Conecte-se agora

Eduardo Bolsonaro e Léo de Brito trocam farpas em audiência

Publicado

em

Durante audiência realizada nesta quarta-feira, 23, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara dos Deputados, os deputados Leo de Brito (PT/AC) e Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) protagonizaram uma discussão ríspida, quando o petista questionava o ministro do Turismo, Gilson Machado e o secretário Nacional de Cultura, Mário Frias, convidados a prestar esclarecimentos.

A audiência pública discutia a pretensão do governo Bolsonaro em editar decreto para que seja dada nova interpretação à lei de direitos autorais e ao marco civil da internet impedindo que as redes sociais sofram o que o governo chama de censura ideológica. Os deputados também debatiam o PL 2630/2020, conhecido como Lei das Fake News, que já foi aprovado no Senado e vem sendo debatido na Câmara dos Deputados.

A discussão entre os dois começou com a interrupção de Eduardo Bolsonaro na fala de Leo, naquele momento, Leo questionava os convidados sobre a disseminação de notícias falsas acerca da vacina contra a Covid-19 e sobre o tratamento precoce que não tem comprovação científica, o que segundo o deputado levou muita gente a não confiar na eficácia do imunizante e não se vacinar.

Irritado, Eduardo Bolsonaro interrompeu a fala de Leo de Brito, que reagiu e o chamou de “filhote de genocida”. No vídeo divulgado nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro se refere aos petistas como “canalhas e saqueadores dos cofres públicos”, já o petista se refere a Jair Bolsonaro e ao governo como “genocida”, em razão das mais de 500 mil mortes pela covid-19.

Em seguida, o deputado Leo de Brito divulgou um vídeo lamentando o ocorrido e dizendo que continuará fazendo oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

“Lamento o episódio desrespeitoso protagonizado pelo deputado Eduardo Bolsonaro. Estávamos fazendo um debate sério com o ministro do Turismo, falando sobre a questão da internet, sobre o Turismo no Brasil, quando infelizmente fui interrompido de maneira afrontosa pelo filho do presidente da República, deputado Eduardo Bolsonaro, que me atacou na tentativa de cercear minha fala, meus questionamentos. Esse tipo de comportamento não me amedronta, mas envergonha o parlamento, vou continuar expressando minhas opiniões e fazendo as críticas devidas a esse governo irresponsável”, salientou.

ASSISTA AO VÍDEO:

Acre

Acre não registra mortes por Covid-19 pelo terceiro dia seguido

Publicado

em

Pelo terceiro dia consecutivo, o Acre não registra morte de pacientes contaminados com o novo coronavírus. Com isso, o número de óbitos permanece em 1.802 óbitos desde abril de 2020 quando foram confirmadas as primeiras mortes pela pandemia.

Já os novos casos somam 59 pessoas infectadas nas últimas 24 horas, sendo 10 casos confirmados por exames RT-PCR e 49 resultados de testes rápidos. Com esse acréscimo, o número total de infectados chega a 87.291 pessoas no Acre.

Até o momento, o Acre registra 239.846 notificações de contaminação pela doença, sendo que 152.490 casos foram descartados e 65 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 84.953 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 27 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Continuar lendo

Acre

Governo do Acre decreta ponto facultativo nesta sexta-feira

Publicado

em

O governo do Acre decretou ponto facultativo nas repartições públicas para esta sexta-feira, 6 de agosto, em comemoração aos 119 anos da Revolução Acreana. As agências bancárias irão funcionar normalmente nesta sexta-feira.

Nas unidades de Saúde do Estado, incluindo os serviços de atendimento médico especializado, serviços de apoio diagnóstico, de internação, centros cirúrgicos, UTIs e central de agendamento de cirurgias, os atendimentos não sofrerão alteração.

Ficam os secretários de Estado e as demais autoridades administrativas públicas autorizados a convocar seus servidores por necessidade do serviço, dispensado da respectiva compensação os servidores que cumprirem horário nesse período.

Continuar lendo

Acre

Servidores da educação realizam protesto em frente à prefeitura

Publicado

em

Os servidores da Secretaria Municipal de Educação (Seme) realizaram na manhã desta quinta-feira, 5, mais um protesto em frente à Prefeitura de Rio Branco. No ato, os professores estão pedindo a reposição inflacionária dos salários e o piso para o salário mínimo da categoria.

Além disso, os profissionais de educação também cobram auxílio de internet e computadores para as aulas remotas e que as escolas sejam equipadas para garantir a segurança neste período de pandemia.

“A gestão do prefeito diz que tem dinheiro, mas até hoje, não entregaram internet, nem notebooks e os funcionários de escola continuam trabalhando e não tem os EPIs de trabalho”, disse a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, ao vídeomaker do ac24horas, Whidy Melo.

Segundo os servidores, ocorre que a prefeitura informou que não poderia fazer a correção inflacionária devido a lei de socorro aos estados do governo federal, sancionada em 2020 que proíbe os reajustes até dezembro de 2021, mas a situação vem sendo contestada pelo sindicato.

Eles argumentam que a correção inflacionária não se encaixa no critério da Lei Federal, já que se trata apenas de uma reposição da inflação, portanto, a prefeitura poderia realizar a correção e não de um aumento no salário.

Continuar lendo

Acre

Jarude diz que é “ensurdecedor” o silêncio de Socorro após operação

Publicado

em

O vereador Emerson Jarude (MDB), na sessão presencial da Câmara de Rio Branco, comentou a Operação Candeeiro, que foi desencadeada nos estados do Acre, Rio de Janeiro e Espírito Santo nesta quarta-feira (04) pela Polícia Civil do Acre.

A Operação tem objetivo de apurar a existência de um suposto grupo criminoso que agia no contra administração pública na contratação dos serviços de iluminação pública.

Em sua fala, o parlamentar afirmou que a Câmara de Vereadores perdeu uma oportunidade enorme de ajudar a Polícia Civil ao não abrir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do LED. Na época, eram necessárias seis assinaturas para abertura da CPI, mas apenas quatro vereadores assinaram: Hildegard Pascoal (PSL), Samir Bestene (Progressistas), Lene Petecão (PSD) e Emerson Jarude (MDB).

“O combate à corrupção não pode ser apenas de uma parte, tem que ser de todos nós, vereadores. Eu quero parabenizar esses heróis da Polícia Civil que não fecharam os olhos e que tiveram a coragem de fazer aquilo que a Câmara não teve, que foi de investigar esses contratos. Queria que a Socorro Neri tivesse aqui nesse momento pra ela dizer as mesmas coisas que ela disse no Gazeta Entrevista quando ela falou que estranhava que uma pessoa formada em direito estava fazendo colocações como a minha referente a CPI”, afirmou

“É ensurdecedor o silêncio da ex-prefeita Socorro Neri após a Operação Candeeiro, que pode resultar no maior esquema de corrupção ocorrido na sua gestão. Prometeu iluminar 100% Rio Branco. Entregou escuridão, fraude e tentativas de desqualificar nosso combate à corrupção”, acrescentou.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados