Conecte-se agora

ATENÇÃO: saiba como evitar golpes no cadastro do PIX

Publicado

em

A alta procura pelo PIX, novo serviço de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central, mobilizou golpistas a usar técnicas antigas de roubo de dados para enganar clientes durante o cadastramento na plataforma.

O PIX entra em operação apenas em 16 de novembro, mas, desde segunda-feira (5), teve início o cadastramento das Chaves PIX. Os golpistas aproveitam esse momento, em que os bancos e financeiras sugerem que os clientes registrem-se no serviço, para ter acesso às contas das vítimas.

A empresa de segurança digital Kaspersky encontrou mais de 60 sites falsos, que usam as técnicas de “phishing” para o roubo de informações. O termo phishing faz alusão à pescaria, pois golpistas usam o PIX como ‘isca’ para que a vítima entregue seus dados. As técnicas mais comuns são:

– a instalação de softwares maliciosos (malware) nos computadores e celulares;
promoções falsas para coleta de dados;

– e a indução da entrega de informações em cadastro falso.

Especialistas em segurança afirmam que os sistemas do PIX atendem aos padrões de segurança digital. Os golpistas, portanto, recorrem a métodos em que o próprio usuário acaba entregando a proteção de suas contas bancárias.

Como escapar do golpe?

A recomendação do Banco Central é que o usuário sempre realize o cadastramento de chaves – e, no futuro, quaisquer operações com o PIX – por meio das plataformas dos bancos ou financeiras. As instituições financeiras, por sua vez, alertam que nunca pedem senhas ou código de validação de transações (tokens) fora de seus canais digitais.

Golpes podem chegar por SMS, e-mail, WhatsApp ou pelas redes sociais. Ao receber uma mensagem de seu banco ou financeira, vale sempre passar o olho em uma lista básica de prevenção.

– Nunca clique em links antes de fazer uma boa checagem da mensagem;

– Tenha cuidado extra com links encurtados, verifique os outros itens da mensagem com ainda mais cuidado;

– Em hipótese alguma forneça senhas ou tokens fora do aplicativo ou site oficial do banco (nem mesmo pelo telefone);

– Não compartilhe código de verificação, como do WhatsApp, recebido por e-mail ou SMS;

– Verifique o número de onde foi enviado o SMS – números desconhecidos podem significar golpe;

– Cheque sempre o remetente do e-mail para verificar se é um endereço válido de seu banco;

– Nas redes sociais, veja se a conta da instituição financeira é verificada;

– Desconfie de promoções muito generosas.

A regra básica

Para Roberto Rebouças, gerente-executivo da Kaspersky, a melhor solução é ser pró-ativo: ir às plataformas do banco, ver os procedimentos de cadastramento e seguir às instruções.

Assim, mesmo que você tenha recebido e-mail ou outra comunicação do seu banco, a forma mais segura de evitar ser vítima de golpe é entrar no aplicativo ou no site oficial do seu banco, e fazer o cadastramento das chaves do PIX a partir dali.
“Para mim, o grande problema é o telefone celular. A enorme maioria dos usuários brasileiros acessam o seu banco através do telefone e a gente não tem segurança embarcada no telefone”, afirma o especialista. “Infelizmente, a gente não tem uma educação em segurança digital como tínhamos em segurança física.”

Destaque 6

Cessão de Marcus Alexandre é novamente renovada para o TJAC

Publicado

em

O Diário Oficial desta segunda-feira, 6, publicou decretos de cessão para outros órgãos de duas figuras importantes na gestão passada do ex-governador Tião Viana.

O engenheiro e ex-prefeito, candidato ao governo do Acre nas últimas eleições, Marcus Alexandre, servidor de carreira do estado, vai continuar prestando serviços ao Tribunal de Justiça do Acre. O novo decreto permite a cessão até 1º de janeiro de 2023. Marcus Alexandre deve ser candidato a deputado estadual nas eleições do ano que vem.

Quem também continua fora do governo do estado no ano que vem, é o também engenheiro Átila Pinheiro de Souza, que foi secretário de obras e homem forte no governo passado. Átila vai continuar até dezembro do ano que vem trabalhando no governo da Bahia.

No caso dos dois profissionais, o governo os mantém na folha de pagamento, com o compromisso de reembolso do TJ e do governo baiano.

Continuar lendo

Destaque 6

Licenças de pescadores são canceladas no Acre e sete Estados

Publicado

em

O Ministério da Agricultura publicou nesta segunda-feira (6) no Diário Oficial da União a portaria 475, que cancela, a pedido ou por óbito 17 inscrições no Registro Geral da Atividade Pesqueira, como também Licenças de Pescadores Profissionais.

Do Acre, duas licenças foram canceladas pelos mesmos motivos -a pedido ou morte do usuário. A portaria traz a lista de cancelamentos em oito Estados. Além do Acre, pecadores do Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins também constam da lista.

Veja: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-sap/mapa-n-475-de-3-de-dezembro-de-2021-364679881

Continuar lendo

Destaque 6

Risco de contrair Covid-19 com máscara PFF2 é mínimo

Publicado

em

Por

Máscaras do tipo PFF2 (equivalentes a outros padrões internacionais conhecidos como N95, KN95 e máscaras P2) oferecem quase 100% de proteção contra a Covid-19, aponta um estudo do Instituto Max Planck, da Alemanha.

Se uma pessoa infectada pelo coronavírus Sars-Cov-2, causador da Covid-19, tiver contato com uma saudável num espaço fechado – mesmo a uma distância pequena e após 20 minutos – o risco de contágio é de apenas 0,1%. Se a pessoa estiver vacinada, o risco de contrair a doença é ainda menor, apontam os pesquisadores.

No entanto, segundo os cientistas, a redução do risco depende de a máscara ser usada da maneira correta. Para ter a proteção ideal, o clipe de metal deve estar bem ajustado ao nariz, pressionando-o lateralmente.

Se a máscara não estiver corretamente encaixada ao rosto, o risco de infecção no mesmo cenário sobe para cerca de 4%, aponta o estudo, publicado na revista científica PNAS, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

A análise também demonstrou que máscaras PFF2 bem encaixadas ao rosto protegem 75 vezes mais que máscaras cirúrgicas – as quais, no entanto, reduzem o risco de infecção para no máximo 10% se também forem bem ajustadas.

Os pesquisadores afirmaram que seus cálculos são bastante conservadores. “Na vida cotidiana, a probabilidade real de infecção é certamente de dez a cem vezes menor”, afirma Eberhard Bodenschatz, pesquisador que liderou o estudo.

Sem máscara, risco de contaminação é alto

Por outro lado, a análise de encontros entre duas pessoas sem máscara apontou que, se um indivíduo saudável ficar por alguns minutos diante de um infectado, mesmo a uma distância de 3 metros, há uma probabilidade de 90% de ocorrer uma infecção.

Apesar da distância de 3 metros, os pesquisadores ressaltam que o risco é enorme quando se entra em contato com infectados com uma carga viral alta, como ocorre no caso da atualmente dominante variante delta do coronavírus, por alguns poucos minutos e sem máscara.

“Nossos resultados demonstram mais uma vez que o uso de máscaras em escolas e também em geral é uma boa ideia”, conclui Bodenschatz.

Continuar lendo

Destaque 6

Acre tem uma das menores taxas de letalidade da Covid-19

Não há motivo para pânico, diz OMS sobre variante Ômicron do novo coronavírus

Publicado

em

Nesta sexta, o Brasil registrou mais 10.627 casos e 221 óbitos por Covid-19, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, mais de 22,1 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus, com mais de 615 mil mortes.

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,13%. O índice médio de letalidade do país está em 2,78%. O estado do Acre tem uma das menores taxas de letalidade entre as unidades da federação: 2,10%, que lhe põe na 21ª colocação.

O Acre registrou 2 novos casos de infecção por coronavírus nesta sexta-feira , 3 de dezembro. O número de infectados subiu para 88.225, em todo o estado. Nenhuma notificação de óbito foi registrada nesta mesma data, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 se mantenha em 1.848 em todo o estado.

Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao Ministério da Saúde. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid.

Sem motivo para pânico

Na sede da Polícia Federal, em Rio Branco nesta sexta-feira, o governador Gladson Cameli (Progressistas) declarou que a festa de réveillon organizada pelo governo, em parceria com a prefeitura da capital, está mantida para o dia 31 de dezembro, mesmo com o surgimento dos primeiros casos da variante Ômicron do coronavírus. A programação deve ser divulgada nos próximos dias.

Apesar de ainda não haver qualquer evidência disso, Cameli aposta na possibilidade de que a nova variante esteja atingindo a população que optou por não se imunizar com as duas doses da vacina da Covid-19. Há casos em que pacientes que tomaram até a mesmo a terceira dose, de reforço, contraíram a nova cepa.

“Eu estive recentemente na Europa, conversei com especialistas e os casos são culpa dos teimosos e aqui eu respeito as opiniões mas não vou deixar de falar o que penso. Eu sei do esforço que fizemos para trazer vacinas. É melhor ser imunizado, porque sete palmo de terra pesa”, comentou o governador.

No entanto, mesmo sendo mais transmissível, de acordo com as evidências científicas encontradas até o momento, a nova variante Ômicron do coronavírus não deve, realmente, ser motivo para pânico. Pelo menos foi isso o que afirmou nesta sexta-feira (3) Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Identificada inicialmente na África do Sul, a Ômicron já foi confirmada em mais de 20 países, de acordo com a OMS, que classificou a cepa como “variante de preocupação”.

O que já se sabe sobre a variante, é que ela possui um alto número de mutações, sendo que a maioria dessas modificações ocorre na proteína spike do coronavírus. Essa parte do vírus é a que se conecta à célula humana para iniciar a infecção, e na qual as tecnologias de produção de algumas vacinas se baseiam, caso da Pfizer, por exemplo.

“Aparentemente, essa quantidade de mutação que ela tem confere uma maior transmissibilidade, inclusive mais do que a Delta. A grande dúvida que a gente tem é saber se ela confere maior risco de evento grave, de internação e de óbito. Aparentemente, não”, diz a infectologista Ana Helena Germoglio, do Distrito Federal, ressaltando que ainda é cedo para qualquer tipo de certeza.

Até agora, não há registro de nenhuma morte no mundo em decorrência da nova variante. No Brasil, o Ministério da Saúde confirma cinco casos: três em São Paulo e dois no Distrito Federal. Por isso, as autoridades de saúde pedem calma.

“A gente precisa ter respeito. As outras medidas continuam sendo efetivas da mesma forma. A gente está vendo alguns hospitais com aumento de demanda, talvez seja justamente pelo pânico da população. E agora não faz sentido a gente criar pânico”, garante a infectologista.

Em resposta à chegada da variante ao Brasil, o Ministério da Saúde montou uma sala para monitorar o cenário epidemiológico e planejar as medidas para conter o avanço da Ômicron. Além dos três casos confirmados, a pasta afirma que oito ocorrências estão sob investigação, sendo uma em Minas Gerais, uma no Rio de Janeiro e seis no DF.

Em coletiva nesta quinta-feira (2), o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou que o órgão tem acompanhado a variante de perto.

“Nós temos reforçado cada vez mais o aumento da vigilância genômica, que é extremamente importante como instrumento para o monitoramento do padrão da circulação das variantes. Nós já adquirimos sequenciadores genéticos para todos os estados do país. Esse é um dos exemplos do esforço do nosso ministério para aumentarmos a vigilância genômica”, afirmou.

É por meio do sequenciamento genômico que as autoridades de saúde conseguem descobrir quais variantes do novo coronavírus estão em circulação no país, incluindo aquelas que ameaçam se espalhar, e tomar medidas a partir dessas informações.

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde informou que a partir desta sexta-feira passou a atualizar a situação da Ômicron no Brasil junto ao informativo tradicional de casos e óbitos por Covid-19.


Esta reportagem contém informações publicadas originalmente pelo Portal Brasil 61.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas