Conecte-se agora

Mulher acusa policial do Acre de tê-la espancado e Militar diz que agiu em legítima defesa

Publicado

em

Com fotos que mostram diversas marcas de agressão física, a internet foi tomada nesta terça-feira, 5, pelo depoimento de uma jovem e de dezenas de mensagens de apoio contra uma agressão sofrida por Joyce Meirelles na noite do último Réveillon, em Rio Branco. De acordo com a denúncia feita nas redes sociais, o agressor seria um cabo da Polícia Militar do Acre, que também seria lutador de taekwondo.

Em vídeos publicados no Instagram, Joyce aparece chorando e contando parte da história, mas não identifica o nome do agressor. Ela chega a mostrar parte do seio, onde é possível ver um forte hematoma “Eu não posso falar muita coisa, mas estou saindo da corregedoria, acompanhada de um advogado, fui machucada por todo o corpo. Inclusive, na cabeça onde tive início de traumatismo craniano. Não vou desistir do processo, nem de ir buscar a justiça. O que eu passei, muitas mulheres passam também”, conta.

Em outro trecho do vídeo, a jovem afirma que não há justificativa para que um policial militar, faixa preta em arte marcial, cometa a agressão. “Um professor de taekwondo, batendo em uma mulher dessa maneira, isso não tem justificativa”. Nas publicações, Joyce mostra os antidepressivos que conta que tem tomado desde o dia da agressão.

[videopress exkUiWPy]

Joyce revelou o motivo da agressão. Conta que durante uma discussão acabou jogando uma taça em outra mulher. Ao perceber que a agressão resultou em um corte na vítima decidiu ir embora. Nesse momento teria tido início a agressão por parte do cabo da PM.

A versão do PM

O ac24horas conversou com o militar acusado da agressão. Trata-se do cabo da Polícia Militar Jarleson Lima que deu sua versão dos fatos. Em um extenso relato, ele conta como os fatos aconteceram, diz que fez uso progressivo e necessário de força e agiu em legítima defesa de terceira.

Leia o relato do PM.

Policial Militar Jarleson Lima

Acontece que no dia 1° de janeiro, durante uma comemoração de réveillon totalmente familiar, o amigo de um parente chegou na festa acompanhado dessa cidadã, que passou a ingerir bastante bebida alcoólica e em determinado momento por motivo de ciúmes se apossou de uma taça de vidro e começou a atacar uma outra moça que estava na companhia de meu irmão, realizando várias perfurações na face da menina, momento em que eu, enquanto policial militar e temendo por meus familiares que estavam próximos da briga, inclusive minha irmã grávida de 7 meses e minha esposa, me identifiquei como PM e agi em legítima defesa de terceiro, tentando cessar a injusta agressão e retirar a agressora de perto de meus familiares e da vítima. Fiz uso progressivo e necessário da força até que a mesma saísse de dentro da propriedade de meu familiar e entrasse no carro para ir embora, momento em que quando a mesma se preparava para deixar o local começou a gritar que “ela era da facção B13 e que todo mundo ali iria se fuder”.

De imediato a vítima que teve o rosto perfurado foi levada às pressas para receber atendimento hospitalar tendo em vista que seus rosto totalmente dilacerado não parava de san

grar, e eu me dirigi até a delegacia da regional para registrar um boletim de ocorrência de toda minha ação, tendo em vista que a mesma foi totalmente proporcional e legal conforme determina a lei.

Acontece que desde então, minha imagem tem sido compartilhada em redes sociais com recompensa para quem souber o meu endereço, bem como ligações com ameaças de um suposto irmão da vitima se dizendo membro da referida facção criminosa.

Acredito na justiça dos homens e mais ainda na justiça de Deus, e tenho total convicção da legalidade de minha ação e estou com a sensação de dever cumprido de ter impedido um possível homicídio, tendo em vista que se um dos cortes tivessem atingido uma artéria a vítima poderia ter sangrado até a morte no local.

Rosto da jovem que teve rosto cortado após Joyce usar uma taça de vidro

Destaque 7

Apenas 9% das acreanas doam ou já doaram leite materno

Publicado

em

O estudo feito pela Famivita com mais de 2,4 mil mulheres entre 8 e 17 de junho de 2022 e publicado neste começo de agosto lembra que o leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças.

E dada a importância da amamentação, em 1992, a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno e; todos os anos, define um tema a ser explorado e lança materiais que são traduzidos em 14 idiomas com a participação de cerca de 120 países.

A semana mundial da amamentação vai de 1 a 7 de agosto, e este ano tem como tema “Fortalecer a Amamentação: educando e apoiando”. Tendo em vista a relevância do tema, no Brasil o mês de agosto é dedicado à conscientização da importância do aleitamento materno, e é chamado de Agosto Dourado.

Dentre os objetivos do Agosto Dourado está a doação de leite humano, afinal existem bebês prematuros que precisam deste alimento. E toda mulher que amamenta e produz um volume de leite além da necessidade do seu bebê, é uma possível doadora de leite humano. “Porém, conforme constatamos em nosso mais recente estudo, 82% das brasileiras que estão em período de amamentação ou que já amamentaram, nunca doaram o seu leite para um banco de leite humano. Principalmente as mulheres dos 18 aos 24 anos, com 90% das participantes”, diz a Famivita.

Dado o baixo percentual de mulheres que já doaram leite humano, o percentual de participantes que conhecem outras mulheres que já doaram leite humano, também é baixo. Somente 36% das brasileiras conhecem alguém que já doou seu leite para um banco de leite humano.

Principalmente as mulheres dos 35 aos 44 anos, com 44% das participantes afirmando conhecer alguém que já doou leite humano.

No Rio Grande do Sul, 31% das participantes conhecem doadoras de leite humano.

No Rio de Janeiro e em Santa Catarina, pelo menos 34% têm conhecidas que doam leite.

Já em São Paulo e em Minas Gerais, 37% das entrevistadas conhecem mulheres que doam leite para bancos de leite humano.

Apenas 9% das acreanas doam ou já doaram leite materno, 4º menor índice do país, segundo a pesquisa. Na Paraíba, líder do ranking, 22% doam leite, e no Amapá, útimo entre os Estados, apenas 8% tem este compromisso.

O ac24horas encaminhou mensagem a responsáveis pelo Banco de Leite do Acre e aguarda entrevista sobre o tema.

Continuar lendo

Destaque 7

Mais de 9 mil enfermeiros são beneficiados no Acre com piso

Publicado

em

O presidente da República Jair Bolsonaro sancionou e publicou na edição desta sexta-feira (5) do Diário Oficial da União a lei que estabelece o piso nacional da Enfermagem em todo o território nacional. Entretanto, o governo decidiu vetar o dispositivo que garantia o reajuste anual automático dos valores com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

No Acre, segundo o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) a medida deve atender a pelo menos 9.226 profissionais auxiliares, técnicos e enfermeiros.

De acordo com o texto promulgado, a remuneração mínima de enfermeiros deverá ser fixada em R$ 4.750,00, 70% deste valor para técnicos e 50%, para auxiliares e parteiras. Os pisos salariais deverão ser aplicados por todos os setores até o início do próximo exercício financeiro.

Continuar lendo

Destaque 7

Espaço Indústria entusiasma expositores e visitantes da Expoacre 2022  

Empresários elogiam o galpão e acreditam em resultados positivos de visibilidade das marcas e prospecção de novos negócios  

Publicado

em

O Espaço Indústria é referência há muitos anos na Expoacre. O galpão, que acomoda empresas industriais e também FIEAC, IEL, SESI, SENAI e o Fórum Empresarial de Inovação e Desenvolvimento do Acre, é um dos locais da feira de negócios que recebe um grande número de visitantes.

E esse movimento intenso de pessoas é uma verdadeira vitrine para as empresas. Segundo Luciana Mendonça, proprietária do Café Contri, tem sido surpreendente a quantidade de visitantes que o estande da empresa tem recebido. “Estamos surpresos e felizes. Organizamos um espaço aconchegante para demonstrarmos o tamanho da nossa saudade depois de dois anos sem Expoacre. Fizemos um estande sustentável, mas não estamos restritos a esse espaço, pois temos nossas colaboradoras ambulantes levando o Café Contri para todos os lugares do Parque de Exposições”, comentou.

A empresária também elogia a organização da FIEAC e da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) na organização do Espaço Indústria. “Esse local é extremamente estratégico para demonstrar a força e a união da indústria, além de dar visibilidade a tudo que é produzido no Acre. A organização está de parabéns e os resultados são muito positivos”, ressaltou Mendonça.

Já os empresários Stanley Smith e Arytana Guimarães, proprietários da Farofa Cruzeiro, vieram de Cruzeiro do Sul especialmente para expor seu produto na feira. “É nossa primeira vez na Expoacre. Além de experimentarem e comprarem, alguns clientes já pretendem levar nossa farofa para fora do estado e comprar em grande quantidade”, revelou Smith. “Aqui, pudemos mostrar que, além da tradicional farinha de Cruzeiro do Sul, temos essa farofa pronta para consumo e que traz grande praticidade. Estamos muito felizes por essa oportunidade de estar no Espaço Indústria da Expoacre”, acrescentou Arytana.

O secretário de Indústria, Ciência e Tecnologia, Assurbanípal Mesquita, diz que é gratificante receber feedbacks positivos dos empresários do setor industrial e ressaltou que o governo, em parceria com a FIEAC, fez um esforço justamente com o objetivo de melhorar a infraestrutura do Espaço Indústria. “Com isso, ganham todos, o poder público, a iniciativa privada e a nossa população”, pontuou.

Presidente da FIEAC, o empresário João Paulo de Assis também demonstra satisfação em ver que o Espaço Indústria tem sido aprovado tanto pelos visitantes como pelos empresários. “Esse galpão foi pensado e construído com muito carinho e esforço. O sucesso é fruto do empenho dos nossos colaboradores, da parceria com o governo e com o setor produtivo. Esta edição da Expoacre resgata a autoestima dos nossos empresários”, assinalou.

Aprovação do público – Visitante da feira, o autônomo Augusto César Freire diz que, no Espaço Indústria, pôde conhecer melhor o trabalho de algumas empresas. “A gente compra certos produtos no supermercado, mas ver aqui na Expoacre é diferente. Temos realmente que valorizar o que é produzido no Acre e nossas indústrias têm, sim, grande qualidade”, salientou.

Continuar lendo

Destaque 7

Presidente licenciado da Fieac dialoga com fundador da entidade e reafirma compromisso

Publicado

em

O início da terça-feira, 2, foi especial para o presidente licenciado da Federação das Indústrias do Acre (Fieac) e pré-candidato a deputado federal José Adriano. Isso porque ele teve uma grata surpresa: reencontrar o ex-presidente e um dos fundadores da entidade, o empresário Mirtil Carvalho, acompanhado do empreendedor Sérgio Barros. No encontro, eles dialogaram sobre o atual cenário econômico do estado e o atual mandatário reafirmou o compromisso com todo o setor produtivo local.

Ao longo da conversa, o pré-candidato e o ex-presidente da Federação analisaram o atual momento da Fieac, os primórdios dela e os desafios que precisam ser enfrentados para que a economia local seja reerguida a partir da geração de emprego e renda à população. Carvalho afirmou sentir orgulho da trajetória que a organização tomou ao longo dos últimos 34 anos e o atual trabalho de valorizar e fortalecer os empreendimentos locais. Para ele, a proposta de José Adriano é essencial para o estado.

“Há mais de três décadas eu e mais quatro colegas botamos na cabeça que era preciso ter a Federação das Indústrias para defender e fortalecer o setor. Lutamos até conseguir e hoje vejo uma nova cara na Fieac, muito pró-ativa e atenta às necessidades de todos os segmentos do setor produtivo. Temos que demonstrar a capacidade de cada empreendimento de aplicar bem e fazer o dinheiro circular no Acre. O Adriano tem uma cabeça boa e quer ver, de fato, o nosso Acre desenvolvido”, declarou Carvalho.

Segundo o ex-presidente da Fieac, a pré-candidatura do representante licenciado é uma ótima alternativa para que mais medidas concretas que tragam o crescimento econômico sejam efetuadas. “É uma bela atitude propor essa representatividade no Congresso para trazer os benefícios à população, que é a que mais ganha com o desenvolvimento da nossa indústria, comércio, agronegócio, agricultura familiar e os demais segmentos do setor produtivo. Desejo sorte e sabedoria a ele na jornada”, disse.

Para José Adriano, sempre é especial estar ao lado dos pioneiros que iniciaram a luta em defesa da prosperidade na região acreana. “Foi um prazer muito grande esse momento. Sempre buscamos resgatar essa história dos companheiros que vieram antes de nós. Tenho no Mirtil uma valiosa orientação do que foram os desafios do passado para transformar a nossa instituição em uma organização forte, independente e totalmente servidora de toda a classe. Esse é o grande legado dele”.

O pré-candidato ressaltou ainda que a história e o apoio do ex-presidente para a pré-candidatura é um estímulo que renova a vontade de se dedicar ainda mais pelo Acre. “É muito inspirador ter esse apoio, demonstra o respeito e apreço que ele sempre teve por toda a iniciativa privada local. O nosso desafio é valorizar todo o esforço e investimento feito por quem veio antes. Isso para mim é motivo de muito orgulho e extrema responsabilidade para alcançar novas e necessárias conquistas”, finalizou José Adriano.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!