Conecte-se agora

Os desafios e conquistas do abastecimento de água em meio à Bacia Amazônica

Publicado

em

Por Ítalo Lopes

Uma conquista marcante na vida de todos os presentes. É assim que podemos definir a inauguração da extensão de rede de abastecimento de água do Bairro 8 de março, ocorrida no último dia 10, na comunidade do Nazaré, em Brasileia.

O abastecimento de água com qualidade é sinônimo de dignidade e qualidade de vida para qualquer ser humano e este foi um momento único na vida das quase três mil pessoas atendidas pela obra.

Além do momento importante para todos os beneficiados diretamente pela intervenção, há também o sentimento de gratidão e de missão cumprida dos profissionais do Serviço de Água e Esgoto do Estado do Acre (Saneacre).

São de conhecimento público as dificuldades existentes para intervenções como essa. Além dos desafios de implantação pelas características próprias da nossa região, assim como a existência de redes antigas e de difícil manutenção, há também diversas outras questões que impactam diretamente na capacidade do poder público em atender as diversas demandas.

O investimento, de aproximadamente R$ 1 milhão, realizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Brasileia, pode transmitir a falsa ideia de que somente com a disponibilidade financeira deste montante é possível fazer uma obra como esta.

Além dos valores, há todo o planejamento e as medidas previamente realizadas, como por exemplo a ampliação da capacidade de tratamento no município através das intervenções realizadas na área da captação que aumentou a disponibilidade deste que é, provavelmente, o recurso mais importante para a vida dos acreanos.

Impossível não citar também o esforço e compromisso dos agentes locais, como o gerente do Saneacre no município, Erisson Cameli, responsável pela construção de parcerias e pelo trabalho da equipe local em manter as redes existentes funcionando, além de buscar formas para contemplar os usuários até então não atendidos pelo sistema de abastecimento.

Todas essas questões são relevantes, mas ainda não são suficientes para garantir o atendimento destas 3 mil pessoas.

Antes mesmo de aumentar a capacidade de tratamento do município, é de responsabilidade do Estado, e consequentemente dos técnicos envolvidos, diagnosticar quais são os melhores caminhos para cada um dos 21 municípios sob responsabilidade do Saneacre.

Enquanto em Cruzeiro do Sul temos o programa Água para Todos, que desde 2019 já implementou 13 poços artesianos, e tem o objetivo de implementar mais sete até o final de 2022, essa mesma alternativa não é possível nas regionais do Baixo e Alto Acre. Por quê?

A resposta é técnica, mas simples. A formação geológica das nossas regionais tem características específicas, e o gestor responsável deve considerá-las antes de investir recursos financeiros e humanos para solucionar as questões existentes.

Este diagnóstico não é construído do dia para a noite. Ele é formado através das inúmeras contribuições de todos os profissionais envolvidos com os serviços de saneamento no Estado do Acre ao longo dos últimos 50 anos. Desde a chegada da Fundação Sesp, na década de 50, passando por Sanacre, Deas, Depasa e agora no Saneacre.

As experiências vividas pelos nossos antecessores são fundamentais para o correto planejamento, não só do saneamento, mas como para todo o poder público, sendo fundamental o exercício de escuta da vivência de profissionais como os senhores Filogônio Ribeiro, biólogo com vasta experiência em análise e manutenção da qualidade da água e o sr. José Vaz responsável pela equipe de manutenção dos sistemas existentes nos vinte e um municípios do Estado, ambos com aproximadamente 40 anos de serviços prestados ao saneamento acreano.

São estas experiências, de equívocos e acertos, que nos guiam, em conjunto com as novas informações coletadas, para o bem comum. Um exemplo vívido na memória dos técnicos de saneamento desta questão é a experiência obtida na perfuração de poços no segundo distrito da capital acreana.

À época, amparados por um estudo realizado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) que detectou a possibilidade de abastecimento da região através de poços artesianos, o governo do Estado elaborou projeto executivo e providenciou 8 milhões de reais para a escavação de dezessete poços na região do Aquífero Rio Branco.

Infelizmente, mesmo amparados pelo estudo previamente elaborado, assim como pelo projeto, a execução dos poços foi descontinuada. Logo no início dos trabalhos, durante a perfuração dos cinco primeiros poços, foi constatada a insuficiência da vazão obtida no aquífero para a utilização com fins de abastecimento da população.

Este é apenas um exemplo de tantos outros que foram vivenciados ao longo dos anos na nossa região e que hoje fundamentam as decisões tomadas para a ampliação do atendimento à população acreana.

Os erros, infelizmente, também fazem parte da Gestão Pública. Apesar do óbvio desperdício atrelado, estes são fundamentais para que as alternativas mais adequadas para cada situação sejam escolhidas. Resta claro que tais alternativas serão mais facilmente encontradas por àqueles gestores que souberem reconhecer e aprender com o que foi previamente desenvolvido.

“O passado não está morto e enterrado. Na verdade, nem sequer é passado.” William Faulkner


Ítalo Lopes, diretor executivo do Serviço de Água e Esgoto do Estado do Acre (Saneacre), é engenheiro civil, graduado pela Universidade Federal do Acre; especialista em auditoria, avaliações e perícias de engenharia pelo instituto IPOG; e em gestão, governança e setor público pela PUC-RS. Também é conselheiro do CREA/AC e professor universitário. 

Cotidiano

Inscrições para venda de alimentos no Carnaval de Rio Branco começam na segunda

Publicado

em

As inscrições para os interessados em comercializar produtos e alimentos durante o Carnaval da Família, na Arena da Floresta, em Rio Branco, estarão abertas a partir da próxima segunda-feira, 06.

Para participar é preciso demonstrar interesse até o dia 08 de fevereiro na sede da Secretaria de Indústria, da Ciência, do Comércio, do Empreendedorismo e do Turismo (Seicetur).

As vagas serão preenchidas por meio de sorteio, que ocorrerá no dia 10 de fevereiro, às 10h, no Quadrilhódromo do Arena da Floresta.

O Carnaval na capital inicia dia 17 de fevereiro, com a escolha da Realeza, e se estende até a quarta-feira de cinzas. Além de diversos shows de artistas locais, a programação conta ainda com um baile infantil e outro da melhor idade.

Continuar lendo

Cotidiano

Mais de 6 toneladas de carne podem não ter sido entregues no presídio da capital

Publicado

em

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (IAPEN) decidiu abrir um procedimento para apurar a denúncia de que a empresa fornecedora de alimentação para os detentos estaria mandando a proteína, seja carne bovina, ave ou peixe fora do que é estipulado pelo contrato.

O assunto e a decisão da abertura de um procedimento administrativo foram temas de uma reunião entre os policiais penais, que são os fiscais do contrato, e o representante do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).
A comida fornecida aos detentos do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde é realizada por uma empresa vencedora de uma licitação, mas conta com o trabalho dos presidiários. Além de nutricionista e outros funcionários contratados, cerca de 40 apenados trabalham no local.

Caso a denúncia seja confirmada, pode significar que em um mês cerca de 6 toneladas de carne deixaram de ser entregues pela empresa. Se feita uma conta simples, colocando a R$ 20 o quilo da proteína, o contribuinte estaria pagando em torno de R$ 120 mil mensais em carne que não chegou na boca dos detentos.

“Os policiais penais me mostraram dezenas de notificações de irregularidades dessa empresa. A mais grave é que no contrato está especificado que a proteína carne tem que vir com uma gramatura e 150 a 180 gramas. De acordo com a denúncia dos fiscais do contrato, a empresa estaria fornecendo apenas 100 gramas. A pequena quantidade de carne já tinha sido objeto de reclamação dos detentos. Isso é seríssimo, já que se for comprovada, a empresa estaria ganhando 200 quilos de carne por dia, já que são mais de 3 mil marmitas fornecidas diariamente. Dependendo do resultado desse procedimento de investigação, o IAPEN pode até rescindir o contrato e assinar com outra empresa”, afirma o promotor de justiça Tales Tranin.

A reportagem do ac24horas procurou também a presidência do IAPEN. Glauber Feitoza confirmou que o instituto vai abrir o procedimento de investigação. “Vamos apurar esse fato. Nossa fiscalização tem sido constante quanto ao controle da alimentação fornecida, assim como a gramatura do que vem especificado no contrato. Na próxima semana, vamos abrir o procedimento administrativo para apuração, cobrando as devidas medidas para que a empresa cumpra com o que está no contrato”, disse.

A empresa que tem o contrato de fornecimento de alimentação para o presídio é a Gran Nutriz, empresa de Brasília. A reportagem tentou entrar em contato com a empresa, mas não obteve êxito. O espaço segue aberto, caso haja interesse em se manifestar.

Continuar lendo

Cotidiano

Sesacre informa duas mortes e 28 novos casos de Covid-19 ao longo da última semana

Publicado

em

Apesar do registro de poucos novos casos, a Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre),informou que dois óbitos causados pela Covid-19 foram registrados da semana que compreende o dia 28 de janeiro até esta sexta-feira, 3 de fevereiro. Agora, o número oficial de mortes pela doença chega a 2.043 em todo o Acre.

As mortes são da paciente M. J. A., de 81 anos, deu entrada no Pronto-Socorro de Rio Branco no dia 14 de janeiro e faleceu no dia 27 do mesmo mês e do paciente J. C. B. R., de 61 anos, deu entrada na Fundação Hospitalar do Acre no dia 14 de janeiro e faleceu no dia 31 do mesmo mês.

O boletim também atualiza o número de novos casos. De acordo com a Sesacre, apenas 28 novos casos foram registrados, o que dá uma média de 4 casos diários.

O número de infectados notificados é de 160.191 em todo o estado.

Continuar lendo

Cotidiano

No Acre, ONG suspende resgate de animais por acúmulo de dividas e pede ajuda

Publicado

em

O abandono de animais é um problema crítico visto em diversos bairros de Rio Branco. Com o intuito de ajudar com essa atribulação, a Sociedade Amor Animal tem feito o resgate dos bichinhos que se encontra ao desalento e muitas vezes doentes.

Um desses casos, é o da gata Tina, que foi encontrada com perfurações nos olhos, após ter sido esfaqueada. Além dos cuidados especiais, o felino precisou passar por cirurgias e medicações.

O espaço, que sobrevive de doações da população, prestou assistência a mais de 250 animais em situação de abandono e maus tratos em 2022, mas precisou suspender os regaste no final de janeiro deste ano, por causa do acúmulo de dividas e a quantidade de bichos que já estão no local.

A universitária Fernanda Évelyn, que administra sozinha o local, pede ajuda para continuar atuando em uma causa que está levando o bem para aqueles que são deixados de lado.

“O Amor Animal está com os serviços suspensos porque tem 20 animais em lar provisórios e mais outros para doação, tem uma dívida de quase R$ 3 mil e pode aumentar, porque foi feito o resgate de um gatinho vítima de atropelamento. Então eu peço ajuda de que queira contribuir e ajudar a salvar esses animais”, declarou.

Um pix solidário foi aberto, no CNPJ 054.423.822-21. É possível depositar qualquer quantia. Mais informações, entrar em contato com o número (68) 992376795.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.