Conecte-se agora

Diocese de Rio Branco se posiciona contra reabertura da igreja mesmo com mudança para faixa laranja

Publicado

em

A saída da fase de emergência para situação de alerta divulgada pelo governo do Acre nesta segunda-feira, 20, não fez a Diocese de Rio Branco mudar de opinião com relação à necessidade de fechamento dos templos religiosos em meio à possibilidade de contaminação pelo coronavírus. Pouco depois de o comitê de enfrentamento da Covid-19 relatar que todos os municípios acreanos agora fazem parte da bandeira laranja, a Diocese emitiu uma nota nesta segunda-feira, 20, alertando para os possíveis perigos que a reabertura das igrejas pode trazer ao estado neste momento.

“Desde o dia 18 de março de 2020, antes mesmo do primeiro decreto do Governo do Estado, tomamos a difícil decisão de manter as nossas igrejas fechadas. Desde então, submetemo-nos às decisões do Governo, no que se refere às medidas para enfrentamento da pandemia, sem criar mecanismos para driblar a lei e, procuramos seguir todas as orientações das autoridades sanitárias”, diz a Igreja Católica, que soma mais de 51% da população do Acre sendo que desse total, mais da metade reside no território da Diocese de Rio Branco, abrangendo Rio Branco e mais 13 municípios, além de Boca do Acre, no Amazonas, e os distritos de Extrema e Califórnia, em Rondônia.

Conforme a Diocese, em nenhum momento ela pressionou o Governo ou as prefeituras, para acelerar o processo de reabertura das igrejas, “porque acreditamos que ainda não é o momento para isso. Ademais, o “efeito sanfona” de abrir e depois ter que fechar, poderá trazer perdas irreversíveis para o nosso povo”, salienta.

A Diocese alerta que nos quatro meses de pandemia no Acre, viu-se o crescimento dos casos de contaminação pela doença, além de perder muitas vidas, entre elas muitos agentes de pastoral de nossas comunidades. “Temos convivido diariamente com as incertezas e estamos todos cansados e ansiosos. Não ignoramos a grave crise econômica que acompanha a crise sanitária, tampouco estamos imunes a ela. Porém, precisamos ser prudentes e sábios, para não nos deixarmos ser conduzidos por outros interesses, pois nosso interesse principal sempre será a defesa da vida acima de tudo”, explica.

A Igreja Católica ressalta que reconhece o esforço das autoridades e confia na capacidade técnica dos profissionais envolvidos no enfrentamento da pandemia, que “dirão a hora mais segura para darmos o passo de reabertura das nossas igrejas. Enquanto isso, vamos nos reinventando para manter vivas a fé e a esperança do nosso povo, sem, contudo, colocar em risco as suas vidas”, conclui.

Destaque 7

Brasiléia inicia vacinação contra Covid-19 a partir de 40 anos

Publicado

em

A prefeitura de Brasiléia e a equipe da Saúde tem se empenhado para garantir que a vacinação contra a Covid-19 avance no município, seguindo todas as recomendações do Ministério da Saúde.

Nesta quarta-feira, dia 16, inicia uma nova faixa etária de vacinação, das pessoas a partir de 40 anos sem comorbidade, o que aumenta a esperança da população que aguarda ansiosa pela imunização.

Para a prefeita Fernanda Hassem, as pessoas a cada dia estão recebendo doses de esperança e cura.

“A cada faixa etária que avança, aumenta a nossa esperança de dias melhores. A nossa prioridade nesse momento é imunizar a nossa população, cuidar da saúde do nosso povo e estamos trabalhando focados para voltar 100% à normalidade e que a nossa população seja 100% vacinada o quanto antes, por isso temos destinado equipes da Saúde todos os dias para garantir celeridade na vacinação contra a Covid-19. Agradecimento especial à nossa equipe da Saúde municipal, em nome do secretário Joãozinho Melo, que não tem parado um só dia, cada trabalhador e trabalhadora, tem se dedicado a salvar vidas através da vacinação. Não podemos deixar de agradecer também ao governo do Estado por ser um grande parceiro na imunização do povo acreano. A cada dia a esperança aumenta”, disse. 

A vacinação da população a partir dos 40 anos de idade acontecerá em Brasileia, na quadra do Centro Cultural, das 8 às 16h, lembrando que a pessoa deverá está munido do cartão do SUS, comprovante de endereço, CPF e caderneta de vacina.

Vacina cura. Cuide de você e de quem você ama. Vacine-se!

Continuar lendo

Destaque 7

Lago do Amapá tem 3.160 anos e foi formado pelas mudanças climáticas ocorridas no Acre

Publicado

em

Em seminário realizado nesta sexta-feira (11) sobre áreas de proteção ambiental do Acre, a gestora da APA Lago do Amapá, Mirna Caniso, informou que mais de 40 artigos, entre resumos e capítulos de livros, já foram publicados sobre essa unidade de proteção ambiental localizada no 2o Distrito de Rio Branco.

O professor Waldemir Santos, da Universidade Federal do Acre (Ufac) estudou a unidade e calcula que o Lago do Amapá tenha sido formado há 3.160 anos –e que, portanto, um lago novo. Sua formação ocorreu por mudanças climáticas no passado.

A Área de Proteção Ambiental Lago do Amapá possui área de aproximadamente 5,2 mil hectares e foi criada pelo decreto No 13.531, de 26 de dezembro de 2005, e tem por objetivos preservar e recuperar remanescentes da biota local, fomentar a educação ambiental, ecoturismo, dentre outros.

Continuar lendo

Destaque 7

No Acre, vídeo mostra mulher espancando cachorro amarrado

Publicado

em

Uma moradora do bairro da Cobal, no município de Cruzeiro do Sul, identificada como Creusa, foi filmada espancando um cachorro amarrado no quintal dela. A gravação dos maus tratos foi enviada à secretaria Municipal de Meio Ambiente que esteve no local. Aos fiscais ambientais, a mulher confirmou a agressão ao cachorro e afirmou que a surra foi para castigar o animal, que havia comido a roupa que estava no varal.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Cruzeiro do Sul, Igor Neves, a senhora se explicou e garantiu que o fato não se repetirá e foi apenas orientada sobre os rigores da lei, com relação aos maus tratos a animais. “Dessa vez os fiscais agiram na orientação, mas se houver reincidência, as medidas serão duras e de acordo com a lei”, alerta.

Veja o vídeo:

O secretário informou que denúncias podem ser feitas pelo telefone (68) 9993533-30 até de forma anônima. Os denunciantes também podem ir pessoalmente até a sede da secretaria, no prédio da prefeitura, no bairro Miritizal. “O sigilo é garantido”, explicou Neves.

Prisão, multa e perda do animal

Quem maltrata os animais é enquadrado no art. 32 da Lei 9.605/98. Antes da modificação na Lei , a pena era de três meses a um ano, além de multa.

Em 29 de setembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Projeto de Lei que alterou e agravou penas por maus tratos aos aos cães e gatos. O crime deixou de ser considerado menor potencial ofensivo e quem maltratar animais poderá ser preso, com pena de dois a cinco anos de reclusão, e ainda pagar multa. O agressor também perde direito de ficar com o animal.

O criminoso é investigado e não mais liberado após a assinatura de um termo circunstanciado, como ocorria antes. Além disso, quem maltratar cães e gatos passará a ter, também, registro de antecedente criminal e, se houver flagrante, o agressor é levado para a prisão.

Mulher é notificada:

Continuar lendo

Destaque 7

Governo segue com apenas 3,20% no quilo do açaí do Acre

Publicado

em

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou nesta quarta-feira (9) a relação dos produtos agrícolas com bônus de desconto no pagamento das parcelas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Como sempre, o produto atendido no Acre é o açaí, que segue com 3,20% de garantia no preço por quilo, elevando o valor de R$1,21 para R$1,25.

Nas bancas que beneficiam o açaí, o produto é vendido até R$13 o litro. Mesmo com o preço alto para o consumidor, há desabastecimento.

A lista com os produtos e os estados contemplados pelo Programa de Garantia de Preços para Agricultura Familiar (PGPAF) vale para o período de 10 de junho a 9 de julho deste ano, conforme a Portaria Nº 24, da Secretaria de Política Agrícola.

Os produtos com bônus de desconto nas operações e parcelas de crédito rural são, além do açaí acreano, a banana, cará/inhame, castanha de caju, manga e maracujá. Os estados que integram a lista deste mês são, além do Acre, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina e Sergipe.

O recebimento de bônus do PGPAF ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do programa fica abaixo do preço de referência, permitindo ao produtor utilizar o valor como desconto no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento do Pronaf.

Os descontos de todos os cultivos são calculados mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a partir de pesquisas sistemáticas dos preços de mercado em todas as unidades da Federação – com base em metodologia própria -, registrados no banco de dados das séries históricas de preços. Após o cálculo, são divulgados pelo Mapa.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas