Conecte-se agora

Receita para espatifar coligações

Publicado

em

Pegue a intolerância às críticas internas, não aceitar a liberdade individual dos partidos aliados, adotar ações sem ouvir o seu campo político, não dar ouvido às vozes discordantes, aninhar os  beligerantes e falcões sob suas asas, junte todos estes ingredientes, coloque num liquidificador e bata, e vai resultar na receita perfeita para se espatifar uma coligação partidária. É o que está acontecendo com o campo político que levou o jovem Gladson Cameli ao governo. Esta briga despropositada com o senador Sérgio Petecão (PSD) que, inclusive, teve mais votos que ele, por um motivo banal, é um exemplo de que a antiga oposição não se acostumou que no poder se governa com todos os aliados, não apenas com um segmento político. Qual a ofensa moral ou política contida na frase do Petecão, publicada por este BLOG, de que pela violência dos grupos criminosos, tinha medo de andar nos bairros, para resultar numa confusão envolvendo dirigentes do setor de Segurança e o senador? A reação resultou numa sucessão de ataques em notas que não levam a nada. Uma briga deste porte e em cima de uma área de gestão antipática em todos os governos, como a Segurança, só perde quem se encontra no poder. O governo deu uma dimensão política á declaração do Petecão, que ela não tinha. É público e notório também o afastamento do governo do maior partido do seu campo de alianças, o MDB, que já o leva a pensar em candidaturas próprias ao Senado e ao Governo em 2022. O que mais surpreende nesta historieta paroquial é que, o governador não é nenhum neófito em política. Já foi deputado federal, senador e agora comanda o Executivo, e por isso deveria ser o primeiro a buscar meios para garantir a unidade dos que lhe ajudaram a chegar ao poder. Mas não, ao contrário, incentiva e até participa da discórdia. Passaram 20 anos debaixo do chicote do PT, e quando conseguem ganhar o governo, optam pelo caminho do espatifado em apenas um ano no comando do Estado. Este quadro leva a um caminho perigoso, a de que tudo isso vá acabar numa chacina política entre o governador e aliados. O PT, que assiste tudo de camarote, deve estar comemorando e pedindo bis contínuo até 2022.

Á IMAGEM E SEMELHANÇA DO MDA

A aliança que levou o Gladson Cameli ao governo é a cópia fiel do movimento chamado MDA, que conseguiu unir toda a oposição e derrotar com a candidatura do Flaviano Melo (MDB), na disputa da PMRB, o PT no poder. Quando o MDA chegou ao poder, foi cada um para o seu lado, e o PT que parecia um defunto de ossos brancos, saiu da tumba e retomou a prefeitura.

MESMO CAMINHO EQUIVOCADO

O caminho que está sendo tomado no campo político do atual governo é o mesmo do MDA.

VOZ DA PRUDÊNCIA

Nesta confusão, o senador Márcio Bittar (MDB) tem sido a voz da prudência quando pede que, cesse esta briga ou se irá jogar por terra uma vitória sobre o PT, que passou 20 anos para ser conquistada. E que só abala a unidade que deveria haver entre os aliados e prejudica o governo.

OUTRA HISTÓRIA

Também não sei o que passa pela cabeça do governador Gladson Cameli, que chegou ao poder como a esperança que acabaria por soterrar politicamente o PT. A impressão que passa é que acha que não precisa de aliados e que pode governar com seus falcões. Se for isso, é um erro.

FATOS DISTINTOS

Este é um fato político. Do lado administrativo, as críticas ao Gladson Cameli devem ser relevadas, porque passou o ano inteiro a pagar contas deixadas pelo governo petista anterior 

NEM TUDO PODE

O poder pode muita coisa, mas nem tudo pode. O exemplo do PT na sua derrota após 20 anos no comando do Estado é uma mostra que estar no domínio da máquina nem sempre significa que se ganha uma eleição. O último governo pensou que tudo podia e o resultado foi a balsa.

TEMPO PARA SER O GLADSON

O governador Gladson Cameli ainda tem três anos para consertar o buraco no seu barco político, enquanto o furo ainda pode ser calafetado. Se a eleição municipal do próximo ano for neste tom beligerante que vem sendo dado com os seus aliados, o buraco vai virar um rombo.

ALIANÇA FORMAL

O grupo da deputada Antônia Lúcia (PR) caminha no sentido de fazer uma aliança com o MDB, e apoiar na capital a candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) para prefeito. 

ENGENHARIA COMPLICADA, MAS PODEROSA

Não é uma engenharia fácil, mas a costura que envolveria uma aliança entre MDB-PR-PSD e o PSB da prefeita Socorro Neri, se der certo, estaria formada uma coligação poderosa para disputa da PMRB, com o candidato do grupo com passagem garantida para ir ao segundo turno.

LEVES E SOLTOS

Leio que foram presos os chefões nacionais da Telexfree. Mas os chefões que comandaram este esquema que lesou milhares de pessoas, no Acre, estão livres, leves e soltos nas ruas.

FATO COMEMORADO

Foi comemorada no poder a retirada de pauta do julgamento com pedido de cassação do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, porque será o candidato do governo, na eleição para a prefeitura cruzeirense na eleição do próximo ano. Já declarado pelo Gladson.

ORIENTAÇÃO PARTIDÁRIA

Caso o PT tenha candidato próprio para á PMRB a recomendação da direção petista deverá ser no sentido de que todos que estão em cargos de confiança na gestão da Socorro Neri, peçam demissão. Isso ficou claro nas declarações do líder da prefeita na Câmara Municipal de Rio Branco, vereador Rodrigo Forneck (PT). Até abril esta situação já estará aclarada.

VIROU MODA NOVAMENTE

Tinha saído de cena, mas voltou com vigor os roubos de caminhonetes. E não é nos bairros periféricos que os bandidos estão agindo, mas em áreas nobres, como o sequestro ontem de um motorista levado com seu carro no bairro Morada do Sol. É um perigo ter este veículo. Esqueçam as brigas políticas, o alvo dos dirigentes da Segurança deve ser os bandidos.

O PERIGO MORA NAS PARADAS

O perigo também mora nas paradas de ônibus do Tropical, com roubos quase que diários.

TOQUEM, PARA VER O CLAMOR!

O cidadão de bem pode ser assaltado, humilhado, espancado, mas vá um policial tocar um dedo num bandido desses que vem o pessoal dos Direitos Humanos protestar, e com certeza o policial que agiu com um maior rigor acaba sendo enquadrado pela justiça como torturador.

TODAS AS REGALIAS

E se o bandido for menor de idade, aí então será tratado com deferência e pouco tempo depois de preso estará nas ruas assaltando novamente. Coisas da nossa branda legislação.

UM DETALHE

É preciso deixar claro um detalhe importante: as leis não são feitas pelo Juiz, mas pelos políticos em Brasília. Cabem aos políticos mudar as regras penais no país. 

PODE NÃO SE MERA COINCIDÊNCIA

 O ex-governador Orleir Cameli começou a sua administração com apoio majoritário na Assembléia Legislativa e Câmara Federal, e terminou apenas com o fiel então deputado federal Osmir Lima ao seu lado. O Gladson Cameli começou o governo no mesmo cenário e, se não abrir os olhos pode acabar com um apoio político solitário, igual ao tio Orleir.

CAUSA PRÓPRIA

Para os governistas, quando o deputado Fagner Calegário (PR) promete montar acampamento em frente à Secretaria de Fazenda para que o governo pague os terceirizados, age em causa própria. O Calegário vem sendo um dos críticos mais ardorosos ultimamente do governo.

MÃO NO OMBRO

Não pense que o deputado Roberto Duarte (MDB) é uma voz solitária no partido quando tece críticas ao governo, tem a mão no ombro de toda a executiva regional do MDB e carta branca do presidente da sigla, deputado federal Flaviano Melo (MDB). Duarte é a voz do MDB.

FIM DE UM CICLO

Para quem sempre esteve ligado às redações de jornais por décadas e vê o desmoronamento dos nossos diários com o advento da mídia eletrônica, só tem que lamentar. Vivi o auge da chamada “imprensa escrita”, onde travamos muitos combates com os que estavam no poder.

É INSUBSTITUÍVEL

O romantismo das redações dos jornais com o batucar da máquina de datilografia, dos jornaleiros gritando pelas ruas as manchetes de primeira página, é algo insubstituível.

FRASE DO DIA

“Os ditadores nascem nas casas em que não se ousa dar uma ordem à empregada”. H. de Montherlant

 

 

  

Anúncios

Blog do Crica

Que balbúrdia é esta? MP com a palavra

Publicado

em

FOI AMPLAMENTE DIVULGADO pela imprensa o protocolo de vacinação com o novo lote de imunizantes que veio com o presidente Jair Bolsonaro. Por esta divulgação, a vacinação aconteceria na faixa que vai dos 70 aos 85 anos.

 Liguei ontem à noite para o secretário municipal de Saúde da prefeitura de Rio Branco, Franck Lima, e este me disse que a PMRB vai vacinar apenas neste momento a população dos 74 aos 85 anos. Afinal, que balbúrdia é esta, minha gente? O que é que vai valer das duas versões? E neste vendaval de desinformação se encontra uma população de idosos atarantada sem saber ao certo qual será o calendário verdadeiro de vacinação. 

O MP podia entrar nesta ciranda para desvendar o que de fato está ocorrendo. Que critérios são usados? Não dá é para ficar nesta loucura. Há toda uma luta para a vinda de vacinas, e quando estas chegam se esbarra numa burocracia maluca, numa desorganização, numa falta de planejamento. Se entendam senhores do poder, se trata de preservar vidas, e com isso não se brinca.

PECANDO NA DIVULGAÇÃO

A PREFEITURA da capital está pecando na divulgação das etapas de vacinação, tem que indicar os locais para onde as pessoas devem se dirigir, horários, enfim tem de haver divulgação ampla. É de um amadorismo sem tamanho fazer comunicação pela página oficial da PMRB. A Socorro Neri, neste campo, bate de capote no quesito transparência.

HORA DO MP

É HORA DE UMA INTERVENÇÃO do MP para que esta normatização pela PMRB chegue ao conhecimento de toda população, para não se ver cenas de vacinadores sentados esperando pelas pessoas, por falta de divulgação com amplitude. Enquanto outros esperam.

SAMBA DE MALUCO

AFINAL, em qual versão os idosos devem acreditar? Na do protocolo do MS que fixou a vacinação na faixa dos 70 aos 85 anos, ou na do secretário municipal de Saúde, Franck Lima, que diz que a vacinação será dos 74 aos 85 anos?

NADA A CRITICAR

NÃO INTEGRO a fila do gargarejo dos bajuladores do presidente Bolsonaro, mas há que se registrar a sua vinda ao Acre como positiva, pois deixou recursos e vacinas.

SEM SECTARISMO

NÃO ENTRO nunca no comportamento das seitas extremistas de esquerda e de direita, de que os atos só são de boa fé quando praticados pelos seus seguidores.

SEM TURBULÊNCIA

COM O CENÁRIO de alianças que construiu na última eleição municipal em Cruzeiro do Sul, o deputado Nicolau Junior (PP), tender ter uma reeleição sem turbulência.

SÓ PARA O LADRÃO DE GALINHA

CASO SEJA APROVADA a PEC da Impunidade, em debate na Câmara Federal, que, praticamente, acaba com o flagrante de deputados, o flagrante só valerá para ladrão de galinha. O parlamentar vira um ser de outro mundo.

ENTRE OS MELHORES

NÃO TENHO CONTATO com este rapaz, mas acompanho as suas ações parlamentares diferentes, corajosas, o que me leva a reconhecer o Emerson Jarude (MDB), como um dos nossos melhores vereadores da capital.

É O QUE DESTACA

O QUE DESTACA o papel de um vereador é a sua liberdade de criticar quem está no poder, ser propositivo, se preciso reconhecer um acerto, porque ser bajulador com quem está no poder, é nojento. E não é reconhecido.

PODE SIM

UM POLÍTICO ou qualquer cidadão pode sim elogiar um gestor quando acerta, mas não pode ficar só no amém.

NENHUMA MEDIDA

O GOVERNADOR Gladson postou na minha página que, não tomará nenhuma medida de reabertura do comércio não essencial antes de 1º de março. Quer ver primeiro a evolução do quadro do Covid, no que, ele está correto.

SUA IMAGEM

O QUE ESTÁ EM JOGO é a sua imagem, e não a dos negacionistas da ciência. Se for atender esta turma e a coisa piorar, joga por terra o belo trabalho na pandemia.

PROGRAMA REDONDO

ESTÁ REDONDO, o programa “Boa Tarde Cidade” do colega Astério Moreira todas os dias às 16 horas, na Rádio Cidade FM. Mescla músicas, entrevistas, e notícias atuais.

NINGUÉM ARRANCA

NINGUÉM CONSEGUE arrancar de fato do governador Gladson, por qual partido disputará a reeleição. A cada dia desconfio mais que, pode até não disputar pelo PP.

POSSIBILIDADE ABERTA

NINGUÉM EM BRASILÉIA se admire se a ex-deputada Leila Galvão aparecer disputando vaga na ALEAC pelo PSD do  Petecão, cuja chapa não terá ninguém com mandato.

QUEM SABE FAZ A HORA

NÃO CONFUNDAM o silêncio do ex-senador Jorge Viana como sinal, que estará fora do processo eleitoral em 2022. JV sabe que, numa pandemia braba, com muitas mortes, não cabe a discussão política. 

OUTRO CENÁRIO

CASO do lado dos adversários apareçam dois ou três candidatos ao Senado no próximo ano, não será demais  dizer que; o JV disputa, tem votos além das muros do PT.

NÃO DANÇA NO BAILE

NÃO CONTEM com uma candidatura do Áden Araujo, no próximo ano, pelo fato de ter se filiado a um partido. Toda eleição é o mesmo fogo de palha, ele ensaia, mas não dança no baile.

REGRAS DO JOGO

NÃO SE PODE TRAÇAR ainda um panorama da disputa de 2022, antes de se saber quais serão as regras do jogo. Continua a proibição de coligações proporcionais? Serão permitidas? Vem mesmo o sistema Distritão? Sem saber isso, o máximo que se pode fazer são ilações.

NADA ALÉM

NÃO SE PODE cobrar do governador Gladson mais do que vem fazendo no combate à pandemia. Se registre também que, ele tem o apoio da bancada federal nesta luta. Este é um fator que tem que ser lembrado.

MARÇO EM DIANTE

A POLÍTICA só vai e destravar no Acre a partir de março de 2022, quando a pandemia deverá estar controlada no seu pique. Antes disso, tudo o que acontecer será prematuro.

OUTRO PARTIDO

O NOME PREFERIDO PARA SER O SEU vice numa eventual chapa para disputar a reeleição é o do secretário Alysson Bestene. Já me disse. Só que, para viabilizar a vontade, o Gladson não pode disputar pelo PP, para não ficar uma chapa puro-sangue. Candidatura majoritária é soma.

 DIEGO LINS

COM SEU MODO simples, espontâneo, popularesco, o Diego Lins, o Beijoqueiro, tem divulgado os atos do governo Gladson muito mais que muitos comunicadores.

FRASE MARCANTE

“Não tenha medo de errar, tenha medo de repetir os mesmos erros”. Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

O Acre numa encruzilhada

Publicado

em

OS NÚMEROS DE ONTEM de mais 600 casos de contaminações pelo Covid registrados pela Secretaria de Saúde, mostra que o Acre se defronta com uma encruzilhada perigosa e que, se não acontecer uma vacinação em massa, o quadro pode ficar fora de controle. Não é uma opinião pessoal deste jornalista, mas o que dizem os mais renomados infectologistas do estado, que acompanham a pandemia nos hospitais. 

Num momento em que toda a bancada federal está unida em torno do governador Gladson Cameli não há nada mais prioritário do que pedir ao presidente Bolsonaro, ao Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que libere a vacinação em massa dos acreanos. 

O governador Gladson já fez tudo o que se encontra ao seu alcance para derrubar os índices de contaminações e mortes pelo Covid. Ou o governo federal dá esta ajuda para uma vacinação em grandes proporções no estado, ou vamos continuar vendo mais famílias a chorar os seus mortos.

SONHAR NÃO CUSTA NADA

ESTA BOA SUGESTÃO do atuante deputado Pedro Longo (PV) de que o presidente Bolsonaro poderia anunciar amanhã a vacinação em massa no estado, seria uma decisão a favor da vida. Mas, não conte com isso bom Pedro, entre a vacina e a Cloroquina, ele prefere a esta. Torço para estar errado.

SEM PAI DA CRIANÇA

NÃO TEM PAI DA CRIANÇA, a vinda do Bolsonaro hoje ao Acre. É uma vinda forçada pela divulgação nacional na grande mídia, que retratou a tragédia que se abateu sobre o estado. E, também, por ser para ele uma pauta positiva. Vamos esperar que não seja visita protocolar.

NÃO É SÓ PARA O ACRE

A MP que libera 450 milhões de reais para fazer frente às calamidades públicas, o valor não ficará todo no Acre, será dividido com estados em situação semelhante.

PROBLEMAS PÓS-ENCHENTE

AS ALAGAÇÕES em vários municípios acreanos é um problema sério, com prejuízo para centenas de famílias, mas o suplício não vai cessar com o baixar das águas, depois vem a recuperação da destruição e as doenças.

SERIA QUEIMAR O CPF

SUPRIMIR VANTAGENS dos professores é uma medida antipática, mas o prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, não tem alternativa, já que o reajuste que era pago foi considerado ilegal pelos órgãos de controle. Continuar pagando seria queimar o seu CPF. Pagar é ilegal!

CONCORDO COM A DEPUTADA

FAÇO CÔRO com a deputada Antônia Sales (MDB) de que o governador Gladson Cameli ao pedir 100 milhões extras de repasse do governo federal, pede pouco pelo tamanho da tragédia que se abateu sobre o estado.

PAUTOU A MÍDIA NACIONAL

A IMAGEM do médico Rodrigo Damasceno com água pela cintura consultando uma criança na alagação em Tarauacá, pautou a mídia nacional. Foi um registro comovente. Em tempos de intolerância, foi um ato de amor ao próximo.

FIM DA PICADA

SERÁ UM GOLPE fatal sobre a Educação se aprovada a PEC do senador Márcio Bittar (MDB), que acaba com o teto de gasto constitucional por prefeitos e governadores para a Educação e Saúde, deixando ao critério do gestor.

ARGUMENTO FAJUTO

O ARGUMENTO de que o Brasil é um dos países que mais gasta com a Educação é verdade, mas é fajuto como exemplo. Que os políticos fiscalizem a aplicação destes recursos. O que se aplica em Educação não é gasto, mas investimento no futuro da Nação. É preciso desenhar?

PODE ACONTECER

SEM A OBRIGAÇÃO DE TETO fixo de gastos com a Saúde, um prefeito maluque-te pode achar ser mais importante construir um sanitário na praça que contratar médicos e professores.

BEM COLOCADO PELO ZEN

O ASSUNTO foi bem colocado pelo deputado Daniel Zen (PT), uma de nossas melhores cabeças políticas, de que esta PEC do Bittar é um golpe de morte na Educação e no SUS. Vou mais além, é uma proposta vergonhosa.

SERIA UMA LOUCURA, GLADSON!

REATIVAR o comércio neste momento crucial do COVID-19, sem ter vacinas suficientes em mãos será uma loucura, governador Gladson! Não faça isso sem vacinas em estoque e sem uma ampla campanha de imunização. Não vá nesta de promessas, espere chegar as vacinas.

VAI EXPLODIR NO SEU COLO

ONTEM, o número de contaminações pelo COVID bateu um recorde, foram 621 novos casos; abrir tudo agora, a explosão será maior, e a culpa por certo cairá no seu colo, Gladson Cameli! Não aceite pressão de ninguém!

UM DITADO

“Água rasa não suporta navio grande”. Ditado chinês.

É UMA OUTRA HISTÓRIA

NÃO SE TRATA de gostar ou não dela, mas se for deixada de lado a ideologia, tem que se reconhecer que a prefeita Fernanda Hassem é uma boa gestora, é só olhar a cidade de Brasiléia, muito bem cuidada e os ramais recuperados.

CONTRIBUIÇÃO DADA

PARA FAZER JUSTIÇA, os deputados Nicolau Junior (PP) e Luiz Gonzaga (PSDB) têm dado as suas colaborações para ajudar as famílias atingidas pela cheia em Cruzeiro do Sul.

GOVERNADORES NA PAREDE

QUANDO o presidente Bolsonaro edita uma medida para que, os Postos de Combustíveis ostentem aos motoristas, os valores dos impostos que incidem sobre a gasolina, ele empareda os governadores; pois, o maior dos impostos, disparado, é o imposto estadual do ICMS. 

GANHOU ESPAÇO

TENHO muitos amigos PMS, é pelo que tenho escutado em conversas é que, o deputado Cadmiel Bonfin (PSD) ganhou mais espaço na tropa, pela defesa da categoria.

SERIA ANTIPÁTICA

QUALQUER manifestação política hoje contra o presidente Bolsonaro soará como antipática, porque estamos vivendo um momento de catástrofe.

HORA PARA TUDO

NA POLÍTICA, tem hora de avançar e de recuar.

O TAMANHO DA AJUDA

A VISITA do presidente Jair Bolsonaro só terá a sua importância mensurada depois de se saber o que deixará aos acreanos, como ajuda do governo federal.

CPI?

BASEADA em qual motivo os vereadores querem uma CPI do transporte público? Tem que haver um motivo forte para não terminar em mais uma grande patuscada.

FRASE MARCANTE

“O homem conhece tão pouco sua fraqueza, quanto o boi sua força”. Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

Ao Acre o que é do Acre

Publicado

em

PARA COMEÇAR, o presidente Bolsonaro não faz nenhum favor aos acreanos ao vir ao estado amanhã. E, por dois motivos básicos: proporcionalmente, foi um dos lugares do Brasil onde teve uma das maiores votações; e por segundo, vivemos um abandono na questão do fornecimento pelo governo federal das vacinas contra o Covid; estarmos numa alagação, com surto de dengue e o problema dos haitianos. 

Todos os problemas são cruciais, e podem ser minorados de uma forma ou de outra, mas nenhum é mais prioritário que o fornecimento das vacinas contra o Covid, porque se trata de preservar vidas. 

Todos conhecem a sua posição negacionista da ciência a respeito das vacinas e do Covid, mas os que aqui nele votaram e os que não votaram, tendem a aumentar o cordão dos contaminados pelo vírus e de mais caixões baixando aos jazigos, se não houver prioridade na vacinação. 

Que venha o presidente Jair Bolsonaro, mas que deixe no estado algo de concreto, e não apenas protocolos de intenções, como muitos ex-presidentes fizeram quando por aqui passaram. Ao Acre, o que é do Acre. A hora é de tragédia humana, política só em 2022. 

GLADSON CAMELI

DEIXEMOS tudo que é política de lado, mas ninguém pode deixar de reconhecer o esforço do governador Gladson Cameli na busca de criar mecanismos de combate ao Covid-19, seja no aparelhamento dos hospitais com insumos médicos, seja a sua briga por mais vacinas. Há um limite que, ele não pode ultrapassar porque não depende dele, como o do estado comprar vacinas. Não foi demais quando declarou que enfrenta um quadro de guerra. E vencer esta guerra contra o Covid, será uma vitória da vida. A ideologia, fique de lado.

CABIDE SENADOR

JÁ QUE, VIROU brincadeira: Instituto Vila Busch, de Cobija, fez pesquisa, e deu Cabide liderando ao Senado.

ABC DA POLÍTICA

O DEPUTADO FEDERAL Léo de Brito (PT) não aprendeu o ABC da política: não se critica um gestor bem avaliado, espera-se enfraquecer. Tolice, criticar o Gladson agora.

EXEMPLO DE ENFRENTAMENTO

O Mazinho Serafim, está dando um exemplo de como se deve comportar um prefeito numa alagação. Só de cozinhas para atender os alagados de Sena Madureira com refeições, montou três. Fora as outras ajudas dadas.

ESCANCAROU A REALIDADE

A MATÉRIA DE DOMINGO do Fantástico, na GLOBO, foi boa para escancarar ao Brasil a situação do Acre, com os alagados, dengue, Covid e os problemas dos haitianos.

ALERTA VERMELHO

O COMITÊ do COVID do estado fez o que era para ser feito, prorrogou o “alerta vermelho,” e manteve funcionando apenas as atividades comerciais essenciais. Seria um crime contra a vida, a reabertura do comércio.

O PROBLEMA É GRAVE

NO MOMENTO de falta de leitos e vagas em UTIs até na rede privada, não há como se pensar em relaxar a prevenção, contra o aumento de casos na pandemia, e para prevenir e evitar o aumento do número de mortos.

 CAVALO SELADO

O CAMINHO NO VALE do Acre para a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, disputar um mandato de deputada federal em 2022, está aberto; na política, o cavalo, nem sempre passa selado. É preciso saber a hora de montar.

HISTÓRICO FAVORÁVEL

NUM BALANÇO SOBRE O PRIMEIRO e este segundo mandato do deputado federal Alan Rick (DEM), não há como fugir do resultado de ser excelente parlamentar.

OBRAS PRIORITÁRIAS

SUAS emendas são sempre alocadas às obras essenciais.

MEDIDA ACERTADA

A PMRB tomou a medida acertada em suspender a feirinha dos domingos na área do antigo mercado, porque estava servindo como polo de aglomerações do Covid.

REFORÇA AINDA MAIS

NA MEDIDA que os meses avançam mais reforça a certeza de que, a Socorro Neri foi uma boa prefeita de Rio Branco. E passou o mandato sem mancha para o Bocalom.

UMA CARTADA NO MERCADO

AS AÇÕES da Petrobrás despencaram no mercado depois da intervenção do Bolsonaro no comando da empresa. O que mais importa é que de fato consiga baixar o preço dos combustíveis, que virou um assalto ao consumidor.

NÃO HÁ COMO SEM OS ESTADOS

ACHO DIFÍCIL, por ser uma das receitas principais, mas se os estados não baixarem o teto da cobrança do ICMS, a luta do Bolsonaro para baixar o preço do combustível será em vão. Aguardar para ver se não será fanfarronice.

UMA COISA É CERTA

NESTA QUESTÃO toda dos combustíveis, o certo é que, toda vez que a gasolina, o diesel, o gás, aumentam, aumenta o preço da cesta básica. E a imagem do presidente Bolsonaro afunda na opinião pública.

ÚNICA COISA ESTRANHA

NINGUÉM DESCONHECE o mérito da luta do senador Márcio Bittar (MDB) para conseguir recursos para o estado, mas foge da questão da vacina como diabo da cruz. Se ele é contra a vacina, os acreanos não são, certo?

DESDE QUE DEIXE RECURSOS

A VINDA DE UM PRESIDENTE a um estado pobre como o Acre é bom, porque serve para conhecer a realidade. E, nada mais importante que, ele anunciar mais vacinas.

ESTÁGIO CRÍTICO

O ESTÁGIO das contaminações pelo Covid-19 deu uma acelerada, o número de mortes aumentou, em que pese o esforço concentrado do governador Gladson Cameli.

ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA

É UMA LUZ no fim do túnel quando aparece um nome como o do médico Carlos Beirute, se colocando como uma opção para a disputa do Senado. Quanto mais cabra, mais cabrito. A qualificação é importante na política.

O RECUO É ESTRATÉGICO

NA POLÍTICA, o recuo é estratégico, é um estágio para avançar mais na frente. Depois do fracasso na disputa da PMRB, a prudência recomenda ao deputado Roberto Duarte (MDB) disputar a reeleição. Mais que isso é um precipício. Mas, cada cabeça é uma sentença.

FALANDO SÓ

PELO QUE TENHO acompanhado, a aliança que apoiou a ex-deputada Leila Galvão (MDB) para a prefeitura de Sena Madureira, não se repetirá. O ex-prefeito Aldemir Lopes tende a ficar só no MDB para chamar de meu.

PIOR MOMENTO DA PANDEMIA

LEMBRO QUE, no início da pandemia os negacionistas da ciência baixaram o pau nos infectologistas e num relatório da UFAC, sobre uma previsão de alta mortandade. A situação está pior que a previsão feita.

NÃO ASSUMA CARGOS PÚBLICOS

QUEM NÃO QUER SER CRITICADO não assuma mandato público, vá vender pipoca, balão na praça, o papel da imprensa é cobrar, e assim continuará sendo feito, gostem ou não gostem os que ocupam o poder. Certo?

NADA AVANÇA ESTE ANO

NADA VAI AVANÇAR este ano no cenário político acreano. As discussões para o Senado e para o Governo só vão ser reativadas no entrar de 2022, quando o Covid estará controlado. Até lá, o debate vai ficar neste rame-rame.

AGUARDANDO O SOL SE PÔR

NINGUÉM espere para este ano um posicionamento do senador Petecão (PSD) sobre se será candidato ou não ao governo na próxima eleição de 2022. Quer ver o quadro.

FRASE MARCANTE

“Quando a cama quebra, temos o chão para dormir”. Ditado indiano.

 

Continuar lendo

Blog do Crica

De promessa em promessa, o Santo Antonio ficou careca

Publicado

em

ENTRAMOS NUM MOMENTO de pico grave da pandemia no estado, principalmente, em Rio Branco, com as unidades de saúde lotadas, aumento da contaminação e do número de mortes. Não cabe nenhum debate ideológico, o puxa-saquismo ao governo federal tem de ser deixado de lado, e a abancada federal tem que se unir para que o Acre tenha um tratamento diferenciado no rateio dos lotes das vacinas. Fazemos fronteira com o Amazonas, onde surgiu uma cepa da mutação do vírus do Covid. O deputado e médico infectologista, Jenilson Lopes (PCdoB), fez com a sua equipe um trabalho científico que aponta para caminhos alarmantes para o estado, se a vacinação não avançar. Vozes isoladas da bancada federal já pediram por um diferencial para o estado pelo Ministério da Saúde. Temos o problema dos refugiados haitianos, surto de dengue, alagações em vários municípios, e o agravamento da transmissão do Covid-19. Este quadro de terror era para ter sensibilizado a bancada federal para ser mais dura e unida na busca de um melhor tratamento pelo ministro Eduardo Pazuello. A voz do Acre só será ouvida se houver uma grande pressão da bancada federal coesa, denunciando este caos na mídia nacional. Por tudo isso, acho que, o governador Gladson Cameli (foto), acerta ao buscar no STF, amparo para o estado comprar vacinas. O que tem até o momento pelo MS é promessa, e de promessa em promessa, Santo Antonio ficou careca. Quem sabe faz a hora\não espera acontecer.. diz a emblemática canção de Geraldo Vandré.

IDEOLOGIA NÃO CABE NA SAÚDE
O Laboratório que produz a Ivermectina se manifestou de que o remédio é ineficaz no combate ao Covid-19. Certo, pois, o diretor do INTO, Osvaldo Leal, de tirar do protocolo de tratamento da unidade. Saúde é coisa séria, não é achismo. O mesmo caso da Cloroquina. Na Saúde, não cabe debate ideológico sobre uso de medicamentos.

LIVRE PARA TOMAR
A QUESTÃO é que transformaram os dois medicamentos – a Ivermectina, que combate os vermes; e a Cloroquina, no combate á malária – num tosco debate ideológico, onde quem não defende a eficácia dos dois medicamentos é taxado de esquerdista e comunista, e os favor de extremistas de direita. Passo longe deste debate.

NADA QUE DESABONE
QUANDO O SEU NOME foi anunciado foi uma pauleira, com a tese de que não daria conta de comandar a Saúde municipal. O secretário Franck Lima provou o contrário.

NÃO HOUVE QUEDA
SOB O SEU COMANDO, não houve nenhuma queda de qualidade no sistema de saúde municipal. É pelo menos o que ouço sobre as ações do secretário Franck Lima.

FICA PARA DEPOIS DA PANDEMIA
A DECISÃO sobre se o governador Gladson vai reativar a sua militância no PP, deve ficar para o próximo ano. Em 2021, só há espaço para o combate à pandemia do Covid.

FICARIAM CHUPANDO OS DEDOS?
HÁ UM CENÁRIO complicado se for para a reeleição pelo PP. Quer o Alysson Bestene (PP) de vice, e com a Mailza Gomes (PP), ao Senado. Seria uma chapa excludente de alianças. Os outros partidos, ficariam chupando os dedos?

A DIFICULDADE MOSTRA O GESTOR
Nesta que está sendo uma das maiores alagações de Sena Madureira, o prefeito Mazinho conseguiu ter o atendimento aos alagados sob controle, montou cozinhas industriais para fornecer refeições, não há reclamação, enfim, o bom gestor se conhece é na adversidade, e não na bonança.

COMPLETAMENTE DIFERENTE
UM QUADRO diferente de Tarauacá, com 80% da cidade alagada, e a prefeita Néia se mostrando até aqui impotente, e duramente criticada pelos moradores.

PAGANDO PELO CETICISMO
TIVESSE o governo federal levado a sério o combate ao Covid, por certo o Brasil não estaria chorando milhares de mortos, e a maior parte da população estaria vacinada.

NÃO HÁ PLANEJAMENTO
NÃO HOUVE planejamento do governo federal para combater a pandemia. No estado, o Gladson perde cabelos porque não tem mais o que fazer, fica-se à mercê de migalhas de vacinas. Fez certo em acionar o MS no STF. Não há como não elogiar. A situação é grave.

IDEOLOGIA ÁS FAVAS
O COMPROMISSO do Gladson tem de continuar sendo com os acreanos, foram estes que o elegeram, e não se somar à desvairada corrente negacionista da ciência.

SE CONHECE NA ARRANCADA
NOS PRIMEIROS ATOS, já se nota se o escolhido de uma equipe de governo justificará ou não a escolha. Quem está se saindo bem na Zeladoria da PMRB é o Joabe Lira.

CHAPA COMPETITIVA
O MDB caminha para ter uma chapa de pesos-pesados a deputado federal, em 2022. Jéssica Sales, Mazinho Serafim, Flaviano Melo (MDB), todos de densidade eleitoral comprovada.

NÃO HÁ COMO RECUAR
COM O estado vivendo uma das piores fases da pandemia, com o aumento da contaminação e mortes, não há como o governo não continuar na faixa vermelha.

NÃO PODE ACONTECER
RIO BRANCO não pode virar Manaus, somente para o governador ser agradável a setores que são contra medidas de prevenção. Vidas estão acima de tudo.

QUEM TEM VOTOS LEVA
A SER MESMO ADOTADO o sistema “Distritão”, onde se elege quem tiver mais votos, acaba com a patifaria de político ganhar um mandato com uma mixaria de votos.

CABEÇA CORTADA
CASSADO OU NÃO, é o fim da carreira política do deputado federal Daniel Silveira (PSL). O STF vai acelerar seu julgamento, lhe condenar, e entrará nos fichas-sujas, não podendo disputar a reeleição. É o que dá o extremismo. O parlamento não perderá nada sem ele.

CENÁRIO ERRADO
O TROGLODITA deputado federal Daniel Silveira (PSL) traçou um cenário e saiu todo errado. Apostava no mínimo que seu ídolo Bolsonaro o protegeria, e este o deixou no pincel. Até o PSL, seu partido, lhe abandonou.

META É OUTRA
COM O PRESIDENTE Bolsonaro é a Lei do Murici, com cada um cuidando de si. Não ia queimar pestanas com um Zé Ruela, sua meta está centrada apenas na reeleição.

NEM UM PIO
O PRESIDENTE Bolsonaro não deu um pio a favor do seu adorador político, apenas o baixo clero do bolsonarismo ainda levantou a voz na sua defesa. Coisas da política.

NÃO SE PODE NEM COBRAR
A VACINAÇÃO na capital anda na velocidade das patas de um jaboti, mas não tem como cobrar celeridade do estado e município, falta o imunizante para avançar.

DISPARIDADE FINANCEIRA
TROCANDO IDÉIAS via celular ontem com um prestigiado político este disse que, pensou em ser candidato a deputado federal, mas desistiu. Quem tem mandato entra com no mínimo 2 milhas no bolso para a campanha, exemplificou.

FRASE MARCANTE
“Raposa que espera a galinha cair do poleiro morre de fome”. Ditado grego.

 

Continuar lendo
OAB - ACRE

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.