Conecte-se agora

Aprovados da Polícia Civil acusam governo de privilegiar a PM

Publicado

em

O envio do Projeto de Lei que vai aumentar o pagamento da titulação dos militares estaduais nem precisa dizer que está sendo bastante comemorando por PMs e Bombeiros acreanos. No entanto, há uma turma inconformada com a notícia.

São os 268 aprovados no concurso da Polícia Civil, realizado em 2017. Segundo eles, a justificativa de que não há recurso para empossa-los cai por terra. Todos os aprovados já concluíram o curso de formação e aguardam apenas a posse para começarem a trabalhar.

“Em 2017 houve concurso para as polícias civil e militar. 3 anos se passaram e os concursados da PM, corretamente, estão todos nomeados e trabalhando. A mesma sorte não tivemos nós da polícia civil, que tem o menor efetivo do país, com cidades contando apenas com um policial, o que é uma vergonha por si só. Além disso, a Academia de Polícia terminou, acredite, há 07 meses e o mais grave é que muitas pessoas largaram seus empregos pra fazer esse curso. Pais e mães de família desempregados por irresponsabilidade do governo. Ao mesmo que não nos contrata comunica um aumento de mais mil reais a todos os militares do Acre. O que era um sonho, virou um pesadelo”, diz um aprovado que aguarda a nomeação.

Pedro Henrique é outro que aguarda ser nomeado. Ele conta que teve que sair do emprego para fazer a academia de polícia, com a promessa de que seriam logo chamados. Conta que não tem mais emprego e vive de favor na casa dos pais.

“Uma carreira linda, na minha opinião e bastante almejada por muitos, pois garante não apenas uma realização profissional e econômica, mas também um sentimento de poder fazer algo pelas outras pessoas. No entanto, hoje me sinto extremamente decepcionado. Eu não sou do Acre e era empregado público e para frequentar a academia de Polícia, tive que abrir mão do meu cargo público, pois nos foi garantido uma nomeação mais tardar começando desse ano de 2020. Hoje vivo de favor na casa dos meus pais novamente, dei minha vida por esse concurso. Conheço gente que está fazendo tratamento psicológico por conta disso”, explica.

A principal queixa dos aprovados que aguardam nomeação é não se convencerem da falta de recursos alegado pelo governo para não nomeá-los.

“O governador promoveu os alunos soldados, ele mandou, antes disso tudo, sabendo que iria onerar a folha, mais de 20 alunos oficias fazer os seus cursos fora do estado, ele manifestou total apoio para o pagamento da titulação dos militares. Essa titulação vai custar milhões aos cofres do Estado. Estamos insatisfeitos pelo fato que o mesmo alegou há alguns dias que não tinha recursos públicos pra nada. Está clara a prioridade do governo em valorizar a polícia militar em detrimento da civil. Visto que enquanto estamos sem um rumo, uma data, os alunos da PM já foram empossados e promovidos”, diz outro aprovado que pede para não ter o nome divulgado.

O ac24horas entrou em contato com assessoria do governo do Acre e aguarda um posicionamento.

Anúncios

Acre

Primeiro paciente com Covid-19 vindo do Amazonas chega ao Acre

Publicado

em

O Acre recebeu na quinta-feira, 14, o primeiro paciente com Covid-19 vindo do Amazonas. O paciente, natural de Tabatinga, chegou por meio de transporte aéreo pelo governo do Amazonas e foi internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into-AC), em Rio Branco.

O governador Gladson Cameli autorizou a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) a dar o suporte necessário a fim de preservar vidas. “Me sensibilizo com o povo amazonense que passa por um momento muito difícil por conta da pandemia da Covid-19. O governo do Estado do Acre está solidário ao governador Wilson Lima e a toda equipe governamental do Amazonas. Já sinalizamos, inclusive, a abertura de 10 novos leitos de UTI no Hospital de Campanha de Cruzeiro do Sul, para atender também casos graves de pacientes com coronavírus vindos do Amazonas, sem prejudicar o atendimento da população acreana acometida pela doença”, escreveu Cameli em pronunciamento nas redes sociais.

Para o secretário de Saúde do Estado, Alysson Bestene, o momento é de solidariedade. “Conforme determinação do nosso governador, estamos em contato com o estado do Amazonas para prestar auxílio neste momento em que a solidariedade é fundamental para salvar vidas”, pontua. O governo garante que o Acre está abastecido com oxigênio, uma vez que as principais unidades de Saúde do estado contam com sistemas de geradores de gases autônomos, ou seja, o oxigênio é gerado na própria unidade.

Continuar lendo

Acre

Acre é o único do país a ter redução de óbitos por Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) comemora nesta sexta-feira, 15, o fato de o estado ter sido o único do país a apresentar redução de óbitos, com um percentual de -31%, o que demonstra o cuidado e o compromisso com a saúde e a vida da população acreana.

“Estamos trabalhando para atender a todos, e muito nos alegra constatar que fomos destaque nacional na redução de óbitos”, ressalta o secretário de Saúde, Alysson Bestene.

Além disso, o Acre foi o primeiro estado a apresentar o plano de vacinação contra a Covid-19, uma iniciativa cujo objetivo tem sido a imunização e a redução de casos graves e óbitos. O governador Gladson Cameli tem atuado fortemente no combate ao vírus, inclusive buscando recursos em Brasília, garantindo a estrutura e o suporte necessário para que a população receba a devida assistência.

Continuar lendo

Acre

Acre não sofre risco de desabastecimento de oxigênio

Publicado

em

Com a situação de colapso na saúde pública no vizinho estado do Amazonas, onde pacientes internados em hospitais estão morrendo por falta de oxigênio, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) se pronunciou sobre a situação no Acre.

O governo afirma que diferentemente da triste realidade do Amazonas, em decorrência da falta de oxigênio para o abastecimento dos hospitais, o Acre não possui risco de desabastecimento do insumo. Além de estarem devidamente abastecidas, as principais unidades de Saúde do Estado, que fazem atendimento de pacientes acometidos pela Covid-19, contam com sistemas de geradores de gases autônomos, ou seja, o oxigênio é gerado na própria unidade.

“Nossas principais unidades hospitalares possuem usinas de produção de oxigênio, e também dispomos de cilindros que são utilizados para o transporte de pacientes e enviados para as demais unidades. E graças ao empenho do nosso governador estamos devidamente abastecidos”, enfatiza o secretário de Saúde, Alysson Bestene.

Além do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Acre (Into-AC), a Fundação Hospital do Acre (Fundhacre), o Pronto-Socorro de Rio Branco, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do 2° Distrito, maternidade Bárbara Heliodora, Hospital Regional de Brasileia, Hospital Ary Rodrigues, em Senador Guiomard, Hospital Regional do Juruá e Hospital da Mulher e da Criança do Juruá, possuem usinas próprias de geração de oxigênio. As unidades menores são atendidas com oxigênio em cilindros, mas o consumo também está dentro do planejado.

“Possuímos duas usinas, uma que atende o Into e outra para o Hospital de Campanha de Rio Branco. Os cilindros são utilizados apenas para backup e transporte de pacientes”, conta a gerente do Into-AC, Lorena Seguel.

De acordo com o responsável pelo gerenciamento do insumo no Departamento Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (Dafi), o engenheiro Eduardo kispergher, “a Sesacre não compra cilindros. Eles são fornecidos em comodato juntamente com o gás. Entretanto, em 2020, foram adquiridos 50 cilindros pequenos para transporte de pacientes, o que promoveu uma melhor distribuição para atender a demanda dentro das unidades”.

Com informações da Agência de Notícias do Acre.

Continuar lendo

Acre

Edital do concurso da Polícia Federal é publicado com vagas para o Acre

Publicado

em

A edição do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 15, trouxe o edital do concurso com 1,5 mil vagas para a Polícia Federal. Estão previstas vagas para o Acre, além de outros sete estados e localidades de fronteira internacional.

Ao todo, são 1,5 mil vagas, sendo 123 para delegados, 893 para agentes, 400 para escrivães e 84 para papiloscopistas. Destas, há reserva cotistas negros e pessoas com deficiência.

As inscrições estão previstas para começar no dia 22 de janeiro e devem ir até 9 de fevereiro. As provas no dia 21 de março.

O salário previsto no edital é de R$ 23.692,74 para delegados e R$ 12.522,50 para agentes, escrivães e papiloscopistas. O valor das inscrições varia de R$ 180 a R$ 250, o maior valor, para cargos de delegado.

O edital não especifica quantas vagas serão destinadas para os estados, citando apenas que “serão disponibilizadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e em unidades de fronteira”.

Para se inscrever, por meio do site da Cebraspe, organizadora do concurso, é preciso ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, idade ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, idade mínima de 18 anos, aptidão física e mental e ter 3 anos de atividade jurídica ou policial para ingresso no cargo de delegado. Neste caso, considera-se ter exercido atividade exclusiva de bacharel em Direito, conciliador em tribunais judiciais, do cargo no magistério. Não é válida para contagem de estágio anterior à conclusão do curso.

Acesse o edital: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/edital-n-1-dgp/pf-de-15-de-janeiro-de-2021concurso-publico-para-o-provimento-de-vagas-nos-cargos-de-delegado-de-policia-federal-agente-de-policia-federal-escrivao-de-policia-federal-e-papiloscopista-policial-federal-2992365

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas