Conecte-se agora

Ex-reitor denuncia irregularidades na Academia Acreana de Letras

Publicado

em

Realizada no último dia 30 de junho, a última eleição da Academia Acreana de Letras (AAL), por meio da qual foram admitidos 10 novos imortais, foi alvo de duras críticas, nesta segunda-feira (4), por meio de uma “Carta Aberta” tornada pública pelo ex-reitor da Universidade Federal do Acre (UFAC), o paleontólogo Jonas Pereira de Souza Filho, que teve a sua candidatura ao certame indeferida pela Comissão Eleitoral.

O professor Jonas Filho alega que ao tomar conhecimento, no dia 20 de junho, de que sua candidatura não havia sido homologada por descumprir o edital das eleições, solicitou, no dia seguinte, informação da Comissão Eleitoral sobre em que ponto havia ferido as normas do processo. A resposta, segundo ele, veio sete dias depois, com fundamentações com as quais afirma discordar frontalmente.

Jonas Filho diz que no dia 28 de junho, às 07h41min, entrou com pedido de reconsideração da decisão, com base em argumentações apresentadas em um breve texto. “Às 11h50min, do mesmo dia, obtive a informação de que o pedido já se encontrava de posse da Comissão Eleitoral. Até hoje, 4 de julho de 2022, porém, nenhuma resposta me foi ainda apresentada, tendo as eleições acontecido no dia preestabelecido”, ele explica na carta.

“O que me resta, então, é lamentar. Lamentar não as minhas perdas e danos, mas o descaso e o desrespeito tão aviltantes. Nem sequer fui merecedor de uma resposta sobre o meu pedido de reconsideração. Lamento profundamente que a Academia Acreana de Letras esteja sendo gerida a mãos de ferro, compadrio e pensamentos retrógrados”, afirma.

Além de argumentar que lhe foram negados direitos fundamentais com danos irreparáveis, por negligência da Comissão Eleitoral, ele questionou se o fato se deu por “prevaricação, desleixo, descaso ou por rixas políticas levadas da UFAC para dentro da AAL”, e ainda acusou o processo eleitoral de uma série de irregularidades cometidas tanto pela comissão quanto pela presidência da Academia.

Entre as acusações, ele cita a cobrança da taxa de R$ 250 depositados em uma conta de pessoa física e que o Edital exigia “carta de recomendação por membro da própria Comissão Eleitoral, ou seja: quem recomenda é o mesmo que avalia”, o que, para ele, configura evidente flagrante de parcialidade; e que a presidente da AAL foi parcial ao divulgar imagens de candidatos específicos em sua rede social sem observância da isonomia.

Ao ac24horas o presidente da comissão que conduziu o processo eleitoral da Academia, o escritor e jornalista Enilson Amorim, afirmou que a não homologação da candidatura de Jonas Filho ocorreu por ele não ter anexado à documentação exigida para a inscrição nenhuma produção literária (livros físicos) e que não houve tempo para que ele sanasse essa pendência por ter efetuado a inscrição no último dia do prazo.

Questionado sobre o pedido de reconsideração da decisão, que não foi respondido, segundo as alegações de Jonas Lima, Enílson explicou que o papel da Comissão Eleitoral com relação a esse ponto terminou ao responder ao candidato, por meio de carta enviada a ele, datada de 23 de junho de 2022, comunicando do item em que o Edital não foi cumprido e explicando o motivo de a inscrição não ter sido homologada.

A reportagem também conversou com a presidente da Academia Acreana de Letras, Luísa Galvão, que mesmo estando em Portugal respondeu aos questionamentos que lhe foram feitos. Ela ratificou as explicações que foram dadas por Enilson Amorim e disse que, inconformado com a não homologação de sua candidatura, Jonas Lima tenta jogar pedras em uma instituição de 85 anos, da qual queria participar.

“O Dr. Jonas quer holofotes. Deixou de entregar a produção intelectual dele, como pedia o Edital. A AAL se conduz com zelo, respeito e responsabilidade. A eleição foi conduzida com toda lisura. Lamentavelmente o Dr. Jonas não aceita a não homologação de sua candidatura como lhe foi explicado por carta. Reconhecemos ser grande pesquisador. Todavia não cumpriu o Edital como os outros candidatos. Agora vem jogar pedras numa instituição de 85 anos que queria fazer parte. É lamentável. A AAL sempre foi imparcial. Temos os documentos que entregou como prova da ausência de sua produção. Estou na Europa, mas a Comissão foi muito ética e agiu em conformidade com o Edital”, disse.

Perguntada sobre a afirmação de Jonas Lima de que a taxa de inscrição dos candidatos foi depositada em conta de pessoa física, Luísa Galvão disse que a AAL não tem conta bancária por falhas na gestão anterior, mas que há um tesoureiro e que o problema está sendo resolvido em cartório. Quanto aos demais pontos, ela ressaltou que a Comissão Eleitoral agiu com ética e em conformidade com o Edital.

Acre

Coordenador de Marcelo Bimbi diz que cabo eleitoral mentiu

Publicado

em

A coordenação de campanha do modelo e candidato a deputado federal pelo Podemos, Marcelo Bimbi, entrou com o ac24horas na tarde desta quarta-feira, 28, para responder à denúncia de calote feita por uma suposta cabo eleitoral.

Luciana da Silva afirmou em uma rede social que Marcelo Bimbi e um assessor, identificado como Denys Braga, estariam contratando pessoas para trabalhar como cabo eleitoral e não estaria fazendo os devidos pagamentos. Ela diz ainda que foram assinados contratos, mas que Marcelo e Denys haviam sumido.

Denys Braga, que faz parte da coordenação da campanha de Bimbi, entrou em contato com o ac24horas onde encaminhou documentos em que afirma que comprovam que Luciana Silva não foi contratada. “É uma mentira. A senhora Luciana Silva não foi contratada. O que ela queria era ganhar dinheiro sem trabalhar, mas recurso de campanha é recurso público, é sério e precisamos prestar contas”, afirma.

Denys afirmou ainda que contratados de todas as regionais de Rio Branco podem testemunhar de que os pagamentos estão sendo feitos normalmente. “Estamos aqui no comitê com contratados que receberam e temos os recibos para comprovar. Estamos indo agora até a delegacia onde vamos registrar uma queixa por calúnia e difamação e vamos provar que essa pessoa mentiu”, disse.

Continuar lendo

Acre

Ações da Polícia Federal no Acre apreendem quase R$ 400 mil

Publicado

em

As duas operações simultâneas deflagradas em Rio Branco nesta quarta-feira (28), batizadas de Comitê Violeta e Algibeira, em conjunto com o Ministério Público Eleitoral, apreenderam cerca de R$ 400 mil em espécie.

As duas operações tiveram o objetivo de reprimir a prática de compra de votos, bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições.

Na primeira ação, a Polícia Federal cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão na cidade de Rio Branco/AC, contra um candidato e partidários. Na segunda, a Polícia Federal cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão também em Rio Branco.

Durante as investigações, a PF identificou um estreito laço entre um candidato e indivíduos pertencentes a uma facção criminosa atuante no Acre, com o objetivo principal da compra de votos.

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral, com pena prevista de até quatro anos de reclusão, e falsidade ideológica, com até cinco anos de prisão. Os dois delitos são previstos no Código Eleitoral.

Na outra ação, denominada Algibeira, identificou-se a presença de operadores de dinheiro, que no período pré-eleitoral guardavam quantias em espécie em determinado “bunker”, com a finalidade de dar suporte a eventuais candidatos e campanhas políticas.

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral e falsidade ideológica, ambos do Código Eleitoral; assim como Lavagem de Dinheiro. Em caso de condenação, as penas somadas poderão resultar em até 20 anos de reclusão

O nome da operação faz referência ao método mais utilizado pelos investigados na tentativa de retirar de forma discreta os recursos em espécie armazenados no imóvel alvo de buscas.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Polícia Federal.

Continuar lendo

Acre

Petecão pede apoio para levar eleições para o 2° turno

Publicado

em

O candidato ao governo, senador licenciado Sérgio Petecão (PSD), esteve reunido na manhã desta quarta-feira, 28, com os trabalhadores do centro de distribuição do Arasuper em Rio Branco.

Durante a agenda, o candidato reafirmou seu compromisso com a geração de emprego e renda e valorização dos trabalhadores no Acre. “Tenho conversado incansavelmente com todas as categorias de trabalhadores e representantes da sociedade para aproximarmos as ideias do governo com as reais necessidades das pessoas e das empresas”, declarou.

Petecão aproveitou para pedir apoio e levar o pleito eleitoral ao segundo turno. “Anota aí, no próximo domingo, vote Petecão 55”, comentou.

Continuar lendo

Acre

Jorge, Marcus e Nazaré conversam com comerciantes no centro

Publicado

em

Os candidatos ao governo pela Federação da Esperança Acre, Jorge Viana (PT) e Marcus Alexandre (PT) e a candidata ao Senado, Nazaré Araújo (PT), estiveram nesta manhã no Mercado Municipal Elias Mansour, em Rio Branco. Jorge, Marcus e Nazaré receberam o carinho dos comerciantes e das pessoas que diariamente transitam na região.

“Estar aqui é uma mistura de alegria com emoção. As pessoas realmente entraram na campanha, elas querem a boa mudança, elas sabem que Marcus e eu somos do trabalho. É impressionante como a campanha cresceu. Nós entramos por último nessa disputa e já estamos em segundo lugar nas pesquisas”, disse o candidato ao governo.

Jorge Viana acrescentou que não tem dúvidas que ele e Marcus Alexandre disputarão o segundo turno e serão vitoriosos.

“A cada dia a nossa responsabilidade aumenta mais. As pessoas sabem que temos um projeto, um plano, que vamos reunir os melhores profissionais para trabalhar e que vamos trabalhar pela população, cuidar de todos, gerar emprego para a juventude e fazer a vida do acreano melhorar. Andar no mercado, ser abraçado como nós fomos, ser abraçado pelas pessoas alegres, sorrindo, é um presente de Deus. É sinal de que a vitória está vindo”, disse Viana.

O ex-governador ressaltou que o espaço que compreende o mercado municipal, o Terminal Urbano, o calçadão, o Shopping Popular e o mercado Aziz Abucater têm a marca das gestões do Partido dos Trabalhadores.

“Esse espaço precisa muito do cuidado e da atenção do Estado e do município. Nossas gestões, tanto no governo, quanto na prefeitura, sempre cuidaram desse espaço aqui no centro e com a nossa vitória para o governo esse será um lugar que receberá toda a nossa atenção”, pontuou.

Marcus Alexandre destacou que o calçadão e o entorno do Elias Mansour é um lugar onde o Acre se encontra. “Aqui você acha pessoas de todos os municípios. Sempre tratei esse lugar com muito carinho, aqui teve presença constante da nossa gestão e receber esse carinho e o abraço que Jorge, eu e Nazaré recebemos hoje é a demonstração que estamos no caminho certo, que nossa campanha está crescendo na hora certa e nós estaremos no segundo turno.

Marcus salientou que no segundo turno ocorre outra eleição e Jorge e ele estão prontos para debater a realidade que vive o Acre, falando dos problemas e apontando as soluções por meio do trabalho que estão prontos para oferecer para a população.

“É isso que nos motiva e essa reta final de primeiro turno nos mostra isso. O que conta a nosso favor é o trabalho que sempre fizemos e vamos fazer muito mais”, finalizou o ex-prefeito.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.