Conecte-se agora

Acreano produz clipe com mensagem de paz para o ano novo

Publicado

em

O produtor musical, David Santos Menorá, 35 anos, lançou nesta semana nas plataformas como YouTube, Spotify e dentre outras, um videoclipe desejando a todos os acreanos um Feliz Ano Novo.

David, que é produtor gospel há 20 anos, relatou que a princípio queria presentear os cantores que gravaram na sua produtora, só que com a pandemia da Covid-19, focou em trazer no clipe uma mensagem de paz a todos que passaram por esse período da pandemia. “Sobretudo o que aconteceu no ano que se foi, para meditarmos no ano que se chega”, afirmou.

Segundo ele, o nome da música se chama ‘Reencontro’ e contou com a participação de 19 artistas do Acre, tudo gravado dentro do seu estúdio.

Menorá já teve clipes que ultrapassaram a marca de dois milhões de visualizações.

Quer assistir? Dê o play e deixe o vídeo tocar.

video

Destaque 7

Preço da banana dispara em Rio Branco com alta de 68%

Publicado

em

Além de estar em falta, o preço da banana disparou em Rio Branco e subiu, entre novembro e dezembro de 2021, nada menos que 68,66% na Ceasa, segundo o Boletim Hortifrutigranjeiro da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Não se encontra, por exemplo, palma de banana a custo menor que R$5. Banana nanica pode ser comprada a R$9,98 o quilo em supermercados da capital -e assim é possível ver sacos do produto deixados nas bancas após a pesagem: os consumidores desistem de levar quando veem o preço que deu um punhado da fruta.

Divulgado na 3ª semana de janeiro, o boletim ressalta que as altas ocorreram na maioria das Ceasas, mas nada comparado com o reajuste registrado na capital do Acre. “Aconteceram altas na maioria dos entrepostos atacadistas, a saber: Ceagesp, em São Paulo (20,5%); CeasaMinas, em Belo Horizonte (56,48%), Ceasa do Rio de Janeiro (50,52%); Ceasa/SP – Campinas (21,13%), Ceasa/DF (29,02%); Ceasa Curitiba (38,78%). Queda aconteceu na Ceasa de Recife (13,45%) e estabilidade na Ceasa de Fortaleza”, diz o levantamento que é realizado regularmente pela Conab.

Diferentes versões explicam tamanho reajuste. No Mercado Elias Mansour os intermediários dizem que a maior parte da produção do Acre vai para Manaus e Porto Velho, onde o preço é melhor. Com isso, pouca banana e frutos de baixa qualidade é o que mais se vê nas bancas.

Versão mais técnica remonta à questão climática: “A queda da comercialização, devido à baixa produção nas principais regiões produtoras, foi o principal fator para essa alta de preços, principalmente para a banana prata. A produção reduzida dessa variedade foi resultado das variações no tempo, que afetaram a produtividade nas principais regiões produtoras (geadas, secas ou chuvas excessivas)”, justifica a Conab.

“Todo ano acontece isso. Essa fase é a de entressafra. Como os bananais não são irrigados, há uma perda significativa. A Bahia é quem segura e quando vê que está faltando coloca o preço lá em cima”, observa José Carlos Reis, produtor rural e ex-secretário de Produção do Acre.

Há outros obstáculos a um preço mais justo e diz respeito aos ramais, falta de financiamento ao produtor e outros incentivos.

Em nível de país, a produção do Acre não tem grande impacto, mas o fruto e seus subprodutos são fonte de renda para milhares de famílias em todo o Estado. Além disso, a banana tem um peso enorme no PIB agropecuário acreano e o valor fiscal da pauta está em discussão. Sobretudo, o Estado é o maior consumidor de banana-da-terra, chegando a 2,4 quilos por pessoa ao ano, de acordo com o portal especializado em segurança alimentar O Joio e o Trigo. Nos preços atuais e nas condições impostas pelo mercado e a falta de política pública para a banana, não à toa o produto anda sumido das prateleiras.

Continuar lendo

Destaque 7

No Acre, instituições financeiras estão proibidas de celebrar empréstimo por meio de ligação

Publicado

em

Preocupado com o super endividamento do servidor público, principalmente com a facilidade do empréstimo consignado, o governador do Acre sancionou um projeto de lei de autoria do deputado Jenilson Leite (PSB) que proíbe as instituições financeiras, seus representantes ou prepostos proibidos de, por meio de ligação ou qualquer comunicação telefônica não presencial, celebrar contrato, oferecer serviço ou produto na modalidade de consignação, mediante desconto em proventos de aposentadorias, pensões, pecúlios, poupanças, contas-correntes, tais como empréstimos, financiamentos, arrendamentos, hipotecas, seguros, aplicações financeiras, investimentos ou qualquer outro tipo de operação que tenha natureza de crédito.

Os termos desta lei são aplicáveis aos cidadãos enquadrados como hiper vulneráveis: idosos; deficientes mentais; analfabetos e semianalfabetos.

Em caso de descumprimento da lei, as empresas serão advertidas, multadas no valor de um salário mínimo por dia de descumprimento, em caso de reiteração, a multa será aplicada em dobro.

Os valores obtidos pela aplicação de multa diária, serão direcionados ao Fundo Estadual de Defesa do Consumidor – FEDC. A fiscalização do disposto nesta lei será feita pelos órgãos públicos nos respectivos âmbitos de suas atribuições, cabendo a esses órgãos a responsabilidade pelas sanções decorrentes de infrações às normas nela contidas, mediante procedimento administrativo, assegurada ampla defesa.

Continuar lendo

Destaque 7

Governo do Acre não descongelará o ICMS dos combustíveis

Publicado

em

O Comitê Nacional dos Secretários Estaduais de Fazenda (Comsefaz) anunciou dia 14 de janeiro o descongelamento do ICMS dos combustíveis, mas o Estado do Acre não deverá adotar a medida, contrariando inclusive o posicionamento de auditores fazendários locais.
A porta-voz do governador Gladson Cameli, Mirla Miranda, confirmou ao ac24horas que o Acre manterá o ICMS congelado. Em vários Estados, o congelamento deve acabar no fim de janeiro.

Na reunião do fim de outubro do ano passado, o Comsefaz tinha decidido manter o ICMS enquanto a União, a Petrobras, o Congresso Nacional e os estados negociavam uma solução definitiva para amortecer parte do impacto dos reajustes nas refinarias para o consumidor.

Em reportagem sobre o tema, a Agência Brasil lembra que diversas vezes ao longo do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro atribuiu aos estados parte da culpa pelos aumentos dos combustíveis. O governo federal quer que o ICMS seja cobrado como um preço fixo por litro, como ocorre com os tributos federais. Recentemente, o presidente anunciou que adotará medidas mais contundentes para reduzir o preço dos combustíveis. Assim, o Acre deve seguir o posicionamento federal.

Por meio de sua assessoria, a presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre, Karyenne Machado, informou que um possível descongelamento do ICMS é prejudicial tanto para os postos como para a população. O Sindepac, que agrega os postos de combustíveis do Acre, diz que “gostaria muito” que a medida continuasse.
“Os impostos representam a maior fatia do preço final do produto. Infelizmente, essa decisão cabe apenas aos governos”, diz o sindicato.

Continuar lendo

Destaque 7

Infectologista defende imunização imediata de crianças no Acre

Publicado

em

O médico infectologista Thor Dantas usou as redes sociais nesta sexta-feira, 21, para alertar aos pais ou responsáveis pelas crianças abaixo dos 11 anos de idade sobre os riscos da infecção da Covid-19.

De acordo com o especialista, o problema do COVID-19 em crianças tem sido subestimado por muitos por compará-las erroneamente com adultos. “Devemos comparar crianças com crianças. Isso é o que faz sentido”, disse.

Dantas destacou que o coronavírus se tornou a principal causa de morte por ‘doença imunoprevenível’ na Pediatria, vitimando 2500 crianças e adolescentes (0-19 anos), já na faixa de 5-11 anos foram 300 mortes (13 mortes/mês em dois anos de pandemia), “Além dos milhares de internações e os quase 1500 casos da temida Síndrome inflamatória multissitêmica, com mais óbitos e sequelas neurológicas e cardiovasculares”, escreveu.

Thor ressaltou que cerca de 6% da população infantil no país possui alguma doença crônica grave, com alto risco de complicação pela COVID e, por essa razão, defendeu a imunização imediata para evitar mais mortes. “Essas crianças precisam ter acesso imediato à vacina! Além de extremamente eficazes entre crianças, as vacinas são também muito seguras”.

Por fim, o médico frisou que o risco de qualquer uma das complicações da vacina é menor do que o que ocorre com a infecção natural pela Covid-19. “Em especial a miocardite, complicação mais temida e associada à vacina de RNA, ocorre em crianças de 5-11 anos numa frequência de cerca de 4-8 casos/milhão de doses, enquanto no COVID ocorrem 40 casos/milhão de infectados.

Não há dúvida do benefício. Com duas vacinas de plataformas diferentes, inclusive, é possível identificar perfil de pacientes que eventualmente mais se beneficiem de uma ou de outra”, encerrou.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados

error: Content is protected !!