Conecte-se agora

Município de Brasiléia bloqueia ruas após aumento de casos de coronavírus na fronteira

Publicado

em

O estado de atenção nos municípios de Brasiléia e Epitaciolândia com o novo coronavírus subiu de nível depois dos resultados do último Boletim Sesacre, divulgados na tarde desse domingo, 17.

Epitaciolândia registrou mais 10 casos positivos, indo a 13, e Brasiléia saltou de 2 para 4 confirmações, com 51 casos em análise laboratorial.

Ainda na tarde do domingo, algumas ruas de Brasiléia tiveram o acesso ao centro antigo fechado a veículos, segundo informa p jornal O Alto Acre.

A medida, no entanto, já havia sido decidida antes mesmo da divulgação dos novos números, segundo a prefeitura de Brasiléia. A decisão divide opiniões.

O protocolo de trabalho que vai ser realizado durante a barreira sanitária ainda não foi divulgado.

De acordo com o Boletim da Secretaria de Estado de Saúde, os quatro municípios da regional do Alto Acre concentram 31 casos positivos para o novo coronavírus, cerca de 1,5% do total registrado em todo o estado.

Anúncios

Destaque 4

Após aprovação da Anvisa, SP aplica 1ª dose da CoronaVac antes do início do plano nacional

Publicado

em

O governo de São Paulo aplicou a primeira dose da CoronaVac na tarde deste domingo (17), após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da vacina contra a Covid-19.

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, foi a primeira pessoa, fora dos estudos clínicos, a receber a vacina.

Mulher, negra, Mônica faz parte do grupo de risco para a doença, e atua na linha de frente contra Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Ela foi voluntária da terceira fase dos testes clínicos da CoronaVac realizados no país e tinha recebido placebo.

Após ser imunizada, ela recebeu do governador João Doria (PSDB) um selo simbólico com os dizeres “Estou vacinado pelo Butantan” e uma pulseira com a frase “Eu me vacinei”.

A aplicação foi feita no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e foi acompanhada pelo governador João Doria (PSDB).

A enfermeira Jéssica Pires de Camargo, de 30 anos, funcionária do Controle de Doenças e Mestre de Saúde Coletiva pela Santa Casa de São Paulo, foi responsável por aplicar a dose.

O segundo a ser vacinado foi o enfermeiro Wilson Paes de Pádua, de 57 anos, do hospital Vila Penteado, na Zona Norte. “Estou muito feliz, acho que nós temos que lutar pela vacina, lutar pela ciência, para melhorar a saúde e sair dessa pandemia. Me sinto muito orgulhoso e feliz desse momento”.

Ele contou que perdeu colegas e foi infectado pela Covid-19 em junho, enquanto atuava na linha de frente da pandemia. “Pensei que ia morrer, tinha momentos que rezei para Deus pensando que estava partindo”.

Aprovação

Na tarde deste domingo (17), a diretoria da Anvisa aprovou, por unanimidade, a liberação do imunizante para uso emergencial, seguindo a recomendação apresentada pela área técnica.

Os diretores acompanharam o voto de Meiruze Freitas, relatora dos pedidos. No caso da Coronavac, a diretora condicionou a aprovação à assinatura de termo de compromisso e publicação em “Diário Oficial”.

A decisão passa a valer a partir do momento em que houver a comunicação oficial ao laboratório. Ela será publicada no portal da Anvisa, no extrato de deliberações da Diretoria.

O pedido sobre a Coronavac foi apresentado em 8 de janeiro pelo Instituto Butantan e é referente a 6 milhões de doses importadas, produzidas pela farmacêutica chinesa Sinovac. O Butantan também desenvolve a vacina no Brasil.

Durante a apresentação dos dados, o gerente de medicamentos da Agência, Gustavo Mendes, fez críticas ao atraso no envido de dados do Instituto Butantan.

Ele também considerou como pontos de incerteza o número de idosos testados, a falta de informações sobre os intervalos entre a primeira e a segunda dose de todos os pacientes testados.

Com a aprovação o Brasil, se tornará o quarto país a iniciar o uso emergencial do fármaco, após China, Indonésia e Turquia.

Ministério da Saúde

Após a recomendação favorável da área técnica, o governador João Doria disse, em postagem nas redes sociais, que o Instituto Butantan irá entregar as vacinas ao Ministério da Saúde, responsável pela distribuição do imunizante no país.

“Determinei que tão logo a Anvisa aprove o uso emergencial da Vacina do Butantan, o Instituto Butantan entregue imediatamente as vacinas ao Ministério da Saúde para que sejam distribuídas a SP, DF e todos os estados brasileiros. O Brasil tem pressa para salvar vidas”, diz a publicação.

Nesta sexta (15), o Ministério da Saúde pediu ao Butantan a entrega ‘imediata’ de 6 milhões de doses prontas da Coronavac, que estão em poder do instituto e foram importadas do laboratório Sinovac, da China, parceiro do Butantan na produção do imunizante.

Através de ofício, o ministério informou que o montante é referente ao contrato de R$ 2,6 bilhões, firmado entre o órgão federal e o laboratório paulista para a inclusão da Coronavac no Programa Nacional de Imunização (PNI).

O Butantan já tinha prometido entregar as doses após a Anvisa autorizar o uso emergencial da vacina, mas questionava o Ministério da Saúde sobre quantas doses da CoronaVac serão destinadas ao estado de São Paulo no PNI.

A gestão João Doria (PSDB) estima que o estado de São Paulo tem direito a cerca de 1,5 milhão de doses – o cálculo é feito com base no tamanho da população do estado.

Disputa política

A CoronaVac envolve uma disputa política entre o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente Jair Bolsonaro. Em outubro, o presidente chegou a dizer que o governo federal não compraria a Coronavac.

No começo de janeiro, porém, o Ministério da Saúde informou assinou um contrato com o Instituto Butantan para adquirir todas as 100 milhões de doses que o órgão produzir.

A proposta anunciada pelo Ministério da Saúde a prefeitos era começar a vacinação na quarta-feira (20) após a liberação do uso emergencial pela Anvisa. O governo pretendia iniciar a vacinação com as duas milhões de doses da vacina da AstraZeneca, produzidas na Índia.

Um avião brasileiro estava previsto para decolar na sexta-feira (15) para a Índia, mas o voo foi adiado por “problemas logísticos internacionais”. O adiamento ocorreu depois que o governo indiano dizer que não poderia dar uma data para a exportação de vacinas produzidas no país.

Depois do adiamento do voo Ministério da Saúde pediu que o Instituto Butantan entregasse todas as 6 milhões de doses da Coronavac disponíveis.

Eficácia da CoronaVac

Os testes da CoronaVac no Brasil foram feitos em 12.508 voluntários – todos profissionais de saúde da linha de frente do combate ao coronavírus – e envolveram 16 centros de pesquisa.

A vacina registrou 50,38% de eficácia global nos testes realizados no país, índice que aponta a capacidade do imunizante de proteger em todos os casos – sejam eles leves, moderados ou graves.

O número mínimo recomendado pela OMS, e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é de 50%.

Na prática, a CoronaVac tem potencial de:

– reduzir pela metade (50,38%) os novos registros de contaminação em uma população vacinada;

– reduzir a maioria (78%) dos casos leves que exigem algum cuidado médico.

– Além disso, nenhum dos vacinados ficou em estado grave, foi internado ou morreu.

Continuar lendo

Destaque 4

Com aumento de 9,5% nas internações, Into tem apenas oito leitos de UTIs vagos

Publicado

em

A média de internações geral foi de 198 pacientes, observando-se, este sábado, 16, um aumento de 9,5% no total de internações em relação à média dos últimos 7 dias.

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 61,5%. Os dados são do boletim deste sábado (16).

Segundo dados do boletim, foram identificados 213 pacientes internados nos estabelecimentos monitorados, dos quais 134 com teste positivo para Covid-19. Do total hospitalizado, 40 estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 165 em leitos em leitos (clínicos, obstétricos e pediátricos).

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 55 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 34 estão ocupadas, registrando uma taxa de ocupação de 61,8%. Destes 34 leitos de UTI ocupados, dois são do Pronto Socorro, que registrou 20% de ocupação e os outros 32 são do Into, que registrou 80% de ocupação.

Já a região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 10 leitos de UTI existentes, seis estão ocupados, registrando 60% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 29 estão ocupados, registrando 30,9% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, 12 estão ocupados, num total de 18 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continuar lendo

Destaque 4

FIEAC e Associação Comercial alinham demandas ao prefeito de Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Muitas pautas foram tratadas entre a Federação das Indústrias do Acre – FIEAC,  a Associação Comercial e a prefeitura de Cruzeiro do Sul nessa sexta-feira,  15. Entre os assuntos estavam a parceria com a prefeitura em consultorias, projetos e ações, prorrogação do Alvará 2020 por 6 meses,  isenção de IPTU para a Indústria, parcelamento do imposto   em 10 vezes, criação de conselho consultivo da indústria, comércio, serviço e agricultura.

A reunião entre o prefeito Zequinha Lima,  o presidente da Federação das Indústrias do Acre,  Adriano Silva,  a representante da instituição no Juruá,  Janaína Terças e o presidente da Associação Comercial,  Luís Cunha, ocorreu  na sede da Associação Comercial do município .

Para  José Adriano, a aproximação da prefeitura de Cruzeiro do Sul junto à indústria e o comércio possibilita o enfrentamento de situações que surgem como desafios para este ano, que segue com a pandemia de coronavirus.

“Agradecemos à disponibilidade do prefeito em tratar desses assuntos porque o ano se inicia apresentando inúmeras dificuldades . Tem assuntos urgentes como nossas regularizações parafiscais que a gente tem para 2021, que abrem todas as portas, ou seja, mantém as portas abertas do empresário, o que é a nossa maior preocupação.   E viemos deixar nossa parceria  pra que a gente faça um trabalho conjunto pelo bem da sociedade de Cruzeiro do Sul. Estamos disponibilizando para o município,   consultorias na parte econômica que possa favorecer nas orientações e decisões do prefeito”, destacou

O presidente da Associação Comercial de Cruzeiro do Sul agradeceu ao prefeito Zequinha  pela disponibilidade de ouvir as instituições. “O momento que a gente vive realmente requer essas parcerias e  esse diálogo. Colocamos a nossa Associação comercial como um local de encontro, para que a gente promova essas rodadas de diálogo para  encontrar a melhor solução para superarmos essa crise em que vivemos e a melhor forma de aquecermos a economia na nossa cidade”, concluiu.

Zequinha lima destacou os  dois setores como   fundamentais para o desenvolvimento da região e disse que poderá rediscutir a questão fiscal como  forma de  motivar  as  empresas a continuarem funcionando .

“ Vivemos um momento delicado onde muitas indústrias e empresas estão se esforçando para não fechar suas portas, e tem algumas questões relacionadas a situações fiscais que temos que rediscutir, para motivar e incentivar essas empresas a continuarem com as portas abertas, como IPTU, alvará de funcionamento, reduzir a burocracia, trazer a informatização, discutindo com as instituições que já tem essa experiência, e levando ao fim benefícios para toda população. Quero agradecer ao Adriano, a Janaína e ao Luís”, citou o prefeito  Zequinha.

Continuar lendo

Destaque 4

Mailza, Gladson e Alcolumbre enviam 50 cilindros de oxigênio doados por artistas para Manaus

Publicado

em

A senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC), o governador Gladson Cameli o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) se mobilizaram junto ao Ministério da Saúde para viabilizar o envio de cinquenta cilindros de oxigênio hospitalar doados por artistas ao estado do Amazonas, que vive um colapso. Os novos equipamentos serão usados para a oxigenação de pacientes internados por causa da covid-19.

“Assim que soube dessas doações, eu e o Gladson, articulamos com o presidente Davi Alcolumbre para envio dos cilindros o mais rápido possível. Encaminhei ofício ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello pedindo o transporte do material doado, ele prontamente nos atendeu e já providenciou o envio e em breve chegará a Manaus. Estamos nessa corrida contra o tempo e nossa prioridade é salvar vidas”, informou a senadora Mailza.

Famosos se movimentam para doar cilindros de oxigênio para Manaus

Após a capital amazonense entrar em colapso em meio à pandemia do coronavírus devido ao aumento sem precedentes de pacientes infectados pela Covid-19 e ficar sem oxigênio, famosos como Tirullipa, Tata Werneck, Simone, Marília Mendonça e Tierry fizeram uma campanha de doação e conseguiram doação de mais de 150 cilindros para o estado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas