Conecte-se agora

Emprego: erros de Português desclassificam mais da metade dos candidatos em seleções 

Com erros no currículo candidatos nem chegam a ser chamados para uma entrevista

Publicado

em

Os processos seletivos para entrevista de emprego costumam causar apreensão nos candidatos, principalmente as dinâmicas e as temidas perguntas do entrevistador. Contudo, os “vilões” da reprovação estão na dificuldade de dominar um quesito ensinado desde os tempos escolares: a Língua Portuguesa.

Erros de Português, de interpretação nas informações e a falta de uma boa comunicação oral e escrita são responsáveis por impedir que 83,5% dos estudantes passem em seleções, segundo pesquisa do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube).

A pesquisa avaliou o desempenho de 59.776 candidatos a vagas de estágio e aprendizagem. Desse número, apenas 9.845 estudantes (16,5%) passaram nos critérios de avaliação do domínio da língua. Os demais, 83,5% (49.931) demonstraram conhecimento gramatical insuficiente. Em comparação à pesquisa de 2019, houve um aumento de 67% de reprovação, cujo índice era de 50%.

No currículo, os erros de Português também são responsáveis por eliminar candidatos que, por esse motivo, podem nem chegar a ser chamados para uma entrevista, é o que aponta levantamento feito pela Catho no ano passado. Para os recrutadores ouvidos pela entrevista, erros de português podem representar falta de conhecimento da língua e ausência de atenção na hora da construção do currículo.

Ainda em relação a erros de Português no currículo, apenas dois erros de digitação são suficientes para desclassificar um candidato a processo seletivo, de acordo com pesquisa realizada pela Robert Half, empresa de recrutamento especializado. 

Conteúdos gratuitos para aprender Português

Guia Enem é um site que reúne materiais gratuitos de diversas disciplinas, incluindo Português. No site são disponibilizados artigos com resumos das principais áreas de conhecimento. Para cada disciplina, há diferentes textos focados nas informações mais relevantes. 

Para quem prefere estudar por meio de vídeos, no YouTube há conteúdos gratuitos disponibilizados por diversas instituições de ensino e professores, que preparam aulas em diversas áreas do conhecimento. Exemplo é o canal Educa Mais Brasil Explica, que contém uma playlist gratuita com aulas objetivas para os estudantes de diferentes idades.  

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Acre 01

CPI do Ministério da Educação não conta com apoio de senadores do Acre

Publicado

em

Após a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, a CPI do MEC atingiu o mínimo de 28 assinaturas necessárias para sua instalação no Senado, diz matéria do jornal O Globo na manhã desta quinta-feira (23). Cabe agora ao presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), determinar a abertura da investigação.

Os senadores Alessandro Vieira (PSDB-SE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) se empenharam na coleta de assinaturas desde a quarta-feira e, nesta quinta-feira, conseguiram o mínimo de um terço do Senado. O último senador a assinar a lista foi Giordano Bruno (SP).

Informações que circulam no meio político dão conta de que o Planalto fez um trabalho forte para abafar a investigação. Nenhum dos três senadores acreanos consta na lista de 28 assinaturas divulgada por alguns veículos de comunicação.

O ac24horas tentou falar com assessores de dois deles, não conseguindo contato com Sérgio Petecão (PSD). Um dos assessores da senadora Mailza Gomes (PP) informou que ela ainda está com a família na cidade de seu pai, que faleceu ontem. O senador Eduardo Velloso (UNIÃO), suplente de Márcio Bittar, que está licenciado, também não foi localizado.

Nesta quarta-feira, Rodrigo Pacheco disse que a proximidade da eleição prejudica a instalação da CPI, já que “é uma investigação isenta, que tem um tempo necessário, à própria composição dela, com todos os senadores dedicados na comissão parlamentar de inquérito”.

O senador Alessandro Vieira disse ao Globo que a contrariedade de Pacheco repete o que ocorreu na CPI da Covid, quando o presidente do Senado também resistiu à abertura da investigação.

— A Constituição Federal não estabelece esses critérios que ele quer criar da cabeça dele, de que ano eleitoral não é bom. A Constituição exige um fato determinado e objetivo, e o mínimo de um terço do Senado de assinaturas.

A oposição na Casa havia começado a recolher assinaturas para pedir a abertura do colegiado em abril, quando vieram à tona as primeiras denúncias do suposto esquema de desvio de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Ribeiro foi solto nesta quinta-feira por decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). O ex-ministro da Educação é investigado pelos crimes de corrupção e tráfico de influência quando estava à frente do órgão, sob suspeita de privilegiar pastores próximos a ele.

Eis a lista de senadores que já assinaram o requerimento:

Randolfe Rodrigues (Rede-AP);

Paulo Paim (PT-RS); Humberto Costa (PT-PE);

Renan Calheiros (MD-AL);

Fabiano Contarato (PT-ES);

Jorge Kajuru (Podemos-GO);

Zenaide Maia (Pros-RN);

Paulo Rocha (PT-PA);

Omar Aziz (PSD-AM);

Rogério Carvalho (PT-SE);

Reguffe (União Brasil-DF): Leila Barros (PDT-DF);

Jean Paul Prates (PT-RN);

Jaques Wagner (PT-BA);

Eliziane Gama (Cidadania-MA);

Mara Gabrilli (PSDB-SP);

Nilda Gondim (MDB-PB);

Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB);

José Serra (PSDB-SP);

Tasso Jereissati (PSDB-CE);

Cid Gomes (PDT-CE);

Alessandro Vieira (PSDB-SE);

Dario Berger (PSB-SC);

Simone Tebet (MDB-MS);

Eduardo Braga (MDB-AM);

Marcelo Castro (MDB-PI);

Giordano Bruno (SP);

Izalci Lucas (PSDB-DF).

Continuar lendo

Destaque 2

Ex-governador Binho Marques diz que gestões de Ribeiro e Weintraub se complementam pela omissão

Publicado

em

Na coluna da jornalista Miriam Leitão desta quinta-feira (23), no jornal O Globo, intitulada A Educação entre a omissão e desvios, em que a analista avalia a condução do ex-ministro Milton Ribeiro frente à Educação, uma das fontes ouvidas foi o ex-governador do Acre Binho Marques.

Preso recentemente em operação da Polícia Federal sob a acusação de desmandos na pasta com a participação de pastores que liberavam verba, pediam propina e mandavam na agenda do próprio ministro, Ribeiro teve a sua atuação comparada por Binho com a de seu antecessor, Abraham Weintraub.

Milton Ribeiro assumiu o MEC em julho de 2020, no lugar do ex-ministro Abraham Weintraub, que também deixou a pasta após uma série de polêmicas que deixaram o governo Bolsonaro sem nada a comemorar na área. Na visão do consultor Binho Marques, que além de ex-governador também é especialista em educação, as duas gestões se complementam e têm uma marca em comum: a omissão.

— Eles foram omissos em tudo. O Brasil tem uma organização da educação muito diferente da do resto do mundo. Há muita autonomia dos estados e dos municípios. Mas a maioria não tem condições técnicas nem financeiras. Eles precisam do MEC, é uma necessidade de coordenação. O que vimos foi justamente o contrário, um retrocesso histórico — explicou Marques.

Binho Marques também disse à Miriam Leitão que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) sempre foi alvo de cobiça dos políticos, porque movimenta um orçamento em torno de R$ 65 bilhões por ano. Mas desde o governo Itamar Franco, passando por Fernando Henrique, Lula, Dilma e Temer, foram criados mecanismos para a blindagem do órgão. No governo Bolsonaro, isso acabou, segundo ele.

— O FNDE, que havia se tornado uma autarquia exemplar, foi completamente loteado, transformado em um balcão de negócios, que lembrou o período pré-Itamar. Acabou a profissionalização — disse.

Miriam Leitão fecha a coluna dizendo que no ensino superior as universidades foram consideradas inimigas do governo.

“Há cortes de energia por falta de verbas, escassez de produtos básicos como papel higiênico, e estrangulamento no valor de bolsas de mestrado e doutorado. Pesquisadores pedem demissão por falta de condições de trabalho. A corrupção e a omissão são os legados do governo Bolsonaro na educação. O ministro Ribeiro fez parte desse projeto”.

Continuar lendo

Extra Total

Falta de médicos gera demora no atendimento na UPA do 2º Distrito e revolta pacientes

Publicado

em

Garebe Farias esteve em busca de atendimento na UPA do 2º Distrito nesta quinta-feira, 23, e se revoltou com a demora no atendimento. De acordo com o paciente, a demora foi tanta que muitas pessoas foram embora revoltadas sem serem atendidas. “Não tinha médico, um absurdo, pessoas passando mal, inclusive crianças com falta de ar. Só avisaram que iam atender os casos mais graves e não disseram mais nada. Muita gente foi embora sem ser atendido”, afirmou.

O ac24horas procurou a direção da unidade em busca de uma explicação para a demora no atendimento. Davi Moura, gerente administrativo, falou sobre o problema da falta de médicos. “Estamos com 2 médicos, já que outros dois apresentaram atestado. Realmente, o atendimento atrasou e estávamos atendendo apenas as fichas amarelas. Conseguimos um outro médico para auxiliar e o fluxo já foi normalizado”, garantiu.

Continuar lendo

Na rede

Prefeito de Cruzeiro do Sul anuncia mais de R$ 100 milhões para construção de casas e infraestrutura

Publicado

em

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha Lima, que estava em um período de “reclusão” depois de falar em dificuldades financeiras, reduzir salários temporariamente, ter secretário-adjunto preso por peculato e conseguir encerrar a greve da saúde concedendo 5% de aumento para a categoria, voltou a dar entrevistas.

Ele anunciou investimentos de mais de R$ 130 milhões para a infraestrutura, construção de casas e agricultura com recursos de emendas de bancada, parlamentares e do governo do Estado e a entrega de várias obras de gestões passadas deixadas inacabadas.

São R$ 100 milhões para a construção de casas para famílias em situação de vulnerabilidade social, R$ 26 milhões para a agricultura, R$ 6 milhões para asfaltar ruas do município e R$ 4 milhões para a revitalização da iluminação pública. Ele garante que até o final de julho, vai anunciar novos investimentos para Cruzeiro do Sul.

“Eu procuro me preservar as vezes, mas a sociedade precisa saber o que está sendo feito e muito será feito ainda este ano. Vamos entregar obras que gestões passadas deixaram inacabadas e em breve vamos anunciar o total em novos investimentos aqui para o Município”, afirmou.

Além de dívidas financeiras, Zequinha herdou ao menos 5 obras de gestões passadas, incluindo a que ele foi vice do ex-prefeito Ilderlei Cordeiro, e que vai inaugurar este ano. Anuncia que já tem recursos para dar celeridade a 90 % dos serviços parados.

No aniversário do município, em 28 de setembro, vai inaugurar parte do Complexo Esportivo, no Bairro Aeroporto Velho, o Centro Comercial as margens do Rio Juruá, a Creche da Variante e duas quadras esportivas no Bairro Miritizal. Mas a Rodoviária, inacabada na Variante, ainda não tem previsão de entrega.

“As obras inacabadas geram muitos problemas mas estamos resolvendo vários entraves. Quase tivemos que devolver R$ 950 mil da Rodoviária. O trabalho no entorno da Rodoviária, que é área de varzea, é mais caro do que o prédio, mas já temos mais de R$ 1 milhão garantidos para a solução. As obras inacabadas precisam de mais recursos, novas autorizações e as estruturas ficam danificadas com o tempo mas vamos resolvendo cada problema para entregar todas para a população e agora em setembro vamos inaugurar várias dessas obras inacabadas”, cita.

Asfaltar ruas

Cerca de R$ 6 milhões é, segundo Zequinha, o que terá para investir no asfaltamento de ruas do município este ano. R$ 1 milhão a mais do que tinha no ano passado, mas atesta que não será possível asfaltar os mesmos 5 quilômetros do ano passado por causa do alto custo do material de construção e insumos.

“O asfalto passou de R$ 4.500 para R$ 7 mil e muita coisa dobrou como o metro de bueiro, que agora custa R$1.200. Então, com R$ 6 milhões vamos fazer entre 2,5 quilômetros a 3 no máximo “, pontua ele ressaltando que no Bairro Miritizal serão asfaltados 400 metros de ruas. ” Foi o Bairro mais atingido pela cheia do Rio Juruá nos últimos anos “, justifica ele.

Casas

Para a construção de casas para abrigar famílias em situação de vulnerabilidade, a prefeitura tem R$ 100 milhões de emenda de bancada. Com o dinheiro será possível construir cerca de 40 unidades habitacionais.

“Temos que esclarecer que o dinheiro além das casas também é para fazer e asfaltar as ruas do local, a parte de esgoto e toda a estrutura. Com o encarecimento do material de construção vamos conseguir fazer umas 40 casas”.

Agricultura

Para a zona rural, haverá abertura e melhoria em ramais, mecanização agrícola, casas de farinha e equipamentos como mini tratores. O objetivo é ultrapassar os 200 hectares de 2021, com a mecanização de terras deste ano.

Saúde e avanços

Concedendo reajuste salarial de 5% para o pessoal da Saúde do município, Zequinha conseguiu acabar com a greve iniciada desde o dia 31 de maio. Os avanços da gestão, de acordo com Zequinha, melhoraram a qualidade de vida da população. Ele cita o uso da tecnologia na saúde com a implantação do Prontuário Eletrônico dos pacientes e o acesso ao resultado de exames via WhatsApp. ” Com relação aos exames descentralizamos a coleta que pode ser feita agora no posto do Bairro e o resultado acessado por WhatsApp. Não há mais filas no Centro de Diagnóstico”, comemora.

A saúde da população das zonas rural e ribeirinha, também é garantida por meio dos atendimentos itinerantes, que ganharão o reforço de três quadrículos, para que os profissionais de saúde, possam chegar às localidades mais distantes.

A limpeza e a iluminação pública, também serão melhoradas segundo o gestor. Vai aumentar a frota de caminhões coletores de lixo e mudar as lâmpadas comuns pelas de Lead. Para a iluminação serão destinados R$ 4 milhões.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!