Menu

Médico diz que tem “enfermeiro que coloca merda na cabeça de paciente” e Sindicato repudia ato

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O médico Radson Araújo se envolveu em uma grande polêmica com os profissionais da enfermagem após publicações em seu Instagram no último domingo, 13. Em sua rede social, o médico fez uma série de publicações que foram consideradas ofensivas por alguns enfermeiros e pelo sindicato da categoria no Acre.


Entre as postagens, Radson afirma que “cada profissional precisa saber o seu limite, enfermeiro ou enfermeira por mais que tenha doutorado ou o CARALHO às 4 não é médico. Repetindo NÃO É MÉDICO”.


Em outra publicação na sequência Radson escreve: “Parem de colocar os médicos como um demônio que quer violentar alguém, enfermeiro que coloca MERDA na cabeça de paciente é pilantra. Te coloca em risco”.

Publicidade

As publicações levaram o Sindicato de Enfermagem do Acre (SEEAC) a divulgar uma extensa nota de repúdio. De acordo com a entidade, as declarações do médico foram pejorativas. “Enfermeiro realmente não é médico, enfermeiro é um profissional graduado em enfermagem por uma Instituição de Ensino Superior e que possui habilidades e competências diversas em sua área de atuação”, diz a nota.



O SEEAC alega ainda que dizer que “enfermeiro coloca merda na cabeça de paciente” é inadmissível, visto que somos partes integrantes dos serviços de saúde, participantes da elaboração, execução e avaliação dos planos assistenciais de saúde”.


No final da nota, o sindicato afirma ainda que “cada profissão possui sua importância e competência, onde ninguém deve ser exaltado isoladamente”, diz o sindicato.


Após a polêmica com o sindicato, Radson fez mais uma publicação que a identificou de nota explicativa, onde diz que “talvez o meu jeito não seja o mais educado de todos ou me expressei no calor do momento, mas como disse anteriormente sou o maior defensor e apoiador de profissionais que trabalham com coerência. Não quero diminuir nenhuma classe, a leitura deixa claro. Se alguém se sentiu diminuído, ofendido me perdoe, mas não me peçam silêncio de frente a situações que eu vivo”, disse o médico.



INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido