Conecte-se agora

Mais estudantes pensam em desistir dos estudos na pandemia, revela pesquisa

Publicado

em

De 28%, porcentagem subiu para 43%

Por causa de condições financeiras e dificuldades para aprender via ensino remoto, 43% dos estudantes brasileiros com idades entre 15 e 29 anos já pensaram em desistir dos estudos, é o que afirma a segunda etapa da pesquisa “Juventudes e a pandemia de coronavírus (covid-19)”, divulgada nesta semana. Na primeira edição da pesquisa, esse número ficou em 28%.

No contexto da evasão, 6% dos participantes trancaram a matrícula durante a pandemia, e para 47% dos jovens é necessário, antes, que a população seja vacinada. 

Outro motivo apontado pela pesquisa para a evasão é a dificuldade financeira, que foi sentido com o fim do auxílio emergencial e a diminuição de renda das famílias, o que fez como que muitos jovens precisassem recorrer a trabalhos informais. 

“A pesquisa reforça a necessidade de defender políticas públicas desenhadas e implementadas de forma intersetorial. Os fatores associados à possibilidade de abandono escolar, por exemplo, são múltiplos: necessidade de ganhar dinheiro, dificuldades para se organizar, acompanhar e aprender no contexto do ensino remoto, necessidade de cuidar de filhos e outros parentes, problemas de saúde, incluindo depressão”, aponta Rosalina Soares, gerente de pesquisa e avaliação da Fundação Roberto Marinho.

De acordo com a gerente, a evasão escolar produz consequências severas para os jovens, “que vivem menos, com menos saúde, com menos renda ao longo da vida. Essa violação do direito à educação gera uma perda de R$220 bilhões por ano, 3,3% do PIB (Produto Interno Bruto, soma de todos os bens e serviços finais produzidos durante um período determinado). Em tempos de crise sanitária e econômica, observamos que a agenda educacional é prioritária, é urgente”.

A segunda etapa da pesquisa “Juventudes e a pandemia de coronavírus (covid-19)” ouviu 68 mil jovens e foi promovida pelo Conselho Nacional da Juventude (Conjuve) com correalização de Em Movimento, Fundação Roberto Marinho, Mapa Educação, Porvir, Rede Conhecimento Social, Unesco e Visão Mundial e as respostas foram coletadas entre março e abril deste ano.

*Com informações do Porvir

Fonte: Agência Educa Mais Brasil 

Cotidiano

Gleici Damasceno sofre derrota na Justiça para dentista que fez sua harmonização

Publicado

em

Por

Gleici Damasceno foi derrotada em uma ação que ela própria havia aberto contra Nayane Pacheco, responsável por realizar uma harmonização facial em seu rosto em 2020. A ex-BBB pedia uma indenização de R$ 80 mil por danos morais e uso indevido de imagem, mas a Justiça não aceitou seus pedidos e ainda a obrigou a pagar R$ 8 mil à dentista.

O juiz Sidney da Silva Braga, da 4ª Vara Cível de São Paulo, decretou em 26 de julho como improcedente a ação de Gleici após verificar uma série de contradições entre seus apontamentos e as provas que foram juntadas pelas partes no caso.

Nayane havia realizado dois procedimentos em Gleici no final de 2020, por meio de uma permuta: uma rinomodelação e a harmonização facial. Meses depois, a ex-participante de No Limite 5 buscou uma equipe médica para realizar uma rinoplastia, por ainda se incomodar com a aparência de seu nariz.

Em 2 de março deste ano, ela participou do programa Encontro, na Globo, e o público notou uma enorme diferença em sua aparência. Na mesma data, Nayane postou uma foto do “antes e depois” de Gleici, e revelou que era ela a profissional por trás da transformação da famosa.

Mas Gleici se sentiu exposta e procurou a Justiça. Disse que Nayane usou sua imagem para se autopromover, afirmou que a dentista havia cometido erros no procedimento e, por essa razão, precisou buscar cirurgiões plásticos para fazer os reparos. Ainda a acusou de lhe causar constrangimento por ter revelado algo que não era de conhecimento público.

Ao analisar o caso, o magistrado encontrou uma série de contradições por parte da campeã do BBB18. A começar pela apresentação que fez na inicial, em que afirmava ser atriz e garota-propaganda de diversas marcas, e que usava seu rosto para publicidades em redes sociais. E expôs o modelo de “permuta”, bastante praticado por influenciadores digitais.

“Os elementos de prova constantes dos autos demonstram que o procedimento estético foi realizado em troca da possibilidade de utilização, pela ré Nayane, da imagem da autora, tanto que não houve pagamento em dinheiro, não se podendo cogitar de um procedimento estético gratuito. Como é comum nas redes sociais, a autora realizou acordo com a ré Nayane por meio do qual esta realizaria o procedimento estético e, em troca, aquela pagaria pelo procedimento através de publicidade em sua conta no Instagram. Ainda que verbal, trata-se de um contrato”, avaliou o juiz.

Sobre as acusações de que Nayane seria a responsável pela enxurrada de críticas que recebeu após fazer a cirurgia plástica em seu nariz, o magistrado foi enfático ao lembrar que, por se autodenominar pessoa pública, Gleici está sujeita a todos os tipos de comentários por parte dos internautas.

“Ocorre que, sendo a autora pessoa pública, que participa de programas de TV e tem quase 6 milhões de seguidores no Instagram, a modificação em sua aparência não passou despercebida e gerou comentários e especulações, como é de se esperar e como os denominados influenciadores digitais e artistas têm que aceitar, pois faz parte de sua opção de intensa exposição.”

Por considerar improcedente todos os pedidos, o juiz recusou o pedido de indenização de R$ 80 mil, e ainda obrigou Gleici Damasceno a pagar R$ 8 mil a Nayane Pacheco, além das despesas processuais e honorários advocatícios da dentista.

Fonte: Notícias em Foco

Continuar lendo

Extra Total

Governo marca reunião com aprovados no cadastro de reserva da PM após 12 horas de protesto

Publicado

em

Os integrantes do Cadastro de Reserva (CR) do último concurso da Polícia Militar do Acre estão acampados há mais de 12 horas em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) em busca da convocação do restante dos membros que ficaram de fora da última convocação.

De acordo com um dos representantes da PM, Júlio Eduardo, 26 anos, o secretário de governo, Alysson Bestene, esteve presente na manifestação e garantiu que o governo deverá se reunir com os membros do cadastro de reserva na manhã de terça-feira, 3. “Ficou agendado para amanhã às 9 horas da manhã. Vamos ouvir a proposta se é vantajoso pra gente ou não”, declarou.

O representante do grupo alegou que a proposta do governo em remanejar parte dos aprovados para o Corpo de Bombeiros não contempla a categoria. “Ele chamando 125, ainda sobram muitos. Somos 300, e muitos já passaram em outros concursos”, argumentou.

O concurso da Polícia Militar PM-AC foi lançado em março de 2017, com 250 vagas para o cargo de soldado combatente no nível médio e técnico.

A convocação dos aprovados, de forma imediata, foi uma das promessas de Governo durante a campanha eleitoral do governador em 2018.

A validade do concurso da PM era de seis meses, a contar da divulgação do resultado final do certame, que ocorreu em junho de 2018. Porém, o prazo foi prorrogado por mais dois anos no mesmo mês, menos de dez dias depois.

Continuar lendo

Cotidiano

Mãe pede doação de 1 real para comprar cadeira de rodas ao filho com encefalopatia

Publicado

em

Daiana Barroso, mãe do pequeno João Paulo, de 2 anos e 10 meses, veio a público nesta segunda-feira, 2, pedir a doação de uma cadeira de rodas para o bebê que foi diagnosticado, logo ao nascer, com ECNE – Encefalopatia crônica não progressiva.

“João nasceu no dia 22 de setembro de 2018, em Ipixuna, no Amazonas, e desde os seus primeiros dias de vida já começou a enfrentar o ambiente hospitalar”, relatou. Segundo ela, com alguns dias de internação, João foi transferido para o município de Cruzeiro do Sul, no Acre, e logo após para o Hospital da Criança, na capital do estado. “Ele ficou internado por cerca de um ano, tendo alta no dia 09 de agosto de 2020”.

A mãe pede ajuda para comprar uma cadeira de rodas, pois o bebê está em fase de crescimento e ela já não consegue mais carregar o pequeno João no colo para levá-lo ao médico. Além disso, a cadeira é muito importante, haja visto que dará mais qualidade de vida para ele, pois poderá vivenciar uma nova postura, visto que o mesmo sempre esteve acamado, ajudará também no melhor funcionamento do seu intestino, auxilia na melhora hemodinâmica, melhora o esquema corporal, entre outras melhorias.

Dayanna, que não tem condições de comprar a cadeira e de manter os custos, propôs o desafio “Todos pelo João”, onde ela pede a doação no valor de R$ 1,00 real para arrecadar o valor necessário para a compra da cadeira de rodas. “Contamos com você para nos ajudar doando e divulgando para que esse anúncio chegue a muitas pessoas e possamos arrecadar o valor para ajudar o João!”, complementou. O pix para a transferência é o número de telefone celular 68 999013124, em nome de Dayanna Barroso.

Continuar lendo

Cotidiano

Ufac abre 380 vagas em graduações via segunda edição do Enem e Sisu

Publicado

em

Um edital publicado nesta segunda-feira (20 pela Universidade Federal do Acre regulamenta o preenchimento de 380 vagas em cursos para ingresso no 2o semestre letivo de 2021, via 2ª edição do sistema Enem/Sisu.

As vagas são para os cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Filosofia, Jornalismo, Letras/Espanhol, Medicina, Nutrição e Saúde Coletiva.

A seleção é realizada mediante os resultados obtidos pelos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020. As inscrições devem ser feitas conforme cronograma a ser divulgado no site do Sisu.

As modalidades de inscrição no certame incluem vagas de ampla concorrência e de políticas inclusivas e afirmativas. É vedado ao candidato inscrição em mais de uma modalidade de concorrência para o mesmo curso e turno.

Candidatos que tenham cursado o ensino médio integralmente em escolas regulares e presenciais, públicas ou particulares, de municípios do Estado do Acre e dos municípios de Guajará e Boca do Acre (AM) e Nova Califórnia, Extrema e Vista Alegre do Abunã (RO) têm direito ao argumento de inclusão regional, que consiste num bônus de 15% sobre a nota final do Enem, o qual poderá ser revisto a qualquer tempo pela comissão de organização dos processos seletivos do Sisu na Ufac.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas