Conecte-se agora

EAD: conheça os desafios do ensino a distância na educação básica

Publicado

em

No período da quarentena é essencial seguir uma rotina de estudos em casa

Neste período da quarentena, pais e responsáveis de crianças que estão na educação básica têm tido um desafio muito grande para manter a concentração dos pequenos ao assistirem às videoaulas durante o período de estudos em casa.

A rotina de muitas famílias mudou por conta do isolamento social e foi preciso adotar o regime home office, que permite às pessoas trabalhem de casa. Com as crianças também em casa, o trabalho é dobrado e a correria é grande. Com a função “multitarefas ativada”, é difícil para os pais perceber se o período de aprendizagem através das aulas on-line está mesmo valendo a pena para as crianças. Por isso, para que esse novo formato de aulas dê certo, é necessário fazer alguns ajustes.

A pedagoga e especialista em psicopedagogia, Irla Lopes da Silva, explica que é preciso criar uma rotina para estudar. A criança precisa entender que aquele momento deve ser dedicado aos estudos, assim como na escola. 

Mãe de dois meninos, João Paulo Barros, 7, e Paulo Filho Barros de 12 anos, ela está sempre junto durante o tempo de estudos dos filhos, observando o desempenho dos dois. “Como mãe, estou acompanhando esse processo e acredito que está sendo bom, porque sei que os meninos estão aprendendo, mesmo com as teleaulas. Acredito que é melhor desse jeito do que deixá-los sem estudar.”, afirma.

Irla também compartilha algumas dificuldades, como por exemplo, a inexperiência com algumas tecnologias. “Às vezes, encontro problemas para acessar algumas coisas no computador, os meninos me pedem para colocar algo que eu não sei. Aí Paulo Filho vai e coloca para mim porque não sei mexer muito”, brinca.

Sobre a aprendizagem, a psicopedagoga também é otimista. Diferente dos seus filhos, que estão no 2º e 7º ano, respectivamente, muitas crianças estão sem estudar. Bolsistas de uma escola particular de Juazeiro, interior da Bahia, João Paulo e Paulo Filho são privilegiados porque podem contar com várias ferramentas disponibilizadas pela escola. “O sistema utilizado pela escola é bom, são professores formados, muito competentes, com uma didática muito boa e que sabem levar o conteúdo para a criança nessas circunstâncias”, avalia. 

A novidade também alterou o planejamento de professores e coordenadores. A Vice-Diretora Ana Eliza Guimarães, 42, do Colégio IEC em Campinas, SP, conta que foi preciso fazer uma adaptação. De acordo com ela, todo o conteúdo foi modificado para a modalidade a distância, inclusive para os alunos especiais. Entre as dificuldades encontradas, o distanciamento tem sido um dos pontos significativos. “A distância dificulta o trabalho pela ausência da proximidade, do olhar, da análise das emoções frente ao conteúdo apresentado. Uma grande dificuldade, ao menos inicial, foi fazer com que algumas famílias acreditassem que poderia dar certo”, explica. Além disso, alguns pais nunca tinham acessado a internet ou não tinham tempo para acompanhar o filho.  

Para ajudar as famílias que encontram-se nessa situação, aqui vão algumas dicas para ajudar a montar uma rotina de estudos com as crianças em casa:

– Defina os horários – Assim as crianças saberão que aquele período é destinado a estudar e não para brincar e também aprenderão a se tornar responsáveis pelos estudos;

– Separe um espaço adequado – Se possível, escolha um lugar silencioso, distante de televisão, celulares e de qualquer outra distração;

– Esteja acompanhando – Caso o período de estudos não coincida com o seu trabalho, observe o processo de aprendizagem de seus filhos, tire dúvidas, mas dê liberdade para que eles façam as atividades sozinhos;

– Insira jogos e brincadeiras durante o processo – Algumas ferramentas podem tornar o tempo de estudo mais divertido. Alguns jogos no computador podem tornar o ensino de matemática, geografia ou história mais interessante. As brincadeiras também podem auxiliar a estimular o intelecto ao mesmo tempo que exercita o corpo. Seja criativo!

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Anúncios

Cotidiano

Bocalom lamenta não haver vacinas suficientes: “demora quase 1 ano para imunizar todos

Publicado

em

O prefeito de Rio Branco Tião Bocalom (Progressistas) esteve na manhã desta segunda-feira, 18, com o secretário municipal de saúde, Frank Lima, e a diretora de vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, em frente ao Laboratório Central do Estado (Lacen), para discutir questões relacionadas à vacinação contra a Covid-19.

Bocalom ressaltou a felicidade em participar de um dia histórico diante de uma pandemia. Para ele, há absoluta certeza de que o município e o estado irá fazer um bom trabalho. No entanto, destacou que “não tem vacina para todo mundo nesse momento”.

A vacinação irá ocorrer de acordo com o que o Ministério da Saúde definiu. “Para pessoas acima de 70 anos, as que já estão internadas e também funcionários da saúde nesse momento. Não adianta as pessoas acharem que todo mundo vai para a porta da unidade de saúde”, ressaltou.

Segundo o prefeito, vai demorar ainda quase um ano para conseguir vacinar todo mundo. O secretário de saúde afirmou que este ainda é um momento de apreensão, pois o Brasil não recebeu as vacinas que deveria receber da Índia.

“Vamos receber em torno de 19 mil vacinas. Temos em estoque hoje 300 mil seringas com agulhas e vamos seguir a política traçada pelo MS para não colocar em risco o PNI”.

Veja a entrevista:

 

Continuar lendo

Cidades

Prefeito não gostou de saber que o Banco do Brasil pode fechar agências em Feijó

Publicado

em

O prefeito de Feijó, Kiefer Cavalcante, enviou carta ao senador Sérgio Petecão pedindo a intervenção do Congresso Nacional na decisão do Banco do Brasil em deixar o município sem nenhuma agência do BB.

Ele repudiou o anúncio de fechamento de unidades e postos de atendimento nos municípios. Segundo o prefeito, além de causar estranheza e incitar o pânico nos comerciantes e correntistas da instituição bancária no município, é no mínimo irresponsável, e criticou o plano de reestruturação do banco, que afeta especialmente o interior dos estados.

“Nossos munícipes e comerciantes não estão desamparados, mobilizarei todas as forças possíveis para resolver a situação posta pelo anúncio do Banco do Brasil”, disse Kiefer.

Continuar lendo

Acre

Carro fura pneu, capota e deixa seis pessoas feridas na BR-364

Publicado

em

Um grave acidente deixou seis pessoas feridas no final da tarde desse domingo, 17, após um veículo capotar nas proximidades do posto de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-364, em Rio Branco. Segundo a polícia, o condutor do carro trafegava no sentido Rio Branco-Porto Velho quando, ao tentar fazer uma ultrapassagem, o pneu do veículo estourou, vindo a capotar várias vezes. O carro foi parar em uma área de mata localizada às margens da BR.

Durante o capotamento, duas crianças que estavam no banco traseiro foram arremessadas para fora do carro. Populares que passavam pelo local, ao verem as pessoas feridas, as encaminharam à Unidade de Pronto Atendimento (Upa do 2° Distrito).

As seis pessoas receberam os primeiros atendimentos e em seguida as duas crianças, de 11 e 12 anos, que estavam mais feridas, foram conduzidas por uma ambulância do SAMU ao Pronto-Socorro de Rio Branco.

Policiais Rodoviários Federais estiveram no local e isolaram a área para os trabalhos de perícia, em seguida o veículo foi removido por um guincho.

Continuar lendo

Acre 01

Ex-deputado comunista elogia governador do Acre: “foi gigante na pandemia”

Publicado

em

O ex-deputado do Acre Sérgio Taboada, que atuou pelo PCdoB no Estado, teceu um longo elogio ao governador Gladson Cameli nesta segunda-feira, 18, pelas ações em prol da aquisição da vacina contra a Covid-19. Por meio das redes sociais, Taboada, que hoje vive em São Paulo, parabenizou o pulso firme de Cameli diante do negacionismo do presidente Jair Bolsonaro.

“O governador do Acre foi gigante na pandemia. Um estado pequeno e suscetível a pressões de todos os tipos do governo federal poderia, para agradar, ter embarcado na onda negacionista de Bolsonaro. Vi muito esse tipo de submissão acontecer ao longo da história acreana”, escreveu.

Taboada diz que vem acompanhando, mesmo que de longe, a situação do Acre, onde possui parentes e muitos amigos. “Fiquei feliz ao perceber desde os primeiros momentos que Gladson Cameli defendeu a vida com prioridade, embora preocupado com a economia”, comentou.

Para o ex-parlamentar, Cameli administrou os recursos honestamente e com eficiência, além de ter agido com independência política em defesa do povo. “Gladson Cameli, Dória, Flávio Dino e demais governadores e prefeitos que agiram para salvar vidas merecem o reconhecimento das pessoas justas e honestas de todo o Brasil independentemente das ideologias que acreditam”, concluiu.

Veja a publicação:

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas