aqui outras notícias sobre viagens e promoções

Atenção: O ac24horas não vende passagens aéreas, pacotes de viagens ou reservas de hotéis. O site apenas divulga as promoções, ficando o leitor livre para escolher a melhor opção

*Promoção por tempo limitado e sujeita a variação de preços conforme disponibilidade de assentos promocionais

Continuar lendo

Destaque 3

IBGE prevê resultado do Censo 2022 somente para abril; Acre pode perder recursos do FPM

Publicado

em

O levantamento do Censo 2022 terá seus resultados divulgados em abril, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). De acordo com o instituto, até o momento, cerca de 89 milhões de domicílios foram visitados e mais de 184 milhões de pessoas recenseadas.

Inicialmente, a previsão de conclusão do recenseamento era em outubro de 2022. Mas o prazo foi adiado para dezembro do mesmo ano. No entanto, ao divulgar o quarto balanço do levantamento ainda em dezembro, o instituto estimou que só seria possível concluir o Censo 2022 em janeiro de 2023.

“Em fevereiro e março, permanecerá em andamento o processo de revisão, controle de qualidade e apuração do Censo, com tentativas de reversão de recusas, revisitas a domicílios com morador ausente para realização de entrevistas, além de verificação de domicílios vagos, de uso ocasional, possíveis duplicidades e omissões e preparação para divulgação”, informou o IBGE em nota.

Segundo o especialista em orçamento público César Lima, o atraso do Censo impacta o repasse de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para diversas prefeituras do país. “Nós temos municípios que nesse período tiveram um aumento significativo na sua população e não estão recebendo devidamente os recursos do Fundo de Participação dos Municípios. Os estados também podem estar perdendo em relação ao fundo de participação dos estados e aqueles municípios que tiveram uma diminuição significativa podem estar recebendo indevidamente”, explica.

No último dia 23, o Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a decisão normativa do Tribunal de Contas da União (TCU) que considerou o levantamento parcial do Censo 2022 como parâmetro para a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) no exercício de 2023.

No Acre, a previsão divulgada pelo instituto mostra que os municípios de Acrelândia, Marechal Thaumaturgo, Capixaba, Plácido de Castro, Porto Acre, Rodrigues Alves e Sena Madureira teriam redução no repasse do FPM se o novo coeficiente populacional já fosse aplicado.

Com a decisão do STF “os municípios que receberam a menos terão que ser ressarcidos. Isso indica que aqueles municípios que receberam a mais, também terão que ter seus valores diminuídos”, aponta César Lima.

De acordo com o instituto, a falta de pessoas, especialmente para a coleta de dados, foi um dos motivos para a demora da pesquisa, o que causou o prolongamento do período da pesquisa.

Além da falta de mão de obra, o IBGE destaca entre os problemas: muitos domicílios com apenas um morador, mudanças no mercado de trabalho e questões relacionadas à segurança. “A previsão é de que o IBGE divulgue os resultados definitivos do Censo referentes à população dos municípios em abril de 2023”, enfatizou o instituto.

Continuar lendo

Destaque 3

Receita Federal paga restituições do Imposto e Renda na próxima terça-feira; fique por dentro

Publicado

em

A Receita Federal vai restituir um total de R$ 368.017.854,27 na próxima terça-feira (31). A consulta ao lote residual da restituição do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) já está liberada desde a última terça-feira (24). Ao todo, 136.565 contribuintes terão direito à devolução do dinheiro descontado pelo Imposto de Renda.

O supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda, José Carlos Fonseca, esclarece as principais dúvidas sobre o assunto. Segundo ele, o contribuinte precisa prestar muita atenção na hora de fazer a declaração – para não se esquecer de informar algum rendimento que ele teve, no período declarado.

“É muito comum uma pessoa ter um emprego regular, e na hora de fazer declaração ela só se lembra desse emprego e esquece de declarar outras rendas eventuais que teve, os chamados ‘bicos’, que também devem ser declarados”, explicou.

Problemas comuns

José Carlos Fonseca observa que outro problema muito comum, identificado na malha fiscal da Receita, acontece quando as despesas médicas do contribuinte não são declaradas da maneira correta, ou o contribuinte inclui um (ou mais de um) dependente na declaração e se esquece de informar os rendimentos desse dependente.

“O filho pode ter trabalhado e recebido uma remuneração, que também tem que ser declarada, esclareceu. “Outro aspecto que também retém muitas declarações pela malha são as despesas médicas inconsistentes, onde o contribuinte declara ter pago, mas a outra parte não declara ter recebido, acrescentou o supervisor: “Nesse caso, a declaração fica retida, pra que haja a comprovação”.

Como pesquisar

O supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda lembra ainda que, se o contribuinte identificar alguma pendência na declaração, ele pode fazer a retificação e corrigir as informações que porventura estejam equivocadas: “Para saber se a sua declaração está na malha fiscal, você deve entrar na página oficial da Receita Federal – que é ‘gov.br/receitafederal’ – acessar o Portal do e-CAC com a sua conta Gov.br e, lá dentro, procurar o serviço do ‘meu imposto de renda’”, detalhou.

Segundo José Carlos Fonseca, o portal da Receita Federal possui todos os serviços relacionados ao imposto de renda e oferece, para pesquisas, a cópia da declaração feita pelo contribuinte – inclusive as pendências. “Também é possível fazer essa pesquisa através do App ‘Meu Imposto de Renda’, disponível para Android e IOS, onde o contribuinte vai entrar também com a conta Gov.br e lá poderá, além de tirar cópia das declarações, visualizar as declarações todas, além de identificar também se há alguma pendência de malha”, acrescentou.

Orientações

Para saber se a restituição está disponível, ou se a declaração está retida na malha fina, o contribuinte deve entrar no site da Receita Federal pela internet e clicar no item “Meu Imposto de Renda”. Em seguida, é só acessar o ícone “Consultar a Restituição”. A página apresenta várias orientações e prestações de serviço, permitindo uma consulta simplificada ou completa a respeito da situação das declarações.

Continuar lendo

Destaque 3

Ministro do STF suspende decisão do TCU e Acre pode se livrar de diminuição do FPM

Publicado

em

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a decisão normativa do Tribunal de Contas da União (TCU) que determinava a utilização dos dados populacionais do Censo Demográfico de 2022 para a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) deste ano. Como o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não foi finalizado, o ministro determinou que sejam utilizados como patamar mínimo os coeficientes de distribuição do exercício de 2018.

A decisão pode beneficiar 7 municípios acreanos onde a prévia do censo do IBGE mostra que há uma diminuição no número de habitantes. Acrelândia, Marechal Thaumaturgo, Capixaba, Plácido de Castro, Porto Acre, Rodrigues Alves e Sena Madureira teriam redução no repasse do FPM se o novo coeficiente populacional já fosse aplicado.

Na liminar monocrática, que ainda será submetida ao voto dos demais ministros, Lewandowski destacou que o ato do TCU está em discordância com a legislação de janeiro de 2019, que determinou a utilização dos coeficientes do FPM fixados no exercício de 2018 até novo censo demográfico, buscando salvaguardar os municípios que tiverem redução de seus coeficientes em razão de estimativa anual do IBGE.

Cesar Lima, especialista em orçamento público, avalia a decisão do Supremo como uma grande vitória para os municípios. “Até porque eles não tiveram tempo hábil para colocar em seus orçamentos, quer seja a diminuição, quer seja o aumento dessas receitas, eles teriam que fazer todos aí, claro, leis modificativas das suas peças orçamentárias. Mas com certeza aqueles que perderam, e são 15% dos municípios brasileiros – no total de 863 municípios –, teriam sérios problemas para na sua gestão”, afirma o especialista.

O ministro Lewandowski determinou, ainda, que eventuais valores já transferidos a menor devem ser compensados nos próximos pagamentos. Segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), a nova metodologia causaria prejuízo de R$ 3 bilhões para esses municípios.

Ele salientou que mudanças abruptas de coeficientes de distribuição do FPM – especialmente antes da conclusão do censo demográfico – interferem no planejamento e nas contas municipais, causando “uma indesejável descontinuidade das políticas públicas mais básicas, sobretudo de saúde e educação dos referidos entes federados, prejudicando diretamente as populações locais menos favorecidas”.

Segundo dados da Secretaria do Tesouro Nacional, 21 municípios de 12 estados diferentes estão com recursos do FPM bloqueados devido a pendências com a Secretaria da Receita Federal.

O FPM

O FPM é um fundo pelo qual a União repassa aos municípios, a cada dez dias, 22,5% daquilo que arrecada com os impostos de Renda e sobre Produtos Industrializados. Nos dois primeiros pagamentos de 2023, R$ 5,2 bilhões foram repassados às prefeituras.

Os percentuais de participação de cada município são calculados anualmente pelo TCU, a partir do número de habitantes de cada cidade e a renda per capita dos estados. Os municípios são divididos em três categorias: capitais, interior e reserva. Brasília e as demais capitais recebem 10% do FPM, enquanto 86,4% do fundo é dividido pelos demais municípios – considerados como interior –, e aqueles que possuem população superior a 142.633 habitantes, os municípios de reserva, recebem uma cota adicional de 3,6%.

A CNM ainda tem atuado também junto ao Legislativo para aprovar uma lei que estabelece uma transição de dez anos para os municípios migrarem para uma faixa de coeficiente inferior de FPM. Dados da entidade mostram que 863 municípios podem perder R$ 3 bilhões com a adoção da nova metodologia do Tribunal de Contas. A proposição dilui esse impacto em dez anos, levando a uma perda de R$ 300 milhões por ano para esses municípios.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.