Conecte-se agora

Léo diz que Bolsonaro foi o maior aliado do coronavírus

Publicado

em

Cidades de todo o Brasil foram palco neste sábado, 23, de carreatas em defesa do impeachment de Jair Bolsonaro (Sem partido).  As manifestações, que começaram cedo, também pediram vacina para todos e a continuidade do auxílio emergencial.

Em Rio Branco, a manifestação começou por volta das 15:30 na Uninorte. Ao ac24horas,  o deputado federal Leo de Brito (PT) defendeu a abertura do processo de impeachment pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). 

Ele destacou que o movimento pró-impeachment é organizado pela sociedade civil brasileira e pontuou que o movimento não tem dono ou cor partidária.

“É um movimento de vacina para todos, em defesa do SUS, pela continuidade do auxílio emergencial e sobretudo um movimento para a volta da dignidade do Brasil. O movimento não tem dono. O Brasil simplesmente está sendo abandonado pela irresponsabilidade de Bolsonaro que resultou nas mais de 200 mil mortes na pandemia, porque ele com a sua irresponsabilidade foi o maior aliado do coronavírus. Não dá mais”, afirmou. 

Ao ser indagado sobre os pedidos de impeachment de Dilma e Bolsonaro, Leo argumentou que existe diferença entre os casos. Segundo o petista, Bolsonaro cometeu mais de 20 crimes de responsabilidade. 

“A diferença é que tem mais de 20 crimes de responsabilidade cometidos por Bolsonaro e não sou eu que estou falando, são juristas do Brasil todo. No caso da Dilma, não houve crime de responsabilidade, tanto que o Eduardo Cunha revelou em seu livro.  No caso de Manaus, ele mostra bem isso. Bolsonaro também usa as estruturas do Estado para salvar os filhos da justiça. O povo tá na míngua e sem emprego, sem auxílio. A miséria tá voltando e o Brasil tá o caos” destacou.

Anúncios

Acre

FIEAC entrega doações a famílias atingidas pela enchente em Sena

Publicado

em

Em mais uma ação para minimizar o sofrimento e os prejuízos das famílias atingidas pelas enchentes no estado, a Federação das Indústrias do Acre (FIEAC) entregou alimentos nesta quinta-feira, 4 de março, em Sena Madureira. As doações foram recebidas pelo prefeito da cidade, Mazinho Serafim. 

A iniciativa faz parte da campanha Indústria Solidária, que reúne FIEAC e sindicatos industriais. “Agradeço de coração toda equipe da FIEAC, o presidente José Adriano e sindicatos da indústria por tão importante ajuda. A população de Sena Madureira passa por uma situação de verdadeira calamidade pública. Estamos servindo diariamente, só de almoço e janta, cerca de 3 mil refeições nos abrigos públicos. É uma mobilização muito grande e sem auxílios como esse seria impossível prestar toda assistência que as famílias necessitam”, salientou o prefeito Mazinho Serafim. 

O ato de entrega das doações teve a presença dos diretores da FIEAC, João Paulo Pereira, José Afonso Boaventura e Elson Dantas. “É gratificante contribuir com nossa população em um momento tão difícil como o atual. O presidente Adriano conseguiu realizar uma grande mobilização para ajudar as famílias afetadas pela alagação e alcançaremos diversos municípios com a campanha Indústria Solidária”, frisou João Paulo Pereira, vice-presidente da FIEAC. 

O empresário José Afonso Boaventura também se mostrou feliz por contribuir com a população de Sena Madureira. “A FIEAC e o setor industrial estão sempre sensíveis e dispostos a ajudar nos momentos adversos que o Acre enfrenta. Temos visto o esforço do prefeito Mazinho Serafim e certamente esses produtos vão auxiliar bastante na assistência às famílias que tiveram suas casas alagadas e precisaram ir para abrigos públicos”, destacou o diretor da FIEAC. 

O presidente da FIEAC, José Adriano, reforça que outros municípios receberão apoio nos próximos dias. “O setor industrial acreano está mobilizado e já buscamos apoio também de federações de outros estados para ajudar o máximo possível as famílias castigadas por essa alagação. É importante enfatizar que temos um compromisso de priorizar as indústrias e empresas locais na compra dos produtos que estão sendo doados, como uma forma de auxiliar os empreendimentos do estado que estão sendo fortemente prejudicados por toda essa crise”, acrescentou José Adriano.

Assessoria FIEAC    

Continuar lendo

Acre

Secretário diz que Bocalom recebeu apenas R$ 8,4 mil de diárias

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

O secretário da Casa Civil, Artur Neto, publicou uma nota nesta quinta-feira (4), explicando acerca do recebimento das diárias dos últimos 30 dias do prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (Progressistas).

O secretário afirma que embora conste no Portal da Transparência da prefeitura de Rio Branco quatro empenhos para viagens à Brasília (DF), a primeira delas, marcada para o dia 02 de fevereiro, não ocorreu, tendo sido adiada para outra data, que consta do segundo empenho, datado para início no dia 07/02.

O secretário explicou que apesar do Portal da Transparência colocar as diárias da primeira viagem que foi cancelada como pagas, o portal não mostra o estorno dos valores dessas diárias.

“Esclarecemos que a legislação determina que o empenho e pagamento de diárias sejam anteriores ao deslocamento, o que tem sido feito rotineiramente cumprido pela Administração Pública Municipal. Se por algum motivo esta não ocorrer, o valor creditado na conta do servidor público deve ser estornado, o que de fato aconteceu, tendo sido feita a devolução dos créditos depositados na conta do prefeito, conforme comprovantes abaixo, no valor de R$ 6.8 mil. O Portal da Transparência não divulga a devolução de diárias canceladas, o que já está sendo providenciado pela equipe técnica, para evitar esse tipo de desinformação.” afirmou

Em outro trecho, o secretário afirmou que o prefeito fez três viagens durante os últimos 30 dias totalizando R$ 8,4 mil diárias, que foram creditadas em sua conta.

Por fim, o secretário ressaltou que as viagens realizadas pelo prefeito tem o objetivo de captar recursos para amparar as pessoas desabrigadas pelas enchentes provocadas pelas chuvas, melhorar o sistema de vacinação contra a Covid-19 e ampliar as medidas preventivas contra dengue, além de outras pautas de vital importância para a população.

“E é necessário deixar bem claro que quando o prefeito viaja para visitar a família dele, todas as despesas são pagas com recursos pessoais, o que não o obriga justificação e ainda que o prefeito preza tanto pela seriedade com a coisa pública que ele não tem usado o veículo oficial da prefeitura para realizar seus deslocamentos de casa para a prefeitura e no trabalho do dia a dia, pagamento inclusive o combustível do seu carro com recursos próprios”, afirmou.

Continuar lendo

Acre

Acre tem 7 óbitos e quase 400 casos de Covid-19 em 24 horas

Publicado

em

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) registrou 378 casos de infecção por coronavírus nesta quinta-feira, 4, sendo 240 casos confirmados por exame de RT-PCR e 138 testes rápidos. O número de infectados saltou de 58.506 para 58.884 nas últimas 24 horas.

Até o momento, o Acre registra 160.895 notificações de contaminação pela doença, sendo que 101.050 casos foram descartados e 961 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 51.260 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 347 pessoas seguem internadas.

Mais 7 notificações de óbitos foram registradas nesta quinta-feira, dia 4, sendo 4 do sexo masculino e 3 do sexo feminino, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.037 em todo o estado.

Óbitos do sexo masculino:

Morador de Rio Branco, J. B. A., de 63 anos, deu entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), no dia 22 de fevereiro, e faleceu no dia 2 de março.

Morador de Rio Branco, J. C. G., de 60 anos, deu entrada no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), no dia 25 de fevereiro, e veio a óbito nesta quarta-feira, dia 3 de março.

F. R. A., de 63 anos. Morador de Rio Branco, deu entrada no dia 22 de fevereiro, no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), vindo a falecer no dia 3 de março.

Morador de Rio Branco, P. L. S., de 77 anos, deu entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), no dia 24 de fevereiro, e faleceu no dia 3 de março.

Óbitos do sexo feminino:

Moradora de Assis Brasil, W. A., de 30 anos, deu entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), no dia 19 de fevereiro, e faleceu no dia 3 de março.

Moradora de Plácido de Castro, M. L. S. S., de 77 anos, deu entrada no dia 21 de fevereiro, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e veio a óbito no dia 3 de março.

Moradora de Rio Branco, M. E. M. S., de 41 anos, deu entrada no dia 25 de fevereiro, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e veio a óbito nesta quinta-feira, dia 4 de março.

Continuar lendo

Acre

Leo de Brito ingressa ação no STF contra Bolsonaro por censura

Publicado

em

O deputado federal Leo de Brito (PT-AC) ingressou nesta quinta-feira, 4, com ação no Supremo Tribunal Federal (STF), contra o ato produzido pelo Ministério da Educação (MEC) de censura a professores e violação a liberdade de expressão no ambiente universitário.

A ação do parlamentar acreano, assinada junto com a advogada e professora Samarah Mota, questiona documento encaminhado no último dia 7 de fevereiro às instituições de ensino superior de todo o país em que pede a tomada de providências com objetivo de “prevenir e punir atos político-partidários nas instituições públicas federais de ensino”.

A orientação aos dirigentes das universidades é baseada numa recomendação de 2019 do procurador-chefe da República em Goiás, Ailton Benedito de Souza, que diz que uma manifestação política contrária ou favorável ao governo representa malferir “o princípio da impessoalidade”.

Leo de Brito, que é professor do curso de Direito da Universidade Federal do Acre desde 2017, repudiou a ação e disse estar estarrecido com a escalada autoritária que o governo Bolsonaro tem perpetrado diante da educação.

“Este ato viola o direito fundamental de liberdade de expressão de professores e alunos de todo o país. Uma ação autoritária que afronta diretamente a decisão do STF na ADPF 548 do Distrito Federal (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental), que garantiu a liberdade de expressão, a liberdade cientifica, a liberdade de cátedra, e a autonomia universitária”, explicou o deputado.

O parlamentar também se solidarizou com os professores da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Curi Hallal e Eraldo dos Santos Pinheiro, punidos por emitirem opiniões contrárias a Bolsonaro. Para não serem alvos de processo administrativo, que poderia levá-los a demissão, os docentes tiveram que assinar Termo de Ajustamento de Conduta proposto pela Controladoria Geral da União.

“Um verdadeiro absurdo, são ações conectadas com objetivo claro de censura, nesse caso a CGU impôs mordaça a professores por dois anos por se manifestarem publicamente contra o desgoverno de Bolsonaro, isso é inaceitável! A ditadura militar no Brasil acabou há mais de 30 anos, mas infelizmente estão querendo ressuscitá-la, eu quero repudiar esse tipo de ação, já não bastam as quase 2 mil mortes diárias que estamos tendo por conta desse governo negacionista, a escalada autoritária contra as instituições, agora querem calar professores e as universidades, isso não vamos aceitar de forma alguma”, finalizou Leo de Brito.

Além da Reclamação Constitucional impetrada no STF, o parlamentar também pediu a convocação do ministro da Educação na Câmara dos Deputados para dar explicações sobre o ato autoritário e com fins de censura a liberdade de expressão e a autonomia universitária.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas