Conecte-se agora

Dois dos 7 candidatos a prefeito não acreditam no resultado de pesquisa

Publicado

em

Após divulgação da Pesquisa Ibope de intenção de votos, os candidatos à prefeitura de Rio Branco se manifestaram a cerca do resultado que colocou Minoru Kinpara (PSDB) e Socorro Neri (PSB) tecnicamente empatados, com 29% e 26%, respectivamente.

Minoru se diz feliz com o resultado da pesquisa. “A gente percebe, andando nos bairros, conversando com a população, que o nosso nome está sendo muito bem aceito. As pessoas tem um carinho especial pela gente, respeito admiração”. Kinpara acredita que a população está depositando nele a confiança pra cuidar de Rio Branco. “Eu me sinto muito honrado, feliz e mais estimulado ainda. Se eu tiver privilégio de ser prefeito de Rio Branco, eu vou fazer isso durante os quatro anos”.

Socorro revela que sua prioridade é seguir trabalhando e mostrando o que fez por Rio Branco nesses dois anos “e o que faremos nos próximos quatro, com muita transparência e seriedade. Ainda tem muita estrada pela frente, e o trabalho que fizemos me faz seguir confiante. A população está reconhecendo e apoiando o que fizemos, e junto com o governador Gladson Cameli vou continuar trabalhando”, garante.

Tião Bocalom (PP) não acredita no resultado: “essas pesquisas do Ibope para mim não vale nada”. Isso porque, segundo ele, foi vítima da referida pesquisa em eleições passadas. “Todas as eleições que eu disputei o Ibope sempre me colocava lá embaixo. Eu não acredito e o povo de Rio Branco não acredita na pesquisa do Ibope. Essa é a realidade devido à todos os que cometeram nas eleições passadas. “Dá a impressão que tudo é direcionado pra poder enganar o eleitor. Mas o eleitor de Rio Branco não será mais enganado, porque o Ibope errou a vida inteira e errou feio”. Ele diz que acredita nas pesquisas internas que seu partido faz. “Nas pesquisas internas estamos na frente. Por isso sempre concertei as pesquisas do Ibope”.

O candidato do Avante, Jarbas Soster, achou o resultado da pesquisa satisfatória. “Estamos com a militância nas ruas e em busca desse crescimento continuo nas pesquisas e nas urnas.”

Por sua vez, Daniel Zen (PT), diz respeitar a pesquisa, pois demonstra que sua candidatura está crescendo. “Sigo muito confiante no nosso diálogo direto junto ao eleitor e nas propostas que construímos com as pessoas da nossa cidade. O mais importante é que os eleitores possam ouvir todos os candidatos e possam votar, sem nenhuma pressão, naquele que acharem mais preparado. A decisão mesmo só vai acontecer na urna, ninguém ganha de véspera”.

Roberto Duarte (MDB), garante não brigar com números de pesquisa. “Seguimos fazendo campanha, ouvindo as pessoas e apresentando as nossas propostas pra cuidar e modernizar Rio Branco”.

O candidato Jamyl Asfury, do PSC, também não confia no resultado da pesquisa Ibope. “Nós não acreditamos que essa possa ser a realidade. Estamos andando nas ruas e temos visto uma grande aceitação do nosso projeto”.

Na terceira colocação ficou Tião Bocalom (PP) com 16% e em quarto surge Roberto Duarte (MDB), e com a margem de erro, o Progressista e o emedebista também estariam empatados tecnicamente.

Já os candidatos Daniel Zen (PT), Jarbas Soster (Avante) e Jamyl Asfury (PSC), registraram 5%, 2% e 1%, respectivamente e com a margem de erro, os candidatos também podem está empatados. Não souberam ou não responderam registraram 4% e brancos e nulos registrou 6%.

Quanto ao critério de rejeição, Socorro Neri é a que é mais rejeitada pelo eleitorado registrando 39%. O segundo mais rejeitado é Zen com 36%, seguindo colado por Bocalom 33%. Duarte marcou 21%, Jamyl tem 20% e Soster 19%. Minoru Kinpara é o que registrou a menor rejeição de 12%. 1% dos entrevistados afirmaram que votaria em todos. Não souberam ou não responderam marcou 5%.

Contratada pela Rede Amazônica, a pesquisa Ibope foi realizada entre os dias 14 e 16 de outubro e ouviu 504 entrevistados. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral do Acre com o número AC-03870/2020.

Acre

Ex-diretor que defendeu uso do Bope contra garis é nomeado

Publicado

em

O diretor de gestão da Secretaria Municipal de Zeladoria de Rio Branco, Marco Antônio Cavalcante Vitorino, que tinha anunciado a sua saída do cargo na última segunda-feira, 20, por meio de nota, foi nomeado pelo prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, nesta quarta-feira, 22, para o cargo de assessor administrativo da Secretaria de Meio Ambiente (Semeia).

Marco Vitorino foi nomeado com uma CEC 8, mas segundo o decreto publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), ele receberá 50% do valor atribuído ao cargo para qual foi nomeado, de acordo com §1º do art. 66 da Lei Municipal nº 1.959, de 20 de fevereiro de 2013.

A situação chama curiosidade já que na segunda, Marco Vitorino agradeceu ao prefeito Tião Bocalom pela oportunidade de conduzir umas das pastas mais importantes e sensíveis da estrutura organizacional durante os nove primeiros meses de gestão e afirmava que a sua então saída se deva devido a falta de tempo para se dedicar aos estudos.

Marco Vitorino ficou conhecido por defender o Bope no episódio da Tropa de Choque que acabou usando sprays de pimenta e cassetetes contra os garis e margaridas, que se manifestaram por salários atrasados, no início da atual gestão.

Continuar lendo

Acre

R$ 3 milhões da verba do Anel Viário de Brasiléia são para supervisão

Publicado

em

As obras do Anel Viário de Brasileia e Epitaciolândia, na BR-317, no Estado do Acre, começam a tomar forma. As equipes responsáveis pelos trabalhos executaram, na última segunda-feira (20/9), a perfuração em solo da primeira estaca que sustentará a estrutura da ponte do contorno rodoviário.

O empreendimento vai beneficiar vários municípios da região do Vale do Alto Acre e os serviços são realizados por meio de uma parceria entre o governo federal e o governo do Estado. O investimento, de mais de R$ 60 milhões, é 100% disponibilizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

“Desse valor, cerca de R$ 57 milhões são destinados para projetos e obras. O restante vai para supervisão dos trabalhos”, informa o órgão.

O anel viário de Epitaciolândia e Brasileia é considerado uma obra estratégica para o tráfego na Rodovia Interoceânica, no acesso ao Peru. O empreendimento visa à integração econômica e social dos países da América do Sul e vai facilitar o comércio do Acre e de todo o país com a Ásia, por meio dos portos peruanos.

A obra prevê 10 quilômetros de estrada contornando os dois municípios, além de uma ponte, de pista simples, com acostamento e passeio, de 250 metros sobre o rio Acre. O projeto retira os veículos de carga que fazem exportação pela BR-317 do tráfego nas cidades, preservando as vias urbanas e melhorando a qualidade de vida na região. Além de facilitar o tráfego na região, a ponte deve beneficiar mais de 50 mil habitantes e movimentar a economia na região, com a geração de emprego e renda.

Os trabalhos para a construção da estrutura continuam, com a implantação das ferragens e, em seguida, a concretagem das estacas.

Continuar lendo

Acre

Bittar bate-boca ao defender tratamento precoce da Covid-19

Publicado

em

Em entrevista ao quadro O Grande Debate, exibido pela CNN, na noite desta terça-feira, 21, o senador Márcio Bittar (MDB) protagonizou um bate-boca acalorado com o apresentador do programa Evandro Cini, acerca do tratamento precoce contra a Covid-19.

A discussão ocorreu após uma pequena reportagem que deu início ao quadro, mostrar o discurso do presidente Jair Bolsonaro na Organização das Nações Unidas (ONU), onde o presidente defendeu o uso do tratamento precoce, em seguida a reportagem ressaltou que as afirmações de Bolsonaro eram contra as recomendações das organizações de saúde.

“Quem tá fazendo uma ditadura do pensamento único é a mídia e a própria introdução de vocês repetem isso. Grande parte da mídia, inclusive, a CNN é que vive repetindo como se fosse uma verdade absoluta, que a possibilidade do médico indicar o tratamento precoce é uma anticiência. Quando na verdade, fora a cornavaca, todas as outras vacinas são feitas em laboratórios, ninguém tem a completa compreensão do que isso poderá resultar, é claro que ela imuniza, mas nós estamos todos no campo palmilhando verdade. Temos países e cientistas que defendem o tratamento precoce”, afirmou Bittar.

Em seguida, o jornalista Evandro Cini rebateu o emedebista e ressaltou que não é possível comparar as vacinas com o tratamento precoce defendido pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Peço desculpas ao senador, mas segundo os médicos, especialistas e pesquisadores não é possível comparar vacinas com tratamento precoce para tratamento da covid-19. Boa parte dos países do mundo já não aplicam esse tratamento há um bom tempo em razão das pesquisas que atestam que não há tratamento precoce eficaz contra covid-19”, afirmou.

“Não sou eu que estou falando [que o tratamento precoce não tem eficácia] senador, são os cientistas. O foco do debate hoje não é o tratamento precoce e sim a relação do Governo Bolsonaro com o Senado”, encerrou o jornalista após ser interrompido por Bittar.

“Se você não me liberar para falar o que eu penso, esse debate está morto”, afirmou Bittar em resposta ao jornalista.

video

Continuar lendo

Acre

Motoristas voltam a circular com 100% da frota de ônibus após acordo

Publicado

em

A população de Rio Branco volta a ter 100% da frota de ônibus circulando nesta quarta-feira, 22, após os motoristas da Auto Viação Floresta aceitarem o que foi acordado com a empresa. Antes disso, somente os funcionários de outra empresa estavam desempenhando as atividades na rua.

Com o retorno das atividades, os funcionários também passam a seguir a liminar do desembargador Shikou Sadahiro, do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT-RO), que determina a manutenção de pelo menos 90% da frota em circulação nos momentos de pico e de 70% em horários normais mesmo em situação de greve categoria.

Em caso de descumprimento, foi estabelecida multa diária de R$ 50 mil e mais uma multa de R$ 10 mil por ônibus parado, uma vez que a Lei de Greve classifica o transporte coletivo urbano de passageiros como atividade essencial que deve ser mantida por empregadores e trabalhadores durante as paralisações.

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Passageiros e de Cargas do Estado do Acre não reconheceu o movimento de greve e afirmou que o ato se tratava de uma ação isolada e com fins “políticos”.

As empresas de coletivo da capital asseguram que com o repasse de R$ 2,5 milhões por parte da prefeitura será possível quitar todas as dívidas com os trabalhadores e ainda reduzir o preço da tarifa de ônibus para R$ 3,50 ou menos. O município está empenhado em seguir com esse acordo a fim de garantir o pagamento aos trabalhadores e baixar o valor da passagem.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas