Conecte-se agora

No Acre, direita se divide e PT tenta voltar ao poder nas eleições de 2022

Comentarista do Globo vê caminho mais difícil para Gladson em 2022 após rompimento com aliados

Publicado

em

Matéria do jornal O Globo desta quarta-feira (24) assinada pelo repórter Daniel Gullino mostra que após a onda bolsonarista que dominou as eleições em 2018, com um dos resultados mais marcantes ocorrendo no Acre, com a vitória de Gladson Cameli (PP) após cinco vitórias consecutivas do PT, há, passa 2022, uma mudança de cenário importante que torna o caminho da reeleição mais difícil para o atual governador.

De acordo com Gullino, Cameli terá um caminho mais difícil primeiramente porque a coligação que o elegeu se fragmentou e ele terá que enfrentar antigos aliados; depois, disputará também com o ex-governador Jorge Viana (PT), que tenta retomar o domínio petista no estado após quatro anos.

Na metade de seu primeiro mandato de senador há quatro anos, Cameli foi eleito com 53% dos votos válidos. Na disputa ao Senado, emplacou os aliados Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (na época no MDB, hoje no União Brasil).

Agora, tanto Petecão quanto Bittar são adversários diretos de Cameli na disputa. O jornalista do Globo também não esqueceu que o governador ganhou um rival interno: o seu próprio vice, o Major Rocha (MDB), que rompeu com o titular e articulou a candidatura de sua irmã, a deputada federal Mara Rocha (MDB), ao Palácio Rio Branco. Gladson, no entanto, minimiza os rompimentos:

— Vejo com tranquilidade. Nós não obrigamos ninguém a estar conosco. E, infelizmente na política, alguns estão mais preocupados com os interesses políticos do que com o compromisso de melhorar a vida das pessoas.

Briga acirrada

Se não bastasse a briga com os aliados, o governador ganhou, de última hora, um concorrente competitivo na esquerda. Jorge Viana, que já foi governador por dois mandatos e pretendia concorrer ao Senado em uma chapa com o deputado estadual Jenilson Leite para governador. No entanto, Leite resolveu disputar o Senado, e o PT lançou a candidatura de Viana em 5 de agosto, último dia do prazo.

— Parecia que a gente tinha saído (da disputa), e a gente encontrou a melhor alternativa — afirma Viana, que ressalta a divisão dos adversários: — Quem mais faz oposição ao governador é o vice, Major Rocha. Quem mais faz oposição ao governador é o Petecão, que foi um grande eleitor dele.

O Globo diz que a família Viana é uma das mais tradicionais no estado, ressaltando o fato de que Jorge e seu irmão, Tião, já foram governadores por dois mandatos cada um, além de terem sido senadores. Em 2018, contudo, Jorge não conseguiu se reeleger ao Senado, ficando em terceiro lugar.

Já Márcio Bittar, outro ex-aliado de Cameli, articulou para que sua ex-mulher, Márcia Bittar (PL), fosse a vice na chapa do governador, que saiu pela tangente e convidou o deputado federal Alan Rick (União Brasil) para o posto.

Bittar, que é presidente do União no estado, destituiu Alan Rick da vice-presidência da legenda e decidiu lançar-se ao governo, também no último dia do prazo. Rick será candidato ao Senado, oficialmente na chapa de Bittar, mas já avisou publicamente que segue apoiando Cameli. Márcia Bittar, por sua vez, concorrerá ao Senado, mas na chapa de Mara Rocha.

— A direita do Acre precisa tentar dialogar melhor. Mas são coisas da política. Às vezes, os interesses não se alinham — afirma Rick, ressaltando que mantém o apoio ao governador apesar da decisão do partido.

A matéria de Daniel Gullino considera que um dos motivos do rompimento de aliados com Cameli foi uma operação da Polícia Federal, que teve o governador como alvo. A investigação apura suspeitas de que a estrutura do governo foi usada para cometer crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele nega as acusações.

Outro ponto relevante da abordagem é que o Acre foi o estado em que o presidente Jair Bolsonaro teve a sua melhor votação proporcional no segundo turno: foram 77% dos votos válidos. Cameli manteve o apoio ao presidente, após a eleição, mas buscando se distanciar em alguns pontos, como a gestão da pandemia.

O resultado de todos os fatos que antecederam o período eleitoral é que Gladson Cameli agora precisará disputar os votos bolsonaristas com Mara Rocha e Marcio Bittar. Jorge Viana, por sua vez, aposta no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), enquanto Petecão se diz neutro na disputa presidencial.

Acre

Marcia Bittar diz que deverá trabalhar pelo agronegócio

Publicado

em

A candidata ao Senado Federal Márcia Bittar (PL), retomou as agendas e participou nesta sexta-feira, 23, de uma caminhada na entrada do bairro Tancredo Neves, onde conversou com comerciantes e populares.

Após a caminhada, a candidata marcou presença em uma grande reunião no Palácio do Comércio, promovida pelo empresário Henrique Afonso, candidato a deputado estadual.

Durante a sua fala, Henrique Afonso falou sobre a necessidade de políticas que visem o avanço e o crescimento econômico do Estado, pauta apoiada por Marcia, que vê no agronegócio um dos pilares para esse desenvolvimento. “A gente precisa avançar muito nesse Estado e um dos avanços é justamente o desenvolvimento econômico. Eu sou um senhor de 60 anos vendo os mesmos discursos, já estou de cabelo branco e nunca mudaram. A gente precisa sair da inércia. Conheço Márcia a mais de 30 anos nas lutas e precisamos eleger políticos comprometidos com o desenvolvimento. Temos todas as condições, nós temos que plantar a semente”, disse Henrique.

Bittar contou que deverá focar no desenvolvimento econômico do Acre. “Nós estamos chegando na reta final, eu andei muito no Estado inteiro e não arredo o pé, nós temos que tomar um lado, estou do lado do desenvolvimento, do agronegócio, da família e da tradição cristã do nosso Brasil, não podemos permitir a volta de ideias políticas e econômicas tão nefastas como a florestania, que atenta contra tudo que nós defendemos”, declarou Márcia.

Continuar lendo

Acre

Alan Rick pede revisão das correções do Revalida de formados no exterior

Publicado

em

As notas da 1ª fase do Revalida, exame de validação dos diplomas dos médicos formados no exterior, foi divulgada no último dia 13 e, como de costume, o deputado federal Alan Rick, candidato ao senado da república, recebeu uma enxurrada de mensagens de candidatos. “Os revalidandos de todo o Brasil me têm como referência na defesa deles e, toda vez que sai um edital ou correções de provas, eles me acionam”, explica o parlamentar.

As reclamações são sobre discrepâncias das notas em relação ao gabarito divulgado pelo INEP. O assunto foi tratado com o Presidente do Instituto, Carlos Eduardo Sampaio, a equipe técnica do Revalida e a assessoria jurídica do deputado, nesta quinta-feira, 22, em Brasília. O parlamentar, que está no Acre cumprindo agenda de sua campanha para o Senado, participou virtualmente.

Conforme os técnicos do INEP, as notas divulgadas no dia 13 são provisórias e agora os recursos estão sendo analisados. As notas definitivas da 1a fase 2022.2 serão divulgadas no dia 07 de outubro e as da prova prática de 2022.1 saem no próximo dia 29. “O INEP também se colocou à disposição para sentar conosco, se ainda houver contestação de algum candidato após a análise dos recursos”, disse Alan Rick.

A assessora jurídica do parlamentar, Lia Noleto, e a advogada especializada em Revalida, Charliane Silva, estiveram, presencialmente, em toda a reunião expondo as alegadas discrepâncias.

Continuar lendo

Acre

Jorge Viana e Nazaré Araújo se comprometem a lutar pela BR-364

Publicado

em

Há dez dias da eleição, a Caravana da Esperança retorna aos municípios de Feijó e Tarauacá, nesta quinta-feira, 22, com o entusiasmo do candidato ao Governo Jorge Viana, e a candidata ao Senado Nazaré Araújo, que realizam uma campanha “pé no chão” pelo interior do Acre.

A comitiva iniciou o dia com uma caminhada pelo centro comercial de Feijó, seguido de entrevista a rádio local. Ainda pela manhã, Jorge e Nazaré seguiram com a militância rumo a Tarauacá, onde foram recebidos com uma animada passeata pelo centro do município. Os candidatos participaram do podcast Blog do Accioly e caminharam no bairro da Praia, um dos maiores da cidade.

Diante das péssimas condições da BR-364, Jorge Viana, que foi governador do Acre por oito anos, ressaltou o desafio e a conquista de sua gestão, que trouxe uma nova realidade para o estado.

“O Acre era apartado, era isolado. Nós acabamos com esse isolamento em meu governo. E com isso vieram outros benefícios para essa região. Agora é sacrifício novamente andar por essa estrada, e nas cidades a situação é mais grave ainda, com muita gente desempregada. Eu e o Marcus Alexandre somos candidatos para enfrentar essa situação. Nós queremos socorrer as pessoas que estão desamparadas, criar um grande programa de geração de emprego, recompor essa infraestrutura e fazer essa região de Feijó e Tarauacá voltar a prosperar”, disse Jorge Viana.

A candidata ao senado, Nazaré Araújo, apontou as dificuldades enfrentadas pelas pessoas que precisam trafegar pela BR-364.

“Fazemos uma força para chegar a Feijó e Tarauacá pela estrada, são vários pontos críticos. Não podemos perder essa estrada, que é uma conquista do povo acreano e que só foi possível por causa do presidente Lula e do trabalho dos governos populares. Eu como senadora quero fazer o compromisso com as pessoas do interior do estado que precisam das estradas, dos ramais funcionando para o escoamento das produções, para que se possa fazer o transporte das pessoas, porque isso é fundamental para a vida”, declarou.

A agenda de Jorge Viana e Nazaré Araújo segue durante a noite na comunidade Vila São Vicente, ao longo da BR-364, na beira do Rio Gregório, ainda em Tarauacá.

Continuar lendo

Acre

Procuradoria Eleitoral enfatiza fiscalização do “voo da madrugada”

Publicado

em

O procurador eleitoral substituto Vitor Hugo Caldeira Teodoro encaminhou orientação normativa instruindo os promotores eleitorais sobre a atuação em casos de propaganda irregular, especialmente o derramamento de santinhos pelas ruas às vésperas das eleições, prática conhecida como “voo da madrugada”.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a irregularidade, se materializa por meio do derrame ou da anuência com o derrame de material de propaganda, tais como panfletos, santinhos e adesivos, no local de votação ou nas vias próximas, ainda que realizado na véspera da eleição.

A prática configura propaganda irregular, ficando o infrator e o beneficiário à multa prevista no § 1º, do art. 37 da Lei n. 9.504/1997, sem prejuízo da apuração do crime previsto no inciso III, do § 5º, do art. 39, da mesma Lei, conforme dispõe expressamente a Resolução TSE nº. 23.610/2019 (art. 19, § 7º).

O documento reforça os procedimentos que devem ser adotados na fiscalização de propaganda irregular. Uma das principais medidas é que as imagens a serem registradas do material sejam nítidas para possibilitar a visualização e identificação dos(as) candidatos(as) beneficiados(as).

“Deve-se registrar nome, número e partido do(a) candidato(a), especificando-se, com exatidão, dia, hora e local em que o ilícito foi cometido, bem como a estimativa do quantitativo dos santinhos derramados”, diz a orientação.

A Procuradoria Regional Eleitoral diz ainda que a expedição da orientação visa conferir celeridade ao processamento dos elementos de prova a serem colhidos, uma vez que o prazo para ajuizamento das respectivas representações encerra-se 48 horas após a data dos pleitos, primeiro e segundo turno, se houver.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.