Conecte-se agora

Oposição e governo conflitam sobre greves e de cadastro de reserva

Publicado

em

A greve da educação que foi alvo de uma decisão judicial determinando sua suspensão foi o principal ponto debatido na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 26. Oposição e base do governo travaram uma chuva de argumentações e contra-argumentações.

O primeiro a tocar no assunto foi o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), líder da oposição na casa, relatou que manifestações têm ocorrido em todo o Estado e citou o protesto que acontece no pátio da Catedral Nossa Senhora da Glória, em Cruzeiro do Sul, devidamente autorizados pela igreja. Em Rio Branco, os trabalhadores se manifestam em frente ao Tribunal de Justiça chamando a atenção para a pauta de reivindicações.

“Ontem, o senador Márcio Bittar decidiu se meter na pauta dos trabalhadores para considerar os professores, os servidores de apoio e demais integrantes do sistema de ensino na reivindicação de se ter vacina para retomar as aulas presenciais. Onde está o privilégio?”, perguntou?

Magalhães disse que há falta generalizada do imunizante porque o presidente da República, Jair Bolsonaro, se negou a comprar no tempo certo. “No momento em que tem uma pauta, quando foram apunhalados pelo Governo do Estado, foram enganados e o que houve foi uma ação pedindo ilegalidade da greve”, disse, considerando equívoco da Justiça ao se debater a pauta dos trabalhadores. “A Justiça não tem que se meter na pauta. É um erro”, afirmou.

Já o deputado Gerlen Diniz (PP), da base de apoio ao governo, defende o diálogo do governo com os trabalhadores. “Este é o ano de dialogar para o ano seguinte. O estudo da lei é de fundamental importância”, disse, citando a questão dos reajustes salariais que advirão com a retomada da economia.

“É fundamental que o governo receba essas categorias e implemente melhorias para o próximo ano. Há um compromisso do governo em atender as categorias”, disse Diniz.

O deputado Roberto Duarte (MDB) disse que o governo tem dificuldades atualmente, incluindo a convocação do pessoal no cadastro de reserva de vários concursos. “Vejo a reivindicação dos professores por vacina e tenho PL aqui na Aleac que pode resolver essa questão”, disse. O PL está com o relator, Pedro Longo.

Duarte mantém a defesa do cadastro de reserva da Polícia Civil, cujos integrantes seguem acampados no hall da Aleac. “Os jovens querem somente que o governador cumpra com sua palavra”, disse. Os acampados pedem que se inicie uma turma com eles na Academia de Formação da Polícia Civil do Acre.

Ele reiterou que os custos de formação, em torno dos R$ 7 milhões, podem ser rateados em emendas de todos os parlamentares estaduais e federais do Acre. “Gladson não buscará a reeleição na Justiça não”, disse, referindo-se à ação judicial contra a greve na educação.

O deputado Daniel Zen afirmou que a Secretaria de Educação cortou o auxílio aos estudantes e professores para fazer a travessia da balsa ou catraia até a comunidade da Sibéria, pelo Rio Acre, em Xapuri. Ele pediu informações em abril à SEE, mas até agora não obteve retorno. Ele quer saber sobre vagas nos quadros da Educação para definir o número de pessoas que podem ser convocadas no cadastro de reserva.

O parlamentar do PT fez relatos das necessidades de pagamento de gratificação, o que em alguns casos eleva o salário do servidor a patamares muito altos. “Surgiram marajás na Educação. Além disso, há mais pessoal fora que em sala de aula”, disse.

“O que se gasta em excesso com gratificação, aumento de contratos temporários, e o que não se gasta com merenda, incremento do Fundeb, dá uma conta aproximada de R$20 milhões ao mês que poderiam ser economizados. O governo não tem vontade política de resolver, o governo pede a ilegalidade da greve”, disse.

Acre

Vacinação da indústria e construção civil registra filas no Ginásio do Sesi

Publicado

em

A vacinação no Ginásio do Sesi contra à Covid-19 segue em ritmo intenso nesta quarta-feira (16). Imagens enviadas por populares mostram uma intensa movimentação de funcionários da indústria e construção civil em busca do imunizante.

No local, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) dividiu em dois lados a campanha de vacinação.

Do lado direito, os integrantes da construção civil podem ser vacinados sem restrição de idade, ou seja, dos 18 aos 59 anos, a categoria compõem a 4º fase de vacinação do Ministério da Saúde. Do lado esquerdo, a vacinação é para a população em geral que tenha entre 50 a 59 anos.

De acordo com informações repassadas por populares, a vacinação do grupo que tem de 50 a 59 anos, ocorre de forma célere pela baixa procura da população, já o público da construção e indústria de 18 a 59 anos, esperam até uma hora para receber a primeira dose contra à covid-19.

Continuar lendo

Acre

Pedro Longo pede posto de vacinação na Cidade do Povo

Publicado

em

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Pedro Longo (PV), disse nesta quarta-feira (16) em sessão virtual que considera a questão da vacina contra Covid-19 concentradora da atenção dos deputados e da sociedade.

“A vacinação é o caminho mais efetivo para que possamos deixar para trás estes tempos”, disse, relatando a questão da Cidade do Povo, cuja população passa por grande dificuldade devido à distância dos postos de vacinação.

Ele indica ao Governo do Estado criar um posto naquele bairro. O município de Rio Branco, destacou, já anuncia mutirão de vacinação, mas o parlamentar cobrou um Dia D da 2ª Dose.

“Só aqui em Rio Branco mais de 5 mil pessoas não tomaram a 2ª dose”, disse, pedindo busca ativa para localizar os faltosos.

Longo destacou também o ato do Instituto Ecumênico, que lançou manifesto pela vacinação geral.

Continuar lendo

Acre

Duarte considera desumano atendimento do 190 em Feijó

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte (MDB), que se encontra em Feijó, disse na sessão virtual da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (16) que mais uma manifestação ocorre por falta de gestão e planejamento do governo. Os policiais penais reivindicam o “soldão” e a Lei Orgânica da categoria.

Duarte denunciou a situação crítica do Hospital de Feijó, que foi inaugurado em más condições pela gestão governamental anterior. Segundo o deputado do MDB, é necessário reconstruir a unidade.

Outra situação, disse ele, é quanto ao 190, o telefone de emergência da segurança pública. “As chamadas são atendidas em Rio Branco, que repassa para Tarauacá, que aciona, via WhatsApp, a polícia ou os Bombeiros de Feijó na ocorrência em questão. Não é culpa dos policiais daqui, mas do sistema implementado. Falta gestão”, criticou.

Continuar lendo

Acre

Acre fica de fora em autorização de nova importação da Sputnik V

Publicado

em

Mais uma vez o Acre não foi contemplado com a autorização para a importação excepcional da vacina Sputnik V. Após aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nessa terça-feira, 15, irão receber o imunizante os estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

A importação aprovada nesta quarta-feira também deverá ser realizada sob condições controladas. Para isso, foram estabelecidas as mesmas responsabilidades e condicionantes aos requerentes.

As principais condições preveem que a vacina deverá ser utilizada apenas na imunização de indivíduos adultos saudáveis; todos os lotes das vacinas importados somente poderão ser destinados ao uso após liberação pelo INCQS; a Anvisa receberá relatórios periódicos de avaliação benefício-risco da vacina; a vacina deverá ser utilizada em condições controladas com condução de estudo de efetividade, com delineamento acordado com a Anvisa e executado conforme Boas Práticas Clínicas; a Anvisa poderá, a qualquer momento, suspender a importação, distribuição e uso das vacinas importadas; dentre outros aspectos destacados no Voto do relator.

Na deliberação da Anvisa, também foram autorizados quantitativos reduzidos de doses a serem importadas para vacinação de 1% da população de cada um dos estados, o que permitirá o adequado monitoramento e ação imediata da Agência, caso seja necessário.

Veja os quantitativos da Sputnik V para os estados:

Rio Grande do Norte – 71.000 doses;

Mato Grosso – 71.000 doses;

Rondônia – 36.000 doses;

Pará – 174.000 doses;

Amapá – 17.000 doses;

Paraíba – 81.000 doses;

Goiás – 142.000 doses.

Fonte: CNN BRASIL 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas