Conecte-se agora

Dia de Combate à Dengue alerta para a prevenção e conscientização sobre a doença

De janeiro a outubro de 2021, o Acre teve a maior incidência da doença no Brasil

Publicado

em

Celebrado anualmente no penúltimo sábado de novembro, o Dia Nacional de Combate à Dengue foi instituído para promover a conscientização e mobilizar iniciativas do poder público e a participação da população para a realização de ações destinadas a enfrentar o vetor da doença.

A data serve de alerta para a população sobre a importância da prevenção da dengue, que depende de medidas efetivas de controle do vetor. Neste ano, ainda reforça a urgência de retomar as ações de combate, que foram suspensas durante a pandemia de Covid-19.

No Brasil, de acordo com o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, de janeiro até 23 de outubro deste ano, foram notificados 485.517 casos prováveis (taxa de incidência de 227,6 casos por 100 mil habitantes) de dengue no Brasil.

A região Centro-Oeste apresentou a maior incidência de dengue, seguida das Regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Norte. No Centro-Oeste, os estados que apresentam maior taxa de incidência são Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Segundo os mesmos dados, o Acre despontou como o estado de maior incidência de dengue do Brasil em 2021: foram 1.512 casos por grupo de 100 mil habitantes em um total 13.714 notificados, havendo a possibilidade de alto índice de subnotificação por conta da pandemia.

No ano passado, além de enfrentar as dificuldades causadas pelo coronavírus e passar por um surto de dengue, o Acre ainda enfrentou dificuldades relacionadas às cheias dos rios e à crise migratória, precisando decretar emergência por conta desse conjunto de problemas.

Diante de um aparente cenário de subnotificação, os riscos de que o estado enfrente uma epidemia em 2022 não podem ser desconsiderados pelas autoridades em saúde. Com o início das chuvas, o perigo da multiplicação dos Aedes aegypti é enorme, pois os ovos dos mosquitos conseguem resistir a longos períodos de baixa umidade, podendo ficar até 450 dias no seco.

Ameaça global

A dengue é a doença viral transmitida por mosquitos que se espalha mais rapidamente e considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das dez maiores ameaças à saúde global em 2019. É transmitida principalmente por mosquitos Aedes aegypti e, em menos casos, por mosquitos Aedes albopictus.

É causada por um dos quatro sorotipos de vírus da dengue, cada um podendo manifestar desde a forma mais leve da doença até a mais grave, inclusive levando a óbito. A prevalência de sorotipos individuais varia de acordo com geografias, países, regiões, estações do ano e ao longo do tempo e é totalmente imprevisível.

A infecção por um sorotipo fornece imunidade permanente apenas contra este mesmo sorotipo, e a exposição posterior a qualquer um dos sorotipos restantes está associada a um maior risco de doença grave.

Em 2020, foram quase 1 milhão de casos, com 554 mortes, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, ainda existe a possibilidade de a pandemia da Covid-19 ter contribuído para uma subnotificação de casos nas regiões endêmicas, incluindo o Brasil.

Em outubro, a médica infectologista Rosana Richtmann, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, falou sobre o assunto durante o painel “Dengue, uma doença crescente no Brasil e no mundo – uma ameaça para a sociedade, um desafio para a saúde pública”. O evento fez parte da programação do Summit Saúde Brasil 2021, promovido pelo jornal Estadão com o patrocínio da Takeda, companhia farmacêutica de origem japonesa.

“Durante a pandemia, todos os recursos foram destinados para o combate ao coronavírus. Com isso, o trabalho de prevenção, como a verificação de focos de mosquito em residências, foi suspenso”, ela afirmou.

A especialista alertou para a urgência de retomar as ações de combate ao vetor com a chegada do verão e com o aumento das chuvas, devido aos fatores climáticos favoráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti em ambientes quentes e úmidos.

Prevenção

“As ações de prevenção precisam ser retomadas com urgência. Enquanto não houver o controle do Aedes aegypti, a maior parte da população mundial estará suscetível à doença”, reforçou a infectologista. Ela enfatiza que, neste momento, as ações necessárias incluem o retorno completo de agentes de saúde ao trabalho de campo e a retomada das campanhas de conscientização, que também ficaram em segundo plano durante a urgência da pandemia de Covid-19.

A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminando água armazenada para evitar possíveis criadouros, como em vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas. Manter a higiene dos locais e evitar a água parada é a melhor forma, por isso é fundamental a participação consciente de toda a população.

Sintomas

Os sintomas das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti podem ser confundidos com doenças mais comuns, como gripes e resfriados. Na dengue, a infecção pode ser assintomática, ter sintomas leves ou graves, podendo levar à morte.

Normalmente, a primeira manifestação é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção, coceira na pele, perda de peso, náuseas e vômitos. Em alguns casos também podem surgir manchas vermelhas na pele.

Cotidiano

Polícia incinera 53 quilos de droga apreendida em operações de Tarauacá

Publicado

em

A Polícia Civil no município de Tarauacá incinerou na manhã desta quinta-feira, 27, mais de 53 quilos de drogas que foram apreendidas em operações policiais no município.

A incineração contou com a presença de representantes do Ministério Público (MP/AC) do Poder Judiciário e da vigilância sanitária, além dos delegados de Polícia Civil de Tarauacá, e agentes de polícia civil.

A incineração realizada é fruto de operações policiais nos anos de 2019, 2020, e 2021, sendo que na sua grande maioria são drogas apreendidas na BR-364 no ano de 2021.

Com a incineração de hoje, os órgãos constituídos buscam dar uma resposta a traficantes e avisar que os órgãos de segurança pública estão atentos e que o ano de 2022 o enfrentamento a criminalidade, sobretudo ao crime tráfico de drogas não será diferente.

Continuar lendo

Cotidiano

Gonzaga discute com DNIT construção de estrada que ligará municípios do Juruá

Publicado

em

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Acre, deputado Luiz Gonzaga (PSDB), participou de reunião com o superintendente regional do DNIT, Carlos Henrique de Assis Moraes, para tratar sobre a obra de construção da estrada que ligará Cruzeiro do Sul a Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.

Segundo o deputado Gonzaga, a obra é de suma importância para o desenvolvimento de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, além de facilitar a vida dos ribeirinhos que estão enfrentando dificuldades de navegarem pelos rios do Juruá devido ao baixo nível dos mananciais mesmo no inverno amazônico. Além disso, empresários enfrentaram dificuldades de abastecerem os municípios isolados com mercadorias.

“Estive em Porto Walter recentemente e tenho ouvido dos moradores que a estrada vai ajudar muito a região. Os ribeirinhos reclamam que para se deslocarem até Cruzeiro do Sul precisam navegar horas pelos rios que apresentam um nível bem abaixo da média devido a falta de chuvas na região. Isso dificulta a navegação e atrasa ainda mais as viagens”, disse o deputado.

Gonzaga explica que o DNIT propôs aproveitar um ramal já existente em Cruzeiro do Sul, que já tem 25 quilômetros abertos, para otimizar a obra já que fica faltando apenas 36 quilômetros até Porto Walter.

“O superintendente do DNIT informou que o órgão decidiu usar 25 quilômetros já abertos do Ramal 3, em Cruzeiro do Sul, para facilitar a construção da estrada. Esse percurso foi escolhido porque evita entrarem em reservas e áreas indígenas, além de aproveitarem o ramal já aberto”, disse o parlamentar.

Continuar lendo

Cotidiano

Pesquisa Ipespe: Lula tem 44% e Bolsonaro, 24%; Moro e Ciro empatam em terceiro

Publicado

em

A nova pesquisa Ipespe relativa à disputa presidencial das eleições 2022, divulgada nesta quinta-feira (27), mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na frente no cenário estimulado para o primeiro turno com 44%, contra 24% do presidente Jair Bolsonaro (PL) e 8% dos ex-ministros Sergio Moro (Podemos) e Ciro Gomes (PDT), que empataram.

Nas outras posições, sequencialmente, aparecem João Doria (PSDB), com 2%, e Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Alessandro Vieira (Cidadania) com 1% das intenções de voto. O pré-candidato Felipe d’Avila (Novo) não pontuou.

Outros 8% dos entrevistados responderam que não votariam em nenhum dos apontados, não votariam no geral ou que registrariam voto branco ou nulo, e 4% não soube escolher entre os nomes citados.

Primeiro turno
Intenção de voto estimulada para presidente – cenário COM Sergio Moro (Podemos)

Lula (PT) – 44%
Jair Bolsonaro (PL) – 24%
Sergio Moro (Podemos) – 8%
Ciro Gomes (PDT) – 8%
João Doria (PSDB) – 2%
Simone Tebet (MDB) – 1%
Rodrigo Pacheco (PSD) – 1%
Alessandro Vieira (Cidadania) – 1%
Felipe d’Avila (Novo) – 0%
Branco/nulo/não vai votar – 8%
Indecisos – 4%
Intenção de voto estimulada para presidente – cenário SEM Sergio Moro (Podemos)

Lula (PT) – 44%
Jair Bolsonaro (PL) – 26%
Ciro Gomes (PDT) – 9%
João Doria (PSDB) – 4%
Simone Tebet (MDB) – 1%
Rodrigo Pacheco (PSD) – 1%
Alessandro Vieira (Cidadania) – 1%
Felipe d’Avila (Novo) – 1%
Branco/nulo/não vai votar – 10%
Indecisos – 4%
Intenção de voto espontânea para presidente

Lula (PT) – 35%
Jair Bolsonaro (PL) – 23%
Sergio Moro (Podemos) – 4%
Ciro Gomes (PDT) – 4%
João Doria (PSDB) – 1%
Simone Tebet (MDB) – 0%
Rodrigo Pacheco (PSD) – 0%
Branco/nulo/não vai votar – 6%
Indecisos – 26%
Segundo turno
A Ipespe apresentou sete cenários de segundo turno entre os quatro primeiros colocados na pesquisa.

Cenário 1

Lula (PT) – 54%
Jair Bolsonaro (PL) – 30%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 16%
Cenário 2

Lula (PT) – 50%
Sergio Moro (Podemos) – 31%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 19%
Cenário 3

Lula (PT) – 51%
Ciro Gomes (PDT) – 25%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 24%
Cenário 4

Lula (PT) – 52%
João Doria (PSDB) – 19%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 29%
Cenário 5

Ciro Gomes (PDT) – 45%
Jair Bolsonaro (PL) – 33%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 22%
Cenário 6

João Doria (PSDB) – 42%
Jair Bolsonaro (PL) – 33%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 25%
Cenário 7

Sergio Moro (Podemos) – 35%
Jair Bolsonaro (PL) – 28%
Branco/nulo/não vai votar/indecisos – 37%
Metodologia
A pesquisa foi realizada com 1.000 entrevistados maiores de 16 anos de todas as regiões do país, pelo telefone, entre os dias 24 e 25 de janeiro de 2022.

A margem de erro máximo estimada é de 3.2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5% (se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro da margem de erro).

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR 06408 2022.

Continuar lendo

Cotidiano

Quase 20 crianças de educandário de Rio Branco são vacinadas contra a Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado Saúde (Sesacre) realizou nesta semana uma ação de vacinação contra a covid-19 no Educandário Santa Margarida, em Rio Branco, onde 17 crianças com idades entre 5 e 11 anos foram imunizadas.

A atividade foi organizada por meio da equipe estadual do Plano Nacional de Imunização (PNI), que, em parceria com a coordenação do Educandário, disponibilizou as doses pediátricas, imunizantes que têm composição e frasco diferentes daqueles destinados a adultos e adolescentes.

Quanto a possíveis reações da vacina, Renata Quiles, coordenadora do PNI estadual, explicou que as mais comuns são semelhantes aos sintomas da gripe, como febre, dor de cabeça e mal-estar físico.

A coordenadora afirmou ainda que eventuais reações diferentes dessas devem ser comunicadas às equipes da Saúde para notificação, acompanhamento e tratamento da criança, até o desaparecimento dos sintomas.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Content is protected !!