Conecte-se agora

Acre está há cinco dias sem registrar focos de queimadas, diz INPE

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas 

De acordo com o banco de dados do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Acre não registra focos de queimadas detectados pelo satélite de referência AQUA Tarde desde a última segunda-feira, 26.

Este ano, o Acre teve o pior mês de outubro da série histórica do INPE, iniciada em 1998. Foram 1.652 registros contra apenas 354 do ano passado. O acumulado de 2020 (9.053 focos) é o terceiro maior da história, atrás apenas dos anos de 2003 e 2005.

Os municípios com os maiores registros de queimadas em outubro foram Xapuri (320), Brasiléia (296), Sena Madureira (217), Epitaciolândia (144) e Rio Branco (140). No ano, Feijó (1.552), Sena Madureira (1.086), Tarauacá (1.014), Xapuri (735) e Rio Branco (714) são os campeões do fogo.

Com 444 focos de queimadas registrados apenas em outubro, o que representa 87% do total de todas as outras unidades de conservação federais no Acre, a Resex Chico Mendes chegou a 1.111 focos de queimadas detectados entre janeiro e outubro deste ano – 67% do total das demais UC’s no estado.

Chuvas

Outro dado relevante diz respeito à chegada das chuvas, que apesar de terem ficado abaixo da média climatológica para o mês de outubro, tiveram elevação considerável a partir da segunda quinzena. Plácido de Castro (179,10mm) e Marechal Thaumaturgo (173,20mm) são os municípios com os maiores acumulados do mês e Rio Branco (21,80mm) com o pior.

Em seguida, com relação aos índices pluviométricos, estão Cruzeiro do Sul (170,60mm), Feijó (161,40mm), Tarauacá (153,40mm), Jordão (118,60mm), Sena Madureira (110,40mm), Manoel Urbano (106,00mm), Xapuri (102,00mm) e Assis Brasil (81,20mm), relacionadas apenas as estações de monitoramento que possuem série climatológica.

De acordo com o Boletim de Monitoramento Hidrometeorológico divulgado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) na última quinta-feira, 29, para o período de 29/10/2020 a 04/11/2020, o prognóstico do Satélite NOAA/NCEP-GFS/USA indica previsão de chuva com volume acumulado na semana de até 75 mm.

A região Oeste do estado deverá concentrar até 75 mm de chuva prevista para a semana, indicando anomalia positiva, onde as chuvas deverão ficar acima da normalidade para o período.

O Leste do estado deverá concentrar até 50 mm de precipitação acumulada, indicando anomalia negativa, onde as chuvas deverão ficar abaixo da normalidade para o período.

Nos municípios de Bujari, Porto Acre, Rio Branco e Senador Guiomard, a quantidade de precipitação deverá ser ainda menor do que nos outros municípios da região, indicando anomalia negativa, chegando à um acumulado de até 25 mm de precipitação.

Acre

Gladson afirma que não prometerá aquilo que não pode cumprir

Publicado

em

Em entrevista à imprensa na manhã desta segunda-feira, 14, Palácio Rio Branco, o governador Gladson Cameli (Progressistas) reconheceu a legitimidade da greve dos servidores da saúde.

Cameli ressaltou que uma das promessas em 2018 foi de unir as pessoas, dialogar e conversar. Ao falar da greve da saúde, Gladson afirmou que é necessário muito diálogo e ressaltou que não fará promessas que não pode cumprir.

“Os servidores têm razões, eles fazem a máquina se movimentar e a saúde no momento em que o país vive, estão cansados! Se nós não tivéssemos um governante com a humildade de sentar na mesa e negociar e falar aquilo que pode ser executado. Não adianta prometer aquilo que não se pode executar. Não tenho problema pra isso, são situações como essas que eu sabia que ia acontecer e que a gente tem que achar sempre a melhor forma porque são pessoas. São eles que nos ajudam a movimentar a máquina do governo e que ajudam a melhorar a vida das pessoas”, afirmou.

Gladson disse que vem procurando condições para que a greve possa ser resolvida. “Não vai ser uma situação de uma manifestação por insatisfação por questões salariais que eu vou ficar chateado, pelo contrário, eu quero achar as condições para que a gente possa melhorar. Eu não bato palma pra quando vejo um servidor ganhando “x”, sendo que poderia ganhar muito mais. Vamos com calma e determinação vencer esses desafios”, encerrou.

Vestidos de preto, servidores da saúde iniciaram a greve geral, a decisão foi tomada devido às sucessivas recusas de tratativas de reajuste do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) por parte do governo do estado e diversos outros problemas que afetam todos os empregados da área.

Serviços tido de Urgência e Emergência não serão prejudicados e tampouco o atendimento para casos covid-19, informou o presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), Guilherme Pulici.

O movimento grevista quer chamar a atenção da sociedade sobre os empecilhos que comprometem a qualidade do atendimento nas unidades públicas, além de pressionar os gestores a implementar as melhorias necessárias.

Outras reivindicações são a recomposição das perdas inflacionárias, o pagamento retroativo do adicional Covid-19 de dezembro de 2020, a gratificação de 20% de insalubridade até a regularização do novo LTCAT, além da revisão da Lei do Igesac, fornecimento de insumos necessários para o exercício profissional e concurso público.

Assista ao vídeo:

Continuar lendo

Acre

Raimundo Angelim pode ser candidato em 2022, diz Jorge Viana

Publicado

em

O ex-deputado federal pelo Acre, Raimundo Angelim, deve ser um dos nomes a serem apresentados pela esquerda no estado para disputar as eleições de 2022. O anúncio foi dado pelo ex-senador Jorge Viana nesta segunda-feira, 14, por meio de suas redes sociais. Ambos estiveram reunidos nesse final de semana para tratar de política e os próximos passos diante uma nova campanha que deve surgir.

Viana assegura ter conversado bastante com Angelim sobre os tempos atuais a nível de estado e Brasil. “O bom é saber de sua disposição de estar junto na construção da luta pra 2022. Acho que um nome como o do Angelim é imprescindível para enfrentarmos essas dificuldades”, declarou Viana.

Jorge acredita que assim como ele, Angelim irá ouvir muito antes de tomar uma decisão. “É hora da união dos que querem dias melhores para todos! Essa bandeira nos uniu e segue alimentando nossos sonhos. O professor Angelim é mais que um bom amigo…é parceiro de muitas conquistas e realizações”, escreveu.

Os dois trabalharam juntos na Frente Popular do Acre. Primeiro quando Jorge foi prefeito de Rio Branco, depois no governo e, por último, quando Angelim se tornou prefeito na capital. Para Jorge, Angelim foi um deputado federal competente, admirado por todos e que honrou o nome do Acre no Congresso.

Continuar lendo

Acre

Entidades preparam manifestação contra Bolsonaro para sábado (19)

Publicado

em

Foto: Eldérico Silva/Rede Amazônica Acre

Um novo protesto contra o presidente Jair Bolsonaro está marcado no Acre. O evento está marcado para o próximo sábado, 19, onde diversas entidades estão convocando a população para mais um ato “Vacina, Pão, Saúde e Educação” e pelo Fora Bolsonaro e Mourão! Vacina no braço e comida no prato!

De acordo com a Associação dos Docentes e das Docentes da Universidade Federal do Acre, com apoio doAndes-SN, uniu-se ao Sinasefe, ao MUP, à UJC, ao Movimento Negro Unificado, ao Sindicato dos Bancários, à Unidade Classista, à Juventude da Revolução Socialista, e outros movimentos estudantis o objetivo é provar para a sociedade que o governo é o responsável pela morte de milhares de pessoas pela pandemia em todo o país.

“Precisamos intensificar a mobilização contra esse governo genocida, que é mais perigoso que o vírus e o grande responsável pela morte de mais de 470 mil brasileiros e brasileiras e pelo aumento da pobreza e da fome no nosso país. Por isso, em 19 de junho voltaremos às ruas em defesa da vida”, diz o convite divulgado nas redes sociais.

A convocação do ato lembra ainda da importância de todas e todos que forem ao ato respeitem as regras de distanciamento, usem máscaras e higienizem as mãos frequentemente com álcool em gel.

Programação do ato presencial no dia 19 de junho.

16h Concentração na Gameleira

16h30 Passeata até o Palácio Rio Branco

17h Ato no Palácio do governo com falas políticas e atrações culturais

Continuar lendo

Acre

Rosana diz que Gladson é inimigo da Educação e greve continua no Acre

Publicado

em

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, usou as redes sociais na manhã desta segunda-feira (14) para afirmar que a greve da educação está mantida.

Rosana lembrou que em toda a história de luta em defesa da educação do Acre, nunca se viu um governo tratar tão mal os trabalhadores da educação. “Há dinheiro sim para a educação, apesar do governador de maneira tirânica se empenhar para justificar o injustificável. Seus assessores não foram capazes de apresentar uma proposta viável para a categoria. Humilha, explora e escraviza os servidores desde que assumiu o governo”, declarou.

A sindicalista lembrou que durante a campanha de 2018, o governo fez compromisso de atender o piso dos profissionalizados e das carreiras, resolver a situação dos não concursados e realizar concurso. “Ganhou a eleição e virou inimigo dos servidores da educação e, como tal, passou a tratar como um verdadeiro algoz. Desde o início do governo, em 2019, optou por enganar, mentir e enrolar toda uma categoria na mesa de negociação. Naquele ano, foram várias propostas, desde auxílio alimentação de 350 reais, não pagou, ofereceu 12,99%, não pagou. Em 2021, ofereceu VDP antecipada, mais uma vez não pagou, reposição inflacionária em setembro de 2021 e reestruturação da tabela e revisão do PCCR para 2022, seguindo o histórico negativo, tratou como mais uma brincadeira. Será lembrado como um governo inimigo da educação”, disparou.

Nascimento relatou que para prejudicar e castigar ainda mais a categoria, o governo não pagou os direitos do PCCR, como gratificação de aluno especial, difícil acesso, além disso, deixou de pagar a bolsa da educação em tempo integral.

“Gladson Cameli, será lembrado como um governo da mentira, que além da enganação, da enrolação, que escraviza os servidores, não oferecendo as condições básicas de trabalho. As aulas remotas de 2020, só aconteceram, porque trabalhadores tiveram que se endividar para garantir, com os seus poucos recursos, as condições mínimas de trabalho, comprando equipamentos, tais como: computadores, celulares, notebooks e custeando com o pagamento de pacotes de Internet. Nenhuma outra categoria e seus servidores foram tão cobrados, e mal reconhecidos pelo governo, por seu empenho, por se doarem ao cumprimento de suas funções. São escravos do trabalhador, além de sua carga horária sem receber pelas horas e dias extras, extrapolam a carga horária, sem receber o que lhe é de direito, mesmo sabendo que há dinheiro sim para a educação. Há ainda, os que se aventuram em dizer que o professor não trabalha”.

Por fim, a professora destacou que os servidores cansaram de tanta desvalorização, com isso, garantem que só devem voltar às aulas caso tenha uma proposta viável apresentada e aprovada, com reestruturação das tabelas com piso em 2022. “Apresentar um auxílio alimentação para 2022 é desrespeito e uma humilhação, pois este mesmo governo, já havia entregue a proposta.Tem dinheiro sim, não aprova a proposta na Aleac porque trata a educação com desprezo, é inimigo da Educação. Contra fatos não existem argumentos.

O sindicato alega que o FUNDEB aumentou consideravelmente neste ano de 2021 em mais 2,5% desde fevereiro, aumentando o valor custo aluno superando a queda de 2020.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas