Conecte-se agora

O comércio com o exterior do Acre em 2021 – Final

Publicado

em

As exportações de grãos

Hoje finalizo a série de artigos que tratam do comércio exterior do Acre em 2021, trazendo alguns elementos importantes das exportações de grãos. A soja e o milho são os destaques nas exportações acreanas no ano. Com um total de US$ 8.132.244 os dois produtos representaram 17% de tudo que o Acre exportou no ano. Em relação ao ano de 2020 , a soja, o milho e seus derivados  aumentaram 152,4% o valor de suas exportações. 

O grande destaque foi exportação de soja, que no ano subiu mais de 500%, saindo de um valor exportado de pouco mais de U$ 1,2 milhão em 2020 para mais de US$ 7,4 milhões em 2021. Em relação ao milho, verificou-se uma queda de mais de 60% no valor exportado em relação ao ano de 2020.

Como pode ser observado no gráfico acima, a Espanha, com 32%,  foi o principal mercado da soja acreana, seguido de perto pela Holanda (27,7%) , Turquia (18,2%), Rússia (7,9%) e México (7,0). Com exceção do México, vemos que os países europeus e alguns asiáticos foram os principais destinos da nossa soja.

O Porto de Manaus exportou mais de 98% da soja do Acre

A quase totalidade da soja produzida no Acre em 2021 foi exportada pelo Porto de Manaus, utilizando a Hidrovia do Madeira. Os grãos saíram em caminhões até Porto Velho pela Br-364 e de lá seguiam pela hidrovia até Manaus. A hidrovia é o principal meio de escoamento da produção de grãos, como soja, milho e açúcar proveniente das plantações de Rondônia e Mato Grosso e agora, o do Acre, que com o aumento da produção também está se beneficiando desse importante meio de escoamento. 

A totalidade do milho exportado pelo Acre foi para o Peru, utilizando a alfândega de Assis Brasil

Como foi dito anteriormente, as exportações acreanas de milho acusaram uma queda de mais de 60% no valor exportado em relação ao ano de 2020. No Brasil, conforme o IPEA, a produção de milho teve uma a queda de 15,1% decorrente das adversidades climáticas na segunda safra do milho (a chamada safrinha). Devido a isso, o Brasil apresentou queda de 40,7% na quantidade exportada. As exportações acreanas alcançaram o valor  de US$ 719 mil e foram todas feitas para o Peru.

O Brasil no mercado internacional da Soja e do Milho em 2021

A soja em grãos, foi o nosso principal produto da pauta de exportações do agronegócio, apresentou em 2021 aumento de 3,8% em quantidade e 35,2% em valor diante de 2020. Conforme o IPEA.  Com a demanda internacional aquecida, o produtor ampliou em 4,3% a área plantada na safra 2020-2021, e ainda contou com um ganho de produtividade de 4,4%, o que contribuiu para que o país batesse novo recorde, com a produção de 135,9 milhões de toneladas em 2021. Em relação ao milho, apesar da queda da produção brasileira e americana, a produção mundial se manteve estável, compensadas por países menores. Na realidade, o IPEA   relata que o Brasil teve que aumentar as importações de milho e de soja em grãos devido os preços internos elevados.

O fato é que, o Brasil se mantém como principal produtor e exportador de soja e, no caso do milho, mesmo com as adversidades climáticas que comprometeram boa parte da safrinha 2020-2021, o Brasil também se manteve como terceiro principal produtor.

O que esperar para 2022 

Conforme o colunista da Folha de São Paulo Mauro Zafalon, em sua coluna do dia 11/01/2022, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que havia estimado inicialmente a safra de grãos brasileira para 2022 em 291,1 milhões de toneladas, revisou os dados para 284,4 milhões devido à seca que assola o país.

Em relação à  soja, a quebra da produção pode chegar a uma perda de 11,5 milhões de toneladas, em relação ao que estava projetado. Ou seja, a safra de soja poderá ficar próxima de 131 milhões, ante  o recorde de 137,3 milhões de toneladas do ano passado.

Para o articulista, a seca afetou também a safra de milho que foi mais sensível à estiagem, devido à demanda hídrica que as lavouras do cereal têm neste período do ano. Na avaliação dele, não há possibilidade de recuperação das perdas, mesmo que chova. Estima-se que a safra de milho do Sul será de 24,7 milhões de toneladas, 5 milhões a menos do que a estimativa inicial, segundo a Conab. 

Apesar da queda nas estimativas da produção. O IPEA estima que em 2022, a agregação de valor aos produtos brasileiros pode abrir potencial para que se ampliem ainda mais as contribuições do agronegócio para a economia brasileira.

Boas perspectivas na produção de soja e milho no Acre

O Cenário para a produção de grãos no Acre é diferente para aquele feito pela produção brasileira. O IBGE estima na produção de grão no Acre em 2022 será de 133,9 mil toneladas, 37,9% maior que a obtida em 2020 (97,1 mil toneladas). A área a ser colhida foi estimada em 81,1 mil hectares, aumento de 5,1 mil hectares (6,7%) frente à área colhida em 2020. O milho e a soja são os dois principais produtos deste grupo. O aumento previsto para a produção de milho é de 14,2% na primeira safra (78.036 toneladas) e de 130,8% (24.822 toneladas) para a safrinha. Já a soja deve alcançar a produção de 25.561 toneladas, um aumento de 127% em relação a 2021.

Efetivamente a produção vegetal  passou a ocupar um papel de destaque nas exportações acreanas a partir de  2021.


Orlando Sabino escreve às quintas-feiras no ac24horas

Acre 01

Gladson “dialoga com calango” e arranca risos do público durante entrega de batalhão da PM

Publicado

em

Continuar lendo

Acre 01

Ex-deputado diz que Mesa Diretora da Aleac foi “negligente” ao permitir confusão

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 2

Gladson reafirma que assumirá o PP e diz que Mailza será presidente de honra

Publicado

em

Continuar lendo

Acre

Nova onda de frio deve chegar ao Acre na próxima semana, diz Friale

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!