Conecte-se agora

Fernanda Hassem diz em entrevista que governo federal prestou desserviço na pandemia

Publicado

em

Entrevistada nesta terça-feira (21) do programa PT Cidades, apresentado pela ex-senadora Ideli Salvatti no YouTube, a prefeita Fernanda Hassem, de Brasiléia (AC), falou sobre os avanços e ações da gestão petista no município e não poupou críticas à atuação de Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia e a outras questões da alçada do governo federal.

Hassem começou por relatar as dificuldades para administrar as dificuldades impostas pela pandemia em uma região de fronteira completamente aberta com a Bolívia, sem nenhum tipo de fiscalização por parte do governo federal, isso depois de a cidade ter enfrentado duas grandes enchentes do Rio Acre, nos anos de 2012 e 2015.

Para ela, uma das maiores dificuldades desse período conturbado pela pandemia foi o diálogo contraditório entre as três esferas do Poder Executivo. Governos federal, estadual e municipal falando diferentes linguagens, segundo ela. Fernanda afirmou que em resposta à falta de diálogo com o governo federal, concentrou todas as energias no combate ao vírus.

“Tenho muito orgulho de dizer que mesmo com todas as dificuldades e a falta de diálogo por parte do governo federal nós optamos por priorizar vidas e cuidar das pessoas. Dos 27 mil habitantes que nós temos, já aplicamos 22 mil doses de vacinas. Nós fomos a primeira região do Acre (o Alto Acre) a entrar na bandeira verde”, afirmou.

A prefeita de Brasiléia disse ainda que, além das dificuldades de toda ordem, o desnível de informações também foi muito prejudicial durante o enfrentamento da pandemia. Ela afirmou que enquanto o município lutava para salvar vidas, o governo federal prestava um desserviço à população do país e do estado em um dos momentos mais desafiadores da crise sanitária.

“Nós tivemos que fazer tratativas locais com o governo do departamento de Pando e com a prefeitura de Cobija, no lado boliviano, porque não tivemos apoio do governo federal no que diz respeito ao enfrentamento da pandemia. Felizmente, temos uma relação harmoniosa com os nossos vizinhos, porque não adiantaria a gente fazer aqui e eles não fazerem lá”, ressaltou.

A prefeita Fernanda Hassem também cobrou do governo federal a falta de políticas públicas para melhorar a vida de quem vive na Reserva Extrativista Chico Mendes, a maior Unidade de Conservação Federal do país, com quase 1 milhão de hectares, dos quais 391 mil estão em Brasiléia, cobrindo 20% da área territorial do município.

De acordo com ela, não há apoio para a infraestrutura, como recursos para a melhoria de ramais (estradas vicinais) e pontes e muito menos para outros investimentos, como nas áreas de saúde e educação, setores que a prefeitura atende como pode, com seus próprios recursos, uma vez que, segundo ela, a população que está na Resex pertence ao município.

A gestora de Brasiléia ainda falou sobre as dificuldades relacionadas à fronteira aberta com a Bolívia, outro ponto que não tem tido a atenção das autoridades federais brasileiras. Esses problemas passaram, durante a pandemia, pelo desafio de atender também aos bolivianos, que procuraram atendimento médico no lado brasileiro, assim como ao aumento da criminalidade.

Mas a prefeita do município populoso da regional do Alto Acre não falou apenas de problemas. Mostrou os investimentos que estão sendo feitos na cidade em parceria com o governo do estado do Acre e até mesmo com as autoridades governamentais do lado boliviano, destacando a intenção comum das prefeituras de Brasiléia e Cobija de revitalizar a orla do Rio Acre nos dois lados.

vídeo do programa está disponível no You Tube para quem desejar assistir a conversa de Fernanda Hassem com Ideli Salvatti.

Cotidiano

Anuário de Segurança Pública confirma que Acre teve a maior redução de assassinatos do país

Publicado

em

Levantamento feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira, 28, com base nos casos registrados entre 2019 e 2021, aponta o Acre com a maior redução de Mortes Violentas Intencionais (MVI) do país em 2021, indicando 41,2% de queda, quando comparado ao ano de 2020. O estudo usa como referência o índice de mortes a cada 100 mil habitantes.

Comparando-se os registros que compreendem o período entre os anos de 2018 e 2021, a redução de MVI em território acreano alcança uma marca de 53,96%. Em números absolutos, os registros caíram de 417 (2018) para 192 (2021).

Sobre a constatação do Fórum, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), coronel Paulo Cézar Rocha dos Santos, lembra que, “nos anos de 2017 e 2018, respectivamente, a capital do Acre, Rio Branco, era a segunda e terceira colocada no ranking nacional das capitais mais violentas e, atualmente, ocupa a décima terceira posição”.

“E essa tendência segue no presente ano, como registrado pelo Monitor da Violência, por meio do G1 nacional, que aponta uma redução de 30% de MVI no Acre, durante o primeiro trimestre de 2022, e pelo Observatório de Análise Criminal do Ministério Público do Acre, que mostra uma expressiva queda de mortes violentas intencionais, na capital acreana (- 50%), nos três primeiros meses deste ano”, explicou Paulo Cézar.

O titular da Sejusp ressaltou ainda que, no período de 2018 a 2021, a redução de MVI no Acre impacta em 53,68%. “É um número muito expressivo e que coloca o Acre como o Estado que mais reduziu o número de mortes violentas intencionais, no ano passado, também apontado pelo Monitor da Violência”.

Sobre os motivos das recorrentes quedas dos índices de criminalidade em território acreano, durante os últimos três anos, o coronel Paulo Cézar destacou a forma como vem sendo conduzido o ambiente carcerário e o sistema socioeducativo, “que passaram a ser mais presentes, onde o estado passou a ser também mais presente com ações impositivas. Não só disciplina, mas, principalmente de aumento do espaço para ressocialização”.

O secretário também debitou os bons resultados à integração das Forças de Segurança, ao combate aos crimes transfronteiriços, que “apesar de ser competência da União, nós entendemos que os insumos da violência passam por esses espaços”. A eficiência dos órgãos policiais, dentro da competência condicional, segundo o titular da Sejusp, “é outro fator preponderante, que vem permitindo ao Acre alcançar números melhores que do passado, o que possibilita colocar o estado entre os 10 estados menos violentos do país”.

Continuar lendo

Acre 01

PL que repassa R$ 7,9 milhões a Ricco deveria ter passado pelo conselho tarifário, diz vereador

Publicado

em

O vereador Fábio Araújo (PDT) declarou em entrevista nesta quarta-feira, 29, que o PL que visa conceder subsídio de R$ 7,9 milhões a empresa Ricco Transporte apresenta uma série de irregularidades que precisam ser corrigidas antes de ser levado ao plenário.

O parlamentar defende uma análise mais profunda da matéria nas comissões – principalmente, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O vereador alega que o PL chegou com uma série de irregularidades, incluindo o fato de que não passou sequer pelo Conselho Tarifário. “O conselho Tarifário é o órgão habilitado para analisar planilhas. Precisamos entender a composição da planilha. No que eu vi eles só usam o aumento da gasolina como justificativa, mas não diz por exemplo onde será gasto os outros 60 centavos”, declarou.

A sessão na Câmara Municipal foi suspensa e a matéria deverá ser apreciada apenas na quinta-feira, 30.

Continuar lendo

Cotidiano

Brasil lança nova campanha para desfazer fake news e incentivar vacinação

Publicado

em

O governo federal lançou nesta quarta-feira, 29, a campanha de incentivo à vacinação “Vacina Mais”, promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas e OMS), em parceria com conselhos de saúde de âmbito nacional, estadual e municipal.

“Estamos trabalhando para desfazer falsas notícias que levam à morte”, disse o presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Fernando Pigatto, durante a cerimônia de lançamento da nova campanha. Segundo o CNS, o Brasil é um dos “poucos países que oferecem um extenso rol de vacinas gratuitas à sua população”, com um Programa Nacional de Imunizações (PNI) que disponibiliza anualmente cerca de 300 milhões de vacinas contra mais de 30 doenças em aproximadamente 38 mil salas de vacinação espalhadas pelo território nacional.

O Conselho Nacional de Saúde reafirmou que a vacinação “é uma das intervenções de saúde pública mais eficazes, custo-efetivas e que salvam vidas”. O objetivo da campanha é o de “unir esforços para conscientizar a população do Brasil sobre a importância de aumentar a cobertura vacinal”.

Continuar lendo

Cotidiano

TRT Rondônia/Acre autoriza a realização de concurso público para servidores

Publicado

em

O Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, com atuação no Acre e Rondônia, aprovou nesta terça-feira, 28, a realização do concurso público para a contratação de analistas judiciários, oficiais de justiça e técnicos, de nível médio e superior.

Na Sessão Administrativa, foi escolhido a comissão que cuidará de todos os trâmites do certame, tendo como primeira missão a contratação da banca examinadora. Presidida pela desembargadora Maria Cesarineide, a ação contou com a presença de vários representantes e servidores do órgão.

Os cargos disputados serão para a área administrativa e judiciária, com ou sem especialidade, apoio em Tecnologia de Informação, avaliador federal e técnico GT da Informação.

Com o aval do Pleno e a autorização do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), o TRT14 deve agilizar os preparativos para o lançamento do edital. A entidade deseja realizar o concurso ainda este ano ou no começo de 2023.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!