Conecte-se agora

Agricultores prejudicados com enchente no Acre pedem ajuda

Publicado

em

A Federação de Trabalhadores na Agricultura do Estado do Acre (FETACRE) afirma que cerca de 5 mil agricultores familiares foram atingidos pelas enchentes deste ano no estado. São aproximadamente 2.500 propriedades e um impacto financeiro de R$ 300 milhões na economia no Estado, segundo dados oficiais da Emater.

Diante da situação, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Acre (FETACRE) fez contato com os Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais dos municípios atingidos. “Vimos a necessidade construir uma campanha solidária porque as demais que estão sendo trabalhadas no estado estão auxiliando somente os moradores atingidos dos centros urbanos. Percebemos que os agricultores e agricultoras familiares estão sendo esquecidos(as) pelo poder público”, constatou o presidente da FETACRE, Antonio Sergioni.

A FETACRE e os Sindicatos dos municípios atingidos pelas enchentes procuraram o então secretário da Secretaria de Estado de Produção de Agronegócio (SEPA), Edivan Maciel de Azevedo, que foi substituído nos últimos dias, e apresentaram a preocupação quanto aos danos causados aos produtores(as), e cobraram medidas diante da situação. “Também solicitamos diagnóstico da situação dos agricultores e agricultoras familiares que tiveram perdas na produção, que foi feito pela equipe técnica da SEPA. Durante a reunião, o secretário da SEPA fez a exposição de informações e que medidas já estavam sendo tomadas”, informou Sergioni.

A CONTAG também vem acompanhando a situação do estado a partir de reuniões com a Diretoria da Federação e, inclusive, já foi divulgada nota da Confederação expressando a sua solidariedade às famílias atingidas e cobrando providências dos órgãos competentes. O secretário de Formação e Organização Sindical, Carlos Augusto Silva, o secretário de Finanças e Administração, Juraci Souto, o secretário de Política Agrícola, Antoninho Rovaris, a secretária de Políticas Sociais, Edjane Rodrigues, e a secretária de Jovens, Mônica Bufon, estão em diálogo direto com a FETACRE.

De posse das informações do diagnóstico da SEPA, a FETACRE e CONTAG fizeram um diálogo e decidiram pela construção da campanha Caravana de Solidariedade aos Agricultores e Agricultoras Familiares do Acre, com o mote “SOS ACRE AGRICULTURA FAMILIAR”, vinculada à Campanha Campo Conectado pelo Bem, criada pela CONTAG no início da pandemia. O objetivo é captar recursos para adquirir cestas básicas, produtos de higiene pessoal, viabilizar visitas às comunidades para fazer um diagnóstico mais preciso sobre os prejuízos nas lavouras, na entrega de insumos e no monitoramento das políticas públicas em execução para o enfrentamento à pandemia e aos prejuízos causados pelas enchentes.

“Precisamos de ajuda de todos e todas, de todo o país, nessa ação solidária aos agricultores e agricultoras familiares do estado do Acre. Estamos juntos e juntas em defesa da vida e da agricultura familiar”, destacou o presidente da CONTAG, Aristides Santos.

DOAÇÕES

As doações podem ser feitas com depósitos em conta ou Pix (dados abaixo), ou com a entrega presencial de cestas básicas, produtos de higiene pessoal, entre outras doações no endereço abaixo.

DADOS BANCÁRIOS:

Banco Cooperativo Sicredi S.A. – Bansicredi

Agência: 0805

Conta: 16668-8

Chave PIX: CNPJ 18.882.954/0001-30

ENDEREÇO: Avenida Getúlio Vargas, 2.578, Bairro Bosque, Rio Branco/AC. CEP: 69.900-589.

Destaque 6

Flaviano se livra de Duarte

Publicado

em

A carta de liberação do MDB para o deputado Roberto Duarte (MDB) não pode ser vista como apenas um documento formal e jurídico, no seu teor está explícito um recado ao parlamentar do tipo “já vai tarde”, quando diz que, ele não se enquadra nas diretrizes políticas. Quem esteve com o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, conta que, ele considera Duarte um ingrato, ao não reconhecer a briga que teve, o empenho, na defesa da sua candidatura a prefeito de Rio Branco. E, mais furioso ainda pelo fato dele estar indo se juntar a um adversário, no caso o senador Márcio Bittar (PSL). Leia Blog do Crica AQUI

Continuar lendo

Destaque 6

Câmara aprova MP que cria o Auxílio Brasil; texto vai ao Senado

Publicado

em

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (25) a medida provisória (MP) que cria o Auxílio Brasil, programa social do governo federal que substituiu o Bolsa Família.

A medida provisória foi editada pelo governo em agosto, mas precisa ser aprovada pelo Congresso até 7 de dezembro para virar lei em definitivo. O texto será enviado para análise do Senado.

Os pagamentos do Auxílio Brasil começaram em 17 de novembro, mesmo dia em que o governo liberou a última parcela do auxílio emergencial, pago em razão da pandemia do novo coronavírus.

Segundo o Ministério da Cidadania, neste primeiro mês serão contempladas mais de 14,5 milhões de famílias, que receberão um total de mais de R$ 3,25 bilhões.

Auxílio de R$ 400

O valor médio neste mês será de R$ 224,41 por família. O governo, no entanto, quer pagar R$ 400, mas ainda não informou de onde virá o dinheiro.

Esse valor chegou a ser anunciado em caráter provisório, até o fim de 2022, mas o governo decidiu torná-lo permanente.

A aposta do Executivo é usar o espaço fiscal aberto com a PEC dos Precatórios, em tramitação no Senado, para bancar o programa.

Nesta quarta (24), o líder do governo e relator da PEC, Fernando Bezerra (MDB-PE), apresentou seu parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O parecer confirma o caráter permanente do programa Auxílio Brasil, mas não define qual será a fonte dos recursos destinada a bancar o novo programa social.

Continuar lendo

Destaque 6

Estudo diz que o Acre não agiu por conta própria contra queimadas

Secretaria de Meio Ambiente diz que equipou e capacitou 40 brigadistas para atuar nas áreas de proteção estaduais

Publicado

em

As chuvas do inverno amazônico, que começaram a cair abundantemente a partir do mês de outubro, foram uma benção para a população do Acre, que desde agosto enfrentava os dissabores da alta temporada do fogo respirando um ar altamente poluído pela fuligem das queimadas que anualmente tomam conta de todas as regiões do estado.

Apesar de ainda serem detectados eventuais focos de calor nos meses de novembro e dezembro, o mês de pico das queimadas neste ano foi setembro, quando o estado figurou em várias oportunidades como a unidade da federação com mais registros de incêndios em períodos de 48 horas, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Até esta quarta-feira, 24 de novembro, o Acre acumula 8.882 focos de queimadas contra 9.181 do ano passado no mesmo período, uma diferença de menos 3%. Setembro foi o mês mais crítico, com 3.982 focos detectados pelo satélite de referência do Inpe. Neste mês de novembro, foram registrados apenas 9 focos de calor, sendo que nas últimas 48 horas houve apenas um registro.

Um levantamento feito pelo site ambiental O Eco, aponta que apesar de ter sido o campeão de focos de incêndio por hectare na Amazônia em 2020, mantendo essa liderança até outubro de 2021, o estado do Acre abriu mão de investir em equipes de combate ao fogo no período seco e acabou na dependência de São Pedro para acabar com as queimadas.

De acordo com as informações do levantamento, que foram divulgadas em reportagem assinada pelos jornalistas Fernanda Wenzel, Pedro Papini, Bettina Gehm e Naira Hofmeister, o Acre não contratou brigadistas, não buscou financiamento externo e muito menos parcerias com ONGs e prefeituras para custear a mão-de-obra extra para ser usada no combate às chamas.

Questionado sobre o assunto, o secretário de Meio Ambiente e Políticas Indígenas, Israel Milani, disse que o Acre Semapi equipou e capacitou, em parceria com a ong WWF e o Corpo de Bombeiros (CBMAC), um total de 40 brigadistas comunitários que atuam diretamente no combate às queimadas, fazendo o trabalho inicial de contenção do fogo antes da chegado dos bombeiros.

“Houve uma tratativa do CBMAC com o Ministério da Justiça, por meio do Governo Federal, e o Acre recebeu o apoio no combate às queimadas. Essa iniciativa foi reconhecida pelo projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia (Psam/ASL) e neste ano a Semapi fez o pagamento de bolsas para os brigadistas das APA’s (Áreas de Proteção Permanente) Igarapé São Francisco e Lago do Amapá”, explicou.

Sobre recursos externos, Milani também ressaltou que o Acre tem aprovados projetos da ordem de R$ 70 milhões para acesso a recursos do Fundo Amazônia, gerido pelo BNDES. O estado é beneficiário de projetos de colaboração financeira não reembolsável, como o Projeto de Valorização do Ativo Ambiental Florestal (VAAF) e o Cadastro Ambiental Rural (CAR).

O Projeto de Valorização do Ativo Ambiental Florestal (VAAF) tem o objetivo de Fomentar práticas sustentáveis de redução do desmatamento, com pagamento por serviços ambientais, valorizando o ativo ambiental e florestal para consolidar uma economia limpa, justa e competitiva, fundamentada no Zoneamento Ecológico Econômico.

Já o Cadastro Ambiental Rural (CAR), juntamente com o Programa de Regularização Ambiental (PRA), configuram-se como importantes ferramentas de planejamento de propriedades rurais e de recuperação de áreas degradadas. O CAR compõe bases de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento.

Continuar lendo

Destaque 6

Estudo identifica prevalência da variante Delta em Rondônia

Publicado

em

De agosto de 2021 até esta última semana de novembro, foram sequenciadas 310 amostras de indivíduos infectados pelo Sars-CoV-2, oriundas de mais de 40 municípios do estado de Rondônia. Dessas, 51,61% foram caracterizadas como variante Delta e 48,38% como variante Gamma. O estudo mostra também a presença das subvariantes da Gamma como: P.1.4; P.1.7; P.1.14; P.1.11 e P.1.12 e subvariantes de Delta como: AY.43; B.1.617.2; AY.4 e AY.39.

O estudo é realizado pelo Laboratório de Virologia Molecular da Fiocruz Rondônia em colaboração com a Rede de Vigilância Genômica da Fiocruz, Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen/RO) e o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

Os resultados são sistematizados e enviados mensalmente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), para o acompanhamento das variantes circulantes na região, favorecendo a adoção de medidas sanitárias adequadas em diferentes momentos da pandemia.

Dados epidemiológicos deste estudo mostram que a faixa etária com maior prevalência entre os infectados foi de 21 a 50 anos, com um percentual de 60,64%. De acordo com Deusilene Vieira, chefe do Laboratório de Virologia Molecular da Fiocruz Rondônia, no estudo foi identificado que 106 indivíduos infectados pelo Sars-CoV-2 desenvolveram quadros moderado e grave da doença, necessitando de internação hospitalar. Desses, 80,35% não eram imunizados ou imunizados parcialmente.

A pesquisa também comprovou que, no grupo composto por indivíduos não hospitalizados, 65,80% dos infectados foram imunizados com as duas doses da vacina e desenvolveram quadro leve da doença, o que para os pesquisadores representa claramente os efeitos positivos da vacinação, “uma forma segura e efetiva para a não evolução da doença para os casos moderados e graves de Covid-19”, reforçou Deusilene Vieira.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas