Conecte-se agora

Com os índios

Publicado

em

JORGE VIANA: UM MANDATO A SERVIÇO DO ACRE

QUESTÕES ESTRATÉGICAS PARA O ACRE

Jorge Viana

Algumas pessoas não entenderam porque o Governo da Floresta, que iniciamos há 20 anos, colocou como questão estratégica a valorização dos povos indígenas. Ainda hoje tenho que explicar, com paciência, que a mudança na relação do Estado com esses povos tinha como fundamento o resgate de uma dívida histórica, uma questão de justiça e, para completar, uma visão de futuro para a nossa sociedade.

As políticas públicas do Acre passaram a ser pautadas pelo reconhecimento da importância e da beleza de nossas diversas culturas indígenas, assim como de suas necessidades urgentes. Ajudamos o governo federal a resolver questões fundiárias, de reconhecimento e demarcação das terras, apoiamos os projetos de desenvolvimento econômico e social, orientamos o Zoneamento Ecológico e Econômico para situar projetos adequados no entorno das terras e aldeias, enfim, colocamos os povos indígenas no centro de nossas decisões estratégicas.

Reconhecemos e ampliamos o importante trabalho de educação desenvolvido por organizações civis, especialmente a Comissão Pró-Índio e as próprias organizações indígenas. Para completar,  ajudamos a mudar as relações da sociedade acreana com os índios com a realização dos Encontros de Culturas Indígenas, ajudando-os a mostrar seus conhecimentos, sua espiritualidade, artesanato, música, vestimentas, culinária. Esse trabalho deu excelentes resultados.

Hoje, os Ashaninka, Yawanawa, Huni Kuin, Puyanawa, Shanenawa, entre outros, realizam seus Festivais de Cultura em suas próprias aldeias e recebem visitantes de várias partes do mundo. Muitas lideranças indígenas ganharam reconhecimento internacional e participam de reuniões e eventos em város países nas negociações internacionais sobre Meio Ambiente, Direitos Humanos e Mudanças Climáticas.

Uma geração de jovens indígenas chegou à universidade e já começam a surgir mestres e doutores em várias áreas do conhecimento, além de professores, pesquisadores, artistas, técnicos agroflorestais e uma variedade de profissões em que muitos índios já se destacam. Sem falar nas lideranças políticas, especialmente com a eleição de vereadores, vice-prefeitos e até prefeitos nesses vinte anos.

E o que ganham com isso os acreanos não-índios? Primeiro, ganham um apoio internacional importante para os projetos de desenvolvimento que se mostrarem criativos e sustentáveis. Segundo, ganham aliados importantes entre os cientistas, pesquisadores, desenvolvedores de novas tecnologias e conhecimentos em escala mundial. E podemos continuar numerando: turismo, emprego e renda nos municípios, conhecimentos em biodiversidade, fármacos, cosméticos, incontáveis possibilidades para a indústria, sem falar da proteção ao meio ambiente e a segurança que as aldeias dão às fronteiras colaborando no combate ao tráfico e impedindo o saque das nossas riquezas.

Fico muito preocupado com as novas ameaças de retrocesso no relacionamento do Estado brasileiro com os povos indígenas. E penso que o Acre deve se posicionar, mostrando sua experiência positiva e as vantagens que o Brasil tem com a presença desses povos ancestrais em seu território.

Acre

Galvez é humilhado no Pará ao ser goleado por 9 a 0 pelo Remo

Publicado

em

Foto: Samara Miranda/Ascom Remo

O estádio Baenão, na capital paraense, foi palco na noite desta terça-feira, 19, da maior goleada da história da Copa Verde. O Acre esteve presente em dois momentos distintos.

Jogando contra o Remo, o Galvez sofreu um verdadeiro atropelo ao ser goleado por 9 a 0.

Um acreano foi destaque. Neto Pessoa que é nascido no Acre e joga no Remo fez três gols no jogo. Wallace também marcos três vezes. Os outros gols foram marcados por Neto Moura, Rafinha e Edu.

Com a vitória, o Remo se classifica para a próxima fase da Copa Verde. Já o Galvez encerra o ano sem conquistar nenhuma vaga nas competições nacionais do ano que vem e sofrendo uma humilhante goleada em Belém.

Continuar lendo

Cotidiano

Adolescente de 16 anos é apreendido vendendo maconha e cocaína em Rio Branco

Publicado

em

Uma ação dos Policiais Militares da Força Tática do 1° Batalhão resultou na apreensão de um adolescente de 16 anos no final da tarde desta terça-feira, 19, acusado de cometer tráfico de drogas na Rua Vista Alegre, situada no Parque das Palmeiras, em Rio Branco.

A guarnição policial estava fazendo um patrulhamento de rotina na região que é conhecida pelo intenso tráfico de drogas, quando visualizou o adolescente em atitude suspeita na rua. Durante abordagem e vistoria pessoal, foi encontrado em posse do adolescente 47 tabletes de maconha, 32 de trouxinhas de cocaína e uma quantia de R$ 240,00 reais, oriundo das vendas dos entorpecentes.

Diante dos fatos, foi dada voz de apreensão e o adolescente de 16 anos, foi encaminhado à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os procedimentos cabíveis.

 

Continuar lendo

Acre 01

Motoboy é salvo por bombeiros ao tentar se jogar da ponte metálica, em Rio Branco

Publicado

em

Um motoboy identificado pelos amigos apenas como “Penteado” tentou se jogar da ponte Juscelino Kubitschek, conhecida como Ponte Metálica, na noite desta terça-feira, 19, na região central de Rio Branco.

De acordo com informações de um amigo, a vítima estava passando por problemas de depressão e tentou tirar a própria vida tentando se jogar da ponte.

Ao verem o homem criando coragem para se jogar, populares resolveram acionar a Polícia Militar.

A área foi isolada e a ponte interditada. A polícia pediu apoio ao Corpo de Bombeiros. Ao serem informados da situação, familiares se deslocaram até a ponte metálica e juntamente com os militares do Corpo de Bombeiros convenceram o jovem a não prosseguir com a ação.

Após 30 minutos, a ponte foi liberada e o jovem foi encaminhado para receber ajuda médica.

Continuar lendo

Cotidiano

Senado aprova auxílio-gás; dois senadores do Acre votaram e Bittar justificou ausência

Publicado

em

Por 76 votos favoráveis e um voto contrário, o Senado aprovou, nesta terça-feira (19), o substitutivo ao projeto de lei que cria subsídio destinado a famílias de baixa renda para a compra de botijões de gás de cozinha. O texto retornará à Câmara dos Deputados.

Com prazo de vigência de cinco anos, o auxílio Gás para os Brasileiros será destinado às famílias inscritas no CadÚnico, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional, ou que tenham entre seus membros, residentes no mesmo domicílio, quem receba o benefício de prestação continuada (BPC), sendo dada preferência às mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência.

No painel de votação, dois senadores do Acre -Mailza Gomes e Sergio Petecão -votaram ´sim´ pela aprovação do projeto. Marcio Bittar justificou ausência por atividade política e cultural.

“Cada família que está no CadÚnico do Bolsa Família vai receber um subsídio que o governo federal vai definir entre 40 e 50 por cento, de acordo com o estado do Brasil em que a população esteja em maior ou menor dificuldade. E isso é muito importante, porque a média dos recursos que são pagos a famílias brasileiras no Bolsa Família é em torno de 200 reais por mês”, explicou o relator do projeto, senador Marcelo Castro.

O subsídio terá como fontes de custeio os royalties devidos à União em função da produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos sob o regime de partilha de produção; parcela da receita de comercialização do excedente em óleo da União; bônus de assinatura nas licitações de áreas para a exploração de petróleo e de gás natural; os dividendos da Petrobras recebidos pela União e outras dotações orçamentárias.

O valor do benefício será equivalente a, no mínimo, 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 quilos, sendo o pagamento do benefício feito preferencialmente à mulher responsável pela família.

De autoria do senador Eduardo Braga (MDB-AM), o projeto de lei (PL) 2.350/2021 tramitou apensado ao PL 1.374/2021, do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), e ao PL 1.507/2021, do senador Paulo Paim (PT-RS). O parecer do senador Marcelo Castro (MDB-PI) foi pela aprovação do PL 1.374/2021 e pela prejudicialidade dos demais.

Fonte: Agência Senado

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas