Conecte-se agora

Mais de 63% dos acreanos são obrigados a abrir mão do lazer com a família para tentar sair das dívidas

Publicado

em

Sabe aquele passeio nos fins de semana com a família, a saída até a pizzaria, uma volta no Mercado Velho de vez em quando? Pois para 63,5% dos moradores de Rio Branco essas “benesses” estão fortemente comprometidas para pagamento de contas de atrasadas.

É o que diz uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (10) pela Federação do Comércio do Acre (Fecomércio) após o instituto Data Control ouvir 400 pessoas na capital do Acre. “Para 63,5% dos entrevistados, o pagamento das dívidas dificulta no orçamento doméstico, não necessariamente nas questões de sobrevivência, mas sim na sustentabilidade do orçamento doméstico, ou seja, reduzem o consumo com ítens de segunda necessidade como lazer, viagens etc”, explicou o superintendente da Fecomércio, Egídio Garó.

Outros dados que chamam atenção na pesquisa é que 38,8% da população endividada são autônomas e 19,3% estão desempregados. Em condições normais, uma pessoa inadimplente em Rio Branco leva 45 dias, em média, para quitar suas dívidas.

Outra pesquisa também divulgada nesta segunda-feira em nível nacional, diz que o endividamento das famílias mais pobres, ou seja, aquelas que ganham menos de dez salários mínimos, chegou a 80,3%. É a primeira vez que a parcela supera os 80%. “Embora os atrasos tenham crescido no mês e no ano entre os consumidores nas duas faixas de renda, as dificuldades de pagamento de todos os compromissos do mês são mais latentes entre as famílias de menor renda”, disse a economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Izis Ferreira. A CNC é autora da pesquisa.

Destaque 2

Falta licença da prefeitura de Bocalom inviabiliza centro de treinamento padrão FIFA no Acre

Publicado

em

Apesar de ter sido realizada há quase 9 anos, a Copa do Mundo disputada no Brasil em 2014 ainda resulta em discussão no Acre.bÉ que a FIFA, entidade máxima do futebol mundial, e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiram que as capitais dos estados que não foram sede de jogos também receberiam investimentos, o chamado legado da Copa.

Rio Branco é uma das cidades beneficiadas, mas com quase 10 anos depois, os amantes do futebol no estado ainda não podem desfrutar dos investimentos. Ficou decidido que na capital acreana vai ter construído um centro de treinamento no padrão FIFA, ou seja, com todos os recursos necessários para o desenvolvimento do futebol, como campo de grama sintética, vestiários, academia, arquibancada para 1,5 mil torcedores e todos os demais equipamentos que existem em um centro de treinamento de alto nível. A interação da Federação de Futebol do Acre (FFAC) é usar o espaço também para jogos, principalmente na época do inverno, quando os campos de grama natural “sofrem” mais por causa das chuvas.

O investimento no Acre já deveria está pronto e sendo usado pelos desportistas acreanos, já que um terreno foi comprado pela Federação ao lado do estádio Florestão na capital acreana, a licitação de obra no valor de R$ 6,4 milhões de reais foi feita e a empresa vencedora do processo licitatório veio para o Acre e chegou, inclusive, a montar o canteiro da obra.

Ocorre que, de acordo com Antônio Aquino Lopes, o Toniquim, presidente da Federação de Futebol, a falta de uma simples licença da prefeitura de Rio Branco impede a construção da importante obra. “Não existe nada parecido no Acre e o centro vai ser de extrema importância. Já fizemos todos os esforços, mas a prefeitura não concede a licença. Engraçado é que a CEASA, que é uma obra muito maior, está na mesma região, a Câmara Municipal de Rio Branco está sendo construída em um terreno igual e apenas o futebol do Acre está sendo prejudicado”, diz Toniquim.

O ac24horas procurou a prefeitura de Rio Branco. De acordo com Cid Ferreira, Secretário Municipal de Infraestrutura do município, não há nenhum tipo de perseguição e a licença ainda não foi concedida por culpa da própria Federação. “Acho que houve um certo exagero da Federação. Foi tudo conversado, acertado e ficou do presidente da Federação mandar um engenheiro aqui só para que fosse feito um pequeno detalhe. O prefeito pediu para viabilizarmos o projeto de forma correta e a única que foi pedida foi a mudança de lado do vestiário, já que é uma área de preservação. Estamos aguardando a vinda desse engenheiro, mas ninguém voltou mais. Preferem ir para o jornal atacar do que vir aqui para que possamos finalizar essa proposta. Estamos de portas abertas, aguardando a Federação aqui”, afirma.

Continuar lendo

Destaque 2

Asfalto é retirado de ruas do Parque Palheiral e gera revolta de moradores

Publicado

em

Os moradores da rua Cisne e rua Águia, no conjunto Parque do Palheiral, bairro Novo Horizonte, estão revoltados com um serviço iniciado pela prefeitura de Rio Branco em 2021. Segundo eles, uma equipe da gestão retirou o asfalto da via pública e dois anos depois ainda não solucionaram a situação.

O ac24horas foi ao local nesta terça-feira, 24 e ouviu o morador Elisandro Ferreira das Neves, onde ele contou que há 7 anos mora no local e que no início o bairro era asfaltado, mas sem a devida manutenção. Entretanto, a rua acabou sendo destruída quando em 2021, uma equipe da prefeitura retirou o asfalto – ocasionando problemas na estrutura de algumas residências. “Eles ficaram de dar uma resposta e até hoje o povo está aguardando”, declarou Neves.

Já Benaci de Araújo Souza, 55 anos, disse que reside no bairro há mais de 30 anos e que a rua sempre foi difícil para os moradores, porém, com a retirada da camada asfáltica pela atual gestão municipal, a situação piorou. “Até hoje não veio ninguém com a promessa de que iria ajudar”, comentou.

A mulher revelou que os moradores estão arcando com recursos para melhorar a estrutura da via pública.

Resposta da prefeitura

A reportagem do ac24horas buscou contato com o secretário de infraestrutura, Cid Rodrigues, que garantiu que a gestão deverá realizar as obras de recapeamento asfáltico nas ruas mencionadas nos próximos dias. “Não vamos levar máquinas pesadas para a região”, comentou.

Com participação de Whidy Melo

Continuar lendo

Destaque 2

Funcionários do Shopping se revoltam ao serem obrigados a pagar estacionamento

Publicado

em

Funcionários das lojas que ficam no Via Verde Shopping procuraram o ac24horas nesta segunda-feira, 23, para denunciar o que chamam de absurdo por parte da administração do local. É que exatamente nesta segunda-feira, os funcionários, que tinham direito de estacionar suas motos e carros de forma gratuita, passaram a ter que pagar para estacionar seus veículos enquanto trabalham.

Uma funcionária de uma loja que prefere não ser identificada reclamou da decisão da administração do shopping. “Estamos todos revoltados, pois a partir de hoje estamos sendo obrigados a pagar o estacionamento. O que mais nos revolta é que não tem segurança alguma. No antigo estacionamento, podíamos deixar capacete, bolsa e tínhamos segurança. Agora, vamos ter que enfrentar também a falta de estrutura e nossos veículos vão ficar o dia todo expostos ao sol e à chuva. Pensamos em fazer uma manifestação, mas todos nós temos medo de retaliação e de sermos demitidos”, diz.

De acordo com a funcionária, a cobrança será de R$ 30 para motos e R$ 90 para veículos por mês.

A reportagem do ac24horas procurou a administração do Via Verde Shopping que confirmou a cobrança do estacionamento e disse que o antigo local onde eram estacionados as motos e carros dos funcionários não é adequado. “O Via Verde Shopping esclarece que a guarda de veículos é um serviço oferecido pelo estacionamento do empreendimento, a fim de garantir comodidade e segurança, com uma tabela de custos específicos de acordo com o usuário e a finalidade de utilização. No caso dos funcionários de loja, anteriormente eles guardavam os veículos na Doca, um local de carga e descarga de mercadorias, finalidade distinta da qual o local foi projetado”, disse a administração via assessoria de imprensa.

Continuar lendo

Destaque 2

Nível do Rio Acre sobe mais de 2 metros em 48 horas na Capital

Publicado

em

As constantes chuvas dos últimos dias provocaram o aumento no nível do Rio Acre na capital acreana.

Na manhã desta quinta-feira, 19, o manancial mede 9,86 metros. O nível é dois metros maior do que o registrado na manhã de terça-feira, que era de 7,48 metros.

O aumento de forma abrupta é provocado pela quantidade de chuvas registradas na capital acreana e nas cabeceiras do Rio Acre que acaba influenciando no nível na capital acreana.

Neste mês de janeiro, em 18 dias, já choveu 161,7mm dos 289,5mm esperados para todo o mês, o que representa 56% do total.

Apesar do nível ter aumentado de forma rápida, a situação ainda é tranquila em relação à possibilidade de enchente, já que a cota de alerta é de 13,5m e a cota de transbordamento é de 14 metros na capital acreana.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.