Conecte-se agora

Os desafios de Cameli para 2020

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (foto) concluiu o novo Pronto Socorro, a UPA de Cruzeiro do Sul, a última etapa do Hospital de Brasiléia, comprou toneladas de medicamentos, mas o atendimento na área de saúde continua tão ruim, com os mesmos problemas de falta de médicos, fila quilométrica para cirurgias e exames, pacientes em macas pelos corredores, como era no governo passado do PT. Ou seja, no atendimento á população: fracassou. Na Segurança, o Gladson contratou novos policiais, comprou armas, equipamentos de proteção pessoal, mais de cem viaturas, mas ainda assim Rio Branco continua uma cidade muito violenta, a prometida sensação de segurança está longe de ser sentida. A população está acuada com tanto assalto. Virou alto risco ter um carro ou moto na capital. Estes dois setores são os maiores desafios do governador Gladson Cameli para o ano de 2020. Saúde e Segurança – a última ainda com alguns avanços – continuam bem longe do que o governador prometeu durante a campanha política. Dizia que o que faltava era gestão, e pelo visto continua faltando.  Não adianta os bajuladores querer dourar a pílula e dizer que vivemos no paraíso. Um cacete!

QUEDA DE PRESTÍGIO
Que Primeiro Ministro que nada. Houve sim uma queda de prestígio do secretário Thiago Caetano, que saiu do comando da pasta mais operativa que era a de Obras para uma secretária cabide de emprego, a Secretaria Extraordinária, cuja atribuição fictícia é debelar crises. Quem debela crise é o governador, por ter a caneta. Thiago virou secretário de fachada.

MOTIVOS OBSCUROS
Os motivos que levaram o engenheiro Thiago Caetano a perder o prestígio no governo são obscuros. Thiago foi o responsável direto pelas obras que o governo ainda conseguiu realizar.

VOTO NA COMPETÊNCIA
Não tenho nenhuma similaridade com a esquerda. Mas no tocante a uma candidatura a prefeito da capital, por exemplo, escolho o candidato não pela cor ideológica, mas pelo perfil da competência, pelos projetos anunciados na campanha, e pelo que pode fazer pela cidade.

NÃO PODE SER PUXADINHO
A política de transformar a população com favores num puxadinho nas eleições nos últimos 20 anos foi uma conduta do PT. O fato de se ter votado no governador Gladson Cameli não se é obrigado a votar no seu candidato a prefeito, porque este é um tipo de política dos coronéis.

SERIA UMA BURRADA POLÍTICA
E acho que não necessariamente o governador Gladson tem que ter candidato a prefeito da capital no primeiro turno, pois, se tiver é uma burrada política, porque entraria em choque com outros candidatos do seu campo, o ideal é se preservar para um apoio no segundo turno.

FORA DE COGITAÇÃO
A tese da candidatura única à PMRB no campo político do governador Gladson Cameli está fora de cogitação, porque o fim das coligações proporcionais empurra os partidos para candidaturas próprias, como preservação política, pela adoção da cláusula de barreira.

FORA DE FOCO
Uma grande parte da população acreana vive na extrema pobreza, basta pegar os dados da IBGE. O número de desempregados é alarmante. Completamente fora do foco da realidade, as recomendações com ameaças de punições ao Estado e União pelo MPAC, MPF, Defensoria Pública e Defensoria Pública da União, a que sejam fornecidos aos imigrantes venezuelanos, notadamente indígenas, abrigo, alimentação e eletrodomésticos como fogão e geladeira.

VENEZUELA É NA PERIFERIA
Um exemplo da miséria em que vivem as famílias acreanas foi mostrado numa reportagem do ac24horas de uma família com filhos pequenos que não tinha o que comer na véspera do Natal, que acabou gerando um cordão de solidariedade. A Venezuela é na nossa periferia

FICO FORA, MAS RESPEITO
Respeito os colegas da área política que optaram por fazer listas em suas visões dos melhores deputados estaduais, deputados federais, senadores, vereadores, tenho outra concepção, a de que este tipo de escolha é algo subjetivo, prefiro não fazer esta avaliação e nem participar.

FORA DO MDB
A secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, cumpriu o que falou, de que ficaria afastada do MDB. O motivo é conhecido: não avaliza as críticas do deputado Roberto Duarte (MDB) ao governo Cameli, não deve votar nele, mas sim no candidato à PMRB do governador

SALDO DE CAMPANHAS
Independente disso a secretária Eliane Sinhasique já vinha descontente com a cúpula do MDB desde a sua derrota para a prefeitura da capital, quando não teve o apoio esperado. E na campanha para deputada as rusgas com o deputado Roberto Duarte (MDB) foram acirradas.

CAMPANHA PELA VOLTA
As postagens do ex-prefeito Itamar de Sá (PT), mostrando uma atividade em série em visitas às comunidades ribeirinhas, mostram que a sua candidatura para a prefeitura de Marechal Taumaturgo, município do qual já foi prefeito, é para valer. Terá adversários duros a bater.

MUITO MAIS QUE GRITAR SLOGANS
O fato do PCdoB ter um candidato a prefeito de Feijó com sucesso nas urnas nas disputas municipais, no caso o vereador Tarcísio (PCdoB), não significa ser um passaporte para o tornar favorito. Todas as informações que recebo em conversas, pelas pesquisas vistas, o prefeito Kiefer não será fácil de ser batido. Principalmente, com várias candidaturas á prefeitura.

PODE ESQUECER
O deputado Jenilson Lopes (PSB) é um político articulado, mas esqueça a tese mirabolante de que poderia colocar no palanque da prefeita Socorro Neri a esquerda e o senador Sérgio Petecão (PSD). Se conhecesse um pouco do Petecão como conheço, não teria este sonho.

ALIANÇA FECHADA
Em Sena Madureira está fechada a aliança do prefeito Mazinho Serafim (MDB) com o senador Sérgio Petecão (PSD), que passaria pelo senador vir a indicar o vice da sua chapa na disputa da reeleição. Mazinho deve entrar na eleição como favorito, porque disputará no poder.

CANDIDATO DE DIREITA
O presidente do PSL, Pedro Valério, anunciou que o seu partido terá um candidato a prefeito da capital com perfil de direita, e afinado com a plataforma política do presidente Bolsonaro. O que se espera não é só que tenha um perfil conservador liberal, mas de que seja competente.

 BEM MELHOR
Escuto até dos seus adversários políticos de que esta segunda gestão do prefeito Bira Vasconcelos (PT) é muito produtiva, a sua primeira administração foi um desastre. Com a pulverização dos votos em várias candidaturas, cresce a sua chance de uma reeleição.

NA POLÍTICA TUDO PODE
E falando em Xapuri, comenta-se que os deputados Manoel Moraes (PSB) e Antonio Pedro (DEM) podem fazer uma aliança em torno de um candidato em comum para a prefeitura.

QUAL O PROBLEMA?
Se a justiça manteve a pensão de outros ex-governadores de partidos ligados ao governo Gladson, não vejo problema algum de que o benefício seja estendido ao Jorge Viana (PT).

BUSCA DO CONVENCIMENTO
Quando o PT diz que vai esperar a decisão da prefeita Socorro Neri para traçar seu projeto para a eleição da capital é fake news, os petistas estão numa campanha para tentar convencer o ex-deputado federal Angelim aceitar ser candidato à PMRB, por ser o melhor nome do PT.

LEGITIMIDADE, MAS SEM COERÊNCIA
As urnas deram legitimidade ao deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), mas nas suas críticas ao governo Gladson falta a coerência, porque serviu calado o governo passado, que acabou pessimamente avaliado e massacrado nas urnas. E sua postura como secretário foi de avalista.

PRECISA MOVIMENTAR
O governador Gladson poderia ter como primeiro pensamento em 2020 reativar a construção civil, único segmento econômico que pode gerar mais rapidamente emprego e renda. No governo passado os empresários do setor em sua maioria entraram em situação falimentar.

MUITO PELO CONTRÁRIO
A deputada federal Vanda Milani (SD) tem posição bolsonarista, jamais poderia ter sido incluída num comentário do bom advogado Valdir Perazzo, que defende o modelo liberal, como alguém de esquerda. Se há algo que a Vanda não pode ser rotulada é ser esquerdista. O Perazzo publicou que, os candidatos à PMRB até aqui divulgados têm viés de esquerda.

TINHA PULADO FORA
Com uma desfeita atrás da outra, se o Ministro Sérgio Moro, com todo apoio popular que detém; reconhecido internacionalmente, tivesse um pouco de respeito por seu perfil, já era para ter saído do governo do Bolsonaro. Só agüenta humilhação quem não tem amor próprio.

NÃO ERA PARA QUALQUER
O velho guerreiro Aluisio Bezerra que partiu esta semana para o andar de cima foi oposição quando o regime militar estava no auge. Naquela época, ser oposição era para os corajosos. Junto com o ex-deputado federal João Tota foram as duas maiores lideranças do Juruá.

NINGUÉM FOI MAIS LEAL
Espera-se que o governo repasse os recursos para a mesa diretora pagar o salário de dezembro dos servidores neste dia 29, ninguém foi mais leal ao governador Gladson nas refregas políticas na ALEAC, do que o presidente Nicolau Junior (PROGRESSISTAS).

FRASE DO DIA
“Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe o poder”. Abraham Lincoln.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.