Conecte-se agora

Esquizofrênico, homem morto em abordagem policial tinha várias passagens pelo Hosmac

Publicado

em

José Adalberto Coelho Cunha completaria 58 anos de idade no próximo dia 17 de agosto, mas desde a adolescência ele já apresentava sinais dos distúrbios que com o passar do tempo o tornaram uma pessoa agressiva com vários episódios de surtos que se intercalavam com internações no Hospital de Saúde Mental do Acre – Hosmac.

De acordo com Maria de Fátima Coelho Cunha, de 67 anos, uma das irmãs de Adalberto, nome pelo qual era chamado, aos 13 anos ele já apresentava comportamento diferente do habitual para a idade, com variações de humor e instabilidade emocional. Ela era a representante legal do irmão, que há muito tempo não respondia civilmente por seus atos.

A irmã de Adalberto procurou a reportagem do ac24horas para esclarecer informações que, segundo ela, foram divulgadas em matérias jornalísticas e redes sociais tratando do seu irmão como uma pessoa normal, ignorando os problemas que ele tinha e que eram do conhecimento de grande parte da população da cidade, o apontando como um criminoso.

“Ele não respondia por si e foram incontáveis os surtos que ele apresentou nos últimos anos ficando agressivo e violento. As internações dele no Hosmac eram muito positivas, pois ele melhorava bastante com a medicação, mas os períodos que ele passava lá eram de apenas vinte dias. Depois disso, eles iam deixá-lo na minha porta, em Rio Branco”, conta.

Maria de Fátima diz que após sair do Hosmac, o quadro de Adalberto regredia bastante, pois ele se recusava veementemente a tomar os psicofármacos de uso contínuo. Logo, ele voltava a apresentar o comportamento característico de esquizofrenia, conforme o diagnóstico médico, tanto em casa quanto pelas ruas, por onde circulava de maneira constante.

No dia dos fatos que culminaram com a morte de Adalberto e com duas pessoas feridas por ele – o seu irmão, Adelino Coelho Cunha, de 70 anos, e o sargento da Polícia Militar Éberton Lunardi, de 41 anos -, ele andava pelas ruas, como de costume, mas armado com uma faca. Segundo a família, não houve uma motivação específica para o primeiro ataque, a Adelino.

“O Adelino se aproximou dele, nas imediações do Depasa, e disse, brincando, que ele estava cheio do dinheiro, pois havia acabado de receber o benefício social dele. Daí seguiu em sua bicicleta por alguns metros quando sentiu a facada, que foi desferida pelas costas, atingindo a região dos rins. Depois disso foi para o lugar onde foi morto”, explicou.

Mesmo diante dos fatos que resultaram na morte de Adalberto, Maria de Fátima afirma não aceitar a maneira como ele foi morto, principalmente por ele ter sido alvejado com três tiros. Ela acrescentou que a família acompanhará o desenrolar das investigações com o objetivo de que o que aconteceu seja devidamente esclarecido.

A reportagem falou com o delegado Gustavo Neves, titular da Delegacia Geral de Xapuri, responsável pelo inquérito instaurado para apurar as circunstâncias do fato. De acordo com ele, é fundamental ouvir as duas vítimas feridas por Adalberto, assim que elas possam depor, para que o procedimento investigatório seja finalizado.

Acre 01

Candidata a vice de Gladson, senadora Mailza declara ter apenas R$ 11 mil em bens

Publicado

em

A senadora Mailza Gomes (Progressistas), que concorre às eleições de 2022 como vice-governador de Gladson Cameli, declarou ao Tribunal Superior Eleitoral ter apenas R$ 11 mil em bens. A informação consta no Portal DivulgaCand, que mostra os registros oficiais e contas eleitorais das eleições de 2022.

De acordo com a declaração de bens, a candidata a vice na chapa Progressista de um ativo financeiro no valor de R$ 8.248,81 e um veículo automotor no valor de R$ 3 mil.

Na eleição de 2014, quando concorreu como primeira suplente de Gladson Cameli ao senado, Mailza declarou não ter nenhum bem. Ela assumiu o cargo de senadora da república logo após Cameli assumir a cadeira de governador em 2019.

Continuar lendo

Acre 01

Deputados e Seplag são pressionados por celeridade em concurso do ISE e dos Bombeiros

Publicado

em

Uma audiência pública promovida pelas Comissões de Serviço Público e de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Acre debateu soluções às demandas surgidas no concurso do Instituto Socioeducativo, em andamento no Estado. Um dos pontos demandados é a celeridade na investigação social. De acordo com o secretário de Planejamento e Gestão, Ricardo Brandão, em outubro os aprovados já serão convocados para o curso de formação. “Hoje estamos dentro da programação”, disse.

Em relação ao concurso do Corpo de Bombeiros houve alteração da Lei de Responsabilidade Fiscal vedando nomeação de servidores 180 dias antes das eleições e há peculiaridade no BM, uma vez que o início do curso de formação marca também a posse no cargo.

A Seplag avalia outros meios de avançar nos cursos de formação. No ISE, todas as vagas disponíveis no concurso serão preenchidas. “Se a situação fiscal melhorar pode ser que se abram algumas vagas”, disse Marcos Mota, Procurador-Geral do Estado.

Várias outras dúvidas foram dirimidas pelos representantes do Governo do Estado. Os concursandos estão esgotando meios administrativos para resolver suas demandas para então recorrer à Justiça.

O deputado Neném Almeida (Podemos) revelou seu temor quanto é o pós-eleição, já que, segundo ele, os discursos foram políticos na audiência. “Em ano eleitoral, tudo é possível”, disse o parlamentar.

O Líder do Governo na Aleac, deputado Pedro Longo (PDT), disse que há várias conquistas e há acompanhamento e ninguém está sendo enganado. “Vocês vão ser os novos servidores, que vão dar continuidade ao serviço público no Acre”, disse Longo.

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) lembrou que quando um assunto adentra a Aleac só é largado quando consumado. “Por isso, outros debates virão”, frisou o comunista.

Continuar lendo

Acre 01

Quase 500 servidores da educação do Acre correm risco de ficar sem salários

Publicado

em

A Secretaria de Educação Cultura e Desporto (SEE) divulgou no Diário Oficial desta terça-feira, 9, uma notificação convocando 470 servidores para a realização do recadastramento obrigatório.

São servidores de vários municípios nascidos no mês de julho e que até o presente momento não fizeram o recadastramento. Com isso, o governo informa que se até a próxima segunda-feira, dia 15, o servidor não comparecer à Coordenação de Vida Funcional da SEE em Rio Branco ou na Representação em seu município, terá o seu salário de setembro bloqueado de acordo com o calendário do governo.

A lista dos servidores da SEE que ainda não fizeram o recadastramento está disponível a partir da página 11 do Diário Oficial de hoje.

Continuar lendo

Acre 01

Redução das queimadas até 7 de agosto é de 53% no Acre, segundo dados do Inpe

Publicado

em

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgou, na semana passada, nota comemorando a queda nos focos de queimadas no Brasil no primeiro semestre do ano.

Segundo o MMA, somados, “os biomas apresentaram queda de, aproximadamente, 3,5% em relação ao mesmo período de 2021”.

A queda, de acordo com a pasta ambiental, deveu-se aos esforços do Governo Federal no combate aos incêndios e no aumento do efetivo de brigadistas.

No Acre, a redução, de acordo com os dados do programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), é de 53%. São 491 focos detectados neste ano, até 7 de agosto, contra 1.061 do ano passado.

No entanto, o período mais seco do ano para a maioria dos biomas brasileiros, como Amazônia, Pantanal, Mata Atlântica e Caatinga, quando há maior número de queimadas, é compreendido entre agosto e novembro.

No Acre, em 2021, os meses de agosto, setembro e outubro somaram, respectivamente, 3.185, 3.982 e 1.118 focos de queimadas.

Até o momento, os municípios acreanos com os maiores registros de queimadas são: Feijó (107 – 28% do total); Tarauacá (54 -11% do total); Rio Branco (37 – 7,5% do total); Xapuri (37 – 7,5% do total); e Manoel Urbano (34 – 6,9% do total).

A Reserva Extrativista Chico Mendes é a Unidade de Conservação Federal com o maior índice – são 43 focos, o que corresponde a 64,2% do total. Em seguida estão as Reservas do Alto Juruá, com 11 focos de queimadas e do Cazumbá Iracema, com 8 focos.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!