Conecte-se agora

Inscrições para a segunda etapa do Revalida 2022 terminam nesta terça-feira (17)

A prova de habilidades clínicas será aplicada nos dias 25 e 26 de junho

Publicado

em

As inscrições para a segunda fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2022 terminam no final desta terça-feira, dia 17. Profissionais da Medicina podem se inscrever por meio do Sistema Revalida. A taxa de inscrição deve quitada até o próximo dia 20 de maio.

Aplicado desde 2011 pelo Inep, o Revalida busca subsidiar a revalidação, no Brasil, do diploma de graduação em Medicina expedido no exterior. O exame é composto por duas etapas (teórica e prática) que abordam, de forma interdisciplinar, as cinco grandes áreas da medicina: clínica médica, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, pediatria e medicina da família e comunidade (saúde coletiva). O objetivo é avaliar as habilidades, as competências e os conhecimentos necessários para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para participar da segunda etapa, é necessário ter sido aprovado na primeira, que contempla as provas objetiva e discursiva. As referências do exame são os atendimentos no contexto de atenção primária, ambulatorial, hospitalar, de urgência, de emergência e comunitária, com base na Diretriz Curricular Nacional do Curso de Medicina, nas normativas associadas e na legislação profissional. 

Provas e locais de aplicação do Revalida 2022

As provas da segunda fase do Revalida 2022 contemplam as habilidades clínicas dos participantes. Os testes serão aplicados dos nos dias 25 e 26 de junho. Os locais de aplicação, assim como quantidade de vagas disponíveis para esses lugares, serão informados aos participantes pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no momento da inscrição.

O Inep reforça ainda que caso o limite de uma determinada cidade for atingido, o sistema desabilitará a opção pelo local. Desta forma, o interessado deverá optar por outro lugar de preferência, conforme disponibilidade de vagas.

Os locais de prova podem sofrer modificações caso as condições logísticas e de segurança do exame sejam ameaçadas, conforme previsto em edital. Nesse caso, participante será realocado para uma cidade próxima que possua a estrutura e os requisitos adequados.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Cotidiano

Teatro Candeeiro abre seleção de atores para peça Romeu e Julieta

Publicado

em

A Associação Teatro Candeeiro está com audições abertas para a montagem da peça Romeu e Julieta, programada para ser exibida em 2023.

Para participar, é necessário ser maior de 15 anos, preencher um formulário especificando e-mail, nome completo, com a escolha de até 3 personagens que deseja interpretar e ter disponibilidade de horário.

Serão 15 vagas para apresentar a vida do casal mais apaixonado e amado da história. As inscrições acontecem até o dia 12 de agosto e as audições serão realizadas entre 15 e 16 do mesmo mês, às 19h30.

Segundo a diretora da iniciativa, Jaqueline Chagas, que estuda o dramaturgo William Shakespeare a mais de 5 anos, a peça deve estrear em maio do ano que vem.

“Romeu e Julieta é uma das peças mais famosas de Shakespeare e é conhecida no mundo todo, essa será a primeira montagem em caráter profissional em Rio Branco. Qualquer pessoa pode se candidatar independente de gênero aos personagens disponíveis”, disse.

Acesse aqui o formulário de inscrição.

Continuar lendo

Cotidiano

Termina hoje (8) prazo para recusar nomeação como mesário nas eleições 2022

Publicado

em

Os eleitores que receberam na última quarta-feira (3) a convocação para trabalhar como mesários nas eleições deste ano têm até hoje (8) para pedir dispensa da nomeação, apresentando justificativa ao juiz responsável pelo cartório eleitoral onde vota.

Na última quarta-feira (3), terminou o prazo para que cada cartório eleitoral fizesse todas as nomeações de mesários e integrantes do apoio logístico para as eleições. O primeiro turno de votação está marcado para 2 de outubro e eventual segundo turno, para 30 de outubro.

Os mesários trabalham nas mesas receptoras de votos ou de justificativa, dando andamento à fila de votação. Neste ano, a Justiça Eleitoral prevê a convocação de 2 milhões de colaboradores para esse trabalho.

Quem foi nomeado recebeu uma convocação pelo correio, por e-mail ou por WhatsApp, a depender de como cada estado optou por fazer a comunicação. Desde a data de recebimento da convocação, o eleitor tem cinco dias para pedir a dispensa. Nesta segunda-feira (8), portanto, termina o prazo para quem recebeu a notificação na última quarta (3).

Entre os benefícios de trabalhar como mesário está o recebimento de vale-alimentação diário de até R$ 45, a dispensa do trabalho pelo dobro dos dias dedicados à Justiça Eleitoral, caso o cidadão tenha carteira assinada, e a vantagem em critérios de desempate em concursos.

Continuar lendo

Cotidiano

Presidente das APAES denuncia que obra da prefeitura provoca alagação dentro de sua casa

Publicado

em

Cecília Lima, conhecida por ter sido presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e que hoje é presidente da Federação Estadual das APAES, reclama de uma obra realizada pela prefeitura de Rio Branco na rua Almirante Castro e Silva, no bairro Estação Experimental.

Ocorre que depois que a rua foi pavimentada, o benefício da pavimentação chegou, mas a engenharia parece não ter sido completamente bem feita, já que a chuva alaga a casa pela frente e por trás. Na tarde desta segunda-feira, 8, a forte chuva provocou transtornos para familiares de Cecília, já que quem mora na residência é uma filha.

“Preciso de ajuda, alguém tem que fazer alguma coisa. Agora estamos no período do verão, imagina quando chegar no inverno que chove quase todo dia, imaginem como vai ficar a nossa situação”, disse Cecília.

Vídeos feitos pelos moradores da residência mostram a água invadindo o local em grande quantidade, colocando em risco os móveis e demais utensílios domésticos da casa.

O ac24horas falou com o Secretário de Cuidados com a Cidade, Joabe Lira, que se comprometeu em mandar uma equipe até o local nesta terça-feira, 9, para averiguar o problema.

Continuar lendo

Irailton Lima

O jogo de desconfianças, trapaças e vinganças na formação das chapas para a eleição de outubro e o que isso revela sobre a situação do Acre neste momento

Publicado

em

Encerrado o tempo das articulações e realizadas as convenções partidárias, o diálogo dos políticos agora terá que ser com o povo. Antes, porém, terão que fazer um esforço enorme para justificar toda a confusão que fizeram na fase que deveria ser de entendimentos e alianças. E toda essa confusão para definição das chapas que disputarão os votos dos eleitores em outubro denuncia o estado de bagunça em que se encontra nossa elite política – e vamos logo esclarecendo a diferença: estamos falando daquele seleto grupo de representantes eleitos; dos detentores de mandato com poder de dirigir o estado, excluindo-se, por óbvio, a oposição.

E o que isso tem a ver com você? Tudo. Explico.

Conversas de articulação política são normais na democracia. Na verdade, mais que isso: fazem parte da natureza da política. Compõem um jogo de força e poder em que os diferentes interesses da sociedade se articulam e formam alianças na tentativa de construir maiorias eleitorais. Por isso, em todo tempo e em todo lugar se constituiu uma elite política, que somada a outros atores sociais e institucionais formam o grupo dirigente.

E ser elite tem seu preço – é bem verdade que tem imensos privilégios, como prestígio social e quase sempre uma elevada compensação financeira. O preço a pagar é o da responsabilidade de conduzir o povo na satisfação de ansiedades, necessidades e desejos. Lembremos de Moisés dirigindo exigentes ex-escravos na peregrinação pelo deserto em busca da terra prometida. Por isso, podemos até dizer que a realidade e o futuro das pessoas de um lugar estão diretamente vinculados à qualidade de quem o dirige.

E, convenhamos, nisso estamos muito mal.

No Acre, praticamente tudo depende do governo e das prefeituras. Aqui o peso dos políticos com mandato é imenso, reforçando ainda mais a condição de elite dirigente que ocupam. Pois bem, o que os nossos líderes políticos fizeram por esses dias é inacreditável. O festival de rasteiras, mentiras e discursos vazios que encenaram ao longo das articulações e nas convenções partidárias não deixam dúvidas sobre isso.

Esse talvez tenha sido o pior momento da política acreana em muitas décadas. E tudo sendo transmitido ao vivo pelos portais, pelos programas de entrevistas e ocupando generosos espaços nas manchetes aqui do AC24H. Aliás, a imprensa corretamente fez a sua parte. Abriu espaços e noticiou, possibilitando que os políticos anunciassem seus acordos e desacordos. Talvez jamais tenhamos tido um processo tão transparente quanto esse – e isso foi bom.

Voltemos a falar de rasteiras. Das tantas ocorridas, algumas saltaram aos olhos. Por hora não falaremos da maior de todas, que é o fato de o governador Gladson Cameli iniciar a campanha tendo que pedir ao povo um segundo mandato sem ter realizado sequer a terça parte do que prometeu na eleição passada.

A humilhação imposta pelo governador ao senador Márcio Bittar ao trocar sua ex-esposa, Márcia Espinosa, pelo deputado Alan Rick na vaga de vice é seguramente daqueles episódios que entrarão para a história. E olha que Bittar era o único sobrevivente do grupo de aliados fortes que ajudaram Cameli na vitória sobre a Frente Popular em 2018.

Mas o senador Bittar não é apenas vítima. Bom executor das leis do poder, sabe que as pessoas não seguem líderes fracos, tampouco bons. Elas acompanham a quem temem. Bittar vingou-se de Cameli e Alan Rick, assumindo o controle do União Brasil e impedindo a presença do deputado na chapa de Cameli. Agora Márcio Bittar é candidato ao governo tendo Alan Rick de companheiro de chapa na vaga de senador, enquanto sua protegida Márcia Espinosa é candidata ao senado na chapa do MDB, que tem Mara Rocha de governadora.

O deputado Alan Rick, por sua vez, é candidato na chapa de Márcio Bittar mas quer mesmo é ser o ungido do governador Gladson Cameli. O governador, por outro lado, convidou o ex-deputado Ney Amorim para a vaga de senador prometendo fidelidade. O estranho é que já na convenção do PP Alan Rick subiu no palco onde estavam os candidatos do governador. Esse é apenas mais um dos muitos indícios a sugerir que Ney Amorim será traído e trocado por Alan Rick no dia a dia da campanha de Cameli.

O fato é que a fase final das articulações virou um jogo de desconfianças, trapaças e vinganças, revelando a fragilidade do arranjo que fez ascender ao poder a elite política saída da eleição de 2018. Enquanto isso, da parte desses, nosso Acre segue sem rumo e sem um projeto claro de futuro.

Como visto, estamos mesmo muito mal.

 

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!