Conecte-se agora

Confusão e votação “não combinada” marca escolha de Celestino como vice de Minoru pelo PSL

Publicado

em

A direção do PSL pensou que ia ser fácil “impor” o nome do empresário Celestino Bento, presidente da Acisa, como vice na chapa que tem Minoru Kinpara [PSDB] como candidato a prefeito de Rio Branco. Mas deu tudo errado e uma confusão inesperada tomou conta da convenção do partido.

Os dirigentes queriam que Celestino fosse aclamado como vice do tucano, mas um grupo do partido descontente com os rumos que sigla tomou e forçou para que houvesse votação para escolha do indicado e uma troca de farpas públicas foi feita entre o vice-governador Major Rocha e o coronel da reserva, Ulysses Araújo. O major afirmou que o Coronel “não tinha representatividade”, mas Araújo retrucou: “quer ser o rei”. O clima ficou pesado a convenção teve que ser suspensa por alguns minutos.

Os descontentes queriam a escolha por votação, o que foi aceito, mas o resultado foi surpreendente: o coronel Ulysses foi colocado na disputa e no voto bateu o candidato da família Rocha por 7 a 2. Para evitar que o caso fosse judicializado ou até mesmo que fosse tratado via Brasília, com a direção nacional, o militar da reserva resolveu abrir mão da indicação e automaticamente Celestino foio aclamado vice.

Nos bastidores, ficou claro que dentro do PSL Celestino não é bem visto e que o vice-governador Major Rocha não tem “carta branca” dentro do partido para impor o que bem entender, mas o acordo prevaleceu para que ele seja o vice do partido na chapa com Minoru. Ficou definido ainda que a sigla terá 28 candidatos a vereador na capital, que somados com os 26 candidatos a vereadores do PSDB, somam 54 pessoas nas ruas pedindo voto. PSDB, PSL e Cidadania serão os partidos que formam aliança em torno de Kinpara.

O ACORDO

O ac24horas apurou que para que Ulysses renunciasse a indicação, Rocha teria que cumprir três exigências: não perseguir os filiados que foram contra Celestino,  garantir que o Fundão eleitoral será distribuído de forma igualitária para todos os candidatos e que caso Minoru vença as eleições, acolha os correligionários que não obtiveram êxito nas urnas. A demanda foi aceita por Rocha, que afirmou ainda que não iria cometer o mesmo erro que o atual governo faz com relação a tratamento com aliados.

Anúncios

Destaque 3

2020 é o ano mais mortal da história do Brasil, apontam cartórios após dados da Arpen

Publicado

em

Atingido em cheio pela pandemia causada pelo novo coronavírus, que já causou a morte de mais de 200 mil pessoas no país, o Brasil tem 2020 como o ano mais mortal da sua história.

Desde o início da série histórica das Estatísticas Vitais de óbitos do Registro Civil, em 1999, nunca morreram tantos brasileiros em um só ano, e nunca houve uma variação anual de óbitos tão grande como a ocorrida na comparação entre 2019 e 2020.

Os dados são do Portal da Transparência, plataforma administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), que demonstra que os óbitos registrados por todos os cartórios do país em 2020 totalizaram 1.443.405, 8.3% a mais que no ano anterior, superando a média histórica de variação anual de mortes no Brasil que era, até 2019, de 1,9% ao ano.

De acordo com a Arpen-Brasil, o número de óbitos registrados em 2020 pode aumentar ainda mais, assim como a variação da média anual, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o falecimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência. Além disso, alguns Estados brasileiros expandiram o prazo legal para registro de óbito em razão da situação de emergência causada pela COVID-19.

A pandemia trouxe também reflexo em outras doenças que registraram aumento considerável na variação entre os anos de 2019 e 2020. Foi o caso das mortes causadas por doenças respiratórias, que cresceram 34,9% na comparação entre os anos, passando de 442.266 para 596.678. Entre as doenças deste tipo, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) explodiu, registrando crescimento de 998,4%, seguida pelas de Causas Indeterminadas, que registraram aumento de 33,4%.

Já entre os óbitos causados por doenças cardíacas, muitas vezes relacionados à COVID-19, a comparação entre 2019 e 2020 aponta um aumento de 5,1%, passando de 270.203 para 284.117. Dentre as doenças do coração, o registro que apontou maior crescimento foi o de falecimentos por Causas Cardiovasculares Inespecíficas, que cresceu 28,8% entre os anos, sendo que o aumento dos óbitos em domicílio é uma das explicações para o diagnóstico inespecífico das mortes causadas por doenças do coração.

Mortes em Casa

O receio das pessoas de frequentar hospitais ou mesmo de realizar tratamentos de rotina durante a pandemia, assim como a falta de leitos em momentos críticos da COVID-19 no Brasil, fez com que o número de mortes em domicílio disparasse no país quando se comparam os anos de 2019 e de 2020, registrando um aumento de 22,2%.

As mortes por Causas Respiratórias fora de hospitais cresceram 26,9%, sendo que novamente a SRAG foi a que registrou a maior variação, 710%. Também cresceram os óbitos por Insuficiência Respiratória (5,9%), Septicemia (28,8%), e Causas Indeterminadas (38,7%). Os registros de óbitos, feitos com base nos atestados de óbitos assinados pelos médicos, apontam que 9.311 brasileiros morreram de COVID-19 em suas casas.

Os óbitos por Causas Cardíacas fora de hospitais também dispararam em 2020, com registro de aumento de 26,9% na comparação com o ano anterior. Neste tipo de doença, o maior aumento se deu nas chamadas Causas Cardiovasculares Inespecíficas (67,8%), muito em razão de o falecimento ocorrer sem assistência médica, dificultando a qualificação da doença. Também cresceram os óbitos em casa por Acidente Vascular Cerebral (AVC), aumento de 26,3%, e Infartos, que cresceram 3,2%.

Continuar lendo

Acre

Edital do concurso da Polícia Federal é publicado com vagas para o Acre

Publicado

em

A edição do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 15, trouxe o edital do concurso com 1,5 mil vagas para a Polícia Federal. Estão previstas vagas para o Acre, além de outros sete estados e localidades de fronteira internacional.

Ao todo, são 1,5 mil vagas, sendo 123 para delegados, 893 para agentes, 400 para escrivães e 84 para papiloscopistas. Destas, há reserva cotistas negros e pessoas com deficiência.

As inscrições estão previstas para começar no dia 22 de janeiro e devem ir até 9 de fevereiro. As provas no dia 21 de março.

O salário previsto no edital é de R$ 23.692,74 para delegados e R$ 12.522,50 para agentes, escrivães e papiloscopistas. O valor das inscrições varia de R$ 180 a R$ 250, o maior valor, para cargos de delegado.

O edital não especifica quantas vagas serão destinadas para os estados, citando apenas que “serão disponibilizadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e em unidades de fronteira”.

Para se inscrever, por meio do site da Cebraspe, organizadora do concurso, é preciso ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, idade ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, idade mínima de 18 anos, aptidão física e mental e ter 3 anos de atividade jurídica ou policial para ingresso no cargo de delegado. Neste caso, considera-se ter exercido atividade exclusiva de bacharel em Direito, conciliador em tribunais judiciais, do cargo no magistério. Não é válida para contagem de estágio anterior à conclusão do curso.

Acesse o edital: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/edital-n-1-dgp/pf-de-15-de-janeiro-de-2021concurso-publico-para-o-provimento-de-vagas-nos-cargos-de-delegado-de-policia-federal-agente-de-policia-federal-escrivao-de-policia-federal-e-papiloscopista-policial-federal-2992365

Continuar lendo

Destaque 2

Médicos denunciam assembleia do Sindmed ao Ministério Público por aglomeração

Publicado

em

O clima esquentou pelas bandas Sindicato de Médico do Acre (Sindmed). O atual presidente, Murilo Batista dos Santos Filho, é acusado de presidir a entidade, mesmo morando fora do Acre. O mais grave é que o médico aparece como ativo no Portal de Transparência e recebendo normalmente seus salários no governo acreano.

Além dessas acusações, há um outro problema. O presidente marcou para este sábado, 16, uma assembleia extraordinária da categoria. Ocorre que a reunião vai ser presencial e os médicos reclamam que se todo mundo comparecer vai acontecer aglomeração e crescer a chance de que os profissionais que são essenciais para o tratamento dos doentes sejam  contaminados pela Covid-19. “Como é que se marca uma assembleia geral em meio a uma pandemia. Colocar todos os médicos do Acre em um único lugar correndo o risco desses médicos pegarem Covid-19 e deixarem os hospitais desassistidos”, afirmou um médico que prefere não ser identificado ao ac24horas.

Pelo menos dois médicos denunciaram a  realização da assembleia e pediram providências ao Ministério Público do Acre (MPAC) para suspender o encontro e evitar aglomerações. Em ofício enviado ao Sindmed nesta quinta-feira, 14, o titular da Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, Glaucio Oshiro, afirmou que apesar da assembleia não poder ser proibida pela lei, o sindicato deve evitar aglomeração não condizente com o atual momento da pandemia, seja oportunizando uma plataforma virtual para a realização do evento ou adotando outras medidas oportunas. O promotor deu 24 horas de prazo para que o Sindmed se manifeste sobre as medidas que serão adotadas.

“Isso é uma estratégia da atual diretoria. De forma presencial, muitos não irão. Aí com pouca gente, eles mobilizam o grupo deles e aprovam tudo que é absurdo. Não é à toa que o nosso presidente nem no Acre mora mais”, diz o profissional.

O presidente do Sindmed foi procurado pelo ac24horas, mas não se manifestou. Em relação aos salários, a Sesacre informou que o médico já deu entrada no processo de aposentadoria, mas vai abrir um processo administrativo para apurar o suposto recebimento de salários sem que o profissional tenha trabalhado.

Continuar lendo

Cotidiano

Abertas inscrições para contratação de professores e consultoria em cursos EaD

Publicado

em

O Instituto de Educação Profissional e Tecnológica (Ieptec/Dom Moacyr), abriu quatro vagas para contratação de mediadores para prestação de consultoria individual em cursos de Formação Inicial e Continuada (FICs) da instituição. As inscrições já estão abertas e estendem-se até o próximo dia 22 de janeiro.

As vagas são destinadas a engenheiros agrônomos, engenheiros florestais e profissionais com formação superior nas áreas de Floresta e Manejo Sustentável. Todos deverão ter experiência no âmbito da docência.

Os profissionais atuarão nos cursos FICs de Agricultura Familiar, Cooperativismo Rural, Empreendedorismo Rural e Projetos Florestais. As aulas serão ministradas na modalidade de Educação a Distância (EaD).

“A seleção e recrutamento dos profissionais serão realizados mediante análise curricular. “Assim, os interessados devem nos encaminhar um e-mail com seu currículo anexado em arquivo com formato em PDF”, explica o presidente do Ieptec, Francineudo Costa.

Os currículos devem ser encaminhados exclusivamente no endereço eletrônico processoseletivo.ieptec@gmail.com.

O Ieptec é órgão responsável pela formulação e implementação de políticas públicas e do Plano Estadual de Educação Profissional do Estado do Acre. A oferta das vagas se deu mediante as prerrogativas do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (PDSA – Fase II).

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas