Conecte-se agora

Zamora anuncia fim de sua pré-candidatura e desfiliação do PSL

Publicado

em

O pecuarista e empresário Fernando Zamora, que era pré-candidato pelo PSL à prefeitura de Rio Branco, publicou uma extensa carta onde manifesta seu descontentamento com os novos rumos que a sigla partidária toma no Acre.

Zamora não cita em nenhum momento diretamente a entrada do vice-governador Major Rocha no PSL. Prefere afirmar que a candidatura de Minoru Kinpara (PSDB), que o partido deve apoiar a partir de agora, representa a continuidade da ideologia de partidos de esquerda.

“Pessoalmente, não temos absolutamente nada contra Minoru Kinpara, que tem a ficha limpa, mas não compactuamos com sua ideologia, princípios e projetos. Seria mais legítimo permanecer em partidos com viés de esquerda, cuja compactuação ideológica não conseguiu negar nas entrevistas, sobretudo quando disse que saiu do PT em razão da corrupção e não por causa dos princípios, da ideologia e do projeto”, afirmou

Leia carta publicada por Fernando Zamora:

Meus amigos e minhas amigas,

A velha política ganhou mais uma batalha. Isso nos frustra, mas não nos desanima, porque a esperança persiste em um futuro melhor para nossa cidade e nosso estado. Havíamos trabalhado, juntamente com Pedro Valério, por quem guardo muita estima, e toda a militância do PSL, em um projeto para nossa Rio Branco, a curto, médio e longo prazo, nos pautando nas diretrizes que acreditamos, no liberalismo e em valores irrenunciáveis. Estávamos nos preparando para uma campanha linda, que, independente do resultado, fortaleceria a democracia e nosso projeto legítimo.

Esse tipo de projeto é uma ameaça ao establishment (ordem política que vigora no estado), porque expõe as velhas raposas que buscam insaciavelmente o poder e intimida a suas existências. Hoje, quem muito criticou o PT, não se mostra diferente em nem um centímetro no afã de manter-se e aumentar o poder.

A coisa pública merece ser gerida por gente do povo, por gestores desinteressados em seguir carreirismo político, que se limitam a fazer o melhor pelo povo e para o povo. Não é o que pretendem os representantes do sistema, dessa velha política que como um câncer ou um parasita possui uma insistente resistência.

Se concentram em se imbuir no cenário e lá permanecer para, e tão somente, benefício próprio. Isso tem que acabar. Nosso projeto, caso vencedor, seria o início do fim dessa classe.

Nesse quesito, faço questão de ressaltar que tem muita gente boa na política, que luta contra a correnteza, que é honesto, coerente e fiel aos seus princípios, não estou demonizando a política.

Fomos vítimas do ardil de quem tem como projeto unicamente o poder e isso faz distanciar o cenário de um Acre e de uma Rio Branco melhores ao povo. Nossa candidatura resta inviabilizada e iremos nos desfiliar do PSL, que, por um projeto de poder, se distanciou do projeto legítimo de democracia. Jamais iremos apoiar uma candidatura por ser um nome que vai bem em pesquisas, um nome que foi presidente do Partido dos Trabalhadores e que foi candidato ao senado pela Rede Sustentabilidade.

Pessoalmente, não temos absolutamente nada contra Minoru Kimpara, que tem a ficha limpa, mas não compactuamos com sua ideologia, princípios e projetos. Seria mais legítimo permanecer em partidos com viés de esquerda, cuja compactuação ideológica não conseguiu negar nas entrevistas, sobretudo quando disse que saiu do PT em razão da corrupção e não por causa dos princípios, da ideologia e do projeto.

Somos e sempre seremos éticos, fiéis àquilo que acreditamos e rogo que ainda tenha algum candidato, nestas eleições, que tenha algum projeto sólido, viável e conciso para nossa Rio Branco.

Sigo firme em prol da Democracia e agradeço a todos os que se simpatizaram com nosso projeto.

Fernando Zamora

Anúncios

Acre

Morre professor de Educação Física João Alberto, vítima da Covid-19

Publicado

em

O futebol acreano está de luto. Morreu na noite desta terça-feira, 26, o professor João Alberto, de 57 anos, vítima da Covid-19.  João ficou cerca de 17 dias internado no Into. A situação de saúde se agravou nos últimos dias e ele não resistiu.

Com a piora em seu quadro de saúde, a família ainda chegou a iniciar uma campanha de arrecadação para transferir o professor para tratamento particular em São Paulo. Infelizmente, não houve tempo suficiente.

Figura conhecida no meio esportivo acreano, Alberto trabalhou nos principais clubes de futebol do Acre, como Rio Branco, Galvez, Atlético, Juventus, Independência, Vasco e Andirá.

João Alberto era casado e deixa três filhos. A família não divulgou informações sobre velório e sepultamento.

Continuar lendo

Acre

Empresário de eventos é internado em decorrência da Covid-19

Publicado

em

Nesta terça-feira, 26, o empresário Amilton Brito, da Pop Show Eventos, foi internado em decorrência da Covid-19. A notícia foi compartilhada pela secretária de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, que é chefe de Brito na pasta.

Segundo Eliane, o quadro de Brito é estável, mas preocupante em decorrência dele ter comorbidades e integrar o grupo de risco da Covid-19. Ela pediu orações para o colega.

“Hoje meu amigo, meu irmão de coração, meu braço direito, Amilton Batista Brito Brito, foi internado com Covid-19. Ele já passou pelos procedimentos necessários e iniciais e estamos aguardando que a medicação faça efeito. No caso dele, nossa preocupação é maior porque tem diabetes e pressão alta e os exames mostraram um quadro nada favorável. Acredito em Deus e confio nos médicos e na medicina para que ele se recupere o quanto antes! Força Brito! Você vai sair dessa!”, escreveu Eliane.

Continuar lendo

Acre

Acre teve mais de 6 mil casos de Covid-19 após festas de final de ano

Publicado

em

Pouco mais de um mês após o período natalino comemorado em meio à pandemia do novo coronavírus em 2020, o Acre chegou 46. 774 pessoas contaminadas pelo vírus nos 22 municípios. De 25 de dezembro de 2020 até este dia 26 de janeiro de 2021, foram 6.051 novos infectados com a Covid-19 no Estado. Nesse período, foram confirmadas 76 mortes em decorrência de complicações da doença.

Há cerca de um mês, era 40.723 casos positivos confirmados pela secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e 780 óbitos registrado. Atualmente, o número de mortes está em 856. Um total de 76 mortes desde as últimas festas de final de ano. À época, profissionais da saúde, o Comitê Especial de Acompanhamento da pandemia no Acre e o próprio governador Gladson Cameli vieram a público pedir que a população não se reunisse para comemorar o Natal ou Réveillon.

A intenção era reduzir as possibilidades de se ter uma explosão de novos casos ou até mesmo mortes por conta da doença. Festas clandestinas e aglomerações em bares foram fiscalizadas por órgãos fiscalizadores que atuam em parceria com o Estado. Cruzeiro do Sul é a cidade acreana que mais tem sofrido com o desrespeito às regras sanitárias de precauções à contaminação da Covid-19.

A cidade, que chegou a zerar o número de pacientes graves na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital de Campanha do Juruá em meados de outubro do ano passado, viu o alastramento do vírus nas últimas semanas provocar preocupações a ponto de o governo pedir fechamento da fronteira do Acre.

Profissionais de saúde em Cruzeiro do Sul temem um verdadeiro colapso por conta da pandemia. Nas últimas 24 horas, o Acre teve 235 novos casos de Covid-19 e mais 2 mortes. Até o momento, o Acre registra 132.176 notificações de contaminação pela doença, sendo que 84.482 casos foram descartados e 920 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 39.403 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 164 pessoas seguem internadas.

Continuar lendo

Acre

2ª onda da Covid-19 evoluiu com afrouxamento de restrições

Publicado

em

O índice de medidas legais adotadas pelo Acre caiu de 7,1 em abril de 2020 para 3,5 em dezembro/20 ao mesmo tempo em que o número de novos óbitos por 1 milhão de habitantes decorrentes da Covid-19 aumentou de 0,7 para 2,6 no mesmo período.

O índice é ponderado pela população de cada Estado, possuindo uma escala de 0 a 10 – em que 10 é o mais restrito (apenas dias úteis). Ou seja: para o Acre, abril foi o pico da restrição.

Os dados constam da nota técnica “A segunda onda da pandemia (mas não do distanciamento físico): Covid-19 e políticas de distanciamento social dos governos estaduais no Brasil”, que o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta terça-feira (26).

Segundo o Ipea, os casos de Estados que possuem planos robustos de flexibilização das medidas de distanciamento, é preciso alguma cautela na interpretação destes dados. Nestes, o enrijecimento – ou relaxamento – das medidas depende de parâmetros objetivos, especialmente o número de novos casos, óbitos ou internações, assim como a disponibilidade de leitos hospitalares. Entre os estados que atravessam – ou atravessaram – uma segunda onda de Covid-19, tais parâmetros existem e são seguidos no Acre, no Espírito Santo, no Rio Grande do Sul e em São Paulo (Moraes, Silva e Toscano, 2020). Como os planos nestes estados são regionalizados (ou seja, maior rigidez é aplicada a áreas de maior risco), medidas de distanciamento físico podem ter sido enrijecidas em partes do estado – o que não necessariamente é captado pelo IDS.

Apesar da possibilidade – e depois certeza – de uma segunda onda não ter induzido uma mudança significativa no grau de rigor das medidas de distanciamento na maior parte do país, os níveis de isolamento social cresceram ligeiramente. Conforme se observa no gráfico 4, o índice de isolamento social cresceu a partir de novembro de 2020 em quase todos os Estados.

Isto ocorreu ainda que medidas legais de distanciamento físico não tenham sido enrijecidas – indicando que uma parte maior da população se isolou voluntariamente.

Ainda assim, os níveis altos de isolamento observados no final de março e início de abril de 2020 estiveram longe de ser atingidos. Ademais, os altos índices de correlação (superior a 0,5 em 24 UFs) indicam que o grau de rigor das medidas de distanciamento físico está associado ao quanto as pessoas se mantêm em casa.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas