Conecte-se agora

Morre, aos 95 anos, o poeta amazonense Thiago de Mello

Publicado

em

Morreu na manhã desta sexta-feira (14), aos 95 anos, o poeta e tradutor brasileiro Thiago de Mello em sua casa, em Manaus, de causas naturais. Reconhecido com um dos grandes autores da literatura regional, que completaria 96 anos no mês de março, ele alcançou fama internacional graças a poemas como o clássico Os Estatutos do Homem, escrito em abril de 1964, quando Thiago de Mello era adido cultural da embaixada do Brasil no Chile e amigo de Pablo Neruda.

A informação foi divulgada por meio do twitter do escritor Sérgio Freire, com a frase “Partiu o poeta Thiago de Mello”, e confirmada nos comentários da publicação.

Nascido em 1926 em Barreirinha, no Amazonas, ele sempre foi um defensor da natureza. “Para fazer algo em defesa da humanidade é preciso, em primeiro lugar, que cada um de nós tente persuadir pelo menos um companheiro, que cada um de nós faça qualquer coisa por este planeta Terra tão degradado”, afirmou, durante a Feira Internacional do Livro de Havana, em 2005. “A Terra flutua hoje no espaço como um pássaro em extinção.”

O interesse sempre norteou a carreira do poeta, que largou a faculdade de Medicina para seguir a literatura e lançar, aos 25 anos, seu primeiro livro de poemas, Silêncio e Palavras. Lançou diversas obras até ser exilado em 1964, quando esteve na Argentina, Portugal, França, Alemanha e Chile. Nessa época de repressão militar, tornou-se famoso um verso seu, que dizia: “Faz escuro mas eu canto”. Retornou ao Brasil em 1978, quando seu nome já era conhecido internacionalmente por lutar pelos direitos humanos, ecologia e paz mundial.

A potência de seus versos, especialmente os que pregavam contra a violência e opressão, conquistou muitos adeptos, a partir da década de 1970, no meio estudantil e entre grupos de opositores ao regime militar. E, entre os mais admirados, está Os Estatutos do Homem, que se iniciava com os seguintes versos em seu primeiro artigo: “Fica decretado que agora vale a verdade / Que agora vale a vida / e que de mãos dadas / trabalharemos todos/ pela vida verdadeira”.

Em 1981, Thiago de Mello publicou Mormaço na Floresta, no qual denunciava a destruição da mata da seguinte forma: “Enfim te descobrimos / Foi preciso que as águas mais azuis apodrecessem / que os pássaros parassem de cantar / que peixes fabulários se extinguissem / tua pele verde fosse aberta/ pelas garras de todas as ganâncias”.

“Thiago de Mello é um poeta na contramão da modernidade e isso bastaria para distanciá-lo de seus pares”, escreveu o crítico José Castello, no Estadão, em 1999. Segundo ele, havia muito preconceito e incompreensão cercando a vasta obra do poeta amazonense. “Antes de tudo, é reduzido, um tanto apressadamente, à figura do poeta engajado e sua poesia tomada, mais, como ideologia. Depois, numa época de sofisticação e rapidez, ele se mantém apegado aos temas primitivos e lentos do Baixo Amazonas, aos versos soltos e derramados e, apesar de ateu, a uma visão da poesia como milagre”, observou o crítico.

Ao entrevistar pessoalmente o poeta, Castello ofereceu uma precisa descrição de um homem marcado – e, por isso mesmo, valorizado – por contradições. “Cara de índio, cabelos revoltos, bata branca, Thiago tem mesmo um jeitão de profeta, ou de místico, que contraria (superficialmente, pois ele se considera um utópico) seu perfil de artista ateu e de esquerda. Fala mansa, acentuada pela idade, olhar perdido e grandes silêncios dão a impressão de possuir conexões secretas com outros mundos que não podemos ver. Mas não foge da vida social. Não dispensa convites para seminários, palestras e eventos literários, mas está sempre ansioso para voltar para o silêncio da floresta.”

Velório

O velório será realizado no Centro Cultural Palácio Rio Negro, na Avenida Sete de Setembro, 1546, Centro, com o horário a confirmar.

Luto oficial

O governo do Amazonas decretou, nesta sexta-feira (14), luto oficial de três dias pelo falecimento do poeta Thiago de Mello, aos 95 anos de idade. Um dos maiores e mais respeitados poetas brasileiros, Thiago de Mello é um expoente da cultura amazônica e deixa um importante legado para a literatura mundial.

Com obras traduzidas para mais de 30 idiomas, Thiago de Mello foi homenageado pelo Governo do Amazonas em 2021, quando artistas de diferentes segmentos se uniram para a leitura do poema “Faz escuro, mas eu canto”.

O poeta é membro da Academia Amazonense de Letras e recebeu o destaque de Personalidade Literária do Prêmio Jabuti, em 2018. O autor foi reconhecido pelo conjunto da obra, que é referência na literatura regional brasileira.

De acordo com a Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa, o velório será realizado no Centro Cultural Palácio Rio Negro, na avenida Sete de Setembro, 1546, Centro, com horário a confirmar e seguindo todos os protocolos de segurança sanitária.

Destaque 6

Açaí de Feijó luta para obter o selo de Indicação Geográfica

Publicado

em

Foto: Embrapa 

Uma faixa de terra compreendida entre os rios Envira e Jurupari, no município de Feijó, é o núcleo da luta pelo reconhecimento da Indicação Geográfica do Açaí -uma região de onde sai, segundo o presidente da Cooperativa de Produtores, Coletores e Processadores de Açaí (Cooperaçaí), José Geovani de Lima Nascimento, “o melhor açaí do mundo” -um produto orgânico, sustentável e de alta qualidade, fazendo jus à fama.

Nesse istmo de floresta no coração do Acre está abrigada uma riqueza que atualmente oferta trabalho e renda para 500 coletores e processadores e para mais de 1,5 mil colaboradores indiretos.

Uma das ações que esses grupos farão para consolidar a Indicação Geográfica junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) é documentar a coleta e o processamento para o IBGE atualizar os dados sobre a produção de açaí no Acre. “O IBGE fala entre 5 e 7 toneladas mas a produção é muito maior”, diz Geovani, afirmando que são cerca de 800 toneladas obtidas em duas safras, sendo uma maior e uma menor, que em uma área próxima da BR 364 coleta e processa 30% do açaí de Feijó.

Três grandes empresas compram a produção mas uma outra luta dos feijoenses é a autonomia comercial. Consideram que atualmente os atravessadores são um mal necessário e ressaltam a importância das empresas -mas a Indicação Geográfica trará outro status mercadológico. “A meta é triplicar todos os números atuais”, projeta o presidente da Cooperaçaí.

Hoje, 99% do produto vem de açaizais nativos mas há um grande esforço para aumentar a área cultivada para ao menos 10% da produção.

Do açaí se faz de tudo. No workshop “Indicações Geográficas do Acre” ocorrido na última quinta-feira (19) em Rio Branco, uma mostra levou à degustação dos participantes algumas possibilidades gastronômicas à base de açaí, como shushi, molho barbecue, cocadas e licores -mas sabe-se que há uma infinidade de receitas que vão de sorvetes, bolos, cachaça, biscoitos, doces e muito mais.

O IBGE apresentou um estudo nesta sexta-feira (20) informando que ao longo do tempo, o açaí e a castanha-do-pará vêm, crescentemente, ampliando a sua participação na geração do serviço de provisão de produtos florestais não madeireiros extraídos dos ecossistemas.

De fato, segundo a Cooperaçaí, o fruto movimenta R$20 milhões por safra no Acre, levando em conta todas as regiões produtores.

O açaí representa fonte de renda para milhares de famílias rurais da Amazônia. A coleta do fruto é a segunda maior atividade econômica extrativista da região, superada apenas pela extração de látex.

Desde 2018 a Embrapa Acre desenvolve estudos referentes a essa cadeia produtiva na região Tarauacá-Envira, que responde por cerca de 50% da produção no Acre, de acordo com dados do IBGE. Os frutos são matéria prima para agroindústrias de processamento dos municípios de Feijó e Plácido de Castro.

O uso sustentável de recursos da biodiversidade amazônica, incluindo o açaí, pode integrar um contexto emergente da bioeconomia, modelo de produção que tem sido destacado como estratégico para o desenvolvimento socioeconômico da região. Esse cenário de aproveitamento racional da espécie pode promover a melhoria dos sistemas de produção e gerar alternativas de renda e qualidade de vida para as comunidades rurais amazônicas.

Com a Indicação Geográfica, um selo que garante que a procedência é de qualidade e sustentável, o “melhor açaí” vai, definitivamente, seguir os caminhos da farinha de Cruzeiro do Sul e ganhar o mundo.

Continuar lendo

Destaque 6

Inscrições para o Enem 2022 terminam neste sábado

Publicado

em

As inscrições no Enem 2022, terminam neste sábado, 21, as 23h59 no horário de Brasília e as 21h59 no horário do Acre. O prazo é o mesmo para a solicitação de atendimento especializado, feito no momento do cadastro do candidato.

As provas, tanto para a versão impressa quanto para a digital, serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro. O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior, por meio de bolsas de estudos em faculdades privadas (Prouni), Financiamento Estudantil do Governo (Fies) e vagas em faculdades públicas (Sisu).

A taxa exigida, para quem não conseguiu a isenção, que já encerrou, deverá ser paga até 27 de maio, no valor de R$ 85. A novidade este ano, é que a cobrança também poderá ser quitada no cartão de crédito e Pix, além do boleto tradicional. Só após o pagamento que é confirmado a participação no exame.

O candidato deve ainda escolher se prefere a versão impressa ou digital do Enem e informar se deseja responder as questões de inglês ou de espanhol na prova de língua estrangeira.

Para aqueles que desejam ser reconhecido socialmente pela sua identidade de gênero, devem identificar o nome cadastrado na Receita Federal no momento da inscrição, mas precisam ainda confirmar na Página do Participante entre os dias 21 a 28 de junho. Quem não possui o cadastro na Receita, o Inep orienta que seja feito a solicitação de tratamento a partir do dia 23 até 28 de junho.

Para fazer a inscrição no Enem 2022, é necessário ter um cadastro no gov.br, criado com o CPF e uma senha. Após logado no sistema, será necessário fazer a inscrição no Inep, preenchendo os dados solicitados, como data de nascimento, sexo, cor/raça, estado civil, nacionalidade, cidade e estado onde nasceu, documentos de identificação (RG e CPF) e CEP do lugar onde mora.

Com duração de cinco horas e 30 minutos, a prova no dia 13 de novembro, terá 45 questões de linguagens (português e língua estrangeira), 45 questões de ciências humanas e uma redação. Já no dia 20 de novembro, serão cinco horas, com 45 questões de matemática e 45 questões de ciências da natureza. A publicação do resultado do exame, ainda não foi confirmado pelo Governo Federal.

Continuar lendo

Destaque 6

Bocalom anuncia que mais de R$ 71 milhões circulará em maio

Publicado

em

O prefeito Tião Bocalom anunciou no final da manhã desta sexta-feira, 20, que a prefeitura vai injetar na economia da capital acreana mais de R$ 71 milhões de reais com o pagamento do servidor público no final deste mês de maio.

A folha salarial de Rio Branco após o aumento concedido ao funcionalismo e o pagamento do retroativo saltou de R$ 32 milhões para R$ 63 milhões. Os outros R$ 8 milhões são oriundos da previdência municipal.

Bocalom disse que o aumento na folha aconteceu porque a prefeitura economizou e ressaltou que a economia é resultado da diminuição de gente “mamando” na prefeitura. “Insisto mais uma vez, esse aumento só foi possível porque no ano passado a gente pegou essa vaquinha aqui que tinha um monte de gente mamando nessa teta e desmamamos um monte de bezerrinho, o que fez com que a gente pudesse deixar no caixa R$ 242 milhões no ano passado”, disse Bocalom.

O valor injetado na economia é resultado do aumento do servidor e também do pagamento do aumento e do retroativo, desde janeiro. Por isso mesmo, o secretário de planejamento. Jonathan Santiago, afirmou que pode encontrar inconsistência. “Como temos pagamentos retroativos de janeiro, fevereiro, março e abril pode ser que tenhamos alguma inconsistência. Queremos deixar claro que se acontecer com alguém no dia 3 de junho faremos o pagamento em uma folha complementar, afirma.

A prefeitura realiza o pagamento do funcionalismo público na próxima quarta-feira, dia 25 de maio.

video
Continuar lendo

Destaque 6

Pesquisa Ipespe: Lula tem 44%; Bolsonaro, 32%; Ciro, 8%; Doria, 4%

Publicado

em

Pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (20) mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 44% das intenções de voto na corrida pelo Palácio do Planalto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 32%. As eleições estão marcadas para 2 de outubro.

Lula e Bolsonaro mantiveram a mesma pontuação em relação à pesquisa anterior do instituto, divulgada em 13 de maio.

A seguir aparecem o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 8%, e o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4%. O tucano oscilou um ponto para mais, dentro da margem de erro, de 3,2 pontos.

O deputado federal André Janones (Avante) e a senadora Simone Tebet (MDB) registraram 2%.

Luciano Bivar (União Brasil) não foi incluído na pesquisa. Nos dois últimos levantamentos do Ipespe, ele também não pontuou.

Brancos, nulos ou que não votariam em nenhum dos candidatos somam 6%. Indecisos representam 2% dos entrevistados.

Foram ouvidas 1.000 pessoas por telefone entre 16 e 18 de maio. A pesquisa, encomendada pela XP Investimentos, foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-08011/2022. A margem de erro máximo estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5%. Ou seja, se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro desta margem.

Os percentuais que não totalizam 100% são decorrentes de arredondamento ou de múltiplas alternativas de resposta.

Confira os números abaixo:

Primeiro turno

Intenção de voto estimulada para presidente:

Lula – 44%

Bolsonaro – 32%

Ciro Gomes – 8%

Doria – 4%

Janones – 2%

Tebet – 2%

Felipe d’Avila – 0%

Vera – 0%

Eymael – 0%

Luciano Bivar – 0%

Branco/Nulo – 6%

Indecisos – 2%

Segundo turno

Intenção de voto estimulada para presidente:

Cenário 1

Lula – 53%
Bolsonaro – 34%
Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 13%

Cenário 2

Lula – 53%
Ciro Gomes – 25%
Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 22%

Cenário 3

Lula – 54%
Doria – 20%
Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 26%

Cenário 4

Ciro Gomes – 44%
Bolsonaro – 40%
Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 16%

Cenário 5

Bolsonaro – 40%
Doria – 38%
Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 22%

Eleições 2022

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!