Menu

Com Tarauacá padecendo, rios se mantém acima da cota de inundação em mais 5 cidades do Acre

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Os níveis dos rios acreanos que transbordaram no curso desta semana mobilizando esforços da Defesa Civil em pelo menos seis municípios mantiveram-se no decorrer desta quarta-feira (23) acima das cotas de inundação nessas localidades.


As últimas informações levantadas davam conta de pelo menos 15 mil pessoas afetadas nessas localidades e mais de 1 mil desabrigadas ou desalojadas. Entre as cidades acreanas afetadas por transbordamentos de seus rios estão Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Sena Madureira, Feijó, Santa Rosa do Purus e Porto Walter.


A pior situação nesta quarta-feira, no entanto, foi a de Tarauacá, onde o rio que tem o mesmo nome da cidade se aproximou do registro histórico de fevereiro do ano passado, quando atingiu 11,15 metros, na maior enchente da sua história. No fim da tarde, o rio media 10,75 metros, segundo a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Tarauacá.

Publicidade


As últimas informações dão conta de mais de 12 mil pessoas atingidas em Tarauacá. De acordo com nota divulgada pela Energisa, 1.027 unidades consumidoras foram desligadas na cidade por conta dos riscos de acidentes fatais.


“Caso a população identifique outros locais em que o nível dos rios esteja subindo, deve manter distância da rede elétrica e comunicar imediatamente à Energisa e à Defesa Civil”, advertiu o gerente de Operação da empresa no Acre, Anderson Rodrigues


O Rio Juruá continua subindo em Cruzeiro do Sul no decorrer do dia e chegou à cota de 13,74 metros nesta quarta-feira (23). Conforme o Corpo de Bombeiros, cerca de 8 mil pessoas estão atingidas pela cheia do rio e 495 continuam em um dos 14 abrigos montados na cidade desde que o manancial transbordou no mês passado.


O nível do rio chegou a baixar e sair da cota de transbordo no início desta semana mas, após o registro de chuvas na região e nas cabeceiras, houve uma nova subida das águas. Ao todo, 11 bairros e sete comunidades rurais estão atingidos pela cheia.


Em Sena Madureira, o nível do Rio Iaco marcou 15,71 metros na última medição desta quarta, sendo que a cota de transbordo do manancial na cidade é 15,20 metros. Por conta da situação, a prefeitura decretou situação de emergência. A Defesa Civil informou que há 219 desabrigadas ou desalojadas. São 31 famílias desabrigadas e 18 desalojadas.



Ao todo, seis bairros estão atingidos em Sena Madureira, entre eles o Centro, Praia do Amarilho, Vitória, Bom Sucesso, Cafezal e Vila militar. A cidade tem quatro abrigos montados no Ginásio Hermilton Gadelha Pessoa, AABB, Escola Assis Vasconcelos, Quadra da Escola Messias Rodrigues


Em Feijó, o nível do Rio Envira na cidade também está acima da cota de transbordo, que é de 12 metros. Segundo a Defesa Civil municipal, o manancial marcou 13,14 metros nesta quarta. Com a nova subida do rio, os igarapés Diabinho e Aristides também transbordaram.

Publicidade

Conforme os dados, 15 famílias com 59 pessoas estão desalojadas, ou seja, foram levadas para casa de parentes por conta da enchente. Ao todo, 130 famílias estão atingidas na zona urbana e outras 150 na zona rural. Entre os bairros atingidos estão o Terminal, Centro, Aristides, bairro do Hospital, além de cerca de oito comunidades rurais.


Em Santa Rosa do Purus, moradores também foram atingidos pela enchente e a prefeitura decretou situação de emergência. Nesta quarta-feira (23), o Rio Purus marcou 9,72 metros e está acima da cota de transbordo, que é de 9 metros.



Conforme a Defesa Civil na cidade, 33 famílias com 134 pessoas estão desabrigadas e foram levadas aos dois abrigos montados em escolas na cidade. Além disso, cinco famílias foram levadas para casas de parentes, ou seja, estão desalojadas.


Outra cidade a sofrer com as enchentes dessa reta final do mês de março é Porto Walter, também cortada pelo Rio Juruá. Na cidade, as águas do manancial marcaram 9,94 metros, 20 centímetros acima da cota de transbordo, que é de 9,70, e atingiram cerca de 300 famílias.


Na regional do Alto Acre, a única cidade onde o Rio Acre continua subindo é Xapuri, que no fim da tarde desta quarta media 12,43 – sete centímetros da cota de alerta. Em Assis Brasil, com 5,38 metros, e Brasiléia, com 9,65, o rio está em vazante. Esses dados terão reflexo nas próximas horas na situação de Rio Branco, que no fim desta tarde atingiu os 13 metros.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido