Chega a ser trivial dizer que a apresentadora Jocely Abreu é uma das comunicadoras mais conhecidas da Região Norte. O que muita gente não sabe é que a jornalista não só virou dona do seu próprio negócio, como também tornou sua agência e produtora Na Medida uma marca de sucesso entre alguns dos maiores empresários do Acre. Há mais de uma década a acreana decidiu deixar de ser apenas funcionária para seguir carreira como empreendedora e administrar seus produtos e conteúdos.

Seguindo a tendência mundial que é o Podcast, inicia nesta segunda-feira, 14, mais uma página em sua vida profissional. Jocely estreia no ac24horas o Programa da Jô – edição Podcast, que irá ao ar toda segunda-feira, sempre ao vivo e transmitido em plataformas multimídias às 20 horas. A produção será diferenciada, pincelando com o que já produz – com a experiência de rádio e TV, e conteúdo em formato mais moderno dentro do Podcast. Haverá sempre um papo legal e surpresas aos internautas. Nesta estreia, terá sorteio de brindes com canecas e blusas de sua marca.

Hoje empresária renomada, Jocely percorreu longos e árduos caminhos até alcançar os 30 anos de bagagem profissional. Ela começou a trabalhar bem cedo, aos 16 anos. E após quase 20 anos consolidando seu nome como jornalista no estado, procurou encarar um novo desafio: criar sua empresa e gerenciar outros empreendimentos locais. Mais que um novo negócio, Jocely criou uma verdadeira identidade e marca quando o assunto é credibilidade no trabalho.

Acreana Jocely Abreu celebra 30 anos de carreira consolidados em credibilidade

O Programa da Jô, sua revista eletrônica, também é exemplo de como a jornalista e empresária se fez visionária ao apresentar de forma a influenciar e ditar moda no estado. Antes do surgimento das influenciadoras digitais, Jocely já criava conteúdo e propagava serviços em seu formato, desde muito tempo atrás. Para ela, empreender é mesmo um trabalho para os fortes e a paixão pela área é uma herança de família.

“Meu pai é comerciante, sempre teve comércio. Lembro do restaurante dele, onde toda a família trabalhava. Ele no caixa, minha mãe na cozinha, eu e meus irmãos servindo. Enfim, estava no sangue”, conta. Apesar disso, quando via os jornalistas acreanos na televisão, se encantava. “Eu queria estar ali! Sonhei, e as oportunidades apareceram. Agora, empreender mesmo, veio quando saí da TV Gazeta, depois de 17 anos como funcionária”.

Saindo da zona de conforto

Apesar de ter consolidado seu nome como uma das profissionais mais importantes da imprensa acreana, Abreu resolveu romper sua zona de conforto e começou nesse período a construir sua a agência e produtora Na Medida. Com isso, surgiu o Programa da Jô, que virou referência no estado, além de ter passado a atender importantes clientes locais dentro do nicho da publicidade e propaganda.

“Me propus a trabalhar no meu projeto solo. A minha produtora produzia meu programa e atendia também alguns clientes do mercado com produção de VT’s, campanhas publicitárias e políticas. E essa dinâmica acontece até hoje!”, relata. Antes disso, nunca havia passado pela sua cabeça abandonar a carreira estabilizada como jornalista para enfrentar um recomeço profissional praticamente do zero.

Acreana Jocely Abreu celebra 30 anos de carreira consolidados em credibilidade – Foto: Sérgio Vale

“Mas, a vida é feita de ciclos. E você, naturalmente percebe que as coisas mudam e que você também muda. E você vai precisando de planos – plano A, B e às vezes C”, brinca. Até hoje Jô administra sua agência e produtora e, com ambas, o negócio de alguns clientes importantes. “Programa da Jô também é um produto, uma marca, de mais de uma década. Eu, Jô, sou uma marca. Administrar isso dá uma trabalheira”, ressalta. Além disso, a empresária começou a lidar há cinco anos com uma loja virtual de roupas femininas, no Instagram (@joabreulojavirtual).

Para ela, jornalismo e empreendedorismo se completam em seu momento atual. “Posso afirmar, sem dúvidas, de que ser um rosto conhecido abriu portas. Mas, trabalhar com profissionalismo e respeito, com pé no chão, é muito mais valioso e isso perpetua seu trabalho. Estou sempre buscando me aprimorar, buscando conhecimento e o melhor para oferecer ao meu público e cliente”.

Desafios

No auge do empreendedorismo, Jô chegou a ter dezenas de funcionários, especialmente quando seu programa era diário no SBT (hoje é semanal, 11h45, às segundas-feiras). Hoje são três colaboradores. A maternidade também a obrigou a rever o ritmo acelerado em que estava levando a vida e desacelerar para curtir um pouco mais a família e a si mesma, principalmente. “Afinal, trabalho desde os meus 17 anos. Mainha já vai fazer 4.7!”.

Para ter sucesso ao empreender, foram muitos obstáculos a serem vencidos. “Empreender é mesmo para os fortes. Parece clichê, mas é verdade. Não temos quase nada de apoio ou incentivo e somos obrigados a pagar muitos impostos. Enfrentamos uma concorrência desleal”. Passar pela pandemia do novo coronavírus, por exemplo, foi um filme de terror. “Para lidar é cortar gastos, trabalhar mais horas, se reinventar, às vezes ganhar menos e se conectar com o divino pra seguir.

A empresária aposta no conhecimento multimídia para se adaptar aos novos meios de comunicação – Foto: Sérgio Vale

A empresária salienta que a população está na mesma tempestade, mas que os barcos são bem diferentes. Para ela, não existe uma receita para o sucesso, mas um conselho que deixa para quem tenta migrar para o seu mesmo nicho de atuação, é persistência. “Porque quando você ama o que faz, essa palavra faz a diferença. Descubra o que te faz bem e feliz. E aí, construa parcerias, amizades verdadeiras, busque incentivos e se prepare bastante. Estude”.

Para o futuro, ela espera vivenciar menos correria no cotidiano. “Tudo na vida exige dedicação e uma dose extra de conhecimento. Talvez no futuro, quem sabe um pouco mais de sossego, abundância e estabilidade financeira. Acredito na lei do retorno, da colheita. Esse ano é o ano da graça. Vamos colher o que duramente plantamos. Se Deus quiser. Gratidão a todos que me seguem sempre”.

Sobre Jocely

Bacharel em Letras, tornou-se jornalista por vocação ainda muito cedo. Começou a trabalhar em veículos de comunicação quando nem mesmo havia faculdade de jornalismo no estado. Quebrando preconceitos, descobriu-se uma profissional multimídia, fazendo e conhecendo um pouco de tudo, desde o rádio, TV, impresso e edições.

Após realizar o sonho de apresentar um telejornal, sendo titular do tradicional Gazeta em Manchete, optou por empreender e ser dona de sua própria marca, estrelando o Programa da Jô, gerenciado por sua agência e produtora Na Medida.

Aos 46 anos, soma 30 anos de carreira. Para ela, os desafios a impulsionam a voar cada vez mais alto na vida profissional. Não à toa que saiu do telejornalismo para dar vida ao entretenimento na capital acreana. Jô foi responsável por repaginar uma revista eletrônica que abrange culinária, moda, saúde e eventos no estado, iniciado com o programa Geração Gazeta, que se tornou um dos mais conhecidos e assistidos da região.

Ainda assim, sempre quis ter seu próprio negócio, construir seu próprio programa, e então surgiu o Programa da Jô, que começou a ser transmitido na Band e depois no SBT local, saindo de uma produção semanal que ia ao ar à noite para um programa diário e ao vivo, ao meio-dia. “Não me arrependo de ter saído de um emprego para empreender. As portas abriram porque sou muito ética, perfeccionista e trabalho com amor. Me reinvento”, conclui.

Previous
Next
error: Este conteúdo é protegido.