Conecte-se agora

Jéssica Sales: “minha candidatura é para valer”

Publicado

em

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB), foto, falou ontem ao BLOG de que as suas andanças pelos bairros, rios, ramais, conversas com instituições, isso não pode ser confundido com campanha eleitoral antecipada para o Senado; por ser este o seu modo de fazer política, mas que isso acontecerá na hora certa, no próximo ano, e ressalvou que, a sua candidatura a senadora em 2022, “é para valer.” Para Jéssica, tanto faz o governador Gladson Cameli anunciar neste ano ou no próximo quem será o seu candidato a senador na sua chapa da reeleição, porque a sua decisão de disputar a única vaga do Senado está tomada.  Cita como critérios para alguém postular uma candidatura majoritária, o trabalho e a apresentação de resultados. Quanto ao acordo feito com o deputado federal Alan Rick (DEM) e com a senadora Mailza Gomes (PP), de que o que estiver melhor nas pesquisas apoiará os demais, revelou que depois desta conversa não aconteceu um novo encontro, mas será normal que ocorra mais na frente. Jéssica liderou a corrida para o Senado na última pesquisa divulgada. A sua candidatura tem o apoio das cúpulas nacional e estadual do MDB.

FESTA NO BOI CAGÃO
O SENADOR Sérgio Petecão (PSD), candidato ao governo, vai fazer no próximo dia 18, na “Fazenda Boi Cagão”, uma grande festa para a apresentação de todos os seus candidatos a deputados, com caravanas de todo estado.

FESTA DA MÁRCIA
A candidata ao Senado, Márcia Bittar, também prepara uma festa política a acontecer até o fim de dezembro, quando reunirá na capital os dirigentes dos partidos que lhe apoiam; a militância, para mostrar a força do grupo do senador Márcio Bittar (PSL). A sua candidatura vai acontecer em qualquer cenário que se formar em 2022.

PAPAI NOEL
ESTE projeto que o governador Gladson Cameli está encaminhando hoje para a ALEAC, dando 15 mil reais de bônus aos professores, será um substancial Papai Noel. E, com reflexos políticos positivos para sua candidatura à reeleição.

MANDATO ITINERANTE
A SENADORA Mailza Gomes (PP) montou um gabinete itinerante para levar aos lugares mais distantes do estado, uma prestação de contas do que tem feito no mandato, e onde destinou os recursos de suas emendas.

CADASTRO DE RESERVA
PELA primeira vez o governador Gladson explicou juridicamente (deveria ter feito antes), a questão do cadastro de reserva, de que só pode fazer convocações quando houver vacância e não furar o teto da Lei de Responsabilidade Fiscal, ou comete crime de responsabilidade. E, o seu CPF vai para a lata do lixo.

PASSA POR BRASÍLIA
O Gladson é candidato à reeleição. O PP, seu partido, deve indicar o vice do presidente Bolsonaro, fato que o leva a reivindicar ter o presidente no seu palanque. Só que, a deputada federal Mara Rocha vai se filiar ao PL, partido ao qual Bolsonaro se filiará, e, ela é candidata a governadora. Para que palanque vai o Bolsonaro? Isso será decidido nas cúpulas do PL e do PP, não passa por aqui.

NÃO GANHOU NADA
NA POLÍTICA, cada passo deve ser medido. O que ganhou a deputada federal Mara Rocha (PSDSB) ao armar aos gritos um barraco na votação do PSDB, contra o governador Dória, e bradando que ela é Bolsonaro?

LONGE DE SER VERDADE
A SUA alegação de que o governador Dória colaborou para a derrota do seu candidato à PMRB, Minoru Kinpara, está longe de ser verdade. O Minoru foi prejudicado por uma campanha antecipada, e não ter conseguido furar o seu teto dos votos da classe média. Foi derrotado pelo andar de baixo do eleitorado, onde sempre teve dificuldade de penetrar. Isso foi o que lhe derrotou.

FAVAS CONTADAS
ESQUEÇAM o governador Gladson anunciar este ano quem será o candidato a senador da sua chapa. Tem um problema do qual não pode fugir: para anunciar um nome que não seja do PP, terá que primeiro convencer a senadora Mailza Gomes (PP) a desistir de concorrer. É a candidata natural. Sem isso, fica de mãos amarradas.

ESTOU NESTE BARCO
O VEREADOR Pedrinho Oliveira (PSD) mostrou revolta ao não ver seu nome relacionado como candidato a deputado estadual do partido. Diz lamentar ter gente trabalhando contra, mas diz que, só não será candidato “se Deus não quiser”. Deu o recado: – estou neste barco.

CHAPA FAMILIAR
Pelo visto, a chapa do PSD está se tornando familiar, já que a vereadora Lene Petecão (PSD), irmã do senador Sérgio Petecão (PSD), também é candidata. Pedrinho Oliveira é sobrinho do Petecão. Ou o Petecão resolve este perrengue, ou vai carimbar a chapa do PSD de ser familiar.

MANSÃO DESABANDO
PARA o deputado Daniel Zen (PT) a mansão política do presidente Bolsonaro está desabando. “O navio está afundando, e os ratos, como sempre, são os primeiros a pular fora”, citou. Bolsonaro foi um desastre na COP-26. Enquanto o mundo discutia as mudanças climáticas, o Bolsonaro foi visitar ditadores árabes. E, o Lula recebido em toda Europa com honras, acrescentou o Zen em sua postagem.

COISAS DIFERENTES
NA SUA POSTAGEM, o deputado Daniel Zen (PT) ressaltou ainda não ser contra que venham recursos para o estado, mas por meio republicano, e não para alimentar esquemas por meio das emendas do relator.

NÃO TEVE PEDIDO
O governador Gladson Cameli deixou o senador Márcio Bittar (PSL) numa saia justa, ao declarar na entrevista de ontem ao ac24horas que, o Bolsonaro não pediu apoio para nenhuma candidatura ao Senado. Bittar disse várias vezes ter havido este pedido a favor da Márcia Bittar.

GRANDE SURPRESA
A ENTREVISTA de ontem do Gladson no ac24horas trouxe uma única novidade, a de que, além do secretário Alysson Bestene; o nome da secretária Socorro Neri está no páreo para ser o vice da sua chapa. Quem acompanha este BLOG deve se lembrar que citei, ser o nome da Socorro, defendi por importantes setores palacianos.

NINGUÉM ESPERAVA
GLADSON já tinha deixado o mundo político estupefato, quando contrariando todas as lógicas apoiou a Socorro Neri para a PMRB. E, na campanha ambos se tornaram próximos, fato que o levou a lhe nomear secretária de Educação. O surgimento do nome da Socorro como vice está dentro deste contexto.

PROBLEMA A RESOLVER
O PSD tem um problema a resolver na sua chapa de candidatos a deputado estadual. Tem 42 nomes relacionados, para apenas 25 vagas.

FRASE MARCANTE
“Errar é humano. Culpar outra pessoa é política.” Hubert H. Humphrey.

 

 

Acre

Tchê ameaça ir à justiça pela presidência da Aleac

Publicado

em

“SE NÃO CUMPRIREM o Regimento Interno, que estabelece que tem que respeitar a proporcionalidade, na composição da mesa diretora, o PDT vai levar a eleição para a presidência da ALEAC aos tribunais”.  A advertência foi feita ontem ao BLOG pelo deputado Luiz Tchê (PDT), que é postulante a comandar a Casa na próxima legislatura. Como é que o PSDB, com apenas o deputado Luiz Gonzaga, pode ficar com a presidência, e o PDT com uma bancada de quatro parlamentares pode ficar fora da presidência? Foi a indagação feita por Tchê.

Ele falou não existir nenhum acordo firmado pelo qual Luiz Gonzaga (PSDB) será o próximo presidente e Nicolau Junior (PP) o primeiro secretário. “Tenho conversado com vários deputados que negam terem prometido voto a esta chapa. Não é momento para discutir mesa diretora, cuja eleição costuma ser decidida nos 45 minutos do segundo tempo. Na hora certa vou apresentar um projeto de gestão, que visa incluir na mesa diretora os novos deputados, temos que quebrar o costume de só se prestigiar os deputados mais antigos”, destacou Tchê.

A eleição para a futura mesa diretora está marcada para o dia 2 de fevereiro do próximo ano.

NÃO VAI SE METER

O DEPUTADO Luiz Tchê (PDT) não acredita que o governador Gladson vá se meter na eleição da ALEAC, porque os dois deputados candidatos são da sua base. 

JUNTO E MISTURADO

O QUE ERA esperado aconteceu. O PT, PSB e PCdoB anunciaram apoio à candidatura do Papa do Centrão, deputado federal Artur Lyra (PP), a novo mandado na presidência da Câmara Federal. Tudo junto e misturado. Às favas a ética, para o Lula manter a governabilidade.

MUITA INGENUIDADE

É muita ingenuidade política se imaginar que um político tarimbado como o Lula, não conseguiria maioria na Câmara Federal e Senado. O poder é um atrativo afrodisíaco.

POUCOS NÃO MUDARÃO

A MAIORIA dos deputados federais e senadores eleitos vai formar na base do Lula, porque vivem em órbita do poder. Muito poucos colocam a ideologia acima de tudo.

NUNCA APONTO O DEDO

NUNCA me antecipo no julgamento de uma denúncia antes de da justiça se pronunciar. O vereador Célio Gadelha (MDB) teve seu nome enxovalhado, acusado de comprar votos, saiu a sentença e foi absolvido. Mas, nada vai restaurar o sofrimento seu e da sua família. Por isso, minha cautela se justifica.

APOSTA ERRADA

A OPOSIÇÃO fez uma aposta ousada e que se mostrou errada, ao imaginar que cada grupo com candidatura própria poderia derrotar o Gladson. Pulverizaram os votos e nem chegaram ao segundo turno. Inês é morta.

DIPLOMAÇÃO MARCADA

A JUSTIÇA ELEITORAL marcou para 12 de dezembro a diplomação da chapa Lula presidente e Geraldo Alckmin vice-presidente. E, a posse do Lula não tem volta.

DIPLOMAÇÃO NO ACRE

JÁ NO ACRE, a diplomação do governador Gladson Cameli e dos novos parlamentares acontecerá dia 15 de dezembro.

ERRO INFANTIL

A ALA RADICAL do bolsonarismo foi infantil ao jogar com a tese de que acampar na porta dos quartéis jogaria as Forças Armadas numa aventura de um golpe militar.

VOTO AONDE MAIS PRECISA

É NO SENADO aonde o Lula vai mais precisar de apoio para compor uma base majoritária. Exatamente, por isso, é que, o senador Petecão (PSD) terá prestígio no governo petista, por um princípio básico: tem voto.

REI MORTO, REI POSTO

O DEPUTADO Luiz Gonzaga (PSDB) pode ser o novo presidente do PSDB. Conversa no sentido acontece hoje com o presidente nacional da sigla, Bruno Guimarães. O fato do PSDB não ter feito nenhum deputado federal, isso queimou o presidente do partido, o Correinha.

VIROU UM NANICO

PELO fato de ter elegido apenas o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), o PSDB virou no estado um partido nanico. O deputado Luiz Gonzaga disse ontem ao BLOG que assumir a presidência neste contexto é um desafio, mas vai aceitar a missão da direção nacional.

PESO ZERO

PARA AUMENTAR o Fundo Eleitoral, o que pesa é o partido ter deputados federais. E, o estado ficou no zero. Recursos não faltaram para os candidatos a federal, mas as votações foram pífias.

BOA SACUDIDA

QUEM DEU uma boa sacudida no DERACRE com a sua gestão, foi o diretor geral Petronio Antunes. Talvez, por isso, seu nome aparece na relação dos cotados a ficar.

OLHO ABERTO

HOUVE uma renovação completa da bancada federal do estado. Uma varrida nos atuais oito deputados federais. Para saber se foi para melhor ou não, deve se esperar os seus mandatos começarem para avaliar as atuações.

O QUE MEDE SÃO OS PROJETOS

O QUE mede a qualificação de um parlamentar federal não é distribuir emendas para os afilhados políticos, mas os projetos que apresentar ao longo do mandato.

ANTES DE TUDO, RECONHECIMENTO

A IDA do Rômulo Grandidier para o Gabinete Civil, será uma espécie de reconhecimento do Gladson para com o seu delicado trabalho nos bastidores da campanha.  

JÁ ACONTECEU

FALA-SE no grupo de transição do governo Lula em se adotar o orçamento participativo, ouvindo as comunidades antes de aplicar recursos do governo. Isso já aconteceu no estado, na primeira gestão do Flaviano Melo na PMRB, quando quem ditava as prioridades eram os movimentos comunitários.

NADA DE NOVO

O deputado eleito Emerson Jarude (MDB) ser empossado de forma definitiva no cargo de presidente municipal do MDB, não será nada novo. Ele já exerce a presidência interinamente. Toda renovação é salutar.

PECADO

SE HÁ um pecado que o MDB cometeu ao longo dos últimos anos, foi não investir na renovação partidária.

COMEÇAR AGORA

SE PENSA em disputar a PMRB com candidatura própria, o MDB tem de começar a se organizar a partir de agora.

FRASE MARCANTE

“AS DIFICULDADES são como as montanhas. Só se aplainam quando avançamos sobre elas”. Émile Zola.

Continuar lendo

Blog do Crica

Jorge Viana: “oposição voltará ao protagonismo”

Publicado

em

ATUALMENTE em Brasília, onde foi nomeado coordenador da área do meio-ambiente na equipe de transição do governo Lula, o ex-senador Jorge Viana (PT), foto, disse ontem ao BLOG que esta sua projeção no grupo, não significa que será nomeado ministro. Para ele, ninguém pode se arvorar ministro, porque a escolha será do Lula e ele ainda não se pronunciou sobre qualquer nome. JV acha que o ministério do Lula será plural, porque a vitória foi conquistada com muitos aliados.

“Mas seja ou não ministro nós vamos ser ouvidos quanto a escolha de ocupantes de cargos federais no estado”, destacou. Para o petista, o recente sucesso eleitoral do governador Gladson Cameli vai fechar um ciclo de vitórias do grupo conservador que se encontra no poder, porque depois de tanto tempo no poder o desgaste será natural. “Aconteceu com a Frente Popular. Ganhamos tudo no estado. E depois veio o ciclo de derrotas. Quando o Binho ganhou a eleição eu cheguei para o Binho e previ que a tendência natural seria o avanço da oposição, porque já havia um desgaste. Isso bem antes da derrota do Tião. E isso aconteceu”, lembrou Jorge Viana.

Para ele, com o Lula na presidência a oposição voltará ao protagonismo no Acre, começando pela ocupação dos cargos federais.

UM NOME PARA A PMRB

OS 35 MIL VOTOS que tive em Rio Branco me deixam como uma opção para disputar a prefeitura de Rio Branco, em 2024. A afirmação foi feita ontem ao BLOG pelo deputado Jenilson Leite (PSB), que montou uma estratégia de manter as suas visitas aos bairros, ouvindo a população, mesmo sem mandato a partir de janeiro.

MIRANDO COMPOSIÇÕES

JENILSON LEITE diz que uma candidatura à PMRB em 2024, vai depender das alianças que conseguir formar. “Não posso ser candidato sozinho, como fui ao Senado.” Destacou o parlamentar ontem ao BLOG.

EM PROCESSO JURÍDICO

ESTÁ em processo final no PSD as expulsões dos vice-prefeitos e vereadores que traíram o partido na última eleição. A equação pior será para os vereadores traidores, que terão os seus mandatos pedidos no TRE.

PRECISA MELHORAR 

UM SETOR que o governador Gladson precisa dar uma mexida profunda e melhorar, é o das licitações. Veio muito dinheiro para obras, hoje paradas por falta de projetos. Neste caso não faltaram recursos, mas gestão.

EVITAR O RODÍZIO

OUTRA FALHA a ser corrigida no segundo mandato é o de evitar rodízio de secretários de uma pasta. Termina que nenhum dos novos secretários dá conta do recado.

FOCADO NO GOVERNO

QUEM vai cumprir o mandato de senador focado na disputa do governo em 2026, é o senador eleito Alan Rick (União Brasil). Tem ao seu favor ficar na mídia.

PASSA PELA ALEAC

DENTRO DO MDB, o nome do deputado estadual eleito Emerson Jarude (MDB), é o mais citado para disputar a prefeitura da capital. Para saber se é ou não um nome competitivo, vai depender da sua atuação na ALEAC.

BREQUE NO DESMATAMENTO

“DESMATAMENTO ZERO na Amazônia”. Será a principal bandeira da Marina Silva, caso venha ser a escolhida para comandar o ministério do Meio-Ambiente. O nome da Marina causa arrepios na turma do agronegócio que age à margem da legislação ambiental. 

O QUE MOVE?

ALÉM DO FANATISMO, o que move pessoas ficarem na porta dos quartéis esperando as Forças Armadas darem um golpe militar? A eleição acabou, o Lula vai assumir.

NÃO MUDA

SE DEPENDER da boa atuação que teve como líder do governo na ALEAC, na defesa dos projetos do Executivo, o deputado Pedro Longo (PDT) permanecerá na função.

POSIÇÃO COERENTE

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) é coerente ao compor a base de apoio ao Lula no Senado. Na campanha liberou o PSD, e deu seu voto pessoal para o Lula.

DORME COM A SORTE

SE TEM uma pessoa de sorte na política, é a Mailza Gomes. Foi senadora se ter um voto, virou vice-governadora; e pode nos últimos meses de mandato virar governadora, se o Gladson se afastar para disputar o Senado. A Mailza dorme com a sorte.

FRASE MARCANTE

“Quando falares cuida para que as palavras sejam melhores que o silêncio”. Ditado indiano.

Continuar lendo

Blog do Crica

Petecão contesta Jorge Viana e vê apoio para a reeleição de Bocalom indefinido 

Publicado

em

NUMA CONVERSA ONTEM COM O BLOG, o senador Sérgio Petecão (PSD) negou que tenha feito qualquer movimento para apoiar uma frente de oposição defendida pelo ex-senador Jorge Viana (PT). “Ele deveria ter pensado nisso na última eleição, quando impediu a formação de uma aliança de todos os partidos de oposição, com a sua candidatura ao governo. É uma proposta que está chegando tarde, vou conversar sobre alianças para a disputa da PMRB bem mais adiante”, falou Petecão. Mas, colocou em dúvida estar no palanque da reeleição do prefeito Tião Bocalom em 2024. “Depois que me disse numa conversa que a sua meta será ser reeleito, depois de se afastar para ser candidato a senador, entrou em confronto com o meu projeto, vou analisar isso mais na frente. Como é que vou apoiar alguém para no futuro disputar o Senado comigo?”. Foi a indagação do senador Sérgio Petecão (PSD). Falando sobre o seu posicionamento no Senado, Petecão garantiu que estará na base de sustentação do futuro governo do petista Lula.

VAI INDICAR NOMES

PODE-SE prever uma disputa por cargos federais no estado entre o senador Sérgio Petecão (PSD) e o ex-senador Jorge Viana (PT). “Tenho voto no Senado, já conversei com lideranças nacionais, e com certeza indicarei ocupantes a cargos federais no estado”, falou Petecão.

PONTO MARCADO

O SECRETÁRIO de Educação, Aberson Carvalho, além de estar fazendo uma boa gestão, tem o apoio da futura deputada federal Socorro Neri (PP) para permanecer. Por isso, será difícil ao Minoru Kinpara ser indicado à pasta.

AINDA TEM MANDATO

DEPOIS de ser escorraçado de todos os seus projetos na eleição passada, não se sabe se o senador Márcio Bittar (União Brasil) continuará aliado do governador Gladson Cameli. Não terá nenhum prestígio no governo Lula, mas ainda tem emendas parlamentares para serem liberadas.

LADEIRA ABAIXO

O SEU GRANDE PROJETO, que era o de fazer da Márcia Bittar (PL) vice-governadora foi ladeira abaixo.

PERDERAM TEMPO

OS QUE SE POSTARAM na porta dos quartéis na defesa de uma intervenção militar e pela volta da ditadura, podem voltar para casa, não haverá golpe militar e o Lula vai assumir a presidência, pois, ganhou a eleição. E, ponto!

GRANDE INTERROGAÇÃO

NOS MEIOS PETISTAS regionais a grande interrogação, é sobre se o Jorge Viana será ministro no governo Lula. Se for, ele vai colocar o PT no protagonismo, no estado.

NÃO ESTAVA NAS CONTAS

CANDIDATO do PDT que não se reelegeu me falou ontem que, não contava com a boa votação do deputado Pedro Longo (PDT). “Eu o colocava entre os candidatos que não conseguiriam se reeleger, sua votação inesperada foi uma zebra com qual não contava”, lamentou.

LIVRE E SOLTO

O GRANDE DIFERENCIAL do governador Gladson Cameli para o segundo mandato é que estará livre e solto para escolher seus secretários, porque foi uma reeleição focada no seu carisma pessoal, sem dono da sua vitória.

SÉRIE DE TRAPALHADAS

NESTE primeiro mandato preste a se encerrar, cometeu trapalhadas em série na escolha do seu secretariado.

FOI TUDO

A DERROTA do Flaviano Melo (MDB) na última eleição para a Câmara Federal, não apaga a sua brilhante trajetória na política. Foi prefeito de Rio Branco, deputado federal, senador e governador. Natural que abra o caminho para a turma nova do MDB. Foi tudo.

REQUESITOS ESSENCIAIS

CASO a deputada estadual eleita Michelle Melo (PDT) queira se projetar para futuras disputas majoritárias, ela terá de cumprir um mandato independente e propositivo, e ter o suporte de uma boa estrutura de divulgação.

NOVO ROUND

O PREFEITO Mazinho Serafim (União Brasil) e o deputado Gérlen Diniz (PP), adversários ferrenhos, terão novo enfrentamento em 2024, com cada um lançando candidato a prefeito de Sena Madureira.

ANOTEM PARA CONFERIR

A LÓGICA é o Gladson se afastar no último ano de mandato para disputar uma das vagas para o Senado. A vice Mailza Gomes vai assumir, e ninguém fique surpreso, casa ela queira ser candidata a governadora em 2026.

MUITO NATURAL

É MUITO natural, que este seja o seu caminho, só abdicou do direito de ser candidata a um novo mandato no Senado, depois que lhe foi oferecida a vaga da vice.

ACORDO PARA O FUTURO

OUVI do próprio senador Márcio Bittar (União Brasil) que vai jogar as suas emendas parlamentares na prefeitura da capital, apoiar a reeleição do Tião Bocalom à PMRB e, posteriormente, ao Senado. Não disse qual será o troco, mas no mínimo deve ser lhe apoiar para governador.

PONTO DE REFERÊNCIA

O DEPUTADO Edvaldo Magalhães (PCdoB) deverá ser o principal ponto de referência da oposição ao governo do Gladson. E, é bom que seja, porque um parlamento sem uma oposição forte vira armazém de secos e molhados.

NÃO PODESER A CASA DO AMÉM

O Legislativo não pode ser a casa do amém e sim senhor.

A FARINHA DO LULA

ENQUANTO alguns assessores do Gladson se esgoelam pedindo a ditadura militar para impedir a posse do Lula, ele já prometeu ao Lula que vai lhe levar farinha de Cruzeiro do Sul no próximo encontro que tiverem. Isso se chama de pragmatismo político pela governabilidade.

FALTA COERÊNCIA

AS URNAS que elegeram o Bolsonaro em 2018, não são as mesmas que elegeram agora o Lula? Se não foi fraude ontem, não pode ser hoje, ora pois. Quer dizer que a eleição só seria legal se o Bolsonaro tivesse ganhado? Falta coerência na contestação do último pleito eleitoral.

QUATRO NA TRANSIÇÃO

O PT do Acre colocou três filiados na equipe da transição do Lula: Jorge Viana, Binho Marques e Léo de Brito. E o PV, a Shirley Torres.

FRASE MARCANTE

“Tua casa pode substituir o mundo, mas jamais o mundo substituir tua casa”. Ditado alemão. 

Continuar lendo

Acre

Eleição para presidência da Assembleia já está decidida

Publicado

em

EM QUE PESE os argumentos de que, pelo PDT ter a maior bancada na Assembleia Legislativa a presidência deve ficar com o partido, na figura do deputado Luiz Tchê (PDT); a realidade política nos bastidores da chamada “Casa do Povo” é outra, já existem votos combinados por uma maioria a favor da chapa formada pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB) para presidente e do deputado Nicolau Junior (PP) de primeiro secretário. Na verdade, deve acontecer apenas uma inversão de cargos: Nicolau é hoje o presidente e Gonzaga primeiro secretário. A chapa também tem o aval do governador Gladson Cameli, porque com ambos não teria problemas para aprovar os projetos que enviará ao Legislativo.

NÃO TERÁ A PANDEMIA
ANTES da pandemia, as pesquisas registravam uma baixa aceitação do governo do Gladson. Sua ação na pandemia contra o negacionismo e a favor da vacina, inflaram a sua popularidade. No segundo governo terá que se reinventar, não terá mais a pandemia para dar um plus.

VOLTANDO PARA A DISPUTA
DEPOIS DE NÃO se eleger deputado federal na última eleição, o ex-prefeito Rodrigo Damasceno (PODEMOS) deverá disputar a prefeitura de Tarauacá, com chance de sucesso. Não foi bem na sua gestão, mas é muito forte.

BOM TRÂNSITO
BASTA SE CONVERSAR com deputados da base do governo para sentir a simpatia pelo nome do Rômulo Grandidier para o gabinete civil. O fato de se relacionar bem com os políticos, é um ponto ao seu favor, o que lhe dá cacife para fazer uma ponte com a ALEAC.

NÃO É BOI MORTO
É CEDO para se dizer que ganhar do prefeito Tião Bocalom é um passeio, pela atual conjuntura da sua gestão. Ainda tem dois anos para tocar projetos. Em qualquer situação, o Bocalom não será um boi morto.

NÃO É CITADO
PODE ATÉ contrariar essas notícias, mas pelo que se lê dos grandes analistas nacionais da política, o Jorge Viana não aparece cotado para qualquer dos ministérios.

APOSTA ERRADA
OS RADICAIS BOLSONARISTAS fizeram duas apostas erradas, com as suas mobilizações: a primeira, foi que seus atos comoveriam os militares a darem um golpe; e segundo, que teriam a cobertura da imprensa. Nem uma coisa e nem outra. Não há clima para ditadura militar.

NÃO SEGUE O PDT
O DEPUTADO Pedro Longo (PDT) não deve se engajar na candidatura do deputado Luiz Tchê (PDT) para a presidência do partido na ALEAC. Deve se agarrar na possibilidade de ser o vice-presidente na chapa puxada pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB) para presidência.

MAR DE TRANQUILADADE
NADA melhor para o prefeito Bocalom que as eleições para deputado dos vereadores Michelle Melo (PDT) e Emerson Jarude (MDB), justamente os seus calos na Câmara Municipal de Rio Branco. Ficará sem oposição.

O QUE FARÁ O BITTAR?
DEPOIS de tudo dar errado nos seus planos na última eleição estadual, não se sabe quais seus planos para 2026. Para o Senado e Governo, o senador Márcio Bittar (União Brasil) teria paradas duras. Não será de se admirar se optar por disputar vaga de deputado federal.

OLHO NA PREFEITURA
O deputado Antônio Pedro (União Brasil), que não conseguiu se eleger, está focado em ser candidato a prefeito de Xapuri em 2024, para não ficar fora da política por quatro anos. Sua derrota foi uma surpresa.

PLANO ABORTADO
A ELEIÇÃO do Lula podou o plano do primeiro suplente do União Brasil, Fábio Rueda. Com a permanência do Bolsonaro poderia negociar para ser puxado para o governo federal um dos deputados eleitos para o, e ele assumir.

CEDO PARA COMPOSIÇÃO
QUEM está próximo do senador Petecão (PSD) fala que, por enquanto, não deverá entrar em nenhuma frente da oposição. Quer deixar o quadro se aclarar, antes de tomar uma decisão. Acha cedo para o movimento.

ENTRARAM EM MUTISMO
DEPOIS da derrota na última eleição os irmãos Rocha – Major Rocha e Mara Rocha – não voltaram ao cenário eleitoral, se recolheram sem falar no futuro político.

FAXINA EM FEIJÓ
O eleitorado de Feijó fez uma faxina política na última eleição. Os dois deputados da região, Marcos Cavalcante (PTB) e Cadmiel Bonfin (PSDB), não se reelegeram.

IRONIA DO DESTINO
O CANDIDATO para o qual o presidente do PSDB, Correinha, não queria dar legenda, o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), por ironia do destino, foi o único do partido a se reeleger para a Assembleia Legislativa.

SENTIMENTO MAJORITÁRIO
MESMO tendo perdido a eleição, há um sentimento majoritário dentro do MDB, para que o deputado federal Flaviano Melo continue na presidência da sigla.

MUITO BEM CONDUZIDA
Por trás do fato da Socorro Neri (PP) ter sido eleita a candidata a deputada federal mais votado na última eleição, além dos seus méritos, foi importante a coordenação da sua campanha pelo secretário de Educação, Aberson Carvalho.

URNAS CRUÉIS
AS URNAS foram cruéis com os ex-deputados estaduais que tentaram retornar aos mandatos na Assembleia Legislativa, todos foram derrotados.

O GLADSON É PRAGMÁTICO
Ao anunciar que, no próximo encontro com o Lula levará de mimo farinha de Cruzeiro do Sul, mostra que o governador Gladson Cameli é pragmático, pensa antes no estado do que na ideologia política. A eleição acabou.

NÃO TEM GOLPE MILITAR
O GLADSON raciocina de forma coerente, sabe que não passam de esbirros antidemocráticos os pedidos pela volta da ditadura militar, e que o Lula assumirá.

FRASE MARCANTE
“Três grosserias do mundo: jovens caçoando dos velhos, sadios caçoando de doentes, sábios caçoando de tolos”.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.