Conecte-se agora

Acre tem quase meio bilhão em obras que não saem do papel

Publicado

em

Secretaria de Planejamento e Gestão corre contra o tempo e Palácio Rio Branco sabe que as obras são importantes para projeto de reeleição em 2022. Bancada federal começa a apresentar números de projetos que desde 2019 estão com recursos disponíveis e sequer foram licitados.

A reclamação que vem sendo feita desde o início do ano pela bancada federal formada por deputados e senadores agora é oficial. O governador Gladson Cameli admitiu a necessidade de acelerar projetos para que as obras saiam do papel.

Oficialmente, segundo a Secretaria de Planejamento (SEPLAG), que tem um coronel à frente, Ricardo Brandão, é quase meio bilhão em investimentos que estão apenas na boa vontade de serem executadas.

Desse montante, segundo a SEPLAG, R$ 200 milhões em obras que já estão licitadas e em processo de homologação e outros R$ 290 milhões para serem licitadas até maio.

De acordo com apuração do ac24horas, existem recursos que ainda não foram colocados para “rodar” – como diz a gíria da construção civil – que são do orçamento de 2019. É o caso de R$ 17,7 milhões da orla do bairro XV, um investimento de contenção do barranco do rio Acre e revitalização de uma das regiões mais antigas da capital. A emenda extra orçamentária é da deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-AC).

Outro financiamento de intervenção na infraestrutura urbana, diz respeito à construção do primeiro viaduto em Rio Branco. R$ 20 milhões foram alocados por emenda de bancada do deputado federal Alan Rick (DEM), em 2020. Em setembro do ano passado, a previsão era que em 60 dias o projeto arquitetônico tivesse sido finalizado e a licitação deveria ter ocorrido no início de janeiro.

Cada deputado federal tem em média R$ 50 milhões em projetos para serem executados. O pífio desempenho na transformação desses projetos em obras, levou alguns parlamentares a firmar convênios direto com as prefeituras em 2021.

Segundo relatório divulgado pela representação do governo do Acre em Brasília, das emendas de bancada, R$ 70 milhões a menos em 2021, foram alocadas nos cofres públicos do estado. Do total de R$ 241 milhões, os 11 parlamentares vão investir apenas R$ 170 milhões diretamente com o Palácio Rio Branco. Outros R$ 6 milhões são aplicações diretas.

Exaustivas reuniões de alinhamento promovidas pela SEPLAG tentam, a pedido do governador Gladson Cameli, tirar os projetos do papel. Mas, o estado enfrenta sérias dificuldades de gestão dos projetos na Secretaria de Desenvolvimento Regional, por onde passaram três secretários em menos de um ano e, na minúscula equipe de licitação ligada à Secretaria da Fazenda.

A correria nas escadarias do Palácio Rio Branco é intensa também para salvar pelo menos o início das obras das duas maiores promessas de campanha do governador Gladson Cameli: as pontes da Sibéria (Xapuri) e da ligação do primeiro e segundo distrito em Sena Madureira. Segundo a reportagem apurou, em termos de projetos, apenas a ponta da Sibéria tem situação avançada. O desanimador é que nenhum dos dois projetos têm previsão orçamentária.

Colocados no paredão, os deputados federais e senadores começaram a divulgar as emendas de 2021 de olho no retrovisor. Essa semana, a assessoria de imprensa oficial correu durante o feriado para esclarecer o montante destinado pela bancada federal para o combate à covid-19, depois de o senador e coordenador da bancada, Sergio Petecão (PSD) divulgar valores destinados ao Acre publicamente.

“Apresentamos onde estão sendo alocados os recursos dos convênios firmados, qual o andamento desses recursos, seja na parte de obras ou de equipamentos e pactuamos as medidas que vamos adotar para reverter os recursos em obras o mais rápido possível. O governador tem pressa, e queremos dar celeridade na execução dos convênios e assim transformar os projetos em resultados sociais”, explicou Ricardo Brandão, secretário de Estado de Planejamento à Agência de Notícias do Acre.

Destaque 6

Datafolha para presidente: Lula tem 47%; e Bolsonaro, 33%

Publicado

em

Pesquisa Folha/Globo/Datafolha divulgada nesta quinta-feira (22) mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente, com 47% das intenções de voto na corrida pelo Palácio do Planalto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 33%. O primeiro turno das eleições acontece em 2 de outubro.

Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 7%; Simone Tebet (MDB), com 5%; Soraya Thronicke (União Brasil), com 1%.

A parcela dos que dizem que votarão em branco ou nulo representa 4% dos entrevistados. Os indecisos e os que não responderam somam 2%.

A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Foram ouvidas 6.754 pessoas face a face entre terça-feira (20) e esta quinta (22). A pesquisa, encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo, foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-04180/2022. O nível de confiança da pesquisa é 95%.

O Datafolha também testou um cenário de segundo turno. Confira abaixo os resultados.

Primeiro turno

Intenção de voto estimulada para presidente:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 47%

Jair Bolsonaro (PL) – 33%

Ciro Gomes (PDT) – 7%

Simone Tebet (MDB) – 5%

Soraya Thronicke (União) — 1%

Felipe D’Avila (Novo) – 0

Sofia Manzano (PCB) – 0

Vera Lucia (PSTU) – 0

Leonardo Péricles (UP) – 0

José Maria Eymael (DC) – 0

Padre Kelmon (PTB) – 0

Brancos e nulos – 4%

Indecisos – 2%

Segundo turno

Intenção de voto estimulada para presidente:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 54%

Jair Bolsonaro (PL) – 38%

Brancos e nulos – 7%

Indecisos – 2%

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

Continuar lendo

Destaque 6

Cruzeiro do Sul é o vencedor do Copão do Vale do Juruá

Publicado

em

A seleção de futebol de Cruzeiro do Sul, que venceu a de Mâncio Lima por 1 a 0, sagrou-se campeã do Copão Vale do Juruá na noite desta quarta-feira, 21, no Estádio o Cruzeirão.

Na outra partida da noite, a seleção de Rodrigues Aves perdeu de 1 a 0 do Guajará no Amazonas, que ficou em terceiro lugar na competição iniciada no sábado, 17.

As competições marcaram a reabertura do Estádio O Cruzeirão, que passou por uma reforma e ganhou iluminação de led. Em todos os jogos do Copão, o Estádio ficou lotado. Os torcedores não pagaram para assistir aos jogos de times e nem as equipes tiveram gastos com taxas, uniformes e outros itens. O recurso de uma emenda parlamentar também garantiu os troféus e medalhas para os campeões das competições.

Continuar lendo

Destaque 6

Tarauacá diz que show de Amado Batista será pago pelo governo, mas extrato indica recursos próprios

Publicado

em

Depois de esclarecer que a contratação do cantor Amado Batista para se apresentar no Festival do Abacaxi, que será realizado nos dias 7, 8 e 9 de outubro, seria bancada com recursos repassados pelo governo do Estado via convênio, a Prefeitura de Feijó publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (22) o Extrato nº 50/2022, referente ao contrato com a empresa que representa o artista dando a entender que os recursos são, na verdade, do município.

No documento, consta como fonte do recursos a indicação 001 (RP), que significa “Recursos Próprios”. Questionada, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura reforçou que a despesa com a contratação de Amado Batista será paga com dinheiro repassado pela Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo (SEET) via convênio com o município. Ainda segundo a Assessoria, a informação que consta do extrato publicado no DOE foi um “erro material” e que será corrigido nesta sexta-feira (23).

Em novo contato, a Assessoria Jurídica da Prefeitura de Tarauacá informou que o repasse feito pelo governo via SEET foi de R$ 250 mil, o que significa que o município destinará o valor de R$ 10 mil em recursos próprios para complementar o pagamento do cachê do cantor de renome nacional, que é de R$ 260 mil, segundo o edital de inexigibilidade de licitação, para os 80 minutos de duração prevista para a apresentação de Amado Batista.

No Termo de Convênio nº 012/2022 firmado entre a Secretaria de Empreendedorismo e Turismo com Prefeitura de Tarauacá e publicado no Diário Oficial no dia 1º de julho de 2022, não está explicitado que os R$ 250 mil repassados ao município têm o fim específico de pagar o show de Amado Batista, mas como objeto da cooperação para a realização do evento, um dos maiores do calendário cultural do município.

O Termo de Convênio ainda diz que “o detalhamento dos objetivos, metas e etapas de execução com os respectivos cronogramas, devidamente justificados para o período de vigência deste Convênio, constam no Plano de Trabalho e no respectivo Projeto Técnico, integrantes deste instrumento, independente de transcrição”.

Em junho deste ano, os shows dos cantores Thaeme e Thiago, Kelvin Araújo e Eros Biordini, que se apresentariam na Expo Tarauacá, no mesmo município, cujas contratações pela prefeitura custariam R$ 340 mil aos cofres públicos, foram suspensos por determinação da Justiça. Após isso, a prefeitura cancelou a realização do festival.

Naquele mesmo mês, o procurador-geral de Justiça, Danilo Lovisaro, e o corregedor-geral, Álvaro Luiz Araújo Pereira, pediram atenção dos promotores aos atos do Poder Público, especialmente às prefeituras, relacionados à contratação direta de profissionais do setor artístico ou por meio de empresários.

Isso tudo aconteceu em meio a uma onda de determinações judiciais para suspensão de shows a pedido do Ministério Público que causaram repercussão no estado como continuidade de uma onda de procedimentos semelhantes em outros locais do país que gerou uma verdadeira crise relacionada aos shows contratados por prefeituras.

Continuar lendo

Destaque 6

Acreano tem que trabalhar 105 horas para comprar um sacolão

Publicado

em

Em agosto, o preço da banana caiu 11,56% no custo total da cesta básica em Rio Branco. Além da fruta, a farinha de mandioca, cujo preço caiu 6,51%, foram os itens com maior percentual de aumento de preço em relação a julho, enquanto o tomate (-8,75%) e o óleo (-7,18%) foram os itens que apresentaram maior queda.

São três cestas pesquisadas: alimentar, higiene pessoal e limpeza.

Segundo a pesquisa dos custos das cestas básicas em Rio Branco realizada pela Secretaria de Planejamento, houve queda de -3,51% na cesta de higiene pessoal e leve alta no valor das cestas de alimentação (0,23%) e de limpeza doméstica (0,49%), quando comparadas ao mês de julho.

Os dados foram coletados em 69 estabelecimentos comerciais, compostos por mercados varejistas de grande, médio e pequeno porte, açougues e panificadoras, distribuídos em 40 bairros de Rio Branco.

O custo total da cesta básica alimentar para um indivíduo foi de R$ 493,90, uma alta de 0,23% em relação a julho, conforme a tabela 1. Dos 14 produtos da cesta, houve alta de preços em 8 itens, sendo -conforme já citado – na banana o mais expressivo (11,56%), seguido pela farinha de mandioca (6,51%), leite (5,72%), mandioca (4,67%), manteiga (3,24%) e frango (1,28%). Em seis produtos houve recuo de preço, com destaque para o tomate que registrou variação negativa de -8,90%, seguido pelo óleo (-7,18%), carne (-1,98%), pão (-1,88%) e feijão (-1,16%). Os dados mostram que após dois meses de queda em 2022, a cesta alimentar voltou a subir em julho e agosto.

“Para comprar as três cestas, em agosto um trabalhador comum precisou trabalhar cerca de 105 horas e 46 minutos”, informa a Seplag.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.