Conecte-se agora

PT inaugura sede com alfinetas em Alckmin e pão com mortadela

Publicado

em

O Partido dos Trabalhadores (PT) está de casa nova. Na manhã deste sábado, foi inaugurada a nova sede petista em Rio Branco, localizada na Avenida Ceará, na Estação Experimental. O que chamou a atenção foi as ausências das principais lideranças do partido no Acre, mas há explicações. O ex-governador e ex-senador Jorge Viana e o deputado federal Léo de Brito estão em São Paulo onde foi lançada a chapa Lula-Alckmin. O ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, estava em agenda em Plácido de Castro, mas foi representado pela mãe no evento. Foi sentida também a ausência do ex-deputado federal e prefeito de Rio Branco por dois mandatos, Raimundo Angelim. O deputado Daniel Zen foi o único com mandato representativo presente no evento.

Apesar dos tempos bicudos em termos de representatividade de mandatos, os petistas deram duas provas de que os insucessos recentes nas urnas não foram capazes de mudar algumas características do DNA petista. Uma delas foi em relação ao ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que nas eleições presidenciais de 2006 foi o principal adversário do petista e agora será vice de Lula. Assim que foi anunciado companheiro de luta de Lula e que o ex-tucano não iria ao evento em São Paulo por estar com Covid-19, petistas acreanos declararam que a não ida teria sido medo da reação da militância.

Já em relação ao deputado Jenilson Leite (PSB), pré-candidato ao governo do estado, uma fonte petista disse ao ac24horas que o parlamentar não deve esperar que chegue uma determinação da direção nacional dos partidos. “O que está acontecendo é que o Jenilson até hoje não nos procurou para uma conversa. Se aguardar que venha uma decisão de Brasília, corre o risco da militância não entrar de corpo e alma na campanha por achar que algo que vem de cima para baixo. Muita gente acha que o Jenilson precisa mais do PT do que o contrário. Então, se ele quiser apoio é importante começar a se aproximar”, disse.

Sinal mesmo dos novos tempos petistas foi o cardápio. No lugar dos salgados do Chalé do Trigo na época do poder, os petistas tiveram que se contentar com muito pão com mortadela. Alguns, exitaram em comer com medo de serem fotografados pelo ac24horas.

Acre

Petecão cobra celeridade em processos licitatórios do governo

Publicado

em

O coordenador da bancada federal do Acre, senador Sérgio Petecão (PSD), anunciou que, desde o início do mês, o valor de R$ 7.059.663,00 já está disponível nas contas do governo do Acre para o aparelhamento das forças de Segurança Pública do Estado. A verba faz parte de emenda da bancada federal, no valor de R$ 20 milhões, destinada à aquisição de veículos, viaturas, aparelhos de informática, armamento e munições. Desta vez, o montante será investido na compra de 25 caminhonetes para reforçar o policiamento e na aquisição de 45 notebooks.

De acordo com Petecão, o investimento em veículos e equipamentos de informática aumentarão a eficiência das forças policiais no combate à criminalidade no Acre “Nossas forças policiais precisam de reconhecimento e estar bem equipadas, não podemos deixar a criminalidade tomar conta mais ainda de nossas cidades. O Acre era um local onde todos gostávamos de morar, podíamos dormir de janela aberta. Hoje em dia já é impossível”, afirmou o parlamentar.

Para Petecão, o governo deveria deixar claro um plano de como serão distribuídos os veículos. “O governo deveria mostrar um plano para ficar claro como serão divididos esses veículos. O que não pode é o governo fazer uso político da mesma forma que fez com os maquinários viabilizados pela bancada, que foram retirados dos municípios, como foi em Acrelândia e Epitaciolândia”, ressaltou.

Ainda há mais recursos, afirma o coordenador

Petecão voltou a fazer duras cobranças ao governo estadual pela demora nos processos de licitação. De acordo com o parlamentar, ainda há riscos de perder recursos para a segurança pública. “Ainda há muito dinheiro da emenda de bancada que podem ser perdidos, caso não corram com o processo licitatório, são mais de R$ 7 milhões que ainda estão nessa situação. O prazo está esgotando, a bancada está aqui para ajudar no que for possível, mas precisamos de competência e celeridade nos processos licitatórios”, explicou.

Continuar lendo

Acre

Taxistas da capital criam “Mini Terminal” para uso compartilhado

Publicado

em

Desde a chegada da concorrência dos aplicativos de carros e motos no mercado que os taxistas têm tido dificuldade no mercado de transporte de passageiros. Outros problemas enfrentados pelos profissionais são a concorrência dos motoristas irregulares, chamados de pirangueiros, e a alta no preço dos combustíveis. Jorge de Oliveira trabalha na “praça” há 17 anos. “Hoje estamos passando por uma das piores fases. Tem muita gente que não é regularizada e não há fiscalização. Outro problema é a alta do combustível que diminui muito nosso lucro”, diz.

Uma alternativa encontrada pelos taxistas é o táxi compartilhado. A categoria criou um mini “terminal”, localizado em uma praça na Avenida Ceará, próximo ao estádio José de Melo, no centro de Rio Branco. Lá se tornou ponto de encontro de quem usa o serviço. “Já são três anos que estamos prestando esse serviço e a população abraçou porque andar em um táxi compartilhado é mais rápido, mais seguro e com menos pessoas e o cliente tem a comodidade de chamar o veículo na porta da sua casa”, afirma Teonízio Machado, presidente do Sindicato dos Taxistas.

O táxi compartilhado funciona com 120 motoristas, divididos em 16 linhas na capital acreana. As pessoas se conectam com os motoristas por meio do WhatsApp e cada viagem custa R$ 6 reais por passageiro.

A movimentação no “terminal” já permitiu a geração de um outro negócio. Além de usuária do táxi compartilhado, Francisca Lima, aproveitou para montar um pequeno lanche no local de onde tem levado sustento para casa há 5 meses. “Eu uso o táxi e aqui se tornou uma porta que se abriu. Meu esposo também é taxista e eu aproveitei para ajudar na renda de casa”, diz.

Continuar lendo

Acre

Duarte diz que não vê reação do governo sobre mortes de crianças

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte (Republicanos) disse nesta terça-feira (28) que é de suma importância que as pessoas estejam na Aleac para acompanhar os trabalhos dos deputados. Ele apresentou um depoimento de uma moradora afirmando não compreender que a UPA da Sobral até hoje não tenha um pediatra.

“Quando a família precisa, tem de ir para outra unidade. A moradora levou de madrugada o filho à UPA da Sobral, mas o médico não fez procedimento de urgência e liberou a criança”, relatou o deputado.

Para Duarte, é necessário ações urgentes para mudar esse quadro. Ele vê movimentação do Ministério Público e Governo Federal quanto às síndromes respiratórias, mas ainda não viu nada de parte do governo do Estado. “Até agora não há indício de um responsável por isso”, disse, pedindo respostas do Estado.

“Está na hora do Legislativo colocar a mão na consciência, assim como o Executivo. O que não pode é essas mães que sofrem com a perda dos filhos ficarem sem resposta”, completou, afirmando que não entrará em debate com “capachos do governo”.

Ele disse que atuará para que a Aleac investigue o que está acontecendo na saúde pública do Acre.

Continuar lendo

Acre

“Os desencontros entre Gladson e Bittar são constantes”, diz Edvaldo

Publicado

em

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) fez nesta terça-feira (28), durante sessão da Assembleia Legislativa, uma análise do panorama político do Acre atualmente.

“Fazia muitos anos que eu não via uma situação tão conflituosa em um ambiente de governo como estamos todos assistindo agora. Nunca vi tanta insegurança, disputa e rasteira. Peguemos o fato de que o partido do governador está acéfalo no Acre, não tem direção”, afirmou.

“Não há nem como enviar convite ao PP, pois não se sabe quem é o representante”, alfinetou o deputado de oposição.

“Os desencontros entre o governador Gladson Cameli e o senador Márcio Bittar são constantes e até a dona Linda (mãe de Gladson) tem de se manifestar, algo bastante representativo da instabilidade. Esses ambientes são onde a governança cai por terra. As pessoas sofrem”, completou.

O deputado comunista alertou para o calendário que se avizinha, com novas regras devido à legislação.

Edvaldo destacou ainda reunião prevista para esta terça-feira entre a Federação Brasil da Esperança com o PSB. “Precisamos urgentemente de juntar os ´parecidos´e procurar o divergente”, disse, ressaltando a figura de Jenilson Leite em paciência e amplitude na construção de uma frente competitiva e de grandes possibilidades para juntar o campo progressistas e embalar as esperanças dos militantes.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!