Conecte-se agora

Confusão em Plácido termina com registro de tentativa de homicídio

Publicado

em

Uma confusão envolvendo um jornalista e o filho de um empresário e produtor rural no município de Plácido de Castro terminou na delegacia com denúncia de tentativa de homicídio.

A história teve início com o registro de um boletim de ocorrência de Francisco de Jesus Alves, que se identifica como empresário e também é jornalista, dono de um site no município de Plácido de Castro. Chicão, como é conhecido na região, denunciou Gece Neto, filho de um importante empresário da região, pelo crime de tentativa de homicídio.

De acordo com o boletim de ocorrências registrado na delegacia de Plácido, Chicão conta que na noite de domingo, os dois teriam se encontrado em um ramal, quando Neto disse que ia matá-lo. Chicão contou que um amigo que é Uber o colocou dentro de seu carro com destino à Plácido. No entanto, afirmou que Neto o teria perseguido em seu carro. Neto teria o teria alcançado e tentado agredi-lo. No BO, Chicão relata que Neto só não conseguia tirar sua vida porque surgiu no ramal um pecuarista da região identificado como Adão que o levou até próximo à delegacia de polícia. Em seu depoimento, Chicão disse que o motivo foi uma reportagem publicada em seu site que fala sobre uma operação das forças de segurança pública e cita o pai de Neto, Gece Filho, dono do frigorífico da região.

Neto nega ameaça de morte e sequestro e diz que Chicão foi quem insinuou está armado

O ac24horas foi em busca de ouvir o outro lado da história e conseguiu conversar com Gece Neto, que fez um relato, onde afirma ser a verdade dos fatos e conta que também registrou um boletim de ocorrência contra Chicão.

Neto afirma que foi Chicão quem o abordou. “Fui convidado a ir em um aniversário, na noite de ontem, e chegando na entrada do ramal eu encontro com o meu primo e a mãe dele, parei pra falar com ele e conversamos um pouco. Minutos depois, o Chicão chegou se aproximando de mim e tentando abrir um diálogo comigo. Ele a todo momento ficava insistindo em ter uma conversar, porém eu me recusei e disse que não queria conversar com ele, e por motivos que o mesmo sabia”, afirma Neto.

Ele conta que Chicão insinuou que estava armado. “Aleguei que tínhamos bebido e que poderíamos conversar sóbrio outro dia. Depois disso ele saiu em direção ao meu carro e fechou a porta com força excessiva, instigado fui até ele, e perguntei o que ele tinha contra mim. Ele colocou a mão abaixo da camisa, insinuando que estava armado. Perguntei o que era que eu devia a ele, qual era o problema dele comigo e com minha família. Começamos a discutir, e um amigo em comum chamou ele para ir embora, e ele continuou a me xingar e saiu olhando para trás com a mão debaixo da camisa. Passando uns 2 minutos me retirei, de volta para casa vi que o carro deles estava na minha frente. Pedi para o motorista parar, quando pararam fui até a porta e começamos a discutir novamente. Peguei no braço dele, perguntei porque que ele não resolvia comigo ao invés de atacar a minha família”, conta.

Neto nega que tenha tentado atropelar, sequestrar ou matar Chicão. “Em nenhum momento, tentei atropelar ninguém e muito menos sequestra-lo. Até porque, minha metragem é 1,67 e ele dá uns 2 metros de altura. Sendo assim, jamais conseguiria sequestrar ele. Mas a verdade, há muito tempo, a minha e outras famílias estão sendo denegridas. Ele não apura os fatos e faz plágio de reportagens denegrindo a imagem de muitos placidianos. Não tem problema em ele ser jornalista, mas que seja com ética e respeito pelos nossos placidianos”.

O filho do empresário de Plácido afirma que a história é inventada e que está pronto para colaborar com a justiça. “Essa história que ele inventou, é apenas para ganhar mídia, o que ele quer é mídia. E, para isso, ele precisa inventar mentiras e falsas acusações. Desde ontem, ele está coagindo os meus familiares com essa história. Estou pronto para colaborar com a verdade dos fatos na justiça, e desmentir esse filme de ficção que ele criou”, encerra.

Acre

Acre confirma mais uma morte e um novo caso de Covid-19

Publicado

em

O estado do Acre registrou apenas um novo caso de infecção por Covid-19 e uma morte ocasionada por complicações da doença neste sábado (25). Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), o número de infectados aumentou para 88.024, em todo o estado.

A notificação de óbito registrada neste sábado fez com que o número oficial de mortes por Covid-19 aumente para 1.844 em todo o estado.

O óbito recente foi da moradora de Rio Branco, J.S.C., de 31 anos, que deu entrada no dia 20 de outubro, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e faleceu no dia 22 de outubro.

Até o momento, o Acre registra 248.879 notificações de contaminação pela doença, sendo que 160.810 casos foram descartados e 45 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 86.067 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 10 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a Covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Continuar lendo

Acre

Estudo alerta surto de dengue, zika e chikingunya em Rio Branco

Publicado

em

Dados do 3° Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti – LIRAa, alertam que em Rio Branco existe a possibilidade uma nova ocorrência de surto de dengue, zika e chikingunya, conforme informou uma nota técnica do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Sensa), divulgado na última sexta-feira, 22.

O estudo foi realizado no período de 27/09 a 01/10, com resultado de 4,35%. O estudo teve o objetivo de avaliar o resultado da pesquisa e definir estratégias de controle vetorial, a equipe Técnica da Divisão de Endemias e Controle de Vetores, juntamente com a Diretora da Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, estiveram reunidos esta semana, para definir estratégias e elaborar um plano de controle vetorial para os próximos 6 meses.

“Os reservatórios de água considerados úteis, como caixas d’água ao nível do solo, se mostram como os principais criadouros para o vetor. É preciso redobramos os cuidados, tendo em vista, o período das chuvas chegou e qualquer recipiente que acumule água parada é um potencial criadouro do mosquito transmissor dessas arbotiroses”, alerta a coordenadora de vigilância Epidemiológica Socorro Martins.

A coordenadora destaca que a intenção do poder público é se antecipar ao possível aumento no número de casos, atuando nos bairros mais infestados pelo vetor, e com ocorrência de transmissão.

Continuar lendo

Acre

Quase 100 crianças do Acre ficaram órfãs de pai ou mãe na pandemia

Publicado

em

Foto: Bruno Kelly/Reuters

Ao menos 99 crianças de até 6 anos de idade que moram no Estado do Acre ficaram órfãs de um dos pais que morreram vítimas da covid-19 entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano. No Brasil todo, esse número é de 12.211 crianças.

Segundo informação à Agência Brasil a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), 25,6% das crianças de até seis anos que perderam um dos pais na pandemia não tinham completado um ano.

Já 18,2% tinham um ano de idade; 18,2%, dois anos de idade; 14,5%, três anos; 11,4%, quatro anos; 7,8% tinham cinco anos e 2,5%, seis anos. São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Ceará e Paraná foram os estados que mais registraram óbitos de pais com filhos nesta faixa etária.

Os dados foram levantados com base no cruzamento entre os CPFs dos pais nos registros de nascimentos e de óbitos feitos nos 7.645 cartórios de registro civil do país desde 2015, ano em que as unidades passaram a emitir o documento diretamente nas certidões de nascimento das crianças recém-nascidas em todo o território nacional.

Os números obtidos pela Arpen-Brasil, entidade que representa os cartórios de registro civil do Brasil e administra o Portal da Transparência, mostram que 223 pais morreram antes do nascimento de seus filhos, enquanto 64 crianças, até a idade de seis anos, perderam pai e mãe vítimas da Covid-19.

“A base de dados dos cartórios tem auxiliado constantemente os poderes públicos, os laboratórios e os institutos de pesquisas a dimensionar o tamanho da covid-19 em nosso país e o fato de termos esta parceria com a Receita Federal para a emissão do CPF na certidão de nascimento dos recém-nascidos nos permitiu chegar a este número parcial, mas já impactante”, disse, em nota, o presidente da Arpen-Brasil, Gustavo Renato Fiscarelli.

No estado do Rio de Janeiro, ao menos 774 crianças de até seis anos de idade ficaram órfãs de um dos pais vítimas da covid-19 entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano. Os dados foram levantados com base no cruzamento entre os CPFs dos pais nos registros de nascimentos e de óbitos feitos nos 168 cartórios de registro civil do estado.

Segundo o levantamento, no estado do Rio, 23 pais faleceram antes do nascimento de seus filhos, enquanto cinco crianças, até a idade de seis anos, perderam pai e mãe vítimas da Covid-19.

“As diversas parcerias firmadas pelo Registro Civil permitiram realizar esse levantamento, unindo a base de dados dos cartórios de registro civil, o que tem nos proporcionado dimensionar o tamanho do impacto da Covid-19 no Rio de Janeiro. O resultado de levantamentos como esse indica caminhos para que os poderes públicos possam ser mais assertivos na resolução de questões que envolvem a cidadania e a dignidade daqueles que ficaram órfãos”, afirmou o presidente da Arpen/RJ, Humberto Costa.

(Com EBC)

Continuar lendo

Acre

Novo protótipo de identidade será lançada pelo governo

Publicado

em

O delegado-geral de Polícia Civil, Josemar Portes, responsável pelo Serviço de Identificação Civil apresentou na noite desta sexta-feira (22) ao governador Gladson Cameli duas cédulas do novo protótipo da carteira de identidade, em policarbonato.

Em breve, afirma o governador, o documento, emitido com altos padrões de segurança, QR Code e reconhecido mundialmente, estará disponível para toda a população acreana.

“Nosso dever é garantir dignidade e cidadania ao nosso povo por meio de serviços como esse. Em breve, ofertaremos também um modelo digital do RG”, disse Gladson.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas