Conecte-se agora

Bolívia suspende fechamento da fronteira entre Cobija e Brasiléia

Publicado

em

Diante do bloqueio instalado por cidadãos brasileiros nas pontes Internacional, em Epitaciolândia, e da Amizade, em Brasiléia, ambas ligações entre as cidades acreanas e a capital do departamento de Pando, Cobija, na Bolívia, o governo do país vizinho optou por suspender o fechamento da fronteira na manhã deste domingo, 11.

O bloqueio brasileiro foi feito como medida de protesto contra a decisão do governo boliviano de fechar a fronteira para impedir a entrada e disseminação da nova variante da Covid-19. Os brasileiros ameaçavam paralisar o trânsito de alimentos e combustíveis por tempo indeterminado, o que preocupou as autoridades bolivianas.

Por meio de nota, o Itamaraty e o Ministério da Saúde bolivianos fizeram o anúncio e autorizaram o trânsito, estabelecendo, no entanto, que as condições devem ser definidas com a República do Brasil, em coordenação com as autoridades subnacionais de Pando.

Nesse sentido, a governadora interina de Pando, Paola Terrazas, apontou que, após uma avaliação do primeiro fechamento de fronteira, a situação não era favorável para Cobija, por haver uma situação de interdependência econômica, sobre a qual ela enviou uma carta ao presidente Luis Arce, informando que, em decorrência dessas restrições, várias famílias bolivianas foram prejudicadas.

Por serem cidades gêmeas, as restrições geraram multidões em supermercados e longas filas durante as três horas do dia em que era permitido o trânsito entre Cobija, Epitaciolândia e Brasiléia. Apesar do anúncio estadual, as duas pontes ainda seguem bloqueadas neste domingo, até mesmo porque ocorrem as eleições regionais na Bolívia nesta data.

O ac24horas conversou com o presidente da Câmara de Vereadores de Epitaciolândia, Diojino Guimarães, que participou de uma reunião nesta manhã de domingo, entre autoridades brasileiras e bolivianas, entre elas o prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, e o vice-prefeito de Brasiléia, Carlinhos do Pelado, a respeitos das condições em que a fronteira será liberada.

“Ficou acertado que a fronteira vai abrir a partir de amanhã entre as 7 horas da manhã de às 10 horas da noite. Porém haverá medidas sanitárias, orientadas por uma barreira que prestará as informações na passagens entre as cidades. As pessoas deverão estar fazendo o uso de máscaras e de álcool em gel, além de outras para garantir a prevenção para a Covid-19”, disse o vereador.

A situação na região ficou tensa a partir deste sábado, 10, quando um grupo de brasileiros atravessou carros na Ponte Internacional, que liga Epitaciolândia a Cobija e fez ameaças de fechar as passagens, no lado brasileiro, para impedir a entrada dos bolivianos nos horários da janela de circulação, que foi aumentada de três para quatro horas diárias.

Houve disparos de rojões e palavras de ordem pedindo respeito às autoridades bolivianas, que estariam, segundo alguns manifestantes brasileiros, recebendo propina para permitir a passagens de algumas pessoas. Em um dos muitos vídeos publicados na internet é possível ver que a Ponte Internacional foi bloqueada com uma árvore no lado brasileiro.

No período da tarde, os protestos se concentraram na Ponte da Amizade, em Brasiléia, onde a passagem foi fechada com correntes, num ato simbólico de diversos trabalhadores, entre comerciantes e mototaxistas, contra o que os brasileiros classificaram de falta de respeito e humilhação por parte das autoridades bolivianas com os vizinhos de fronteira.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas