Conecte-se agora

No Bar do Vaz, Socorro Neri garante aplicação correta de recursos e diz que faz gosto ser apoiada por Gladson

Publicado

em

O Bar do Vaz deste domingo, 14, entrevista a prefeita de Rio Branco, a professora Socorro Neri (PSB). Nesta edição do programa transmitido pelo ac24horas, a gestora comenta os últimos acontecimentos e polêmicas envolvendo o município em meio à pandemia do novo coronavírus. Neri também não deixou de falar sobre as eleições 2020 e a sua notável aproximação política com o governador Gladson Cameli (Progressistas).

Socorro inicia dizendo que o fluxo de atendimento aos pacientes com suspeita de Covid-19 implementado recentemente pela secretaria municipal de saúde tem trazido bons resultados e ajudado as unidades do Estado diante da demanda imposta pela epidemia do vírus. No entanto, algumas mudanças ainda deverão ser concretizadas no âmbito da saúde a fim de melhorar ainda mais o acolhimento à população.

“As unidades estão com melhor estrutura para fazer esse atendimento. Toda a rede de atenção primária está trabalhando para aqueles que sentem os primeiros sintomas da doença [Covid-19]. Eles podem procurar a unidade de saúde mais próxima em sua regional para receber assistência”, explica a prefeita.

O município também faz o monitoramento dos pacientes notificados pela prefeitura. “Estamos ajustando esse novo fluxo para que ele passe a funcionar na sua totalidade. Até o final do mês vamos estar com outros serviços funcionando, como o Centro de Atendimento e Diagnósticos, com resultados de exames em 48 horas”, garante.

Situação fiscal

Questionada sobre a situação financeira da prefeitura de Rio Branco, Neri não esconde que a situação é delicada e requer ainda mais esforço para manter a ordem e evitar um colapso total. “Começamos 2020 com muito otimismo, com um planejamento organizado, fechamos o ano de 2019 sem nenhuma dívida, com todos os servidores e fornecedores pagos, mas fomos surpreendidos com essa crise sanitária que também é econômica e social”, ressalta.

A arrecadação do município é 30% menor do que o previsto para 2020 antes da epidemia da Covid-19 chegar ao Acre. O apoio emergencial enviado pelo governo federal ajuda, mas ainda é só metade da perda total sofrida pela capital acreana. “Esse apoio é apenas parte da redução da arrecadação que estados e municípios tiveram. Já recebemos a primeira de um total de quatro parcelas, no valor de R$ 67 milhões. Deste valor, pouco mais de R$ 5 milhões é destinado para a saúde e assistência devido à pandemia”. O restante do valor é para recompor parte do orçamento da receita proveniente dos impostos.

Com isso, as despesas têm sido cada vez mais específicas. “Não podemos gastar mais do que arrecadamos. Há uma necessidade do controle e tenho feito esse dever de casa com muita responsabilidade. O que depende de minhas decisões, busco sempre atender o interesse coletivo”, diz Neri.

Invasão ao depósito da merenda escolar

A gestora comentou um acontecimento recente que envolveu uma “invasão” de dois assessores parlamentares de Rio Branco no depósito da merenda escolar municipal com alegação de denúncia de alimento vencido. “Me senti constrangida em razão da forma como foi feita. Se alguém quer fazer inspeção, os parlamentares podem fazer isso e tem direito de encaminhar e solicitar aos órgãos da prefeitura que estão à disposição para entregar documentos que forem requisitados”, garante.

A prefeita diz que recebeu a denúncia de produtos vencidos e que abriu uma sindicância para identificar possíveis responsabilidades. “O que houve foi um pequeno lote de suco de goiaba iria vencer no dia seguinte e voltou para o depósito”. As aulas estão suspensas devido ao decreto de quarentena imposto pelo governo.

Operações federais

Com relação às operações realizadas pela Polícia Federal em municípios acreanos com suspeita de fraude na aquisição de medicamentos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), Socorro se diz satisfeita com a condução das investigações que não apontaram irregularidades dentro da prefeitura de Rio Branco. “A questão do superfaturamento [na compra de álcool em gel] foi analisada pelo Ministério Público Estadual e Federal, mas só o que teve eco foi a denúncia. O que reverbera é tão somente a crítica”, salienta afirmando que continua acompanhando o andamento da operação.

Relação política com Cameli e possível candidatura

Pouco antes da pandemia da Covid-19 chegar ao Acre, Socorro e Gladson já ensaiavam algumas aparições e trabalhos conjuntos na capital acreana. Com a evidência do vírus, a aproximação de ambos ficou em mais latente no âmbito político. Neri destaca que o diálogo na política é fundamental, principalmente na “boa política”.

“Quem não quer o apoio de Gladson Cameli?”, indagou. “Temos conversado em relação ao trabalho e é isso que nos aproximou. Estamos integrando as equipes e o trabalho, se isso resultar em apoio político, certamente ficarei muito feliz”, afirma. Para ela, essa união com o governador é fundamental para o bem da população. “Não podemos colocar interesse partidário acima dos interesses do povo. Se ele quiser fazer comigo essa aliança, da minha parte não há nenhum impedimento”.

Sobre uma possível candidatura à prefeitura de Rio Branco nas eleições deste ano, a atual prefeita não vê motivos para não se candidatar. “Sou ficha limpa, estou no mandato, é natural ser candidata. Tenho esse direito, nada me impede, meu partido deseja que eu seja candidata, por que não?”.

Neri diz que após sua se colocar à frente da prefeitura, não se afastou de nenhum aliado político, e que apenas imprimiu sua identidade, seus princípios e convicções em sua gestão. “Deixei sempre muito claro que a gestão vai caminhar da forma como considero o certo”, pontua.

Durante a entrevista, ela ainda comenta a saída do ex-secretário municipal de saúde, Oteniel Almeida, e as obras estruturantes que já foram realizadas nas vias públicas e que ainda serão colocadas em prática no decorrer deste ano. Veja a entrevista na íntegra logo abaixo.

video

Anúncios

Acre

Estudante cita demora de ônibus no dia do Enem

Publicado

em

A jovem Vitoria Lorrana, 18 anos, moradora da Cidade do Povo, foi uma das várias candidatas ao Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) que teve que usar outro tipo de transporte para conseguir chegar ao local de prova neste domingo (24). 

Apesar do reforço da frota de ônibus neste domingo, 24, mantido pela Prefeitura de Rio Branco de 47 ônibus circulando na capital, a moradora da Cidade do Povo relatou que os candidatos do bairro não perceberam o aumento na frota de ônibus tamanho a demora. 

Ela cita que desde antes da pandemia, a circulação de ônibus no bairro era muito pouco, e com a pandemia, o problema se agravou.  A jovem irá realizar o Exame na Escola Iza Mello, no Ayrton Senna. 

Ela teve que acordar às 7;30h e conseguir um Uber que aceitasse entrar no bairro. “Demorou uns 30 minutos para o uber entrar na Cidade do Povo. A corrida custou R$ 5,00. Valeu muito mais pedir o Uber do que esperar o ônibus”, contou. 

Continuar lendo

Acre

Carreata pró-impeachment de Bolsonaro chama atenção

Publicado

em

Cidades de todo o Brasil foram palco neste sábado, 23, de carreatas em defesa do impeachment de Jair Bolsonaro (Sem partido). As manifestações, que começaram cedo, também pediram vacina para todos e a continuidade do auxílio emergencial.

Em Rio Branco, a carreata saiu por volta das 16 horas da Uninorte com percurso pelas avenidas Ceará e Getúlio Vargas e terminou no Palácio Rio Branco, no centro da capital.

O comboio de carros levava cartazes da União Juventude Socialista (UJS) e de partidos como PT, PCdoB e Psol. Com buzinaços, centenas de acreanos pediram o fim da gestão do presidente da República.

Participaram do movimento pró-impeachment ativistas políticos como: Francisco Panthio (PCdoB), André Kamai (PT), Gabriel Forneck, ex-vereador pelo PT, deputado federal Leo de Brito (PT) e a sociedade civil acreana. Muitas pais, mães e avós também estiveram presentes acompanhados de crianças que seguravam cartazes.

Confira a galeria de fotos de Sérgio Vale:

Continuar lendo

Acre

Léo diz que Bolsonaro foi o maior aliado do coronavírus

Publicado

em

Cidades de todo o Brasil foram palco neste sábado, 23, de carreatas em defesa do impeachment de Jair Bolsonaro (Sem partido).  As manifestações, que começaram cedo, também pediram vacina para todos e a continuidade do auxílio emergencial.

Em Rio Branco, a manifestação começou por volta das 15:30 na Uninorte. Ao ac24horas,  o deputado federal Leo de Brito (PT) defendeu a abertura do processo de impeachment pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). 

Ele destacou que o movimento pró-impeachment é organizado pela sociedade civil brasileira e pontuou que o movimento não tem dono ou cor partidária.

“É um movimento de vacina para todos, em defesa do SUS, pela continuidade do auxílio emergencial e sobretudo um movimento para a volta da dignidade do Brasil. O movimento não tem dono. O Brasil simplesmente está sendo abandonado pela irresponsabilidade de Bolsonaro que resultou nas mais de 200 mil mortes na pandemia, porque ele com a sua irresponsabilidade foi o maior aliado do coronavírus. Não dá mais”, afirmou. 

Ao ser indagado sobre os pedidos de impeachment de Dilma e Bolsonaro, Leo argumentou que existe diferença entre os casos. Segundo o petista, Bolsonaro cometeu mais de 20 crimes de responsabilidade. 

“A diferença é que tem mais de 20 crimes de responsabilidade cometidos por Bolsonaro e não sou eu que estou falando, são juristas do Brasil todo. No caso da Dilma, não houve crime de responsabilidade, tanto que o Eduardo Cunha revelou em seu livro.  No caso de Manaus, ele mostra bem isso. Bolsonaro também usa as estruturas do Estado para salvar os filhos da justiça. O povo tá na míngua e sem emprego, sem auxílio. A miséria tá voltando e o Brasil tá o caos” destacou.

Continuar lendo

Acre

Covid-19: Acre registra mais duas mortes e 252 casos neste sábado

Publicado

em

O Boletim divulgado na tarde deste sábado, 23, pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), confirma que a pandemia do novo coronavirus continua em alta. Nas últimas 24 horas foram confirmadas 252 novas pessoas infectadas. Com isso o número de casos da doença  subiu de 45.987 para 46.239 no Estado

Até o momento, o Acre registra 131.245 notificações de contaminação pela doença, sendo que 83.627 casos foram descartados e 1.379 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 39.265 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 164 pessoas seguem internadas.

Os dados da vacinação nos municípios ainda não estão disponíveis e serão atualizados de acordo com a plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitos a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Mais dois  óbitos foram notificados neste sábado, 23, sendo todos do sexo masculino, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 848 em todo o estado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.