Conecte-se agora

Uma disputa que vai sacudir a fronteira 

Publicado

em

A ex-deputada Leila Galvão (PT) assumiu no último sábado o compromisso com o grupo do MDB que a visitou de que se filiará ao partido, para disputar a prefeitura de Brasiléia na eleição deste ano, pelo partido. O que era especulação se tornou num fato real. Isso empurra a eleição para a prefeitura do município para uma disputa que vai sacudir a fronteira. De um lado, teremos a bem avaliada em todas as pesquisas, prefeita Fernanda Hassem (PT), que disputará a reeleição no cargo, o que tem o seu peso em um município pequeno. E do outro, a ex-deputada Leila Galvão, que mesmo não tendo sido eleita, foi a mais votada do município na última campanha. O que torna a eleição surreal é que ambas são as maiores lideranças do PT no município. O rompimento agora oficial, já existia nos bastidores, por problemas de relacionamento na campanha. Já havia uma decisão do grupo da ex-deputada Leila de em hipótese alguma apoiar a reeleição da prefeita Fernanda Hassem (PT). Ponto certo: será uma eleição muito disputada. Como disse um amigo do município: “vai ser um bom jogo.”

ESTRATÉGIA A SER MUDADA

Não incorporo a proposta populista do deputado Roberto Duarte (MDB) de que deve ser pedida uma intervenção federal na Segurança. Agora, as estratégias adotadas pela cúpula do sistema devem ser melhoradas e inovadas, porque chegamos a um estágio de guerra civil.

NÃO ME VENHAM COM FALÁCIAS

Não venham com a falácia de comparar número de mortes com o mesmo período do governo passado. O PT perdeu a eleição, está sepultado e de ossos brancos. A exclusiva responsabilidade de conter a chacina em curso neste mês de janeiro é do atual governo.

TEM QUE VIR DE PÚBLICO

O vice-governador Major Rocha, a quem o governador Gladson Cameli deu poder pleno para comandar o sistema de segurança precisa vir de público falar alguma coisa, dar uma explicação, apontar novos caminhos, porque foi quem indicou toda a cúpula da segurança.

NÃO SE TRANSFERE RESPONSABILIDADE

O eleitor votou no Gladson para governar o Acre, não o elegeu para terceirizar a sua autoridade na área de segurança, porque o governador é ele, e a cobrança não tem como não ser direcionada ao seu governo. E não foi esta Segurança prometida durante a campanha.

CONTEXTO DE DISCUSSÃO

E neste contexto de discussão sobre a violência não vamos jogar o fardo nos nossos policiais, principalmente, a PM, que atua mais no campo. Temos uma justiça com leis que beneficiam bandidos, como o Estatuto do Menor, Audiência de Custódia e a Lei de Abuso de Autoridade.

OS POLÍTICOS ESTÃO NESTE CESTO

E não vamos deixar os políticos fora deste cesto. São eles que fazem as leis, como a mais recente Lei de Abuso de Autoridade, que pode dar punição ao policial que mostrar a cara de um bandido; que participou de uma chacina, de um estuprou e etc. A polícia não faz as leis.

 CORDA PARA MUITOS PESCOÇOS

Não vamos só botar a corda nos pescoços do secretário de Segurança, Paulo César, e do Comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo. Deles deve ser cobrado sim um novo plano de segurança, o que está sendo executado, infelizmente, não está contendo a violência, a população está atemorizada. O que tem de se mudar é a estratégia e não nomes.

EXPECTATIVA DO IRREAL

O secretário de Segurança, Paulo César não é omisso. O comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo, também não é omisso. O pecado de ambos foi criar a falsa expectativa na população de que em poucos meses à frente de suas pastas resolveriam a questão da violência no Estado.

TEM DE COBRAR MESMO

Na questão de cobrança, está tem que ser feita mesmo pela população ao governador Gladson, ao vice-governador Major Rocha, ao Coronel Ulysses e ao secretário Paulo César, porque cabe a eles encontrar um caminho para minimizar a violência e por fim a este terror.

FORÇA NACIONAL

Vejo muita reclamação do baixo efetivo da PM. Por qual razão não se busca a vinda da Força Nacional para reforçar a tropa no combate ao crime organizado, que a cada dia que passa se torna mais desafiador? Falar em intervenção federal é populismo. Senhores do poder, uma coisa é certa: alguma coisa tem de ser feita, são trinta execuções em 18 dias neste mês.

ESQUEÇAM O PT

E vamos para com esta história de ficar debitando tudo ao PT, cujo último governo foi varrido das urnas por ter fracassado, inclusive, na Segurança, onde foi um desastre. As soluções têm de ser encontradas pelos que hoje estão governando o Acre e paremos por aqui pessoal. 

ENDEREÇO CERTO

“É o retrato da nossa segurança”. A frase do senador Petecão (PSD) sobre o acidente envolvendo um helicóptero do governo e um caminhão, muito mais que uma crítica ao fato, embute uma fustigada no vice-governador Major Rocha (PSDB), que comanda a Segurança.

PRELIMINAR PARA 2022

 Ambos, já vêm trocando farpa um bom tempo, numa preliminar para a eleição de 2022, já que eles têm projetos políticos majoritários conflitantes. É mais um capítulo dessa novela.

CONFRONTO INEVITÁVEL

Numa eventualidade do governador Gladson Cameli resolver disputar o Senado em 2022, não há quem segure um confronto na disputa do cargo entre o Major Rocha e o Sérgio Petecão.

SEM UM SINAL NÃO AVANÇA

O secretário Thiago Caetano vem se mexendo nos bastidores tentando construir a sua candidatura a prefeito da capital. Não está em discussão sua competência, é comprovada. Mas, sem um sinal forte e público do Gladson Cameli que o quer candidato fica difícil decolar.

NÃO DECIFRARAM A EQUAÇÃO

O que os dirigentes do PROGRESSISTAS e o próprio governador não decifraram a equação política da eleição deste ano, é que na eventualidade do partido ficar fora do jogo, sem candidato á PMRB, a sigla perderá a oportunidade de ser protagonista na eleição de 2022.

LARGAR AGORA OU FECHE A CORTINA

Atrasado o PROGRESSISTA está, e se quiser ainda ter qualquer chance de entrar no cenário com um nome competitivo o Gladson tem de se manifestar agora, ou feche-se a cortina. A indefinição do governador breca até os seus aliados de se manifestarem sobre preferência.

 CONTINUAM MINORITÁRIAS

Entre os nove nomes já anunciados com disposição de disputar a prefeitura da capital na eleição deste ano, temos apenas duas mulheres: a deputada federal Vanda Milani (SD) e a prefeita Socorro Neri (PSB). E ambas, com qualidades morais inquestionáveis.

RECEITA PRINCIPAL

Numa eleição para prefeito uma situação que tem um peso muito forte na ajuda ao candidato é ter um grande número de candidatos a vereadores, porque serão estes que vão brigar na periferia pelos votos. Por isso, a importância da montagem de chapas que sejam competitivas.

MIRANDO 2022

A publicitária Charlene Lima, que se não tivesse sido tirada do jogo em plena eleição poderia ser hoje deputada federal, estava numa campanha crescente, vai aproveitar a eleição municipal de Sena Madureira, para eleger vereadores visando disputar a ALEAC em 2022.

LUZ NO FIM DO TÚNEL

Pragmática, e com tudo para ser o primeiro passo para tirar a Saúde da UTI, esta parceria em discussão entre a representação da classe médica e os dirigentes da SESACRE. Sem um entrosamento com os profissionais da Medicina e a SESACRE, avanços não serão conquistados.

PARA A PREFEITA SOCORRO

Moradores da Rua João Raimundo, bairro João Eduardo 1, atrás da escola Marilda Gouveia, mandaram uma postagem pedindo espaço no BLOG para relatar á prefeita Socorro Neri que, embora tenham feito vários protocolos, o local continua sem iluminação pública, um perigo.

FORA DESSA

O deputado Daniel Zen (PT), que está de férias, chegou a ser procurado por colegas para dar a sua opinião sobre o desfecho do rompimento político entre lideranças do PT e a prefeita Socorro Neri, mas preferiu não comentar o fato. Limitou-se a dizer: – me deixem fora dessa.

NOME DA VEZ

Com a desistência do ex-prefeito Angelim de disputar a prefeitura de Rio Branco, o nome da pauta é o do deputado Daniel Zen (PT), que integra a tendência majoritária do PT. A se saber se aceitará colocar o seu nome na eleição. Uma coisa é certa, o PT terá candidato próprio.

FAZENDO FIRULA

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) faz firula quando diz crer numa recomposição política entre a prefeita Socorro Neri e a cúpula do PT. Na verdade, o PCdoB vai para a eleição da PMRB apoiando o candidato do PT, reeditando a longeva aliança no Estado com os petistas.

CONVERSANDO COM O PROS

 O PROS, que faz oposição ao governador Gladson na ALEAC, com a deputada Maria Antonia (PROS) votando contra os seus projetos, poderá ser aliado do PSDB na eleição municipal da capital. O presidente Francisco Deda vem tendo conversas com o vice Major Rocha (PSDB).

SÃO OS QUE SEGURAM

O governo do presidente Bolsonaro vem emendando uma trapalhada atrás da outra, como essa manifestação do seu ex-ministro da Cultura em cima de termos nazistas. O que está salvando seu governo é a figura anticorrupção do Moro e Paulo Guedes, na economia.

 TRESVALIANDO

O deputado Jenilson Lopes (PSB) sonhava ver todos os partidos de esquerda, junto com o senador Petecão (PSD), no mesmo palanque, apoiando a reeleição da prefeita Socorro Nery. No seringal, costuma-se dizer de uma fala desconexa, que a pessoa  está “tresvaliando.”

 FRASE DO DIA

“A política pode ser o ato nobre de prezar pelos interesses da população. Ou a infame arte de enganar a população para atender os interesses próprios”. Pinçada da seleção de frases políticas.

 

Blog do Crica

Nem só de medalhões será a eleição de 2022

Publicado

em

É natural que as projeções para a eleição de 2022 ao governo mirem na provável polarização entre as candidaturas do governador Gladson Cameli e a do senador Sérgio Petecão (PSD). Mas, nem só de medalhões será a disputa pelo Palácio Rio Branco. Teremos as chamadas “candidaturas alternativas”, que são projetos diferenciados para governar o estado, com propostas mais ousadas. 

Para a eleição de governo teremos um nome que foge ao tradicionalismo do caciquismo, que vem de um partido pequeno, o CIDADANIA, na figura do professor universitário David Hall.

 Na política, tem que ser ousado. Todo bom nome que vier somar qualificação ao debate das propostas para mudar o Acre, deve ser saudado como salutar. Se o David Hall será ou não vencedor, esta é uma decisão do eleitorado. E, ponto.

SEM ALARDE E COM SUCESSO

O líder do governo na ALEAC, deputado Pedro Longo, sem alarde, no diálogo, chegou no espinhoso cargo e tem dado conta do recado, o que é reconhecido até pela oposição. Era um nome fora do radar para o cargo.

NÃO FICA NO PV

O deputado Pedro Longo não ficará no PV, vai se aninhar em um partido que estará no palanque do Gladson em 2022. O PV tende a formar no bloco de siglas da esquerda.

ELEIÇÕES PAROQUIAIS

NEM o presidente Bolsonaro e nem o ex-presidente Lula terão influência na disputa do governo do estado, no próximo ano, as eleições no Acre são paroquiais. 

NÃO É ESSE DESASTRE

O SECRETÁRIO municipal de Saúde, Frank Lima, de fato deu escorregadas no início do processo de vacinação, mas depois se encontrou, e não é o desastre que pintam.

LEGADO DA MISÉRIA

PARA o senador Márcio Bittar (MDB), só quem comemorou o entrave do Peru à construção da estrada Pucallpa-Cruzeiro do Sul, foi o ex-senador Jorge Viana, a ex-ministra Marina Silva, ONGS, que, com suas ações, deixaram um legado de atraso e miséria no estado e na Amazônia.

TÃO MISERÁVEL COMO NO SERINGAL

O CERTO é que, dezenas de governos passaram desde a transformação do Acre em Estado, e nossa economia permanece miserável como nos seringais, e continuamos dependentes das migalhas que sobram da mesa da União.

GRANDE SONHO

O GRANDE sonho de nossos jovens continua a ser um emprego no governo. Não temos indústrias, não geramos vagas suficientes na iniciativa privada, a agricultura pífia, mal produzindo o cheiro verde de cada dia, e por aí vai.

MUDOU O FOCO

O MDB mudou o foco de 2022. Sentiu que o governador Gladson não vai abrir mão de indicar um vice de sua confiança, por isso passou a mirar na vaga do Senado.

PROJETOS CONFLITANTES

ACONTECE que, este projeto de indicar a deputada federal Jéssica Sales (MDB) como a candidata a senadora na chapa do Gladson à reeleição, conflita com o plano do senador Márcio Bittar (MDB), que tem como candidata a professora Márcia Bittar (sem partido), e só há uma vaga.

CONVITE DO BOLSONARO

NÃO esperem o senador Márcio Bittar (MDB) recuar, joga com o trunfo de que o convite para a Márcia Bittar ser candidata ao Senado, partiu do presidente Bolsonaro.

SINALIZA PARA O DESEMBARQUE

A PERMANECER este impasse dentro do MDB, não será demais imaginar que, estará sinalizado para o desembarque do senador Márcio Bittar (MDB), no partido em que for se filiar o presidente Bolsonaro. Não duvide.

OPOSIÇÃO COM QUALIDADE

O VERADOR Emerson Jarude (MDB) tem feito uma oposição ferrenha ao prefeito Tião Bocalom. É uma oposição exercida com qualidade, em cima de pautas.

“MITO” EM QUEDA

O “Mito” está se oxidando com o acúmulo de ações desastradas na condução do processo de vacinação, a última pesquisa lhe mostrou com 50% de reprovação.

PARA CHAMAR DE MINHA

A ENTRADA do deputado Neném Almeida no PODEMOS, vai compor o projeto do presidente Ney Amorim, de formar uma chapa forte para a ALEAC, e ter uma base de votos para a sua candidatura a deputado federal.

CAMINHO SEDIMENTADO

AS DEPUTADAS Maria Antônia (sem partido), Meire Serafim (MDB) e Antônia Sales (MDB), com bases sólidas, tendem a voltar bem votadas para novos mandatos.

MIRANDO NO PSD

O PROFESSOR Minoru Kinpara continua mirando numa candidatura a senador pelo PSD. Seus aliados acham que, no PSD, ganharia mais espaço na periferia, onde o senador Sérgio Petecão (PSD), transita com muita desenvoltura.

DA MAIOR QUALIFICAÇÃO

MINORU KINPARA é um quadro da maior qualificação. 

SEGURAR NO PT

O ex-senador Jorge Viana tem feito um périplo pelas prefeituras petistas, passou por Assis Brasil, Brasiléia, e deve fechar com Xapuri e Mâncio Lima. A meta é segurar todos os prefeitos do PT no partido, evitando evasões.

CONVERSA PARA 2022

A oficialização da empreitada do professor Minoru Kinpara para o Senado pelo PSD, só deve acontecer em 2022, quando o PSD abrirá discussão no partido, sobre as escolhas do vice e senador, na chapa do Petecão.

SEM REJEIÇÃO

O BLOG tem a informação de que o nome do deputado Jenilson Leite (PSB) para o governo em 2022, não encontra rejeição no bloco dos partidos de esquerda.

DEVE AVALIAR BEM

MAS, o deputado Jenilson Leite (PSB) deve antes de se declarar candidato ao governo avaliar bem suas chances nas pesquisas, terá pela frente duas candidaturas fortes, do governador Gladson e a do senador Sérgio Petecão.

PRECISA DE PALANQUE

O CERTO É QUE, a oposição vai ter que montar no estado um palanque para o presidente Lula, e para isso é essencial ter um candidato ao governo estadual em 2022.

APOSTA NO FRACASSO

O GRUPO do governador Gladson Cameli aposta no fracasso da gestão do prefeito Tião Bocalom, e este contaminar a campanha do aliado Petecão ao governo. 

FRASE MARCANTE

“Ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é não querer que o outro tenha”. (Zuenir Ventura).

Continuar lendo

Blog do Crica

A política muda como as nuvens

Publicado

em

O EX-SENADOR Jorge Kalume (PDS), de saudosa memória, grafou uma frase que ficou marcada no anedotário da política acreana: “previsão eleitoral no Acre, antes de 24 horas da votação, nunca acerta”. 

Tem a sua lógica. Nem entramos no ano eleitoral, ninguém sabe como estarão as composições em outubro de 2022; que cenário de popularidade se encontrará o governo estadual, ou seja, toda a afirmação que se fizer hoje sobre a disputa do Palácio Rio Branco no próximo ano, não vai passar de uma ejaculação precoce sobre quem ganhará a eleição. 

Pesquisa este ano para governador tem a mesma credibilidade da venda de terrenos na lua. O máximo que os candidatos a governar o Acre poderão fazer este ano é conversar, buscar alianças, refazer pontes quebradas, porque ninguém sabe o que acontecerá até a data da votação. 

Por isso, vamos devagar com o andor, que o santo é de barro, e pode quebrar antes de chegar ao Palácio Rio Branco. “A política é dinâmica”, já dizia o saudoso filósofo do Abunã, Rapirã e cercanias, ex-prefeito de Plácido Castro, Luiz Pereira.

CRIA OS FILHOS

TODO candidato a prefeito sabia na campanha que, pegaria prefeituras endividadas. Sem motivo, pois, do lamento do prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, por herdar dívida de 50 milhões de reais. Quem casa com a viúva, cria os filhos, diz o velho e sempre atual ditado.

NENHUMA DÚVIDA

CLARO QUE, o PT não vai anunciar este ano qual o futuro político do Jorge Viana, vai embromar entre disputar o governo e o Senado. Anotem: JV só tem foco no Senado.

NÃO TINHA JUSTIFICATIVA

O PREFEITO TIÃO BOCALOM agiu certo em brecar uma dispensa de licitação para uma contratação sem sentido, de uma empresa do interior do Pará, por 7 milhões de reais, para dar assessoria técnica e de gestão à SEMEIA.

FEIJÃO COM ARROZ

VOLTO a comentar que, primeiro o prefeito Tião Bocalom tem de fazer o feijão com arroz de tapar os buracos, deixar a cidade limpa, coletar o lixo, remédios e médicos nas unidades de saúde, deixando de lado projetos faraônicos. O primeiro mês do “engenheiro verão” se foi

ENCONTROU O CHAPÉU

 O deputado federal Léo de Brito (PT), ao dar um tranco duro no deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), nada mais fez do que cumprir o seu papel de parlamentar da oposição não se calar. Na política, só não cabe o muro, tem de ter lado.

NÃO CONCORDO, MAS RESPEITO

NÃO CONCORDO com as posições ideológicas do deputado federal Léo de Brito (PT), mas o respeito porque não se esconde e defende as suas convicções.

FIM DA LAVA JATO

O STF conseguiu ontem o objetivo por qual boa parte dos seus ministros trabalhou: acabar com a Lava Jato. O Juiz Sérgio Moro pagou caro por demolir poderosos e o velho ditado de que, no país, só preto, pobre puta eram presos.

PASSAPORTE PARA DISPUTA

COM a decisão de decretar a suspeição do Juiz Sérgio Moro sobre os processos em que o ex-presidente Lula foi condenado, o STF deu o passaporte para o petista disputar a presidência no próximo ano. Assim é o Brasil.

O DUALISMO DAS SEITAS

Pelo andar da carruagem, o eleitor terá que optar na eleição presidencial, entre votar no candidato da seita lulista e o candidato da seita bolsonarista. Triste opção.

CONFIRMADA NO PL

A DEPUTADA FEDERAL Mara Rocha (PSDB) aguarda a abertura da janela de transferência partidária, para se filiar no PL. Já está montando o novo diretório da sigla.

NÃO DÁ COMO PERDIDO

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha não dá por perdido o PSL, cuja atual direção anunciou apoio à reeleição do governador Gladson. No momento certo vou agir, diz ele.

ERA ESPERADO

A DECISÃO do governo peruano de colocar uma pedra na abertura da estrada Pucallpa-Cruzeiro do Sul, já era algo esperado. Posição que se consolidará ainda mais com a eleição do esquerdista Pedro Castillo para a presidência.

COLOCAR NO BORNAL

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) fez o que achou que era correto na defesa do seu projeto, mas sabia de antemão que os obstáculos ambientais para brecar a estrada eram muito fortes. A tendência natural é arquivar sua iniciativa.

VIROU BRINCADEIRA

VIROU brincadeira na cidade o furto de fios de cobre de bens públicos. Enquanto não prender os receptadores, os furtos vão continuar, embalados pela impunidade certa.

NÃO TEM OUTRO FOCO

O senador Petecão (PSD) foge de discussão no momento, sobre quem será o vice e o candidato ao Senado na sua chapa para o governo. Diz que, em 2021 só tem um foco, o de formar chapas fortes a deputado federal e ALEAC.

QUESTÃO DECIDIDA

SOBRE a candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo em 2022, é uma questão decidida e sem volta.

QUANDO 2022 CHEGAR

O GOVERNADOR Gladson tem dito sempre que o seu candidato a senador em 2022, será quem se “viabilizar” eleitoralmente. Traduzindo: estar bem nas pesquisas e conseguir aglutinar alianças. Ou seja, fica para 2022.

NÃO TEM QUE TER PRESSA

NA VERDADE, o governador Gladson não tem que ter pressa nesta decisão da escolha do seu vice e do candidato a senador, antecipar o anúncio será correr o risco de optar por um nome sem o respaldo popular.

FANTASMAS DOS PARTIDOS

O GRANDE FANTASMA dos dirigentes partidários, mantida a atual regra eleitoral, é conseguir formar chapas viáveis para eleger deputados estadual e federal. Formar chapa apenas no sentido figurativo, de qualquer uma forma.

O CERTO E O DUVIDOSO

O DEPUTADO Roberto Duarte (MDB) é um bom deputado, não se discute ser atuante. Seria competitivo para a reeleição, para Federal é uma dúvida. Melhor ter cuidado com a picada da mosca azul e seu vírus da ilusão.

FORA DO CIRCUITO

A SAÍDA da ex-prefeita Socorro Neri do PSB, é porque sabe que a sigla descartou apoiar a reeleição do Gladson, optando pelo palanque do bloco de esquerda em 2022.

NADA MAIS JUSTO

Nada mais coerente que ela tenha decidido ficar no palanque do Gladson, que trombou com todos os aliados da sua eleição, para ficar ao seu lado na disputa da PMRB.

OUTRO CENÁRIO

2022 é outro cenário bem distinto da eleição municipal, quando Gladson e o PSB estiveram no mesmo palanque, o que só ocorreu porque, como prefeita, a Socorro era a figura de maior expressão do partido, e forçou a aliança.

FRASE MARCANTE

“Primeiro come-se; depois é que se lava a panela”. (Ditado espanhol)

Continuar lendo

Blog do Crica

Jéssica está no jogo para o Senado

Publicado

em

O EX-PREFEITO Vagner Sales disse ontem ao BLOG de que, a sua filha e deputada federal Jéssica Sales (MDB), está com a sua candidatura ao Senado sacramentada, para a eleição do próximo ano. “Não tenho dúvida que entre os nomes que estão sendo postos por outros partidos, a Jéssica tem chance grande de ganhar, é o que dizem as pesquisas”, enfatizou Vagner. 

A principal base eleitoral da deputada federal Jéssica Sales (MDB) é o Juruá, onde tem arrancado como a mais votada na região, nas eleições que disputou. O desafio seria levar o seu nome para outros colégios eleitorais. 

Isso já está sendo feito, com suas visitas aos municípios do Vale do Acre e do Vale do Purus. Com formação em Medicina, um trabalho parlamentar intenso, a candidatura de Jéssica virá melhorar a qualidade da disputa pela única vaga do Senado. Ampliando as opções.

CORRIGINDO UM ERRO

Começo fazendo uma correção a uma nota do BLOG. O vice-governador Rocha não precisa deixar o cargo para ser candidato. Só não pode assumir o governo 6 meses antes. Caso semelhante ocorreu com o ex-vice César Messias, que disputou a eleição de deputado federal no cargo. A observação foi feita pelo Rocha.

NÃO ABRE MÃO

O MDB, o BLOG apurou, não abre mão de aparecer no desenho da chapa da reeleição do governador Gladson.

OLHA COMO É QUE FICA

COM a candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB), passarão a ser cinco os candidatos do grupo do governador Gladson ao Senado. Tem ainda Mailza Gomes (PP), Vanda Milani (PROS), Alan Rick (DEM), Márcia Bittar (sem partido). O Gladson só poderá ter um na chapa.

SEM ALTERNATIVA

O VICE-GOVERNADO Major Rocha não definiu seu futuro político. É improvável que fique no PSL, a sigla apoiará a reeleição do governador Gladson, e não tem alternativa ao não ser apoiar Sérgio Petecão (PSD) para o Governo.

FORA DE COGITAÇÃO

ESTÁ fora de cogitação uma reaproximação política entre o vice-governador Rocha e o governador Gladson Cameli.

DOBRADINHA PARA 2022

A ex-deputada Leila Galvão e o ex-vereador Joelson Pontes, as duas maiores lideranças da oposição em Brasiléia, fizeram um pacto de aliança. Vão definir mais na frente, quem sairá a deputado federal e para a ALEAC.

BALÃO FURADO

É UM BOATO de balão furado de que pode sair uma chapa tendo Sérgio Petecão (PSD) para governador e Jorge Viana (PT) para senador. Petecão descarta o jogo.

CAMINHOS PRÓPRIOS

A TENDÊNCIA é o PT-PSB-PSOL-PV-PCdoB, saírem com candidato próprio a governador e senador, com os mais citados sendo o deputado Jenilson Leite (PSB) e o senador Jorge Viana (PT). O Lula precisará de palanque no estado.

FORA DE HIPÓTESE

ESTÁ FORA DE HIPÓTESE no grupo da senadora Mailza Gomes (PP), a discussão para ela ser candidata a deputada federal, para descongestionar a disputa dentro do grupo do governo na eleição de senador.

PONTO FORA DA CURVA

O ÚNICO ponto fora da curva desta aliança da esquerda pode ser o PSOL, que não abre mão da candidatura do advogado Sanderson Moura (PSOL) para disputar o Senado.

EMPURRAR PARA 2022

O GOVERNADOR Gladson Cameli deve empurrar a sua decisão sobre quem será o vice e o candidato ao Senado, na sua chapa, para 2022, quer ver primeiro as pesquisas.

DESCONTENTAMENTOS SÃO CERTOS

O MAIOR abacaxi a ser descascado pelo Gladson será a escolha do candidato ao Senado na sua chapa. São cinco nomes aliados na disputa, e quatro sairão descontentes.

POSIÇÃO MARCADA

O DEPUTADO Luiz Tchê (PDT) marcou a posição do seu partido no estado, na eleição do próximo ano, com críticas duras ao presidente Bolsonaro. O PDT vai dar palanque para a candidatura de Ciro Gomes a presidente. 

APOSTA DO PT

O EX-PREFEITO Marcus Alexandre está direto em campanha nos fins de semana, emendando uma visita atrás da outra. É a grande aposta do PT a deputado estadual. Perdeu para o governo, mas manteve a popularidade em alta. Marcus foi de fato bom prefeito.

CONVERSA DE PÉ DE OUVIDO

O PREFEITO Tião Bocalom tem mandado áudios aos secretários, com o recado: “não homologuem licitações fora do preço de mercado, não sujem seus CPFs para não sujar o meu.” Sabe que, a sua gestão será altamente fiscalizada e cobrada, principalmente, pelos vereadores.

PONTO A SE REGISTRAR

O prefeito Tião Bocalom, nestes quase seis meses no mandato, ainda não conseguiu decolar a sua gestão na opinião pública, mas não esperem bandalheira dele. 

FORA DO PODER

DEPOIS de 20 anos disputando eleições majoritárias no poder, o ex-senador Jorge Viana (PT) vai encarar uma eleição sem os esquemas e encantos naturais do poder.

APOIO EM COSTURA

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) trabalha na costura do apoio de grupos políticos importantes no estado, para ter no palanque da sua candidata ao Senado, Márcia Bittar.

NADA QUE DESABONE

O procedimento aberto pela secretária de Educação, Socorro Neri, para investigar atos praticado pelo ex-chefe de departamento, professor Rêgo, é da liturgia para sanar dúvidas, nada que desabone seus relevantes serviços á pasta. E nem foi deflagrado para prejudicar sua imagem.

COMPROU A BRIGA

COM as críticas à falta de ação da secretaria de Agricultura no Juruá, o deputado Jonas Lima (PT) mostrou que, não digeriu ser chamado de improdutivo na política, pelo secretário Nenê Junqueira. Vêm novos capítulos.

IMAGEM NEGATIVA

COM APENAS 8% das pessoas vacinadas com a segunda dose, o estado continua entre os piores na cobertura vacinal. No passo de jaboti que estamos, não vão se confirmar as expectativas de todas as pessoas vacinadas até o final do ano. Um exemplo: a vacinação foi suspensa.

MY GOD

E, ainda vem a secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, falar em EXPOACRE em outubro ou novembro, sem cobertura vacinal ampla, e no pique da época invernosa. 

FRASE MARCANTE

“Primeiro come-se; depois é que se lava a panela”. (Ditado espanhol).

Continuar lendo

Blog do Crica

Nem só de araruta vive o mingau 

Publicado

em

NUM MOMENTO em que a atividade política aparece em todas as pesquisas de opinião pública como a mais rejeitada e criticada na sociedade, com escândalos se sucedendo em série, a disputa do Senado, no Acre, na eleição do próximo ano, não deixa de ser uma luz no fim do túnel. 

Deixando a ideologia de cada candidato de lado, o que é salutar é que, os nomes que surgiram até o momento são qualificados e figuras respeitadas, seja como políticos, seja como integrantes da sociedade civil organizada. Não me lembro de uma disputa do Senado no estado que tenha reunido tantos nomes capacitados. 

Isso abre um leque grande de uma opção de voto para o eleitorado, porque foge da polarização, que tanto mal faz à política.  Sanderson Moura (PSB), é advogado; Márcia Bittar (sem partido), é professora; Mailza Gomes (PP), cursando Direito e Gestão Pública; Vanda Milani (PROS), Procuradora do MPE; Alan Rick (DEM), jornalista e, Jorge Viana (PT), engenheiro. 

Isso é muito bom para a política, onde não deveria haver lugar para incultos. É aguardar qual será a plataforma política de cada para um eventual mandato. A lembrar que: existe apenas uma vaga de senador para ser disputada na eleição de 2022.

RUÍDO NA CÚPULA

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) passou o dia ontem tentando pôr fim ao ruído criado junto ao governador de Rondônia, Marcos Rocha, com a demissão do seu irmão Sandro Rocha, do cargo de confiança que ocupava no governo do estado, a convite do governador Gladson.

ÚLTIMO A SABER

SANDRO ROCHA, que veio para o estado atendendo convite pessoal do governador Gladson, só soube da demissão por terceiros, o que gerou o constrangimento.

SEM CONTATO

ATÉ O INÍCIO da tarde de ontem, nem o senador Márcio Bittar (MDB) e nem o governador rondoniense, Marcos Rocha, tinham conseguido contato com Gladson Cameli.

ESCAPOU DE MAIS UMA

O EX-PRESIDENTE LULA vem sendo absolvido de um processo atrás do outro. Ontem, a absolvição foi na ação “Operação Zelotes”, sobre a edição de MP para favorecer terceiros. Os petistas vivem um período de euforia.

SEM TROMBADA

ALIADOS da senadora Mailza Gomes (PP) negaram ontem ao BLOG, que a modificação no diretório regional do PP, incluindo o prefeito Tião Bocalom de vice-presidente, tenha conotação de trombar com o governador Gladson.

FORTALECER O PARTIDO

A INCLUSÃO de prefeitos do PP no diretório regional, segundo a fonte, teve o objetivo do fortalecimento partidário, para apoiar a senadora Mailza Gomes (PP) a mais um mandato e o governador Gladson à reeleição.

POLÍTICA DE MINEIRO

QUEM apostou que o senador Sérgio Petecão (PSD) se acomodou, errou feio. Já está bem adiantada a formatação do seu Plano de Governo, em elaboração por professores da UFAC. A sua candidatura é para valer.

CIRCULANDO NOS GROTÕES

ENQUANTO isso, o senador Petecão (PSD) está direto em visitas aos grotões, articulando a sua candidatura ao governo, ouvindo, e montando alianças para a campanha.

QUADRO QUE SE DESENHA

GLADSON CAMELI (PP), Sérgio Petecão (PSD), Jenislon Leite (PSB), David Hall (CIDADANIA), são os nomes que poderão compor em 2022, a disputa pelo governo.

PERDENDO TEMPO

O PRIMEIRO MÊS de verão já foi perdido pelo prefeito Bocalom, que deveria estar com as máquinas da prefeitura nos bairros. Continua com a ideia fixa de produzir arroz, feijão, milho, esquecendo os problemas triviais da cidade.

FORA DO PP

A EX-PREFEITA Socorro Neri negou que esteja inclinada em se filiar ao PP, após sua saída do PSB. Não fala em que partido vai entrar. Socorro começou a vida política no MDB, depois passou pelo PSDB, e agora deixará o PSB.

NÃO IMPLICA EM PARTIDO

NÃO É O FATO de estar filiada ou não a um partido político que vai impedir a ex-prefeita Socorro Neri de participar da campanha de reeleição do Gladson.

FAÇAM ARMINHA

GASOLINA no Alto Juruá passou dos 8 reais o litro. Na capital é uma subida atrás da outra no preço. O gás disparou. Se preparem este mês para uma conta de energia mais alta. E, continuem fazendo arminha.

MORAL PARA PEDIR VOTOS

QUEM tem corrido os municípios em articulação política é o deputado Daniel Zen (PT). Zen tem um mandato muito profícuo, e assim, moral para pedir votos à sua reeleição.

SINAL PARA 2022

O PT PRETENDE fazer entre outubro e novembro uma pesquisa ampla para situar como estão as suas principais lideranças, para as disputas do Senado e do Governo.

FICARÁ ENTRE OS DOIS

A DISPUTA pela posição de mais votado do Vale do Juruá deve ficar entre os deputados Nicolau Júnior (PP) e a deputada Antonia Sales (MDB). Ambos com base forte.

LEMBRANDO UM DADO

O PREFEITO MAZINHO mandou um áudio ao BLOG, lembrando um dado sobre a obra de remodelação do Hospital João Câncio, em Sena Madureira: “Dei minha colaboração. O projeto só andou, porque corri para liberar o terreno do hospital, que era da prefeitura”.

PRÓ E CONTRA

NOMEAR OU DEMITIR ocupantes de cargos de confiança é de exclusiva competência do governador Gladson. Não questiono. Muito embora, com demissões impensadas para agradar aliados, pode-se criar de graça inimigos políticos. E, na política, tem que se ciscar para dentro.

DESGASTE NATURAL

OS VEREADORES da capital, com a convocação da vice-prefeita Marfisa Galvão, estão iniciando um ciclo de chamadas de secretários do prefeito Bocalom, o que vai causar um desgaste natural para a gestão municipal.

ERRO DE ESTRATÉGIA

O PREFEITO Tião Bocalom errou feio em trombar com os vereadores, e decidir não ter base de apoio e nem um líder na Câmara Municipal de Rio Branco. Numa briga com políticos, o lado mais fraco da corda é o do gestor.

FRASE MARCANTE

“Não abra uma porta que não seja capaz de tornar a fechar; nem feches uma porta que não seja capaz de reabrir”. (Ditado persa)

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.