Conecte-se agora

Policial diz que investigação sobre “rachadinha” foi rápida e que oitivas foram canceladas

Publicado

em

O policial civil, Fábio Alexandre, responsável pela denúncia contra o ex-delegado-geral, Henrique Maciel, acusado de envolvimento em suposta “rachadinha” emitiu uma Nota de Esclarecimento sobre a decisão da Corregedoria Geral da Polícia Civil, que inocentou o delegado.

Segundo ele, a investigação ocorreu de forma demasiadamente “célere e, ao que tudo indica, sem ter realizado todas as diligências pertinentes ao caso, além da supressão de oitivas de testemunhas já intimadas para depor na segunda-feira, dia 27 de julho de 2020”, alegou.

Leia também:

>>>Delegado geral da Polícia Civil do Acre é acusado de rachadinha

>>>Após denúncia de “rachadinha”, delegado geral Henrique Maciel será afastado do cargo

>>>Henrique Maciel é exonerado do cargo de delegado-geral e Josemar Portes é nomeado

>>>Além da “rachadinha”, saída de Henrique Maciel da chefia da PC seria motivada por suposta “fritura” de secretário e delegados

>>>Após exoneração da PC, Henrique diz que citados na “rachadinha” entregarão sigilos bancários

>>>Corregedoria diz que houve denunciação caluniosa contra delegado exonerado por suposto esquema de ‘rachadinha’

O policial criticou o fato de não ter ocorrido o pedido de quebra de sigilo bancário dos envolvidos. “Medida que poderia comprovar as afirmações feitas pelo servidor comissionado, ocupante de cargo de confiança do então delegado-geral, e objeto principal da investigação em curso”, questionou.

Fábio Alexandre espera que a investigação instaurada no MPAC possa transcorrer “sob o manto da justiça, da imparcialidade e sobretudo, realizando todos os meios de investigações usuais para se chegar à verdade dos fatos”.

Leia a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre a matéria veiculada no jornal Ac24h com o título “corregedoria diz que houve denunciação caluniosa contra delegado exonerado por suposto esquema de rachadinha”, este agente de polícia vem a público esclarecer que:

1. Após tomar conhecimento do suposto esquema de “rachadinha” por um ocupante de um cargo comissionado do então Delegado Geral, no melhor juízo, encaminhei as informações ao Ministério Público do Acre (MPAC) e a Delegacia de Combate a Corrupção (DECOR) para procedimento de investigação;

2. A DECOR, por se julgar incompetente para apurar o feito, encaminhou a denúncia à Corregedoria Geral de Polícia, que imediatamente enviou uma cópia de inteiro teor ao principal investigado, o delegado Henrique Maciel, fato afirmado pelo próprio Delegado Geral em reunião que teve comigo, no seu gabinete, no dia 02 de julho de 2020;

3. Que a investigação foi demasiadamente célere e, ao que tudo indica, sem ter realizado todas as diligências pertinentes ao caso, além da supressão de oitivas de testemunhas já intimadas para depor na segunda-feira, dia 27 de julho de 2020. Não houve, a título de exemplo, pedido de quebra de sigilo bancário dos envolvidos, medida que poderia comprovar as afirmações feitas pelo servidor comissionado, ocupante de cargo de confiança do então Delegado-Geral, e objeto principal da investigação em curso;

4. Quanto a afirmação de que este agente de polícia responderá pelo crime de falso testemunho e denunciação caluniosa, cabe ressaltar que não há qualquer indiciamento contra minha pessoa realizado pelo então Corregedor Geral por qualquer prática delituosa, onde saliento o Corregedor de Polícia optou pelo arquivamento do inquérito. Ademais, o ato praticado por este agente de polícia teve o condão de encaminhar aos órgãos competentes, suposta prática de crime, praticada por um ocupante de cargo comissionado do então Delegado Geral e demais denúncias, para investigação.

Por fim, este agente de polícia se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos e aguarda que o procedimento instaurado no MPAC possa transcorrer sob o manto da justiça, da imparcialidade e sobretudo, realizando todos os meios de investigações usuais para se chegar a verdade dos fatos.

Fábio Alexandre
Agente de Polícia

Anúncios

Acre

Alto Acre volta ao Vermelho com piora dos casos de Covid-19

Publicado

em

A região do Alto Acre voltou ao nível de emergência na classificação de risco da pandemia do novo coronavírus. Os dados, divulgados em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 22, pelo Comitê Especial de Acompanhamento da pandemia no estado, apontam que do último dia 3 de janeiro ao dia 16, houve piora nos indicadores que avaliam os pacientes infectados.

Agora, os quatro municípios pertencentes à região deverão obedecer às medidas mais rígidas em vigor na pandemia, conforme Decreto 5.496, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

Nas duas últimas semanas, o Alto Acre piorou a situação de isolamento social, o que fez a regional regredir. “Piora em isolamento social, notificação por síndrome gripal, óbito e ocupação de leitos clínicos e Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, disse a coordenadora do Comitê, a farmacêutica Karolina Sabino.

Com a classificação em nível de emergência (Bandeira Vermelha), apenas as atividades comerciais consideradas essenciais deverão funcionar nesse período. O aumento de ocupação em leitos clínicos, por exemplo, subiu 450%.

Continuar lendo

Acre

No Acre, índios aldeados são menos infectados pela Covid-19

Publicado

em

Foto: Divulgação

Índios aldeados tem sido menos infectados que os que vivem nos municípios do Acre, sugerem os dados da Comissão Pró-Índio (CPI). O número de infectados nas terras indígenas é de 1.218 pessoas e os que vivem nos municípios somam 1.230.

No entanto, indígenas não aldeados –aqueles que vivem fora das terras indígenas -estão fora da lista de prioridade para vacinação contra a Covid-19.

Segundo a última atualização dos dados da CPI Acre do dia 18/1, os boletins semanais dos Departamento Sanitários Indpigenas (DSEIs) Alto Rio Purus e Alto Rio Juruá não foram divulgados até o momento, e o boletim da Sesacre registrou três novos casos de indígenas contaminados no município de Santa Rosa do Purus.

“Colaboradores da CPI em Feijó informaram que no município, nas margens do rio Envira, há indígenas Madijá com Covid-19 e estamos aguardando as informações do DSEI Alto Rio Juruá para incluir os casos no monitoramento”, informa a Comissão Pró-Índio.

As vacinas já chegaram a várias comunidades no Vale do Juruá.

Continuar lendo

Acre

Jenilson ressalta importância do retorno da radioterapia no Acre

Publicado

em

O deputado estadual Jenilson Leite realizou uma visita na Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) do Hospital do Câncer de Rio Branco, para verificar o funcionamento do acelerador linear. O parlamentar realizou várias reivindicações para que a Sesacre colocasse em funcionamento esta importante ferramenta no tratamento do câncer.

Jenilson que também é médico infectologista, destinou R$ 20 mil de suas emendas impositivas, para o reparo na refrigeração da sala do acelerador linear.

No hospital, Jenilson conversou com a direção do órgão, tendo como pauta o funcionamento do aparelho. “Eu queria parabenizar todos vocês da gestão do UNACON pelo esforço feito para a radioterapia voltar a ativa, o funcionamento do aparelho é um ganho para o povo acreano. Porque alguns pacientes estavam fazendo o tratamento em Porto velho, sendo que muitos desistem pela distância e condições de locomoção e estadia. Por isso parabenizo a gestão por esta conquista”, disse o deputado.

O médico ressaltou que em diferentes momentos esteve no Unacon e na tribuna da ALEAC cobrando o funcionamento do aparelho. ” Destinei recursos para refrigeração, controle de umidade. Destaco ainda o esforço do secretário de saúde e outros parlamentares que também ajudaram. É um ganho para toda a população. Fiz várias cobranças e agora venho parabenizar a gestão”, disse Leite.

Segundo a gerente administrativa da Unacon, Nilce Vilaça, a máquina está pronta para o funcionamento, contudo, eles aguardam apenas os monitores individuais de radiação, com previsão de chegada para os próximos dias, para que possam iniciar os atendimentos. “Assim que chegar os radiadores individuais vamos poder iniciar todos os tratamentos”, garante.

Com a ajuda do deputado, segundo Nilce, foi possível fazer o reparo da climatização da sala. “Em uma das visitas que o Dr. Jenilson fez , ele prometeu que ia ajudar, e nos ajudou com essa emenda. Isso é muito gratificante porque foi uma forma de acelerar o processo”.

O acelerador estava parado desde 2016. Isso fazia com que os pacientes do Acre fossem transferidos para outros estados. Mas com o funcionamento, trinta e cinco pacientes da lista de espera de regulação para o tratamento de câncer, farão na Unacon, pois o aparelho pode tratar até oitenta pessoas por dia, segundo a direção.

Continuar lendo

Acre

Primeiro paciente vindo do Amazonas recebe alta médica

Publicado

em

Nesta quinta-feira, 21, o paciente Thiago Alves, 36 anos, que veio do município de Tabatinga, interior do estado do Amazonas, recebeu alta médica. Ele estava internado desde o dia 13 deste mês na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into-AC) por infecção de Covid-19 e foi o primeiro paciente vindo do Amazonas com o apoio oferecido pelo Estado do Acre.

Alves é natural do município de Senador Guiomard-AC, e atua como médico no estado do Amazonas pelo programa Mais Médico desde outubro de 2017. Segundo ele, o sentimento é de tamanha gratidão pelo acolhimento e por ter sido tão bem cuidado pelos profissionais do estado.

“Primeiramente agradeço a Deus a oportunidade de ter sido transferido para o Into-Acre, onde fui muito bem tratado e tive alta de curado da Covid-19 hoje. Com toda minha experiência e rotina, nunca imaginei um local tão preparado e acolhedor com seus pacientes. São muitos profissionais treinados e fazendo o que gostam”, afirma o paciente, que fez um agradecimento especial ao governador Gladson Cameli, ao secretário estadual de Saúde, Alysson Bestene, e, ainda, ao deputado federal Allan Rick.

Sensibilizado com a situação enfrentada pelo estado vizinho, o governador Gladson Cameli, por meio da Secretaria de Saúde, vem oferecendo assistência necessária aos pacientes do Amazonas que se encontram infectados pela Ccovid-19 e estão impossibilitados de receber tratamento no estado de origem devido à superlotação dos hospitais.

“Nos alegramos em saber que com apoio do nosso governador Gladson Cameli, estamos contribuindo com o nosso estado vizinho em um momento tão delicado que estamos passando e em podermos acolher e prestar um tratamento humanizado para a cura da nossa população”, ressalta o secretário de Saúde Alysson Bestene.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas